Notícias

Coruja ferida é resgatada por moradora em Campos dos Goytacazes (RJ)

Uma coruja suindara, conhecida popularmente como coruja-da-igreja, foi encontrada ferida na terça-feira (30) por uma moradora do bairro Pecuária, em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro.

Foto: Alice Sousa/Inter TV

O animal estava na porta da casa de Cláudia Márcia de Sá, que o resgatou e levou até o Núcleo de Animais Silvestres (Nepas), da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), para que ele pudesse receber atendimento veterinário.

Cláudia contou ao G1 que encontrou a ave por volta das 6 horas. “Ouvi meus cachorros latindo muito. Até achei que era um gato, mas quando vi era ela. Peguei um cobertor em casa, joguei por cima dela e fui em busca de um lugar que cuidasse dela”, disse.

Ao chegar no Nepas, o animal foi examinado e diagnosticado com a asa machucada. Debilitada, ela está recebendo os cuidados necessários. Segundo o coordenador do Nepas, Leonardo Serafim, só será possível saber o que aconteceu com a coruja quando os resultados dos exames ficarem prontos.

Leonardo disse ainda que o núcleo vai avaliar com órgãos ambientais qual o lugar mais indicado para devolver a ave à natureza após o período de reabilitação.

As corujas desta espécie costumam medir 36 centímetros e possuir envergadura que pode chegar até um metro. Entre as suas características físicas estão a íris escura e a face branca no formato de um coração.

Classificada cientificamente com o nome de “tyto furcata”, a suindara passou a ser chamada de coruja-da-igreja porque costuma entrar nos forros das casas e nas torres de igrejas quando habita ambientes urbanos. No período de reprodução, ela faz ninhos em árvores e fendas rochosas. Sua alimentação é composta por roedores e invertebrados.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More