Notícias

Cadela na Noruega reconhece mais de 100 brinquedos pelo nome

Whisky, uma border collie, surpreendeu seus tutores a identificar e buscar inúmeros brinquedos ouvindo apenas o nome dos objetos

Whisky identifica mais de 90 objetos pelo nome e chamou a atenção de pesquisadores. Foto New York Times

Embora todos os animais sejam inteligentes, uma bolder collie na Noruega se destacou quando começou a buscar seus brinquedos identificando-os apenas pelo nome. O comportamento chamou a atenção de Claudia Fugazza, pesquisadora de comportamento animal da Universidade Eotvos Lorand, em Budapeste (Hungria).

Um dos tutores, Helge Svela, conta que quando a pesquisa com a Dra Claudia teve início, Whisky já sabia identificar pelo nome 59 objetos, mas o número subiu para 91 sendo necessário batizar os brinquedos com nome de pessoas por escassez de opções. Durante a pesquisa inicial, Whisky provou que sabia os nomes de pelo menos 54 de seus 59 brinquedos.

“É muito, muito incomum esses prodígios verbais caninos porque é realmente difícil ensinar nomes de objetos a cães. A conquista de Whisky é ainda mais surpreendente porque ela não passou por um treinamento intensivo pelo qual passaram outros animais que mostraram uma capacidade de agrupar objetos em categorias”, disse a pesquisadora ao New York Times.

Whisky aprendeu a identificar brinquedos naturalmente, apenas brincando com seus tutores. Foto New York Times

Whisky aprendeu os nomes dos objetos por meio de diversão, num jogo com seus donos, no qual ela buscava o brinquedo que eles nomeavam.  A pesquisadora e um colega da universidade, Adam Miklosi, escreveram na revista “Scientific Reports” que  Whisky  consegue distinguir categorias de objetos como por exemplo um “pequeno frisbee” de uma corda ou bola.

“Sua conquista significou não apenas que ela poderia agrupar objetos em categorias em sua mente, mas também que sabia as palavras para essas categorias. Todos os cães têm a capacidade de pensar em categorias, mas apenas alguns poucos, por causa do treinamento ou da capacidade natural, conhecem palavras para categorias. E ela aprendeu tudo isso naturalmente, de uma maneira que é realmente um pouco semelhante ao que acontece com crianças humanas”, explicou a pesquisadora.

E salienta que os testes foram feitos com Whisky em total liberdade para brincar de buscar coisas somente se assim o quisesse: “Por ela continuaríamos jogando o dia todo”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

 

​Read More