Notícias

Governo Trump autoriza uso de bombas de cianeto de sódio para matar animais selvagens

Por Rafaela Damasceno

A administração de Trump autorizou, nos Estados Unidos, o uso de cianeto de sódio para matar animais selvagens, em um dispositivo chamado M-44. As “bombas de cianeto” receberam permissão da Environmental Protection Agency (EPA), apesar de matar cruelmente milhares de animais todos os anos.

Uma raposa na mata
Foto: Tom Koerner, USFWS

Os dispositivos espirram cianeto de sódio na boca de coiotes, raposas e outros animais atraídos pela isca. Qualquer um que puxe a isca com o M-44 pode ser morto ou seriamente machucado.

“Armadilhas de cianeto não podem ser usadas de maneira segura por ninguém, em nenhum lugar”, afirmou Collette Adkins, diretora de conservação do Centro de Diversidade Biológica. “Precisamos de uma proibição permanente para proteger pessoas, animais domésticos e animais selvagens desse veneno”, completou.

A EPA, no início deste ano, emitiu um aviso sugerindo a renovação do registro de cianeto e abriu um espaço para comentários públicos. Mais de 99,9% de pessoas pediram o banimento do M-44, mas ele foi autorizado da mesma forma.

“A EPA está ignorando seu dever fundamental de proteger as pessoas, animais domésticos e a vida selvagem nativa. Nós iremos continuar culpando nosso governo federal por essa lei e lutaremos pela proibição do M-44 de uma vez por todas”, declarou Kelly Nokes, procuradora do Centro de Direito Ambiental do Oeste.

De acordo com dados da Wildlife Services, o M-44 matou 6.579 animais em 2018, principalmente coiotes e raposas, e 13.232 animais em 2017. Segundo o World Animal News, esses dados provavelmente não refletem a realidade, já que o Wildlife Services é conhecido por coletar dados inadequados e diminuir o impacto que as coisas realmente têm.

No ano passado, a EPA negou uma petição que pedia o banimento do M-44.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Iscas com cianeto provocam a morte de elefantes no Zimbábue

 

Foto: Press Association

O porta-voz da Autoridade de Controle de Parques e Vida Selvagem do Zimbábue, Tinashe Farawo, disse que guardas-florestais descobriram os cadáveres no Hwange  National Park. Ele informou que as presos dos animais tinham desaparecido.

Segundo ele, os caçadores têm utilizado cada vez mais venenos ao invés de rifles enquanto os guardas policiais e do parque aumentam as patrulhas conjuntas.

Farawo informou também que os caçadores têm injetado cianeto em laranjas e abóboras, que são os alimentos favoritos dos elefantes.

A nação do sul da África abriga muitos elefantes e outros animais selvagens, mas luta contra caçadores há anos, informa o Daily Mail.

Foi revelado que 53 elefantes morreram de intoxicação por cianeto em 2017, o que é um número menor do que nos anos anteriores que registraram a morte de centenas de animais.

​Read More
Notícias

Armadilhas com cianeto provocam a morte de animais domésticos e selvagens nos EUA

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: rojer/Shutterstock

As minas terrestres de cianeto são uma séria ameaça aos animais nos Estados Unidos. O cheiro doce desses dispositivos é usado para atrair animais, o que aciona as bombas e libera o pó de cianeto – um composto que é altamente venenoso e normalmente provoca a morte.

O uso das bombas faz parte do programa de Predadores do Serviço de Vida Selvagem do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, que beneficia fazendeiros e exploradores de bois e vacas.

As minas terrestres de cianeto M-44 são uma maneira cruel e insensata de eliminar animais indesejados e, além disso, são financiadas com o dinheiro dos contribuintes, conforme mostra o One Green Planet.

As bombas não matam somente animais selvagens. Elas podem ser acionadas quando cães brincam e passeiam ou até mesmo por crianças; basicamente por qualquer movimento. Recentemente, Casey, um labrador de Idaho morreu devido a estas bombas.

Felizmente, o menino de 14 anos que acompanhava o cão em sua caminhada não foi envenenado. Porém, a morte de Casey é imperdoável. Esta terrível história tem precedentes igualmente trágicos – a morte de dois cães em Wyoming e de um lobo em Oregon.

Os Serviços da Vida Selvagem não são tão eficientes em proteger os animais selvagens, como seu nome sugere ou deveria sugerir. O órgão mata não predadores e outros animais.

Seu intuito é principalmente proteger animais explorados em fazendas e aqueles que serão caçados (antes que realmente chegue o momento de eles morrerem, é claro). O programa é responsável por aproximadamente 1,5 milhão de morte de animais por ano.

O uso de armadilhas com cianeto é indefensável e letal e deve acabar. Por isso, ativistas fizeram uma petição exigindo que o Departamento de Agricultura dos EUA proíba imediatamente a utilização de minas terrestres de cianeto M-44.

​Read More
Notícias

Governo divulga relatório sobre morte de peixes na Bahia

O Instituto do Meio Ambiente (IMA) divulgou no final da tarde de ontem relatório sobre a mortandade de peixes no Rio São Paulinho, na comunidade de Passé, município de Candeias. Cerca de três toneladas de peixe morto foram achadas às margens do rio no dia 22 de agosto.

O relatório do IMA aponta a presença de altas concentrações de cianeto, fenol e clorofórmio nas amostras de peixe e da água colhidas na região. Segundo o IMA, a empresa responsável pelo derramamento dos produtos químicos é a Procgel.

“Essas substâncias são letais e estavam em uma quantidade muito acima da permitida”, disse a diretora do IMA, Beth Wagner. Ainda segundo a diretora, a empresa será autuada e receberá uma multa de valor ainda não definido.

Beth afirmou que o relatório será enviado à comunidade atingida pelo derramamento do produto químico, e os moradores decidirão se tomarão alguma medida judicial.

Fonte: Correio

​Read More