Notícias

Tubarão é resgatado após ser mantido por três anos em aquário em Ribeirão Preto (SP)

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Joel Silva/Folhapress

Um tubarão-lixa foi resgatado após ter sido mantido por três anos em cativeiro na casa de um aquarista em Ribeirão Preto (SP). Chamado de Dentinho, o animal que atualmente pesa 20kg, chegou ao local quando era apenas um bebê e foi mantido em um tanque de apenas 3.000 litros sendo alimentado com peixes e camarões.

Segundo o aquarista, ele resgatou o tubarão de um homem que supostamente o comeria em um churrasco. Ao invés de procurar as autoridades responsáveis na época, decidiu encarcerar o animal e elaborar ele mesmo uma dieta, que com o passar do tempo se mostrou ineficiente. Em entrevista à Folha de SP, o próprio aquarista, cujo nome não foi revelado, afirmou que o animal vivia apático, se movia nervosamente pelo aquário durante a maior parte do tempo e jogava grandes quantidades de água para fora do recipiente, demonstrando um claro estresse e dano psicológico.

A espécie de Dentinho está ameaçada de extinção desde 2004. Especialistas que realizaram o resgate afirmam que o animal ainda é um pré-adolescente, mas não puderam afirmar se o tubarão poderá ser reabilitado para sobreviver em seu habitat, devido ao seu desenvolvimento em um ambiente limitado.

O resgate foi realizado por uma equipe do Aquário de Ubatuba, litoral Norte de SP, com o acompanhamento da Polícia Militar Ambiental. Como o aquarista entregou o animal “voluntariamente”, foi eximido da responsabilidade pelos danos causados ao animal e não responderá judicialmente, mesmo tendo cometido crime ambiental.

Nota da Redação: O caso do tubarão Dentinho mostram como a Justiça é irresponsável e desrespeitosa com os animais. O tubarão foi privado de sua família e seu habitat ainda bebê, é enclausurado em um tanque minúsculo em relação ao desenvolvimento de sua espécie, é alimentado de forma inadequada e ainda corre o risco de nunca mais ser liberto, enquanto o responsável por causar danos irreparáveis ao animal não sofre nenhum tipo de punição. Desejamos profundamente que a equipe do Aquário de Ubatuba não enxergue o animal apenas como uma atração futura e perpetue o sofrimento do animal, mas sim que sua equipe se esforce o máximo possível para que Dentinho tenha um final feliz e possa desfrutar de sua liberdade inata em seu habitat com outros de sua espécie.

​Read More
Notícias

Morre Dentinho, cachorro que virou símbolo da luta contra a crueldade com animais

Dentinho, o cão que inspirou a criação de uma fundação de defesa dos direitos dos animais, logo depois do resgate e após tratamento
Dentinho, o cão que inspirou a criação de uma fundação de defesa dos direitos dos animais, logo depois do resgate e após tratamento

Depois de uma longa luta por sobrevivência, com ajuda de muito carinho e apoio de pessoas de todo o país, o poodle Dentinho morreu. O miúdo quase sem pelos, estava internado na clínica veterinária Animania, no bairro da Torre, com uma inflamação na boca. Pequeno e forte, Dentinho virou um símbolo na luta contra a crueldade com animais no estado.

Há pouco mais de um ano, ele foi achado pela cuidadora Lúcia Verônica, abandonado em frente ao Hospital Getúlio Vargas, na Caxangá. O estado no qual se encontrava, sem pelos, olhos e dentes inflamados não permitia, sequer, idenficar a raça do cachorrinho. Após fazer uma cirurgia para remoção dos olhos e de 11 dentes, também na clínica veterinária Animania, Dentinho foi identificado como um poodle.

Apesar do tratamento, a doença que tirou os pelos dele nunca foi descoberta. Os veterinários que cuidaram dele desconfiavam de um problema genético.Como a pessoa que abanadonou Dentinho nunca foi encontrada, os veterinários não conseguiram precisar a idade dele.

Dentinho virou comoção nas redes sociais, recebeu ajuda de protetores de animais no mundo inteiro para custear o tratamento, superou o próprio estado de saúde. Foi adotado pela pela professora Verônica Wogeley e ganhou muito carinho e um lar. O aniversário de adoção era comemorado no dia 30 de abril.

Solidariedade

O cãozinho foi inspiração para criação da Fundação Dentinho, que ajuda animais abandonados com necessidades especiais. Funciona com médicos veterinários parceiros que atuam nos cuidados de animais com dificuldades de locomoção e visão, também há serviços como ortopedia, fisioterapia e acunpuntura.

Também há uma página no Facebook, a SOS Dentinho, que com mais de 5.500 membros, forma uma rede de solidariedade, onde os participantes de todo país ajudam a resolver os problemas dos animais.

Fonte: Diário de Pernambuco

​Read More
Notícias

Fundação Dentinho usa redes sociais para arrecadar doações

Dentinho (Foto:Reprodução)
Dentinho (Foto:Reprodução)

A fundação Dentinho surgiu a partir da história do poodle, que no último mês de abril, foi encontrado no Recife (PE) em situação deplorável. Goretti usou as redes sociais para contar o caso e conseguiu ajuda para o tratamento dele.

Hoje, Dentinho vive cheio de mordomias, com direito a roupinha e cama confortável na sala. “Eu trato todos eles como filhos, sou mamãe e eles são meus bebezinhos. Eu não tenho distinção, só que ele requer um pouco mais de cuidados, né?” conta Verônica Wogeley, professora que adotou Dentinho. Ela foi escolhida entre dezenas de pessoas de todo o Brasil que se candidataram para adotar o cachorro.

A Fundação atua há três meses e já resgatou 20 animais entre cães, gatos e cavalos. Ao todo, seis mil reais arrecadados foram redirecionados a tratamentos médicos de animais abandonados. “Está sendo surpreendente e positivo o que nós temos conseguido ao longo de três meses através dos nossos parceiros, amigos e integrantes dos grupos do Dentinho no Facebook, ajudar uma rede realmente grande de animais” diz Goretti Queiróz, organizadora da fundação.

A dona de casa Ana Paula da Fonseca é uma das pessoas ajudadas pela fundação. Ao todo, ela cuida de 9 cães e 10 gatos. “A fundação ajuda com ração, ajuda se tiver alguma cirurgia, né, eles fazem uma campanha e as pessoas ajudam dando uma pequena contribuição”, conta.

O caso de Dentinho acendeu uma discussão pouco vista pela sociedade: maus-tratos a animais. Não apenas no Recife, mas nas principais capitais de todo o Brasil, animais domésticos ainda vagam abandonados pelas ruas.

Estimulada pelo exemplo e com ajuda da fundação, Sabrina Torres, assistente administrativo, se comoveu a mudar esta realidade. Ela adotou a cadela Nêga, que foi resgatada de um sítio desnutrida e com um problema no olho devido a uma paulada que recebeu na cabeça. “Nesta paulada que ela recebeu, ela perdeu todo o olho e estava bastante debilitada, muito abaixo do peso, cheia de carrapato”, conta a jovem.

Nêga ganhou um lar temporário, recebe todo que e está para adoção. “ Enquanto ela estiver aqui comigo, vai receber o melhor tratamento possível. E a gente só vai passá-la a um novo tutor se sentirmos segurança que a pessoa vai tratá-la e que ela não vai passar mais pelo sofrimento que passou”, diz. Assim, o trabalho da Fundação continua na internet. A página e o grupo “SOS Dentinho” acumulam membros de todo país. O canal possibilita uma rede de solidariedade. Os internautas se comunicam e assim ajudam a resolver problemas de animais abandonados.

O trabalho cresce em ritmo acelerado e hoje, para dar conta dos pedidos, a fundação Dentinho precisa de ajuda. As doações podem ser realizadas com a compra de ursinhos de pelúcia, camisas e canecas que estampam a causa ou ainda por meio de dinheiro mesmo. A meta agora é disseminar o trabalho no interior do estado com a colaboração de gente que atua nesta causa e ainda sair do mundo virtual para uma sede física. “Uma casa, onde a gente possa manter uma sede, onde a gente possa colocar também uma enfermaria de primeiros socorros para ajudar estes animais em risco assim que chegarem e quem sabe um carro de resgate, porque a maior dificuldade da gente é o deslocamento destes animais para serem levados para as clínicas e então, depois deste primeiro tratamento, aquele animal poder ser castrado neste espaço e agente ter um espaço permanente de adoção de animais.” Conta Goretti.

Fonte: TV Jornal

​Read More