Destaques, Notícias

Mergulhadores resgatam tubarão prestes a furar os olhos com anzóis

O Aquário de Vida Marinha de Sydney ainda recebeu uma licença do Departamento de Indústrias Primárias da Austrália para que a equipe realizasse mais resgates em Nova Gales do Sul


Facebook/ SEA LIFE Sydney Aquarium

Recentemente, especialistas em vida selvagem conseguiram remover três ganchos grandes de um tubarão, depois de atrair o animal para uma espécie de meia gigante na costa de Nova Gales do Sul, na Austrália.

Especialistas do Aquário de Vida Marinha de Sydney, na Austrália, rastrearam o tubarão depois de relatos do público que o animal tinha anzóis perto dos olhos.  O cientista marinho do Aquário, Rob Townsend, foi um dos mergulhadores encarregados de puxar o animal para dentro da grande meia.

“Esta é a meia em que vamos capturar o tubarão. É agradável, grande e clara, para que o animal não enxergue a meia como uma ameaça”, disse ele ao Daily Mail (19).

Facebook/ SEA LIFE Sydney Aquarium

O gerente de exibição do Aquário, Hope Nugent, disse que no início, a operação foi extremamente frustrante. “Você se sente responsável quando não consegue convencer o animal (a entrar na meia) na primeira ou segunda tentativa e sabe que logo ele irá nadar para longe e talvez a terceira chance seja a última. Então é frustrante”, disse ela.

Foi então, na terceira tentativa, que o animal entrou na bolsa, dessa forma, ele foi levado para o barco,  onde o veterinário, Michael Cannon, removeu os três ganchos grandes.”Após o resgate, demos antibióticos e vitaminas para o tubarão, antes que ele nadasse lindamente e de forma saudável para o oceano”, disse Townsend.

E completou: “Os anzóis são um equipamento comum usado pelos pescadores e, infelizmente, podem ter impactos devastadores para a vida selvagem. Nosso conselho é evitar o uso de equipamento de aço inoxidável e, em vez disso, usar ganchos sem anzóis”.

O Aquário ainda recebeu uma licença do Departamento de Indústrias Primárias da Austrália, permitindo que a equipe realizasse resgates  em águas específicas na costa norte de Nova Gales do Sul, sendo assim, eles continuarão seus trabalhos para ajudar a proteger a espécie animal criticamente ameaçada.

Confira o vídeo do resgate:


 

​Read More
Destaques, Notícias

Tubarão-baleia é salvo por mergulhadores nas Maldivas

Os mergulhadores persistiram por cerca de 10 minutos, até finalmente poderem cortar a corda e libertar o animal


 

Caters New Agency

Recentemente, uma equipe de mergulhadores registrou o momento em que tenta  salvar um tubarão-baleia gigante que havia sido pego em um pedaço grosso de corda.

Simone Musumeci e Antonio Di Franca, que administram uma agência de excursões de mergulho, levaram um grupo para as águas da ilha de Fuvahmulah, nas Maldivas, em dezembro do ano passado.

Foi lá que eles avistaram um tubarão-baleia com uma corda grossa amarrada em seu corpo.  Nas filmagens subaquáticas, o tubarão, que para eles, parece ter mais de um metro e meio de comprimento, pode ser visto nadando à distância e possui uma corda de pesca grossa entre a cabeça e as nadadeiras.

Caters New Agency

O vídeo encerra quando o grupo pega a corda que envolve o animal, enquanto ele continua nadando na água, arrastando os mergulhadores com ele.

No entanto, segundo o site Daily Mail (10), os mergulhadores persistem, até finalmente poderem cortar a corda cerca de 10 minutos depois. Assim, o animal é libertado, com cortes profundos e marcas brancas em função da corda que estava cortando sua pele.  Após, o tubarão começa a nadar para longe enquanto um dos mergulhadores estende a mão para tocar carinhosamente sua nadadeira, finalizando o vídeo.

Simone, que dirige a empresa de turismo Macana Maldives, relatou ao site que enquanto os mergulhados estavam voltando para o barco, o guia que estava a bordo gritou “tubarão-baleia”.

Ela declarou ao site Daily Mail: “Coloquei minha máscara de respiração imediatamente e olhei embaixo da água e vi o animal nadando em nossa direção com uma corda enorme em volta do pescoço. Foi então que a equipe decidiu mergulhar e ajudar”.

Simone acrescentou: “Demoramos cerca de dez minutos para libertar o tubarão. Ele nos arrastava enquanto segurávamos a corda, a uma profundidade de cerca de 14 metros. Quando a corda finalmente se soltou, o animal ficou parado por um momento, como se percebesse que estava livre, depois nadou lentamente para baixo nas profundezas do mar”.

Ela ainda relata, que alguns instantes depois, o animal apareceu novamente e nadou mais perto deles “como se quisesse agradecer”.

Caters New Agency

Donatella Moica, diretora de marketing e comunicação da Macana Maldives, disse: “Não poderíamos descobrir como o tubarão foi pego na corda”, uma vez que os tubarões-baleia viajam grandes distâncias e o acidente com a corda pode ter acontecido  longe das Maldivas. “Com certeza já arrastava a corda há algum tempo, considerando as marcas ao redor do corpo”, concluiu ela.

Confira o vídeo  AQUI

 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More