Destaques

Bezerro resgatado e cachorrinho formam lindo laço de amizade

Lincoln e seu amigo Calvin | Foto: Reprodução

Todos nós ficamos um pouco nervosos quando vamos para um novo lugar. Mesmo que esse lugar seja um espaço bom e acolhedor, é natural ficar um pouco desconfortável e até com receios. E foi exatamente assim que o bezerro Calvin se sentiu quando chegou a Black Goat Farm and Sanctuary.

Calvin nasceu em uma fazenda leiteira em que sua mãe vivia. Felizmente, enquanto a maioria dos bezerros machos nascidos na indústria de laticínios são enviados para fazendas de vitela, Calvin foi resgatado pelos proprietários do santuário, Megan e Mike.

Embora o santuário fosse o melhor lugar onde Calvin poderia ser levado, o bezerro ainda estava um pouco nervoso quando chegou. No entanto, Lincoln, um cachorro do santuário, demonstrou amizade e assumiu a posição de cão de guarda de Calvin e mostrou-lhe sua nova casa. Logo, Calvin estava brincando no santuário com seu novo melhor amigo e até pegou alguns “comportamentos caninos” com o passar do tempo.

Calvin e seu amigo cão | Foto: Reprodução

Os proprietários do santuário, Megan e Mike também resgataram outro bezerro chamado Zoey. Inicialmente, ele e Calvin eram um pouco cautelosos um com o outro, mas depois os dois se tornaram inseparáveis. Eles passam a maior parte do tempo brincando de correr uns com os outros e Lincoln também se mantem sempre por perto.

Amizades iniciadas como no Black Goat Farm salvam e ressignificam a vida inúmeros animais da indústria da carne, leite e ovos, e só demonstra a importância de adotar-se um estilo de vida livre de crueldades.

​Read More
Destaques, Notícias

Cachorrinhos são salvos por voluntários e mãe segue carro de resgate

Mãe dos filhotes correndo atrás da caminhonete que os levava | Foto: Reprodução

Instinto maternal não é reservado apenas para seres humanos, é o que conta Karlee, responsável há anos por salvar animais em situação de vulnerabilidade nas ruas.

A salvadora foi informada que alguns filhotes viviam em um canteiro de obras que seria demolido e que correriam sérios riscos de morte.

Moradores residentes próximo ao canteiro de obras tentaram retirar os filhotes do local mas ficaram com medo, não só dos cachorrinhos, que estavam ariscos e assustados, mas principalmente pelo responsável pela obra. Segundo informações Karlee, ofereceu agua e comida aos filhotes para que eles pudessem se aproximar dela.

A equipe de Karlee, conseguiu pegar todos os filhotes, porém não foi localizado a mãe de imediato e era sabido que ela estaria em algum lugar. Ao retornarem ao canteiro de obras, os voluntários encontraram a mãe dos filhotes.

Um morador que constantemente alimentava a mãe dos filhotes deu a sugestão de levarem os filhotes para a casa de Karlee, que provavelmente a ela os seguiria, e foi exatamente o que ocorreu.

Mãe junto de seus filhotes | Foto: Reprodução

Assim que Karlee colocou os filhotes na caminhonete e seguiu para sua casa, a cadela começou a segui-los. O trajeto durou aproximadamente 10 minutos e a todo tempo ela os seguia sem titubear. A salvadora parava constantemente durante o percurso para oferecer água a mãe, já que ela permanecia arisca.

Ao chegar em sua casa, Karlee conta que demorou até conseguir proximidade com a mãe dos filhotes e fizessem com que ela entrasse na residência. “Cerca de uma semana depois ela entrou e agora está confortável com seus filhos”.

Atualmente a mãe esta segura e tranquila na casa de Karlee, vivendo com seus filhotes.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cadela idosa fica presa em cano de 15 metros e ao ser salva comove socorrista

Reprodução

Uma cadela de 15 anos cega e quase surda passou por apuros quando ficou presa a 15 metros de profundidade em um cano de drenagem de 15 metros.

Trixie vive com sua tutora em uma casa próxima a construção. A cadelinha escapou pela cerca de sua casa e caminhando no local da construção, caiu no cano de drenagem.

Kathie Iannuzzi, sua tutora ficou desesperada por não saber o paradeiro da sua companheira e a procurou em todos os lugares onde poderia acha-la, mas sem sucesso, conta.

Mas Bob Marker, e outros funcionários da construtora MOR Construction, que operavam no local, conseguiram ouvir o choro da cadela ao pedir socorro. De acordo com Bob, eles rapidamente se dirigiram ao local buscaram matérias e formas de resgatar Trixie.

Com o auxílio de uma câmera, eles conseguiram visualizar, exatamente o local onde ela estava, e assim foi possível fazer um buraco na tubulação para retirar o animal com segurança.

Marker contou como foram os momentos do resgate “Quando eu estava puxando ela de volta para fora do cano, ela estava mordendo. Mas assim que coloquei as mãos sobre ela e a puxei para fora, ela logo se debruçou em mim”.

Após o susto Trixie foi para os braços de sua tutora que estava desesperada em sua busca.
Além disso, a equipe da MOR Construction certificou-se que o cano foi devidamente vedado para que não ocorram incidentes como esse.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Família funda santuário e salva animais da morte em Cruzeiro (RS)

Família Willers no Santuário Amor que Salva | Foto: Reprodução Instagram

Em Cruzeiro do Sul, Rio Grande do Sul, Marcia, Luiza e Fabiana Willers fundaram em março deste ano o Santuário Amor que Salva, o nome faz referência a lição de amor que são os animais e que também proporcionaram a elas.

Entretanto, a história de amor e cuidados com os animais não é recente. Tudo começou em meados de 2017, com a transição da família para o veganismo, até então elas já realizavam resgate de cães e gatos, mas segundo comentam a mudança foi crucial para elas.

“Mesmo totalmente inexperientes a respeito de como lidar com os animais, a cada ano que passava sentíamos mais a necessidade de ter contato e poder dar uma vida a esses seres vítimas de exploração da indústria da carne, leite e ovos”, relatam

Apesar de realizarem os resgates, cada vez mais elas viam a necessidade de abrigar também animais de outras espécies, que eram vítimas também de maus tratos e da exploração humana, mas como viviam em uma área urbana era muito difícil. Foi este quadro que motivou a família a fazer a mudança.

Santuário Amor que Salva | Foto: Reprodução Instagram

Com a aquisição do sítio em julho de 2019, a família vegana viu na fundação do santuário uma boa oportunidade de proporcionar não só o resgate dos animais e uma vida melhor para eles, mas o contato diário com eles e também aproximar outras pessoas de um estilo de vida vegano.

“Quando resgatamos Joaquim em outubro de 2019, vítima da indústria do leite, não conseguimos fechar os olhos para os outros incontáveis bezerros descartados que víamos quando buscávamos leite para o Joaquim”, comentam.

Atualmente elas contam com cerca de 57 animais, incluindo cães, gatos, porcos, bois, aves, coelhos, cavalo e ovelha, todos resgatados.

Santuário Amor que Salva | Foto: Reprodução Instagram

Em entrevista concedida ao site VEGAZETA, Marcia, Luiza e Fabiana contaram como desenvolveram o santuário e como pretendem seguir no futuro.

Elas comentam que a rotina diária no santuário, é comandada por quatro pessoas e tem seu início as 6h da manhã, e investem para que os animais possam se alimentar cada vez mais de produtos livre de crueldades, “tentamos alimentar os seres sob nossos cuidados com o mínimo possível de produtos de origem animal (como é o caso da ração para os cachorros). Então pelo menos quatro vezes por semana cozinhamos uma mistura de ingredientes como arroz, proteína de soja, batata, caules de hortaliças, cenoura…reutilizando também as sobras de comida. Além disso, para os cachorros fazemos bolos com ingredientes como farinha de amendoim, farinha de aveia e alguns ovos das nossas galinhas (nossas galinhas comem a maioria dos ovos)”, afirmam.

Além disso, afirmam que conforme o crescimento dos animais resgatados os custos para mantimento do santuário serão maiores do possuem atualmente, que por mês gira em torno de R$4 mil somente com a alimentação, e pensam em realizar campanhas de financiamento coletivo e apadrinhamento dos animais.

“Hoje enxergamos o quanto essas despesas são altas, então, como uma alternativa pontual para continuar com os resgates, criamos a vaquinha”. E completa: “A partir da ajuda de uma voluntária, vamos conseguir criar um site e assim divulgarmos possibilidade de doações mensais e do apadrinhamento que funcionará da seguinte forma: as pessoas podem conhecer os animais e sua história através do site e escolher seu afilhado, contribuindo, assim, com um determinado valor mensal.

Santuário Amor que Salva | Foto: Reprodução Instagram

Para colaborar e conhecer o dia a dia do projeto que tem salvado inúmeros animais da indústria da carne, leite e ovos, clique aqui.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Diminui o número de baleias-francas visitando o litoral sul do Brasil

Governo de Santa Catarina

O número de baleias-francas visitando o litoral sul do Brasil em 2020, durante o período de reprodução, diminuiu. A apuração é de um monitoramento aéreo realizado pelo Instituto Australis nos dias 17 e 18 de setembro entre Penha, no litoral norte de Santa Catarina, e Santa Vitória do Palmar, no Rio Grande do Sul.

Foram identificadas 42 baleias-francas enquanto na temporada de 2019 foram registradas 10 a mais no mês de setembro, auge do período reprodutivo da espécie.

Segundo Karina Groch, diretora de Pesquisa do Projeto ProFranca, “O baixo número de baleias foi uma surpresa, pois este ano as baleias chegaram na região mais cedo, o que em geral é um indicativo de um número maior de baleias virem se reproduzir no litoral do Brasil. Além disso, estamos tendo um ano muito atípico em termos de distribuição das baleias, com ocorrência mais ao sul”.

Ela afirma que pesquisadores de outros locais onde ocorrem maior concentração dos cetáceos também notaram a diminuição em relação a 2019. Os pesquisadores que participaram do sobrevoo afirmam que diferentes fatores podem ter favorecido para a redução do número de baleias-francas no litoral nas áreas reprodutivas neste ano.

“A variação pode estar atrelada a fatores como a disponibilidade de alimento antes da migração e a reprodução desses animais na Argentina, que é uma área mais próxima às zonas de alimentação, localizadas na Antártica”, de acordo com Gilberto Ougo, oceanógrafo da empresa Acquaplan que integra a equipe de monitoramento.

Dentre as 42 baleias vistas durante o voo, duas eram adultas sozinhas e 20 eram mães acompanhadas por filhotes. Geralmente, as fêmeas ficam junto de seus filhos por cerca de três meses e são identificadas pelas calosidades na cabeça, únicas para cada baleia, que funcionam como impressão digital. Do total de baleias, 30 estavam em Santa Catarina. A maior concentração foi registrada em Laguna, com 24 indivíduos, seguido de Mostardas (RS), com 10 baleias, Jaguaruna, 6 baleias e Capão da Canoa (RS), 2 baleias. Grupos de toninhas, lobos e leões marinhos, e golfinhos nariz-de-garrafa também foram avistados no sobrevoo.

Os pesquisadores fazem o censo e o registro da localização, além da fotografia das baleias. As imagens coletadas são registradas e catalogadas pelo Projeto ProFranca ao longo dos pontos fixos da Área de Preservação Ambiental (APA) da baleia-franca para monitorar e preservar a espécie.

A baleia-franca é uma espécie ameaçada de extinção no Brasil, e possui uma população estimada em 550 indivíduos e uma taxa de crescimento de 4,8% ao ano.
O próximo sobrevoo está previsto para novembro, no fim da temporada. A realização contínua do monitoramento a longo prazo é essencial para acompanhar a recuperação populacional da espécie no sul do país.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Setembro amarelo: animais também podem cometer suicídio?

Foto: Freepik

Ao fazer uma pesquisa no YouTube encontramos milhares de vídeos de animais que estariam tentando cometer suicídio, mas será que isso é real ou estamos projetando comportamentos humanos nos animais?

A palavra suicídio vem do latim, sui que significa si mesmo e caederes, ação de matar, significa ação de acabar com a própria vida, de se matar, muitas vezes consequência de um sofrimento mental ou físico.

De acordo com bióloga Zélia Moreira, não se pode dizer que animais cometem suicídio, pois não são capazes de ter consciência de que a ação que estão tomando irá acabar com as dores e angústias. Zélia afirma que nem mesmo os animais mais evoluídos são capazes de ter essa consciência, apenas seres humanos. 

Casos semelhantes 

Existem alguns casos e lendas que muitas pessoas consideram ser suicídio. Um exemplo é o mito de que um escorpião cercado por um círculo de  fogo, cravaria seu ferrão contra o próprio corpo. A explicação correta para o fenômeno é na verdade a desidratação do animal.

Também é associado ao ato de se matar, o caso do macho de algumas espécies, como a aranha e o louva deus, que após a cópula são comidos por sua parceira. Este acontecimento, não pode ser comparado ao suicídio, pois o animal visa perseverança da espécie na natureza, garantindo o alimento das crias que serão geradas. 

Doenças mentais

É possível dizer que animais podem desenvolver doenças mentais como o transtorno obsessivo compulsivo, depressão e ansiedade. Muitas vezes essas doenças são causadas por alterações na rotina ou um acontecimento traumático na vida do animal, como maus-tratos. 

Um animal que não está em condições adequadas de vida tem grandes tendências a desenvolver esses comportamentos. O estresse também pode  alterar o comportamento desse animal e ameaçar a sua vida. Um grande exemplo são as baleias do SeaWorld, mantidas em um espaço pequeno, além dos cansativos treinamentos para apresentações. Esses mamíferos frequentemente sofrem com crises de estresse e ansiedade.

Zélia afirma que animais selvagens devem ser mantidos em seu habitat. Ao mudar a  sua casa e deixá-los confinados como uma atração, estamos causando um mal muito grande e arruinando a vida destes seres. 

Cuidados 

Os animais domésticos também precisam de cuidados especiais para não desenvolverem transtornos. É necessário observar os comportamentos do seu animal doméstico e se dedicar a esse cuidado. Fique alerta a sinais de mudanças significativas como inatividade, perda de apetite, comportamentos repetitivos e destrutivos, tentativas de esconder ou fugir. 

A bióloga alerta que pets precisam ter espaço e não devem ficar confinados. Tudo isso alinhado a uma boa alimentação, são cuidados básicos para manter o animal saudável, diminuindo os riscos do desenvolvimento de uma doença mental.

Então se seu animal apresentar algum comportamento anormal, analise com atenção a sua rotina e se você está atendendo todas as suas necessidades.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques, Notícias

Garoto de 13 anos entra em bueiro para salvar cachorro em risco

Terry e seus amigos resgatam Coconut | Foto: Reprodução

Na Florida, em Riverview, um garoto de 13 anos, Terry Metheney, demonstrou uma incrível coragem ao não hesitar em salvar um cachorro idoso que caiu em um bueiro. Acredita-se que após uma forte chuva, o animal foi arrastado até o local, onde ficou preso.

Com a ajuda de seus amigos, o garoto abaixou e rastejou-se pelo túnel do bueiro para retirar o amigo canino e conta “Eu amo animais e faria qualquer coisa pelos cães”.

Ele também comenta que a adrenalina no momento fez com que ele fosse mais rápido para conseguir ajudar o cão, que estava assustado mas contente em vê-lo. A mãe de Terry, Patricia, comenta que está orgulhosa do filho e de todos os garotos que se dispuseram a resgatar o cachorro.

Coconut no colo de Terry, após resgate | Foto: Reprodução

Após o salvamento o cão foi levado para o Pet Resource Center que através de um microchip revelou a identidade do animal. O cachorro se chama Coconut, e as autoridades estão à procura do seu tutor, caso as tentativas não derem certo, a família Metheney tem interesse em adotá-lo.

Um veterinário do Pet Resource Center examinou o cão e disse que o animal possui algumas dores de artrite, mas que está bem de saúde. Se os Metheneys adotarem Coconut, será a segunda vez que ele é resgatado.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Pato é resgatado com embalagem plástica presa no pescoço

Pato com embalagem plastica no pescoço é resgatado. | Reprodução

No dia 23 de agosto em Manchester, no Reino Unido, um pato foi salvo pela Royal Society for the Prevetion of Cruelty Animals – RSPCA (Sociedade para a Prevenção da Crueldade com Animais, tradução livre), depois que um plástico usado para embalar latas de cerveja ficou preso em seu pescoço.

O material, comum para manter juntas embalagens em lata de cerveja e refrigerantes, pode causar sérios danos aos animais quando descartados de maneira incorreta. É o que alerta Lauren Bradshaw, uma das responsáveis pelo resgate do pato.

Ela disse: “O lixo pode ter um impacto prejudicial sobre a nossa vida selvagem e este pato teve a sorte desta embalagem de plástico não ter causado ferimentos. É por isso que é tão importante que as pessoas descartem seu lixo de maneira adequada”.

O plástico preso em animais é extremamente perigoso, sobretudo para a vida marinha que confundem o material com comida, e uma vez presos não conseguem retira-los ou tendem a aperta-los tornando a situação mais danosa.

Material em volta do pescoço do pato | Reprodução

Apesar de ter o material preso ao pescoço, a equipe da RSPCA ainda teve dificuldades para resgatar a ave, é o que revela Bradshaw: “O pato corajoso conseguiu escapar de nós algumas vezes, mas finalmente conseguimos pegar a rede e pegá-lo”, comenta.

Lauren carrega o pato resgatado | Reprodução

A situação poderia ter sido fatal ao animal, mas, felizmente, o plástico não estava apertado em volta do pescoço do animal e não parecia causar ferimentos ou resultar em problemas respiratórios.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

‘Nós te queremos bem’, diz padre à cadela adotada por ele após abandono

Reprodução/Facebook/Valter Girelli

O padre Valter Girelli tem uma relação especial com os animais. Um deles é a cadela Fifi, adotada por ele após ser abandonada, no final do ano passado, em frente ao Santuário de Fátima, em Erechim, no Rio Grande do Sul.

Em um vídeo que viralizou nas redes sociais (veja abaixo), o padre aparece dando um sermão à cadela para ensinar-lhe boas maneiras. “Hoje a Fifi foi pro banho. Está em recuperação de um acidente de moto”, escreveu o padre ao publicar as imagens, que já somam 11 mil visualizações.

“Foi um momento de catequese para a Fifi. Como ela andou abusando, correndo atrás de um motociclista, eu tava dando uma catequese pra ela. Dando um sermãozinho para que ela fosse mais carinhosa, mais atenciosa, porque ela tem quase um ano mas se comporta como um filhote ainda, é como uma adolescente rebelde”, disse o padre, em entrevista ao G1.

O sacerdote relembrou o dia em que encontrou a cadela, abandonada em frente à igreja. “Ela apareceu aqui chorando, resmungando e acabamos adotando para socorrê-la, inicialmente. Todo mundo foi se afeiçoando, ela foi crescendo e sabe como é que é, quando a pessoa se apaixona por um animal, depois é muito difícil se desfazer”, disse. “Agora ela está registrada, em nome nosso, aqui do Seminário de Fátima de Erechim”, completou.

Fifi encantou também a proprietária do estabelecimento onde a cadela toma banho. “Ela é um doce, muito carinhosa. Tu conversa com ela e parece que ela entende”, afirmou Verenice Luisa Menegat.

É impossível alguém não gostar da cadela, exceto o gato Belo, que não se afeiçoou à Fifi por puro ciúmes. Companheiro do padre há quatro anos, o gato não desgruda de Valter nem mesmo na hora de dormir.

“O Belo é muito mimoso, ele é mais calmo, mais discreto, mas tem muito ciúmes. Quando eu saio com a Fifi pra passear ele já fica me marcando de cima, e quando eu volto, ele já vem onde eu estou pra fazer amizade comigo e pra querer dizer ‘olha, não esqueça que eu vim primeiro’. Mas eles não se dão bem, a convivência é possível, cada um tem o seu espaço”, explicou.

“Agora eu entendo São Francisco, eu, hoje, dialogo com a Fifi, dialogo com o Belo. É uma linguagem própria do amor, da amizade e da empatia. Qualquer gesto, qualquer olhar revela e transmite uma mensagem”, disse.

São Francisco de Assis é tido pelos católicos como padroeiro dos animais, o que acontece, segundo Valter, por conta da amizade que o santo tinha com esse seres tão especiais.

“A biografia de São Francisco nos diz que ele falava com os animais, que ele fazia pregações e que os animais vinham escutar”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Homem flagra cadela levando comida para os seus filhotes

Com a rotina do nosso dia a dia, às vezes momentos imagináveis passam despercebíeis pelos nossos olhos. Situações em que um simples gesto de carinho e amor tornam o mundo um lugar melhor. Isso foi sentido por um homem que trafegava com seu carro nas ruas da Turquia quando avistou uma cadela levando alimentos em um pote.

Intrigado, Kiliçzari decidiu segui-la para ver até onde a cadelinha iria. Para a sua surpresa logo após passar por uma construção e um ferro-velho viu quatro filhotes aparentemente bem gordinhos e saudáveis, graças aos cuidados da sua supermãe protetora.

Kiliczari postou um vídeo mostrando a trajetória da cadelinha até o seu destino final. O exemplo desse pequeno animal mostra o quanto podemos ser melhores, e mais preocupados com o bem-estar de todos, inclusive dos seres mais indefesos.

No vídeo ele ainda demonstra toda sua surpresa e felicidade pelo momento que acabou de presenciar, ele afirma: “Isso é maternidade.”

Homem flagra cadela levando comida para os seus filhotes
Foto: Reprodução/ The Dodô

Esse amor demonstrando por Kiliczari, se contradiz com a realidade do país onde ele vive. A Turquia ainda identifica cães em situação de rua como “propriedade” ao invés de “seres vivos”, e não reconhece a senciência dos animais.

Exemplos de amor

A gentileza e a dedicação da cadelinha levando alimentos para os seus bebês não é um caso raro e exclusivo. Frequentemente, animais dão prova de compaixão e solidariedade, como o caso de um cãozinho que levou alimentos para uma cadela enquanto ela estava alimentando os filhotes.

No vídeo abaixo é possível ver uma cadelinha branca alimentando seus filhotes enquanto o cachorro preto está ao lado dela, mostrando um profundo afeto pela companheira, levando um pouco de comida para ela.

Além de levar comida para a cadelinha, ele ainda se deitou ao lado dela, demonstrando todo seu amor e companheirismo. Esse é mais um exemplo do quanto os animais são fieis e cúmplices em todos os sentidos. São atitudes com essa que mostram o quanto o ser humano ainda precisa crescer e evoluir.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cadela cobre cachorra doente com cobertor e ato solidário emociona tutores

Arquivo Pessoal/Guia Medianeira

Amora, de 4 anos, usou um cobertor para proteger sua companheira Doralice, de 10 anos, do frio que atingia no domingo (24) a cidade de Medianeira, no Paraná. O ato de amor foi registrado pela câmera de monitoramento da casa onde os animais moram (veja o vídeo abaixo).

Ao entrar no canil para medicar Doralice, Claudemir Conti não entendeu o que havia acontecido quando encontrou a cadela coberta. Para descobrir, pediu para sua esposa observar as imagens registradas pela câmera. O que o vídeo revelou surpreendeu o casal.

“Pensando bem, muitas vezes, o ser humano não tem essa sensibilidade, de dar um agasalho e um alento para alguém que está passando frio. Naquele momento o animalzinho viu a situação e quis cobrir a irmãzinha. Essa atitude da Amora foi bem emocionante para a gente”, contou Conti ao G1.

O tutor das cadelas costuma medicar Doralice, que é doente, e depois cobri-la. Ele não imaginava, porém, que Amora pudesse aquecer sua amiga da mesma forma.

“O que me surpreendeu foi o entendimento e sensibilidade por parte dela. Ela viu que a Doralice estava com frio, precisava de ajuda e se prontificou em cobri-la”, disse.

A atitude de Amora está relacionada a um comportamento de proteção, segundo a veterinária Anne Caroline Capponi. Ela explicou que o animal pode ter aprendido a fazer isso ao observar o tutor.

“Eles aprendem muito rápido. Você consegue ensinar o animal a se cobrir, principalmente, o cachorro. No vídeo dá para perceber que ela estava tremendo bastante e o animal percebe que o outro não está bem. Ele faz isso com o instinto de proteção”, explicou.

Foto: Claudemir Conti/Arquivo pessoal

Na casa de Conti e de sua esposa, Franciele Crestani, há quatro cães, todos adotados. “Não tem como explicar, a gente adora cachorro, é um sentimento de amor. Adoramos ter a companhia deles e esperamos poder dar o melhor para eles”, disse o tutor.

Por conta do frio, os cuidados foram redobrados. A câmera, inclusive, foi colocada no canil para que o casal pudesse manter a vigilância sobre os animais para cuidar deles da melhor forma possível.

Além de Amora e Doralice, cachorros em situação de rua também são ajudados pelo casal, que colocou um comedouro e um bebedouro em frente à casa onde moram.

“Coloco ração e os cachorros da rua sempre aparecem para comer. Eles também sentem frio, fome. Eles já tiveram uma história e a gente se sensibiliza”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Salvo de ser sacrificado, cachorro cuida de filhotes de gato resgatados

Reprodução/Instagram/@raylan_the_dog

Raylan foi adotado quando estava prestes a ser sacrificado em um abrigo. E como em um ato de gratidão por ter sido salvo, ele passou a se dedicar a salvar outras vidas, transformando o dia a dia de filhotes de gato resgatados através do amor.

Após adotar Raylan, sua tutora decidiu ajudar também gatinhos que precisavam de um lar. Há 6 anos, o primeiro filhote foi levado para a casa dela e a dúvida sobre o cão aceitar ou não animais de outra espécie se transformou, naquele momento, na certeza de que ele estava disposto a cuidar de cada um dos filhotes que passaram por seu lar.

A história de Raylan e seu amor pelos gatos conquistaram os internautas. Atualmente, um perfil no Instagram criado para mostrar a rotina do cão e dos filhotes resgatados ultrapassa 22 mil seguidores. Não bastasse o cuidado que o cachorro tem com os gatinhos, sua fama nas redes sociais também os ajudou a encontrar novos lares.

“Raylan é um cãozinho muito esperto que está sempre disposto a uma nova aventura. Eu descobri que ele gostava de gatinhos quando trouxemos nosso primeiro filhote resgatado, o Watson, há 6 anos atrás, quando Raylan já tinha 3 anos. Ele imediatamente começou a brincar com o “rival”, e se mostrou gentil e paciente com o novo hóspede. Hoje, Watson é nosso vizinho e eles sempre se encontram”, disse a tutora do animal ao site Bored Panda.

Reprodução/Instagram/@raylan_the_dog

Inteligente, o cachorro aprendeu a fazer coisas como buscar cerveja na geladeira para sua tutora e apagar a luz. Seu jeito esperto e doce conquistou o coração de sua tutora, que dá a ele o valor que outras pessoas lhe negaram na época em que vivia no abrigo.

“Raylan é um vira-lata de raça pura que adora pegar uma cerveja para seus amigos, viajar na estrada e fazer conchinha com gatinhos resgatados. Ele foi adotado de um abrigo bastante cruel onde ele seria sacrificado. Ele foi muito rejeitado por ser um cãozinho muito enérgico e sem treino, mas a verdade é que ninguém sequer tentou treiná-lo”, concluiu a tutora do animal.

Reprodução/Instagram/@raylan_the_dog

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Raylan the Dog (@raylan_the_dog) em


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More