Notícias

Pontos de arrecadação recebem doações para animais desabrigados após chuvas

Dezenas de animais ficaram desabrigados após fortes chuvas atingirem a Baixada Santista, causando deslizamentos de encostas em Santos, São Vicente e Guarujá, no litoral de São Paulo. Eles dependem, agora, de doações, que podem ser feitas em pontos de arrecadação (confira abaixo).

Foto: Pixabay

Parte dos animais afetados pelos deslizamentos foram levados para abrigos com seus tutores e estão recebendo cuidados oferecidos pela Coordenadoria de Defesa da Vida Animal (Codevida), que está aplicando vacinas e medicamentos em cães e gatos.

A Codevida também está alimentando os animais desalojados. Quatro gatos e seis cães foram resgatados na terça-feira (3) após serem retirados de escombros em Barreira do João do Guarda.

Seis pontos de arrecadação foram autorizados pela Codevida para receber doações de ração para cachorros e gatos. São eles:

ONG DVA

Endereço: Rua Almirante Tamandaré, 136.

ONG Patinhas que Brilham

Endereço: Rua Carvalho de Mendonça, 670.

ONG Viva Bicho

Endereço: Rua Silva Jardim, 333.

Codevida Jabaquara

Endereço: Francisco Manoel s/nº.

Farmácia Essência da Vida

Endereço: Av. Ana Costa, 114.

ONG MAPAN

Endereço: Rua Comendador Alfaia Rodrigues, 51/53.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Animais desalojados são abrigados pela Defesa Civil, em União da Vitória (PR)

O Departamento de Defesa e Proteção Animal de União da Vitória está atuando, junto com a Defesa Civil, na remoção das famílias que residem em áreas de risco. Portanto, além das famílias, os animais também estão sendo removidos.

A coordenadora do Departamento de Defesa e Proteção Animal, Marlene Goulart Jakubiw, explica que, se por algum motivo as famílias não conseguiram levar os animais no momento da mudança, após estarem instaladas, elas retornam para buscá-los.

Marlene ainda observa que, nos locais onde as famílias estão alojadas é destinado um espaço para abrigar também os animais.

Fonte: CBN Foz

​Read More
Notícias

Associação de Protetores de Canoas acusa prefeitura de 'institucionalizar' abandono de animais

Animais perambulam em meio aos escombros na Vila Dique, em Canoas. Foto: Bruno Alencastro

A Prefeitura de Canoas pretende inaugurar, em 15 dias, um canil de passagem para abrigar animais dos moradores da Vila Dique que não puderem ser levados para a Vila de Passagem, no bairro Rio Branco. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde de Canoas, pelo menos 15 famílias têm entre quatro e 13 animais cada.

A responsável pela Equipe de Zoonoses de Bem-Estar Animal, veterinária Maria Luiza Albite, explicou que cada família está sendo orientada a levar os animais que declarou em cadastro prévio. “Eles não podem ser abandonados.” Segundo ela, apenas 27 famílias não possuem animais. Outras 41 famílias têm apenas um. Existem ainda 44 que possuem de dois a três – máximo permitido na Dique.

A Secretaria da Saúde esclarece que há pelo menos nove meses existe a presença constante da Equipe de Zoonoses no local. Foi providenciada a colocação de chips em 198 cães e gatos. Ao total, 248 animais receberam atendimento médico e medicamentos contra vermes e carrapatos. Cavalos também terão.

Cães abandonados em rodovia

Moradores da Vila Dique e do bairro Mato Grande, em Canoas, que estão saindo da região para possibilitar a construção da BR 448, também conhecida como Rodovia do Parque, deixam para trás seus animais, especialmente cães e gatos, devido à restrição no número de animais permitidos nas casas de passagem, onde ficarão alojados até que as residências definitivas fiquem prontas. Em área que abrigava cinco moradias já desocupadas da Dique pelo menos cinco cachorros perambulam no meio dos escombros. Enquanto isso, as famílias que ainda permanecem na área estão diante de um drama: escolher os animais que irão acompanhá-las.

A dona de casa Maria Duarte preferiu não ir para a casa de passagem para ficar com os dez cães, seis adultos e quatro filhotes. “Cheguei a cadastrar dois, mas quando me soube que teria de abandonar os outros disse que não abriria mão de tê-los comigo”, afirmou.

Também na Vila Dique, o temor da aposentada Mara Netto é a condição precária de seu barraco, que fica próximo de um córrego. “Se vier uma chuva forte tenho medo que tudo vá abaixo”, afirmou Mara. O drama é ainda maior porque não pretende abrir mão da companhia dos cinco cães e das 20 galinhas.

Na avaliação da presidente da Associação de Protetores de Canoas, Eliane Tavares, o canil de passagem “institucionalizou o abandono”. “Até que seja inaugurado, de que viverão esses animais? Como vão se alimentar? Mais pessoas vão deixar seus cães sabendo que existirá um canil”, assinalou Eliane.

A vice-prefeita de Canoas, Bete Colombo, informou que todas as famílias que ainda não foram transferidas poderão levar provisoriamente mais de dois animais, porém, assim que o “canil de passagem” ficar pronto, os excedentes serão recolhidos.

Fonte: Correio do Povo

​Read More
Você é o Repórter

Cadela e filhotes de porte pequeno aguardam um novo lar em Campinas (SP)

Denise Maria
dd.maria@uol.com.br

Esses lindos filhotinhos precisam urgente de um lar. O dono do imóvel quer que todos sejam retirados do local. Eles tem cerca de 35/40 dias, são de porte pequeno, são 4 machos e 1 fêmea. Estão em uma casa em contrução no bairro Vila das Flores, rua Hélio de Pinho (antepenúltima casa do lado direito – se alguém se interessar, depois pego o número).

O pedreiro está cuidando da mãe e dos filhotes (que estão com pulgas) e precisam urgente de tutores, pois não vão poder ficar no quintal. A fêmea é uma toda amarelinha com patinhas dianteiras brancas.

Para quem quer ver os filhotes e a mamãe, é só aparecer por lá e falar com o pedreiro ou ligar para Péricles (13)8803-8031

​Read More