Notícias

Cachorrinho que passa o dia sozinho em casa recebe uma carta com um presente surpresa

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

Há alguns meses, após se mudar para um novo apartamento no Brasil, Maria Luiza Valcazara adotou um lindo e doce filhote chamado Chips. O par feliz rapidamente se tornou inseparável.

Mas naquelas ocasiões em que Chips precisava ser deixado em casa sozinho, sua tristeza não passava despercebida.

Como muitos filhotes dedicados e que amam muito seus tutores, Chips sente-se um pouco ansioso e solitário enquanto sua melhor amiga e guardiã está longe, latindo e choramingando enquanto esta sozinho até que ela finalmente retorna.

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

Maria Luiza, que ainda não conhecia seus vizinhos, esperava que os sons inquietos de seu filhote não atingissem os ouvidos de ninguém de maneira perceptível.

Então, um dia, ela encontrou uma carta com um pacote do lado de fora da porta.

“Na época, eu fiquei com medo”, disse Valcazara ao The Dodo. “Eu me perguntei quem poderia ter deixado aquilo ali na porta, já que eu tinha pouco contato com as pessoas no prédio.”

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

Após uma inspeção mais minuciosa, no entanto, Maria Luiza descobriu que a carta estava realmente endereçada a Chips – e que ela havia sido “escrita” por outro cachorro, chamado Corote.

Quanto ao pacote? Continha alguns brinquedos para cães.

Aqui está o que a carta dizia:

“Olá, meu amigo.

Tenho notado que você tem chorado muito quando está sozinho e já passei por essa fase também.

Eu conversei com minha mãe ontem e juntos decidimos dar-lhe esses brinquedos, então você tem uma distração quando se sentir sozinho.

Estou aqui para te fazer um convite: eu moro sozinho com a mamãe e, por causa disso, tenho um quarto só meu para andar a cavalo o quanto eu quiser, então você pode passar um tempo aqui comigo! Nós podemos fazer muita festa juntos !

Esperamos que você aproveite as coisas que lhe demos!

Muitos beijos de Corote e da minha mãe Nichole”.

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

Chips, como se pode ver elas fotos, gostou desses presentes surpresa – mas foi Maria Luiza quem foi o mais emocionada de todos.

“Quando comecei a ler a carta, eu chorei muito”, disse ela.

Embora nem Chips nem Maria Luiza tenham encontrado seus vizinhos, Corote e Nichole, estavam ansiosos por um encontro. Mas à luz desse convite adorável, logo uma boa introdução estava em andamento.

“Eu levei o Chips para o apartamento de Nichole para que pudéssemos conversar e nossos dois cães pudessem se encontrar”, disse Maria Luiza.

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

Os filhotes e seus tutores se deram bem instantaneamente.

“Nichole se ofereceu para me ajudar com Chips sempre que eu precisasse”, disse Maria Luiza. “Ela me deu algumas dicas que aprendeu criando Corote.”

Agora, as coisas estão melhores do que nunca.

Não apenas as dicas de Nichole ajudaram a tutora de Chips a aliviar a ansiedade de separação do cachorrinho, como as novas amizades que eles formaram tornaram o tempo que passam estão juntos ainda melhor. Quase todos os dias desde então, os quatro se encontram para brincar no gramado em frente ao seu prédio.

Foto: Nichole Stefanny
Foto: Nichole Stefanny

E tudo começou com uma carta gentil de um estranho para outro.

“Concluí que ainda existem pessoas boas em nosso mundo”, disse Maria Luiza. “Foi um belo gesto que Nichole teve conosco. E tenho certeza de que outras pessoas podem se beneficiar de amizades por meio de seus animais também. Eu sou um exemplo disso. Além de ter uma vizinha, agora tenho uma amiga maravilhosa também!”

Esse é um sentimento que Chips e Corote, sem dúvida, compartilham também.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Vaca resgatada não para de chorar até ter seu filho de volta

Foto: The Gentle Barn
Foto: The Gentle Barn

Quando Maybelle chegou ao santuário Gentle Barn, no Tennessee (EUA), uma fazenda-abrigo e refúgio para animais de criação resgatados, ela já tinha vivido oito anos sendo explorada como vaca leiteira. No santuário, Maybelle nunca mais teria que produzir leite para os humanos – em vez disso, passaria os dias pastando, dormindo e aproveitando o sol e a liberdade.

Mas a partir do momento em que Maybelle chegou ao santuário, ela ficou incrivelmente infeliz – e, a princípio, ninguém conseguia descobrir por quê.

“Ela estava chorando sem parar”, disse Andrea Burritt, gerente da fazenda onde fica o Gentle Barn’s Tennessee, ao The Dodo. “Ela apenas andava pelo pasto constantemente e não parava de chorar.”

Foto: The Gentle Barn
Foto: The Gentle Barn

Burritt só tinha visto uma outra vaca agir assim antes – uma vaca que havia sido separada de seu bebê. Mas Burritt e os outros funcionários do santuário não acharam que Maybelle tivesse um bezerro.

No entanto, Maybelle continuou chorando – e insistindo.

“Foi horrível”, disse Burritt. “Ela estava implorando para nós todos. Ela olhava profundamente nos olhos de quem se paroximasse dela, e apenas mugia de forma pungente. Era óbvio que algo estava errado, e foi difícil descobrir como poderíamos ajudar e o que poderíamos fazer.”

Foto: The Gentle Barn
Foto: The Gentle Barn

A família com quem Maybelle vivia antes de se mudar para o santuário não tinham telefone, então os funcionários não tinham como ligar e perguntar sobre um possível bezerro que teria ficado para trás. Jay Weiner, o cofundador do santuário, acabou dirigindo de volta para a fazenda com um trailer a tiracolo, para o caso de Maybelle ter mesmo um bebê.

Quando Weiner chegou à fazenda e explicou a situação ao dono da propriedade, o homem apenas apontou para Miles, um bezerro de 9 meses de idade. Aquele não apenas um bebê – era o bebê de Maybelle.

Miles ficava em um pasto separado de Maybelle na fazenda, mas eles sempre se viam e ouviam um ao outro, de acordo com Burritt.

Foto: The Gentle Barn
Foto: The Gentle Barn

A família entregara Maybelle de bom grado ao Gentle Barn para recompensá-la por todos os anos de serviço que ela havia dedicado a eles, e logo concordaram que Miles também poderia ir para o santuário.

Weiner carregou Miles até o trailer trailer e o levou ao santuário para se reunir com sua mãe. Burritt e os outros funcionários do santuário vibraram de alegria quando souberam.

“Corremos para Maybelle e lhe dissemos: ‘Temos seu bebê, temos seu bebê'”, disse Burritt. “E ela apenas ficou no canto do pasto, até que ela viu o trailer chegar. Então ela começou a perseguir o trailer através do pasto até ele parar na porteira”.

Foto: The Gentle Barn
Foto: The Gentle Barn

Enquanto Weiner chegava ao pasto, Maybelle e Miles já tinham começado a chamar um pelo o outro. Quando Miles saiu do trailer, ele correu direto para sua mãe.

“Eles se reconheceram imediatamente”, disse Burritt. “Ela o checou todinho para ter certeza de que ele estava bem, e então eles saíram andando juntos.”

Maybelle e Miles passaram o resto do dia curtindo a companhia um do outro.

“Eles ficaram juntos”, disse Burritt. “Maybelle finalmente se acalmou – ela não tinha comido muito desde que chegou, então eles se afastaram e foram pastar juntos. Então, mais tarde, naquela noite, nós os trouxemos para dormir e os mantivemos sempre juntos.”

Foto: The Gentle Barn
Foto: The Gentle Barn

“Nós os colocamos na mesma barraca para que eles pudessem dormir juntos e apenas cuidar um do outro”, acrescentou Burritt.

Mas Miles não era o único bebê que Maybelle tinha que se preocupar – no fim das contas, Maybelle estava grávida quando chegou ao santuário.

Em setembro passado, Maybelle deu à luz uma menina chamada Eclipse.

Foto: The Gentle Barn
Foto: The Gentle Barn

Miles não poderia estar mais feliz sendo um irmão mais velho.

“Eles cuidam um do outro e brincam uns com os outros”, disse Burritt. “É muito bonito de ver. Mas Eclipse ainda é menor, então Miles é muito gentil com ela.”

“Eclipse observa constantemente Miles, e ele ensina a ela como brincar e a se divertir”, disse Burritt. “Eles gostam de derrubar carrinhos de mão e correr pelos pastos o mais rápido que podem. São como duas criancinhas que adoram brincar.”

Foto: The Gentle Barn
Foto: The Gentle Barn

Para Burritt, assim como o restante da equipe do santuário, não há melhor sensação do que ver essa família de três seres maravilhosos aproveitando a vida juntos.

“É o que queremos para eles”, disse Burritt. “Estamos trabalhando muito duro para criar um mundo mais gentil, onde as mães possam criar seus bebês, não importa as espécies que sejam, e assim suas famílias podem ficar juntas – sempre – assim como nós. É o maior presente que podemos dar eles, e nós estamos felizes em fazer parte disso, e poder oferecer um lugar onde eles possam fazer isso e estar seguros”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cabra abandonada em clínica com a perna quebrada ganha uma família de cachorros e humanos

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

Quando Piper Wood viu a pequena e frágil cabra de apenas quatro meses sozinha dentro do minúsculo canil de concreto, seu coração ficou apertado e ela soube que precisava ajudá-la.

“Ela estava tão triste ali no canil, era notável”, disse Wood ao fundador da Hand in Paw, uma organização de resgate em Los Angeles (EUA). “Ela ficou lá por dois dias e chorava o tempo todo.”

Wood soube pela primeira vez sobre a cabra, a quem chamou Clementine, pelo gerente do Duarte Azusa Animal Hospital. Alguns dias atrás, alguém havia trazido Clementine para a clínica após ela ter quebrado a perna.

“Ela [ex-tutora] queria uma cabra, mas morava em um apartamento minúsculo”, disse Wood. “Eu acho que o namorado dela deu uma cabra para ela, mas eles não tinham onde mantê-la”.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

O namorado da antiga tutora trabalhava em uma oficina de automóveis, de acordo com Wood, então o casal decidiu manter a cabra lá.

Mas Clementine acabou quebrando a perna na oficina.

“Ela estava pulando, como é normal para cabras filhotes e ficou com uma perna presa em alguma coisa e o que causou uma fratura grave em sua perna de trás”, disse Wood. “Sua perna traseira se partiu completamente”.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

“Havia peças de carros e metal em todos os lugares”, disse Wood. “Não havia grama. A oficina era, definitivamente, um lugar realmente horrível para uma cabra”.

Os antigos tutores também haviam “deschifrado” a cabra filhote, de acordo com Wood, um processo doloroso que envolve colocar um ferro quente nos pontos sensíveis onde nasceriam os chifres das cabras e cabritos para impedir o crescimento deles.

Um dos funcionários da oficina levou Clementine para a clínica veterinária, onde o pobre animal ferido recebeu tratamento de emergência.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

“Ela não podia usar a perna”, disse Donna Menzemer, gerente do Duarte Azusa Animal Hospital, ao The Dodo. “Ela tinha que ser sedada para que raios-X pudessem ser tirados e uma tala com gesso fosse colocada. Então ela teve que receber injeções de antibióticos por dias e antibióticos orais também.”

Quando a conta chegou o valor passou de 500 dólares, e os proprietários não queriam pagar – em vez disso, eles simplesmente pediram a cabra de volta, de acordo com Menzemer.

Assim, a clínica veterinária não teve escolha a não ser manter a cabra até que a conta fosse paga. Se os ex-tutores não pagassem a conta e pegassem a cabra dentro de 14 dias, o Departamento de Serviços Animais consideraria a cabra oficialmente abandonada.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

O problema era que a clínica veterinária não tinha um recinto adequado para uma cabra, então eles tinham que manter Clementine dentro de um canil, e conseguir feno entregue especialmente para que Clementine pudesse comer.

Mas Clementine parecia infeliz dentro de seu canil.

“Ela amava as pessoas, então ela chorava porque nos queria por perto o tempo todo”, disse Menzemer. “Eu me sentia tão mal por ela.”

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

Vendo o quão triste Clementine estava em seu canil, Wood fechou um acordo com a clínica – deixou Clementine ficar no sítio onde ela morava em Pasadena, junto com seus 15 cães resgatados. Se os antigos tutores eventualmente pagassem dentro do prazo de 14 dias, ela devolveria a cabra. Se não o fizessem, Wood adotaria Clementine.

No momento em que Clementine chegou ao sítio de Wood, Wood pôde ver que ela estava muito mais feliz.

“Ela instantaneamente se uniu a todos os meus cachorros”, disse Wood. “Ela adorou a grama e saiu correndo pelos arredores – ela ainda usava curativo, então ela estava mancando um pouco. Ela passou a dormir nas camas dos cachorros e compartilhar as tigelas de comida com eles. Ela acabou se tornando parte da matilha”.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

“Ela gosta de brincar de lutar com os cachorros”, acrescentou Wood. “Ela gosta particularmente do nosso poodle, Stewart. Eles batem cabeças juntos o tempo todo.”

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

Wood também ficou profundamente ligada à Clementine – tanto assim, que ela estava apavorada caso os antigos tutores encontrassem uma maneira de levá-la de volta.

“Eu ligava para a clínica literalmente 10 vezes por dia perguntando se [os antigos tutores] haviam aparecido, disse Wood.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

Quando realmente ficou confirmado que os ex-tutores não retornaram ao veterinário para pagar sua conta ou para pegar Clementine, a situação foi considerada um abandono de animal, e Wood pode finalmente adotar oficialmente Clementine.

Wood ficou muito feliz.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

“Isso é como se todos os desejos de Natal se tornassem realidade”, disse ela. “Eu tenho falado sobre adotar uma cabra toda a minha vida, e no momento em que recebi a ligação, larguei tudo para ir vê-la, e eu sabia que ela era a companheira certa, mas nunca pensei que seria uma realidade”.

No entanto, a perna de Clementine ainda não está totalmente recuperada. Depois de receber os raios-X em sua última visita ao veterinário, o veterinário viu que os ossos não estão se curando muito bem, e que ela pode precisar de placas de aço. Mas o que quer que aconteça, Wood estará ao lado de Clementine.

“Ela é parte da família agora”, disse Wood. “Eu simplesmente a amo”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Equipe de resgate quebra parede de concreto para salvar gatinho filhote preso

Foto: Caters News Agency
Foto: Caters News Agency

As imagens mostram o momento comovente que um gatinho preso entre duas paredes de concreto é salvo por uma equipe de resgatantes.

Gaby Lera e Ernesto Poblano da LA Animal Services SMART usaram um martelo e um cinzel para quebrar um pedaço do concreto e libertar o gatinho filhote que acabou ficando preso ali em Los Angeles (EUA).

Um vídeo do resgate mostra o gatinho miando desesperado repetidas vezes, preso em um pequeno espaço entre as duas paredes, com sujeira e poeira por todo lado parecendo forçá-la a manter os olhos fechados.

Ms Lera é então visto derrubando um pedaço da parede com um martelo e um cinzel.
Quando é criado um pequeno espaço, ele coloca a mão e puxa o gatinho para fora.

Foto: Caters News Agency
Foto: Caters News Agency

O pobre animal é então erguido para a câmera e ambos os olhos do gatinho estão lacrimejando.

Em seguida, ele é mostrado comendo ração com gratidão e apetite de uma tigela de papelão no LA Animal Service Center.

Foto: Caters News Agency
Foto: Caters News Agency

Um porta-voz da SMART, Armando Navarrete disse: “Nossa equipe levou cerca de 30 minutos para esculpir a parede de cimento e finalmente chegar até ele e resgatar o gatinho”.

Foto: Caters News Agency
Foto: Caters News Agency

“Ele estava bem, só tinha algumas crostas ao redor dos olhos por causa da poeira e do cimento, mas nada errado com sua saúde do ponto de vista medico”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

​Read More
Notícias

Cachorro encontra sua tutora que não via há três anos e transborda de emoção

Foto: Kennedy News and Media
Foto: Kennedy News and Media

As imagens do vídeo abaixo mostram o momento comovente que um cão que não via sua tutora há três anos se reencontra com ela, pulando de alegria e enchendo-a de beijos.

Inu Stark se jogou cheio de felicidade sobre sua tutora, Mariana Weiss, quando ela voltou para casa depois de estudar por um período no exterior, na Alemanha.

No adorável vídeo, o rabo de Inu pode ser visto abanando freneticamente enquanto ele pula emocionado na direção da garota de 24 anos, até mesmo a derrubando em um momento, antes de rolar de costas implorando por uma deliciosa massagem na barriga.

Mariana, que é analista financeira de Curitiba, abraça e afaga o cão sem raça definida de quatro anos e chora de alegria junto com ele. Fica claro que ambos aguardaram ansiosamente por este momento.

Ela disse: “Eu esperava que ele estivesse excitado, como ele é sempre aliás, mas não tanto assim”.

“Ele definitivamente me surpreendeu. Não seu se pode ser visto no vídeo, mas eu estava chorando o tempo todo”.

“Esses animais têm um amor tão puro e desinteressado por nós que eu não poderia ter pedido um cachorro melhor, eu o amo muito.”

Mariana ligava via Facetime para sua mãe e Inu diariamente enquanto estudava Negócios Internacionais e Economia na universidade da Alemanha – e quando ela falava ao telefone com os dois, as orelhas do cachorro se levantavam e ouviam atentamente a tudo.

Seu irmão Vinicius Weiss decidiu filmar o momento especial em dezembro, antecipando que Inu ficaria animado e emocionado em se reunir com ela.

Mariana disse: “Inu sempre foi super ativo e brincalhão, meu irmão pensou – e ele estava certo que Inu ficaria louco quando me visse”.

“Meu irmão decidiu então gravar o encontro, no momento em que chegamos à garagem já podíamos ouvir Inu chorando no pátio. Eu sinceramente amo esse cachorro mais do que eu pensava ser possível”.

“Enquanto eu estava na Alemanha, eu fazia chamadas de vídeo para minha mãe todos os dias e pedia para falar com ele. Ele sempre levantava as orelhas e prestava atenção, ele reconhecia minha voz”.

“Minha mãe também me disse que ele se recusava a entrar no meu quarto a todo custo enquanto eu estivesse fora. Ele nem mesmo passava pela porta”.

“Mas no dia em que voltei, ele pulou direto para a minha cama e dormiu a tarde toda lá”.

Mariana conta que o vídeo sempre traz um sorriso, e até lágrimas de felicidade, às pessoas que o assistem.

Ela acrescentou: “Não dá pra ver no vídeo, mas meus pais estavam chorando naquele momento. Todo mundo que assiste as imagens instantaneamente começa a sorrir e a dizer como Inu estava feliz!”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Pit bull sensível não para de chorar na parte mais triste do “O Rei Leão”

Foto: Facebook/Josh Myers
Foto: Facebook/Josh Myers

Os orgulhosos adotantes e novos pais de uma pit bull resgatada estão descobrindo só agora o quão sensível e doce sua cachorrinha, Luna, realmente é.

Luna veio ao mundo há meses atrás em uma situação muito difícil. Ela nasceu de uma pit bull grávida e desabrigada, muiro sofrida, que foi levada para um lar temporário bem a tempo de ter seus 12 filhotes.

Felizmente, várias semanas depois, a mãe pit bull, Melon e seus doze bebês começaram a ser adotados, graças à Humane Educational Society, um abrigo no Tennessee nos EUA.

Foto: Facebook/Josh Myers
Foto: Facebook/Josh Myers

Foi assim que Luna encontrou sua nova família.

Luna foi adotada por Josh Myers e Hannah Huddleston, um jovem casal que vive em Chattanooga.

O casal conta que nunca esquecerá aquela primeira volta para casa com Luna, Myers dirigindo enquanto Huddleston estava ao lado dele com a filhotinha toda enrolada e encolhida em seus braços.

Foto: Facebook/Josh Myers
Foto: Facebook/Josh Myers

Nesses meses em que Luna já faz parte da família, ela cresceu e amadureceu. E Myers e Huddleston estão conhecendo sua doce personalidade pouco a pouco.

Mas o que Luna fez outro dia realmente os surpreendeu de forma única.

Eles estavam assistindo ao desenho em animação do clássico da Disney “O Rei Leão” enquanto Luna estava na sala brincando “descontroladamente” com seus brinquedos, como estava costumada a fazer, de acordo com a página do Facebook de Myers.

Foto: Facebook/Josh Myers
Foto: Facebook/Josh Myers

Quando o filme mostrou uma cena trágica, Luna parou de repente.

“Assim que Mufasa cai morto, ela para e se vira para a TV e parece estar assistindo a cena”, escreveu Myers.

Quando o filme mostra Simba está tentando acordar seu pai na tela, Luna começou a choramingar e ganir.

“Ver ela chorando em frente a televisão foi a coisa mais doce e encantadora que eu já vi”, escreveu Myers. “Ela até se deita logo depois que Simba se deita com seu pai morto também”.

Luna não é a única que tem um lado sensível, de acordo com Brad Ladd, da família que adotou o outro irmão de Luna; ele disse que toda a ninhada de pit bulls daquele resgate é sentimental e emocional.

“A história de vida deste filhote prova que o amor se sobrepõe ao sofrimento” Lad comentou. “Eles foram amados e mimados mais do que qualquer filhote de cachorro no mundo”.

Foto: Facebook/Josh Myers
Foto: Facebook/Josh Myers

A família, conhecida como The Melon Dozen (Os 12 filhos da Melon), ainda se reúne para em datas específicas para matar a saudade e se divertir e acima de tudo para que os irmãos possam continuar interagindo enquanto crescem.

“Nós não merecemos cachorros”, acrescentou Myers. “Quatro meses de idade e ela já está mostrando empatia”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

​Read More
Notícias

Gata grávida e abandonada ganha nova chance após ser encontrada chorando

A gata de um ano estava coberta de terra e com os pelos emaranhados quando foi encontrada andando pelo bairro. Ela miava sozinha até que a mulher gentil a encontrou.

Foto: Chatons Orphelins Montréal

“Esta senhora com um grande coração, chamada Lyne, chamou-a e a gata correu. Ela pulou em seus braços como se estivesse esperando por esse momento – finalmente alguém a chamou e a segurou”, diz Celine Crom do Chatons Orphelins Montréal, ao Love Meow.

A gata ronronava e mostrava sua gratidão. Lyne levou-a ao veterinário e descobriu que ela estava grávida e precisava de um lugar seguro para ficar. Assim que a levou para casa, a doce Katnyss permaneceu ao lado dela.

Foto: Chatons Orphelins Montréal

“A pequena menina dormiu muito e ganhou muitos abraços de sua salvadora durante a gravidez. Ela ficou aquecida e segura”, acrescenta.

Em 4 de Outubro, Katniss deu à luz três gatinhos belos e saudáveis. O Chatons Orphelins Montréal acolheu a família felina alguns dias depois para que eles pudessem receber os cuidados apropriados de que precisavam.

Foto: Chatons Orphelins Montréal

“Os bebês estão ganhando peso todos os dias. Mama Katnyss é muito doce e sociável. A pequena família foi para seu lar temporário com Coralie, que os ajuda a desmamar e socializar. Lola abriu os olhos vários dias após seus irmãos e os três gatinhos crescem rapidamente”, completa Crom.

Naquele dia, Katynss caminhou e miou pela vizinhança à procura de alguém que pudesse ajudá-la. Agora, ela e seus bebês estão prosperando e a gata não poderia estar mais feliz.

​Read More
Notícias

Pit bull encontrada chorando em abrigo descobre a alegria

Sleime estava visitando um abrigo administrado pelo Charlotte Mecklenburg Animal Care & Control (CMACC), na Carolina do Norte (EUA), quando encontrou a cachorra chorando.

Foto: Sarah Sleime

“Eu estava esperando que eles [os funcionários do abrigo] checassem uma dupla de cães e eu estava indo para cima e para baixo nos canis. Vi esta pit bull sentada ali e ela estava como um humano – caída e muito solene. Então eu me inclinei e comecei a falar com ela”, disse Sleime ao The Dodo.

Ela podia ver que a pit bull de sete anos havia tido filhotes há pouco tempo, embora eles não estivessem com ela. Quando Sleime falou com ela, os olhos da cachorra ficaram umedecidos com o que pareciam lágrimas.

Embora não se saiba se os cães choram da mesma maneira que as pessoas, Sleime podia ver que a pit bull, que havia sido recentemente entregue, estava claramente triste. Ela também era muito obesa. “[Os funcionários do abrigo] acreditam que ela foi confinada e usada como uma máquina de reprodução. Ela obviamente teve inúmeras ninhadas”, completou.

Infelizmente, a SPCA não podia salvar cães grandes devido à falta de lares temporários, mas Sleime sabia que tinha que fazer algo para ajudar a cachorra, que recebeu o nome de Cinnamon na época. Ela pegou o telefone e fez um vídeo.

“Postei seu vídeo no Facebook e mal eu sabia que seria visto 700 mil vezes no primeiro dia”, disse Sleime.

Mensagens de pessoas em todo o mundo lotaram a caixa de entrada de Sleime – inúmeras pessoas queriam adotar Cinnamon ou ajudar a encontrar seus filhotes. Foi a amiga de Sleime, Meghan Shelton, que a adotou.

Foto: Sarah Sleime

“Tenho um lugar especial no meu coração para pit bulls. Acredito que eles são um cão muito mal interpretado e uma raça incompreendida. E quando a vi nesse vídeo, literalmente chorando em uma gaiola, chorei. Meus filhos choraram. Mostrei meu marido e ele afirmou que poderíamos procurá-la no dia seguinte”, relatou.

Na manhã seguinte, várias famílias foram ao  abrigo para conhecer a pit bull, mas os Shelton foram os primeiros da fila. Quando a encontraram, eles se apaixonaram.

“Ela era muito doce. Eles a levaram para uma sala para se encontrar conosco e nós apenas a deixamos se acalmar. Meus filhos estavam no chão com ela e ela sentou-se nos seus colos e derrubou-os com beijos”, acrescentou.

Shelton e sua família sabiam que a cachorra era perfeita e preencheram formulários para adotar Cinnamon que recebeu, posteriormente, o nome de Rosie. Depois disso, Rosie foi castrada e levada para seu novo lar no dia seguinte.

A família Shelton já tinha outro pit bull – um macho de três anos chamado Blu – e eles não sabiam como Rosie e Blu iriam interagir.

Foto: Sarah Sleime

“Não tive a intenção de apresentá-los nos primeiros dias. Só queria que ela se adaptasse a casa e a sair para caminhadas”, disse Shelton.

Mas Rosie tinha outros planos – ela ficou se lamentando na porta do quarto. Agora, Rosie e Blu agem como se conhecessem há anos.

A personalidade de Rosie também está surgindo lentamente. A família está com Rosie há alguns dias, mas não conseguem imaginar a vida sem ela. “Foi amor à primeira vista. Ela simplesmente puxou as cordas do nosso coração”, finalizou Shelton.

​Read More