Arara Azul
Notícias

Grupos conservacionistas lançam projetos para salvar animais em extinção

Um resumo da Upside, divulgado esta semana, analisou as diferentes maneiras de como comunidades de conservação ambiental estão resgatando espécies à beira da morte e da extinção. Um relatório da WWF  estimou que, desde 1970, a humanidade eliminou 60% das populações de animais em todo o mundo, e as regiões selvagens do mundo estão se contraindo rapidamente sob nossa influência.

Arara Azul
Foto: Pixabay

Após os dados alarmantes, conservacionistas iniciaram um trabalho notável para salvar as espécies que estão se extinguindo, embora ainda não saibamos se a humanidade é melhor em salvar ou matar espécies em extinção.

Em Barcelona, na Espanha, a repórter Emma Reverter escreveu sobre como as comunidades locais estão trabalhando juntas para salvar os cães galgos da execução após o final da temporada de caça. Atualmente, são salvos cerca de dois mil cães que antes não eram queridos e, agora passaram a ser amados, não só na Espanha, mas nos EUA e em outros países também.

Os movimentos que defendem a redução ou fim do consumo de carne, como o veganismo e o vegetarianismo, também parecem estar aumentando. Um relatório da Waitrose descobriu que um terço dos britânicos pararam ou reduziram a ingestão de carne, sendo um em cada oito vegetarianos ou veganos.

​Read More
Urso Polar.
Notícias

WWF estima que só temos mais uma geração para tentar salvar o planeta

Fundo Mundial para a Natureza (WWF, sigla em inglês) divulgou um documento que define a escala de catástrofe ambiental, causadas por consequência das ações humanas prejudiciais ao meio ambiente. No Relatório Planeta Vivo 2018 é revelado como a vida selvagem diminuiu em 60% nos últimos 40 anos.

Urso Polar.
Foto: ©naturepl.com/Andy Rouse/WWF

“Durante muito tempo vimos a natureza como algo adquirido para fazer o que quisermos e isso precisa parar”, diz o relatório, citando a exploração dos recursos naturais como os maiores problemas.

O estudo compartilha algumas estatísticas preocupantes, mostrando a escala da devastação. Segundo o documento, apenas 25% das terras do planeta estão livres do impacto humano. Em 2050, este número deverá cair para apenas um décimo.

Além disso, o documento também diz que o percentual de plástico nos estômagos das aves oceânicas aumentou de 5% em 1960 para 90% por cento hoje.

E em abril de 2018, os níveis de dióxido de carbono atingiram o maior índice em pelo menos 800.000 anos.

“Nós somos a primeira geração a reconhecer que estamos destruindo o nosso planeta e a última que pode escolher por não fazer nada em relação a isso”, disse Tanya Steele, presidente-executiva da WWF.

“Precisamos de ações urgentes dos nossos líderes e um novo acordo global de recuperação da natureza”.

“Estamos caminhando em direção à borda de um precipício”, acrescentou Mike Barrett, diretor executivo de Ciência e Conservação do WWF.

“Estamos falando de algo muito maior do que perder as maravilhas da natureza, embora isso seja desesperadamente triste. Mas trata-se também de pôr em risco o futuro das próximas gerações.”

​Read More
De olho no planeta

Monte Fanjing é declarado Patrimônio Mundial pela Unesco

O Monte Fanjing, localizado na província de Guizhou, no sudoeste da China, foi declarado um Patrimônio Natural Mundial da UNESCO na 42ª sessão do Comitê do Patrimônio Mundial realizado na cidade de Manama, em Bahrein, país insular vizinho da Arábia Saudita e Catar.

O Monte Fanjing, na China, foi declarado um Patrimônio Natural Mundial da UNESCO na 42ª sessão do Comitê do Patrimônio Mundial realizado em Bahrein.
Foto: Reprodução

O monte é lar de uma grande variedade de animais selvagens e tornou-se o 53º local chinês reconhecido mundialmente. Atualmente, 50 espécies de plantas e animais ameaçadas de extinção habitam a área protegida.

A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, em inglês), disse que o Monte Fanjing demonstrou seu valor estético como um local de patrimônio natural e satisfaz o padrão mundial, que requer que os locais nominados tenham excelente diversidade e integridade biológica.

A inclusão do Monte Fanjing na Lista do Patrimônio Mundial é resultado do reconhecimento internacional do valor natural e o trabalho da conservação do local, e reflete o progresso que a China alcançou em termos de proteção da diversidade biológica, disse Song Xiaolu, chefe da província de Guizhou na reunião do Comitê do Patrimônio Mundial.

“Continuaremos fazendo esforços para proteger e administrar o local de patrimônio natural do Monte Fanjing, e melhoraremos sua infraestrutura básica com base na decisão do Comitê do Patrimônio Mundial e a Convenção sobre a Proteção do Patrimônio Cultural e Natural Mundial”, acrescentou Song.

A 42ª reunião do Comitê do Patrimônio Mundial, foi realizada entre 24 de junho e 4 de julho, e discutiu 28 nomeações para a Lista do Patrimônio Mundial, incluindo cinco locais naturais, 20 culturais e três misturados.

​Read More
Notícias

Fiscalização apreende material de caça na área dos Três Picos

Na semana passada, agentes do Instituto Estadual do Ambiente, órgão da Secretaria de Estado do Ambiente, e da administração do Parque Estadual dos Três Picos, apreenderam armas, munições e material de caça na área da conservação ambiental. A fiscalização aconteceu próximo à rodovia RJ-116, entre Cachoeira de Macacu e Nova Friburgo, e reflete o trabalho que vem sendo realizado em toda região, inclusive Teresópolis. E com a instalação da sede do parque no município, o combate aos crimes ambientais vai ser ainda mais rigoroso.

No trabalho da semana passada, foram apreendidas duas armas de cano longo, doze trabucos, munição, espoletas, pólvora e apetrechos para captura de animais. Além disso, linhas de pesca, anzóis e uma barraca em um rancho de caçadores.

A equipe localizou e destruiu o acampamento, que estava vazio. Pelas trilhas, os fiscais e analistas ambientais encontraram indicações de que recentemente o rancho foi usado e que as pessoas que tem praticado caça no local são da comunidade de Mury/Lumiar, por conta de lixo com indicações de mercados locais. 

Fonte: O Diário de Teresópolis

 

​Read More