Notícias

David Attenborough pede que as novas gerações cuidem dos animais

David Attenborough e David Beckham | Foto: Reprodução

Em seu novo documentário que estreou na Netflix dia 28 de setembro, com título David Attenborough: A Life On Our Planet, o famoso narrador de programas sobre história natural e naturalista britânico, recentemente respondeu a uma série de perguntas feitas por celebridades, como forma de promover seu novo filme.

O filme cobre parte da vida de Attenborough, delineando os momentos decisivos e destacando como o meio ambiente foi danificado durante esse tempo.

Discutindo a mensagem do filme, o locutor falou com celebridades, incluindo Billie Eilish e David Beckham (que recentemente informou que não consumia mais carne), entre outros, sobre o mundo natural.

O ex-jogador de futebol da Inglaterra e do Manchester United David Beckham disse no video: “Olá, Sr. David, aqui é o David Beckham. Em primeiro lugar, muitos parabéns pelo novo filme.

“Você fez muito para abrir todos os nossos olhos para as questões que nosso planeta enfrenta. Seus programas nos fazem cuidar do mundo natural e do que precisamos fazer para protegê-lo. Você já viajou pelo mundo muitas vezes, aprendendo sobre a natureza.”

E faz uma pergunta a Attenborough:  “Se você tivesse uma mensagem para nossos filhos sobre o futuro do nosso mundo, qual seria?”

E o locutor respondeu: “Para cuidar do mundo selvagem do qual fazemos parte. Para cuidar dos animais que você vê. Não desperdice coisas. Não desperdice comida. Não desperdice eletricidade”.

E finalizou salientando a importância da natureza: “Cuide do mundo natural. É a coisa mais preciosa que temos e fazemos parte dela.”


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Naturalista britânico David Attenborough usa o Instagram para falar sobre formas de salvar o planeta para 3,1 milhões de seguidores

Divulgação

O famoso narrador de programas sobre história natural, na TV e rádio, e naturalista britânico David Attenborough aos 94 anos, ingressou na rede social Instagram. O motivo segundo comenta, é a tentativa de salvar o planeta se comunicando com mais pessoas.

Com um vídeo postado em sua conta, na rede social Attenborough comenta suas intenções, onde iria compartilhar posts descrevendo ‘quais são os problemas e como podemos lidar com eles’.

Pouco tempo após ingressar na rede social, ele já havia conquistado mais de 700.000 seguidores, e esse número deve aumentar rapidamente. Um dia após a postagem, ele já possui mais de 3,1 milhões de seguidores na rede.

‘Nova forma de comunicação’

No vídeo publicado, David comenta: “Tenho aparecido no rádio e na televisão nos últimos 60 anos, mas esta é a minha primeira vez no Instagram. E estou explorando essa nova forma de comunicação comigo porque, como todos sabemos, o mundo está em apuros. Continentes estão em chamas, geleiras estão derretendo, recifes de coral estão morrendo, peixes estão desaparecendo de nossos oceanos… a lista é infinita. Mas sabemos o que fazer a respeito. E é por isso que estou adotando essa nova forma, de comunicação”, conclui.

Com a publicação da postagem inúmeras figuras públicas se entusiasmaram com a declaração, uma delas foi a influenciadora sustentável Zanna Van Dijk, que disse: “Bem-vindo! Estou muito feliz em vê-lo nesta plataforma. Espero que você possa continuar a inspirar mudanças ainda mais positivas.”

Além disso, o naturalista britânico comenta seu novo filme que estreia na Netflix, em 4 de outubro de título “David Attenborough: A Life On Our Planet”, onde ele fala sobre sua trajetória e a evolução da vida na terra, e lamenta as perdas das áreas selvagens do planeta e oferece uma visão de futuro possível.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
De olho no planeta

Naturalista David Attenborough apresentará documentário da BBC sobre mudança climática

Foto: Ian West |PA

“Pode soar assustador, mas a evidência científica é que, se não tomarmos medidas dramáticas na próxima década, poderemos enfrentar danos irreversíveis ao mundo natural e ao colapso de nossas sociedades”. Esse o alerta do naturalista David Attenborough.

A mudança climática já demostra suas consequências desastrosas no planeta – do derretimento de geleiras a extinção de espécies, de altas temperaturas a chuvas avassaladoras.

No ano passado, a BBC chamou a mudança climática de “a maior ameaça da humanidade em milhares de anos” na cerimônia de abertura da conferência da ONU sobre o tema.

Agora, o documentário inédito mostrará imagens que revelam o impacto que o aquecimento global já teve. Attenborough diz que as condições mudaram “muito mais rápido” do que ele jamais imaginou.

De acordo com a BBC, o filme oferece “uma explicação inflexível sobre o que os níveis perigosos de mudança climática poderiam significar para as populações humanas.”

A diretora de conteúdo Charlotte Moore disse: “Há uma verdadeira fome do público para descobrir mais sobre a mudança climática e entender os fatos. As informações são do The Independent.

“Temos um guia confiável em Sir David Attenborough, que estará falando sobre as questões desafiadoras levantadas e apresentará um olhar envolvente e informativo sobre um dos maiores problemas do nosso tempo.”

​Read More
De olho no planeta

Naturalista David Attenborough perdeu o apetite por carne ‘pela situação do planeta’

Foto: Ian West |PA

O apresentador de televisão e historiador natural, David Attenborough,já afirmou em um vídeo que “precisamos começar a fazer mudanças sérias para combater as mudanças climáticas”, acrescentando que “aqueles que aqueles estão na zona de conforto – e especialmente pessoas em partes mais ricas –  muitas vezes não são afetados pelos efeitos do aquecimento global, causados ​​por uma série de indústrias, incluindo a pecuária.”

Reflexões sobre os impactos do consumo de carne no planeta levaram o naturalista a perder o apetite pela carne.

Falando à revista Radio Times, ele pediu que as pessoas ajam de maneira mais responsável ao fazer escolhas sobre comida.

“Acima de tudo, temos que ter uma coisa em mente – cada bocado de comida e cada sopro de ar que tomamos depende de um planeta saudável” , disse ele.

“E a única coisa que podemos fazer é parar o desperdício. Não desperdice comida. Não desperdice energia. Eles são preciosos e não podemos viver sem eles. Todos nós somos consumidores dessas coisas e devemos agir com responsabilidade”, afirmou o executivo de 92 anos, dizendo ainda que “talvez, ao fazer isso, possamos desfazer os danos que estamos causando.”

Quando questionado sobre se as pessoas deveriam reduzir sua ingestão de carne, Attenborough respondeu: “Bem, não podemos continuar a comer carne no ritmo em que estivemos”.

“Eu não tenho sido um vegetariano doutrinário ou vegano, mas não tenho mais o mesmo apetite por carne. Por quê? Não tenho certeza. Eu acho subconscientemente talvez seja por causa do estado do planeta”, disse ele. As informações são do LiveKindly.

Colaborações de David 

A série de TV “Nosso Planeta” – feita em colaboração com o World Wildlife Fund (WWF) foi narrada por Attenborough e destaca tanto a beleza quanto as lutas do mundo nas questões como mudança climática, sobrepesca e desmatamento.

A carne e a produção de laticínios são os principais propulsores desses problemas, bem como a escassez de água, a extinção de espécies, o aumento do nível do mar e a poluição. Recentemente, as Nações Unidas afirmaram que o combate ao consumo de carne é o problema mais urgente do mundo , e a pesquisa da Universidade de Oxford, no Reino Unido, descobriu que a melhor ação individual que uma pessoa pode tomar para ajudar o planeta é adotar uma dieta vegana.

Agora, ele apresentará um novo documentário da BBC sobre mudança climática.

No ano passado, a BBC chamou a mudança climática de “a maior ameaça da humanidade em milhares de anos” na cerimônia de abertura da conferência da ONU sobre o tema.

Agora, o documentário inédito mostrará imagens que revelam o impacto que o aquecimento global já teve. Attenborough diz que as condições mudaram “muito mais rápido” do que ele jamais imaginou.

De acordo com a BBC, o filme oferece “uma explicação inflexível sobre o que os níveis perigosos de mudança climática poderiam significar para as populações humanas.”

A diretora de conteúdo Charlotte Moore disse: “Há uma verdadeira fome do público para descobrir mais sobre a mudança climática e entender os fatos.

​Read More
Notícias

Historiador britânico afirma que a humanidade deve parar de comer carne para o bem do planeta

O apresentador de televisão e historiador natural, Sir David Attenborough, afirmou em um vídeo recente que “precisamos começar a fazer mudanças sérias para combater as mudanças climáticas”.

Foto: Nick Lyon| BBC Natural History Unit

Attenborough também comentou que aqueles que estão na zona de conforto – e especialmente pessoas em partes mais ricas –  muitas vezes não são afetados pelos efeitos do aquecimento global, causados ​​por uma série de indústrias, incluindo a pecuária .

“Podemos muito bem dizer…bem, não importa se continuamos a comer carne, é porque não somos afetados’”, disse Attenborough.

“Mas, de fato, importa porque importa para o mundo todo. E as primeiras pessoas a sentir as consequências são, claro, os pobres. Aqueles no fim da pirâmide. Aqueles que são realmente vulneráveis ​​ao que está acontecendo com o clima ”, continuou ele. As informações são do Live Kindly.

Um estudo publicado em outubro do ano passado descobriu que aqueles com renda mais baixa eram mais propensos a se preocupar com a mudança climática.

“É por isso que o mundo inteiro deveria agir em nome deles”, afirmou Attenborough. No final de 2017, Attenborough revelou que ele havia parado de comer carne, chamando as práticas de criação de animais de “deprimentes”.

“Nós temos muito conhecimento, nós temos muita habilidade, nós temos muita ingenuidade. Claro, podemos fazer algo sobre mudança climática. A questão é quanto. E nós devemos elevar nossos objetivos e caminhar para o melhor”, disse Attenborough no vídeo.

“Há cientistas, inventores e industriais em todo o mundo que são muito engenhosos. O Homo sapiens é uma espécie muito engenhosa e acredito que nos colocou nessa confusão, é verdade. Mas não sabia o que estava fazendo. E agora é o momento de usar essa ingenuidade e essa paixão para nos tirar dela ” , observou ele.

Foto: Reprodução | Instagram

A série de TV “Nosso Planeta” – feita em colaboração com o World Wildlife Fund (WWF) e narrada por Attenborough – destaca tanto a beleza quanto as lutas do mundo nas questões como mudança climática, sobrepesca e desmatamento.

A carne e a produção de laticínios são os principais propulsores desses problemas, bem como a escassez de água, a extinção de espécies, o aumento do nível do mar e a poluição. Recentemente, as Nações Unidas afirmaram que o combate ao consumo de carne é o problema mais urgente do mundo , e a pesquisa da Universidade de Oxford, no Reino Unido, descobriu que a melhor ação individual que uma pessoa pode tomar para ajudar o planeta é adotar uma dieta vegana.

​Read More
De olho no planeta

Naturalista britânico alerta que oceanos enfrentam a maior ameaça da história

Ele afirmou que os oceanos estão sob a maior ameaça da história.

Foto: Gavin Thurston

O documentário ambiental da BBC explorará os danos causados aos mares pelas mudanças climáticas, poluição plástica e pela pesca e chegará ao fim no dia 10 deste mês.

Além disso, “Blue Planet II”  mostrará o efeito que o barulho dos meios de transporte, o turismo e a exploração de combustíveis fósseis possui sobre os oceanos.

Admitindo que os oceanos “podem estar em  um ponto de crise”, o naturalista declarou: “Durante anos, pensamos que os oceanos eram tão grandes  os habitantes tão infinitamente numerosos que nada que pudéssemos fazer poderia ter um efeito sobre eles. Porém, agora sabemos que isso estava errado. Agora é evidente que nossas ações têm um impacto significativo nos oceanos do mundo. [Eles] estão ameaçados como nunca antes na história humana. Inúmeras pessoas acreditam que os oceanos atingiram um ponto de crise”.

“Certamente possuímos a responsabilidade de cuidar do nosso planeta azul. O futuro da humanidade e, de fato, toda a vida na Terra, depende de nós agora”, completou.

O “Blue Planet II” já mostrou essas questões durante a série, esclarecendo como os animais marinhos da Grande Barreira de Corais são mortos em decorrência do branqueamento de corais. Os telespectadores também albatrozes morrerem porque confundiram plástico com alimentos.

O produtor do programa, Mark Brownlow, disse que a equipe atrás da série simplesmente “não poderia ignorar” os imensos problemas que ameaçam os oceanos agora e, por isso, o episódio final será sobre eles, informou o Huffington Post.

Ambientalistas esperam que o episódio desperte a ação do público, tendo em vista a grande audiência do programa. O programa foi considerado o mais visto de 2017 até agora, sendo que um episódio atraindo 17 milhões de telespectadores.

​Read More
Notícias

Ativistas denunciam apresentador de vida selvagem que posou com leão explorado

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/RadioTimes
Reprodução/RadioTimes

David Attenborough, um famoso apresentador britânico e naturalista, foi criticado por ambientalistas após fazer uma sessão de fotos em que segurava e alimentava um filhote de leão.

A imagem do apresentador de vida selvagem, que comemora seu 90º aniversário, ilustrou a capa da Times Radio desta semana, diz o Daily Mail.

Mas a capa e fotografias que o mostram alimentando dois leões, em sua casa, enfureceu um grupo de assistência a animais selvagens que alega que as imagens promovem o uso de animais como propriedades.

A sessão de fotos foi organizada para evocar uma capa da mesma revista feita em 1956, na qual David alimentava com uma mamadeira um filhote de urso encontrado abandonado em uma floresta da Indonésia.

Porém, a Fundação Born Free, uma instituição britânica que resgata animais por todo o mundo, torno dos resgates mundo mostrou insatisfação com essa atitude.

Will Travers, filho dos fundadores do grupo, a atriz Virginia McKenna e o ator Bill Travers disse que as fotos encorajam as pessoas a enxergar animais como “propriedades”.

“Estamos preocupados, pois David é uma inspiração para tantas pessoas e aparece na capa da Radio Times com um filhote de leão em cativeiro.”, disse ele ao The Times.

“Mostrar leões como bonitos adereços para uma fotografia não melhorara as chances de sobrevivência da espécie e pode prejudicar a reputação de nosso naturalista mais amado e respeitado.”

O grupo está preocupado que as imagens incentivem mais visitas do público a fazendas na África que estimulam fotografias com animais como uma atração turística.

O leão que aparece nas fotos é explorado pela Amazing Animals, empresa que também tem sido criticada depois que leões, um leopardo e um urso polar foram filmados executando truques na sede da companhia, em Oxfordshire.

​Read More
Notícias

Slash e David Attenborough se juntam a Brian May contra a matança de texugos no Reino Unido

Por Juliana Meirelles (da Redação)

A campanha “Artful Badger and Friends” (Texugo Astuto e Amigos) contra a matança de texugos durante o verão começou com o lançamento da música “Badger Swagger”.

Os músicos Slash, Shara Nelson e David Attenborough se juntaram a Brian May numa nova música dedicada aos texugos. “Badger Swagger”, lançada dia 4 de junho, é parte de uma campanha inglesa contra o abate de texugos este verão. As informações são do The Guardian.

O grupo se autonomeou “Artful Badger and Friends”. Sua música de estreia foi criada pelo produtor musical Rob Cass, que já trabalhou com artistas como Estelle, Robbie Williams e Baaba Maal. “Eu acho toda a natureza linda”, disse ele num comunicado para a imprensa. “Esta música é minha humilde contribuição para acabar com esse desnecessário abate de texugos”.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Cass começou a planejar este projeto ao se juntar a uma manifestação contra matança no começo do ano. “Nós decidimos que a melhor maneira de ajudarmos seria fazer o que fazemos de melhor: música”, ele disse. Além dos artistas citados acima, “Badger Swagger” inclui ainda contribuições do rapper Sonny Green e Sam and the Womp, cuja música de estreia liderou as paradas ano passado. “[Meu solo] parece um motim de texugos”, disse Slash em sua conta no Twitter. “Ou um monte de texugos hooligan num bar”.

Brian May já estava engajado na causa. O guitarrista do Queen lançou outra música sobre texugos no mês passado, inspirado pelo tema de Flash Gordon de sua banda, e um Rap de Texugos com Brian Blessed e Weebl. O músico de 65 anos também faz aparições frequentes a protestos contra a matança, incluindo o comício “Salve os Texugos”, que aconteceu em Londres no último final de semana. “[Esta] é uma luta contra a atitude antiquada, sanguinária e ignorante de que ser humano, o dinheiro e o poder político são tudo o que importa”, disse ele num discurso recente. “É uma luta a favor dos direitos de outras criaturas desse planeta – pelo direito deles de viver nestas ilhas”.

Brian May e seus companheiros pró-texugos fazem campanha contra o plano do governo de matar até 100 mil animais, começando com os projetos pilotos em Somerset e Gloucestershire. O objetivo desta política é reduzir a incidência de tuberculose bovina no Reino Unido. Mesmo que a maioria da oposição seja baseada apenas em direitos dos animais, críticos argumentam que abates são uma maneira ineficaz de controlar a doença. A vacinação de texugos, já comum no País de Gales, é considerada como uma solução mais compassiva, bem sucedida e econômica para resolver o problema.

​Read More