Notícias

Cantora Lorde pausa produção de novo álbum após morte de cachorro

O cachorro morreu após sofrer duas paradas cardíacas. Apaixonada pelo animal, Lorde enfrenta uma fase de luto


A cantora Lorde, de 22 anos, anunciou aos fãs que vai interromper a produção do seu próximo álbum por conta da morte de seu cachorro. Pearl morreu em outubro.

(Foto: Reprodução/Instagram)

O luto que tem vivido fez com que a cantora se distanciasse também das redes sociais. Para explicar sua ausência, Lorde publicou um comunicado no sábado (2).

“Pearl chegou na minha vida em 2018 e quase que imediatamente mudou tudo para mim. Como qualquer um que teve o prazer de criar um cachorro entende, minha vida cresceu exponencialmente. Pearl trouxe uma quantidade imensurável de alegria e propósito ao meu mundo”, escreveu Lorde. As informações são da revista Quem.

De acordo com a cantora, o cachorro sofreu duas paradas cardíacas e não resistiu. “Eu estava segurando-o quando se foi. E eu sabia que ele sabia que eu estava lá [por ele]. Mas essa perda foi indescritivelmente dolorosa, e uma luz que foi acesa para mim se apagou”, disse.

Sobre o próximo álbum, Lorde pediu paciência aos fãs. “Perdi meu menino e preciso de algum tempo para ver o bem novamente e terminar de fazer isso [o disco] para vocês. Não será o mesmo trabalho – como qualquer pessoa que sentiu perda pode entender, há uma porta que você abre e tudo é diferente do outro lado. Mas quando essa grande perda se cristalizar dentro de mim e meu peito se reconstruir em torno dela, espero poder terminar e compartilhar com vocês, e todos cresceremos juntos, como sempre fazemos”, finalizou Lorde.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Novo disco do ex-mutante Arnaldo Baptista trará músicas sobre vegetarianismo e animais

Maior entre as lendas vivas do rock brasileiro, o ex-Mutantes Arnaldo Baptista, 62, está de volta.

O artista já escreveu boa parte das canções daquele que será seu sétimo álbum solo, “Esphera”. Ele conclui nos próximos dias a pré-produção do trabalho para entrar em estúdio na sequência.

“Já tenho 17 músicas novas prontas, mas preciso escolher a dedo quais vão entrar neste LP”, diz. “Fiz uma, bem infantil, que fala de um gatinho que encontrei. Outra, sobre viagem no tempo e carros movidos a luz solar. Uma defende o vegetarianismo. São minhas utopias. Por isso é meu LP mais feliz.”

O título, “Esphera”, segundo o próprio autor, é um comprimido de alguns conceitos. “É esperança, espera e esfera –que é energia”, diz. “Energia no sentido de eletricidade solar, que não polui nunca. Defendo isso. Onde há fumaça, há fogo. Poluição queima tudo.”

O ex-Mutantes Arnaldo Baptista (Foto: Leonardo Wen/Folhapress)

“Vou usando meu grau de criatividade, inspiração e inconsciência com ciência. Neste trabalho, vou entrando no sentido de fazer um ‘universo poliverso”, diz, sorrindo.

Arnaldo pretende tocar todos os instrumentos do “LP” (é assim que ele chama seus álbuns): a base de bateria, guitarra, teclados e contrabaixo. E, sobre tudo isso, detalhes de violão, gaitas, flautas e sintetizadores.

Com informações de Folha

​Read More
Notícias

Peixe amazônico produz substância similar ao leite materno para alimentar seus filhotes

Estudos realizados pelo  Centro de Estudos de Adaptações da Biota Aquática da Amazônia (Adapta) projeto ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCT), revelam que o peixe ornamental acará disco (Symphysodon spp), comum em Barcelos (interior do Amazonas), tem uma característica própria na hora de cuidar dos filhotes. O acará disco produz um muco que, segundo os pesquisadores, é rico em nutrientes e tem função similar ao leite materno nos mamíferos.

Neste processo de alimentação, os filhotes “beliscam” a pele dos “pais” para obterem o alimento.

Outro fator importante do estudo foi a descoberta que por meio desse muco há a passagem de substâncias essenciais para o crescimento e imunidade do peixe”, enfatizou.

Ainda de acordo com as pesquisas, os poluentes presentes na água podem ser passados dos pais para os filhotes onde através do muco os filhotes geram uma espécie de defesa.

“Alguns poluentes são passados por meio do muco e esse poluentes servem para desencadear um processo resistência e essas substâncias”, declarou Val.

O “desmame”

As pesquisas revelaram ainda que este tipo de alimentação diferenciada para os filhotes se dá em um período de três semanas onde os pais começam o processo semelhante ao de “desmame”. Isso ocorre por apenas três semanas a partir daí o filhote de acará disco já busca seus alimentos motivados pelo afastamento dos pais.

O próximo passo agora é fazer a análise genética para saber quais são os genes responsáveis pelo estímulo à produção do muco com nutrientes que só ocorre no período em que há filhotes.

“O muco é produzido sempre, mas o muco com essa composição só ocorre quando há os filhotes. Deve haver um mecanismo que estimula a mudanças da composição química do muco durante aproximadamente três semanas e após esse período tudo isso desaparece e o filhote começa a ter vida independente”, explicou.

A pesquisa foi destaque no site da BBC e deve ser publicada ainda este ano no The Journal of Experimental Biology, publicação internacional sendo a mais importante na área de biologia experimental.

Sobre Adapta

O Adapta é uma rede de atividades de Biologia Aplicada e tem a proposta estudar as Adaptações de organismos aquáticos da Amazônia, por meio da incorporação de novos equipamentos, da estruturação de um serviço de bioinformática e capacitação de recursos humanos.

O projeto faz parte dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT’s) e conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisas do Estado do Amazonas (Fapeam), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Com informações de AnimaLivre

​Read More