Home [Destaque N2], Notícias

Ursos ”dançantes” submetidos a uma vida miserável encontram a paz

Os dois ursos-preguiça, Rangila e Sridevi, estão se recuperando do estresse psicológico decorrente da exploração contínua para o entretenimento humano.

Foto: World Animal Protection

A World Animal Protection disse que contou com o Instituto Jane Goodall do Nepal e com a polícia para finalmente acabar com a miséria dos animais.

Rangila, um macho de 19 anos, e Sridevi, uma fêmea de 17 anos, foram vítimas da crueldade depois de serem vendidos aos seus exploradores para serem usados como ursos dançantes, uma prática ilegal.

Os exploradores arrancaram seus dentes e perfuraram o seu nariz com uma haste em chamas, antes de inserirem uma corda no nariz dos animais para controlá-los. Eles viviam amarrados com cordas e correntes.

Não se sabe quantos anos eles permaneceram em cativeiro. A prática das danças de ursos foi popular na Idade Média até o século XIX na Europa e na Ásia, mas agora está quase desaparecida.

A organização disse que a polícia local ajudou a localizar os ursos em Iharbari, no Sudeste do Nepal, rastreando o celular do abusador, revelou o Independent.

“Os ursos estavam extremamente perturbados e mostraram sinais de trauma psicológico, como se esconder, andar de um lado para o outro e sugar a pata”, disse a instituição.

“Estamos orgulhosos de ter realizado um resgate tão incrível. Esta é uma ótima maneira de encerrar 2017. Estamos emocionados de que os dois últimos ursos dançantes conhecidos do Nepal tenham sido salvos de sua vida de sofrimento”, afirmou Manoj Gautam, do Instituto Jane Goodall do Nepal.

Neil D’Cruze, especialista em animais selvagens da World Animal Protection, completou: “É extremamente doloroso ver os animais serem capturados na natureza e a triste realidade é que existem mais animais selvagens que sofrem em todo o mundo, apenas para o entretenimento de turistas. Estou satisfeito de que um final feliz finalmente esteja à vista para essas duas preguiças”.

Os abusadores saíram impunes e receberam apenas um “aviso severo” da polícia. Os ursos têm recebido tratamento no Parsa National Park, no Nepal.

​Read More