Destaques, Notícias

Milionário chinês salva a vida de centenas de cachorros condenados à morte

Foto: Reprodução / © CEN

Ao contrário do que imagina o senso comum, o consumo de carne de cachorro é cada vez menos popular na China e muitos chineses tratam esses animais com carinho e respeito. Um deles é o milionário Wang Yan, que usou seus recursos para salvar centenas de cães da morte.

A ação solidária teve início quando, há alguns anos, o cachorro de Yan desapareceu. Como cães podem ser sequestrados de seus tutores para serem mortos para consumo, o chinês decidiu procurar pelo animal até em um matadouro.

Não encontrou seu cão, mas viu muitos outros sofrerem nas mãos daqueles que tiravam suas vidas. Desde então, decidiu tomar uma atitude em prol desses animais e fundou um abrigo em Helong.

Foto: Reprodução / © CEN

De 2012 em diante, Yan resgatou centenas de cachorros retirados de matadouros. Muitos já foram encaminhados para lares amorosos.

Quando iniciou sua missão, Yan era proprietário de uma fábrica de ferro e aço, mas declarou falência após investir mais do que poderia no cuidado com os animais. Atualmente, ele recebe doações que permitem que seu projeto não chegue ao fim.

Foto: Reprodução / © CEN

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Carne de porco à base de vegetais será lançada em mais de cem restaurantes chineses

Omnipork é feito de cogumelo shiitake, arroz, soja não-transgênico e proteínas vegetais | Foto: Omnipork
Omnipork é feito de cogumelo shiitake, arroz, soja não-transgênico e proteínas vegetais | Foto: Omnipork

Uma alternativa vegana à carne porco está programada para ser lançada para vendas on-line e em 180 restaurantes em toda a China.

Omnipork (conhecido como a “nova carne de porco” em chinês) foi desenvolvido pelo fundador da Green Common, David Yeung. Atualmente, está disponível para venda via internet e em varejistas em Hong Kong, Cingapura, Tailândia e Taiwan.

Agora, a partir de 29 de novembro, os consumidores chineses poderão experimentar o produto em vários restaurantes, com o The Grand Hyatt Beijing sendo o primeiro parceiro de hotel a oferecer Omnipork em pratos.Em alternativa, eles poderão comprá-lo em uma loja online da Tmall (um site de varejo em idioma chinês).

Omnipork

Em entrevista ao Plant Based News, Yeung revelou que passou muito tempo montando a equipe certa e desenvolvendo o produto.

Ele disse: “Com o empreendedorismo, por mais que você tenha um sonho ou uma visão, no final, trata-se de execução e toda realização exige uma equipe de alto desempenho e alinhada à missão”.

“Temos muita sorte de ter encontrado cientistas de ponta na área de alimentos – pessoas familiarizadas com os gostos dos consumidores e também com o paladar asiático”.

“Iniciando uma nova página”

Falando sobre o lançamento do produto na China, Yeung fez uma declaração dizendo: “Nossa colaboração com a Tmall Global é um marco no desenvolvimento do mercado chinês, permitindo que os consumidores locais tenham uma idéia de como será o futuro”, disse David Yeung.

“Com a inauguração da nossa loja em 29 de novembro, iniciaremos uma nova página na liderança de uma tendência de consumo saudável e sustentável de alimentos na China”.

O lançamento ocorre quando o país está passando por uma escassez de carne de porco e aumento de preços como resultado da Febre Suína Africana – a Green Common quer capitalizar a escassez, tornando sua opção livre de animais mais amplamente disponível.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Simon Cowell doa 30 mil dólares para o resgate de animais do comércio de carne de cachorro

Foto: Dan Goldsmith/ITV
Foto: Dan Goldsmith/ITV

O juiz do programa de televisão “America’s Got Talent” e mais recentemente vegano, Simon Cowell, quer acabar com o comércio de carne de cachorro. A estrela doou cerca de 30 mil dólares para ajudar a fechar uma fazenda de carne de cachorro sul-coreana.

A doação de Cowell foi para a Humane Society International (HSI) em um esforço para resgatar 200 cães que vivem atualmente em uma fazenda de carne de cachorro sul-coreana.

Comércio de carne de cachorro na Coreia do Sul

“A doação generosa de Simon significa o mundo para nós e dá um enorme impulso ao nosso apelo para fechar esta horrenda fazenda de carnes de cães”, disse a diretora executiva da HSI UK, Claire Bass, em um comunicado.

“Mais de 200 cães estão definhando nas condições mais terríveis, mas temos uma chance real de salvá-los. Esses pobres cães tiveram as piores vidas possíveis até agora, por isso estamos desesperados para tirá-los dessas gaiolas horríveis e mostrar-lhes o que é o amor, camas macias e braços amorosos pela primeira vez em suas vidas”.

A HSI irá realocar os cães resgatados para lares nos Estados Unidos, no Canadá, no Reino Unido e na Holanda.

De acordo com a HSI, cerca de 30 milhões de cães são mortos a cada ano por carne na China, Coréia do Sul, Indonésia e Vietnã.

“Mais de 2 milhões de cães em milhares de fazendas [sul-coreanas] são mantidos em gaiolas pequenas, estéreis e imundas, expostos aos elementos e recebem pouca comida e água”, observa HSI. “Muitos sofrem de doenças e desnutrição e todos são submetidos diariamente à extrema negligência. Os métodos usados para matar os cães são brutais – a eletrocussão é mais comum ”.

Simon Cowell se torna vegano

Cowell tem sido um crítico feroz do comércio de carne de cachorro. Em 2017, ele apoiou a campanha #EndDogMeat, e no ano passado ele se juntou a 90 celebridades em uma petição pedindo o fim da indústria de carne de cachorro da Indonésia.

O interesse em reduzir o sofrimento dos animais também pode ser resultado da recente mudança de Cowell para uma dieta vegana. A celebridade revelou recentemente que ele se tornou vegano para resolver alguns problemas de saúde persistentes. A mudança teve um efeito quase imediato; Cowell não só perdeu cerca de 10 kg, mas seus problemas crônicos de saúde melhoraram e ele viu um aumento em seus níveis de energia.

E a estrela disse recentemente ao jornal Sun que a mudança tinha ainda outro benefício: “Se antes eu tirava nota oito em uma escala de beleza de um a dez, agora estou com nota 11!, brinca a celebridade”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

​Read More
Notícias

Primeiro santuário de baleias beluga em águas abertas do mundo recebe suas duas primeiras moradoras

Baleias beluga | Foto: Sea Life Trust Beluga Sanctuary
Baleias beluga | Foto: Sea Life Trust Beluga Sanctuary

Nesta primavera, o primeiro santuário de baleias beluga em águas abertas do mundo foi inaugurado em Klettsvik Bay, na ilha de Heimaey, que fica ao largo da costa sul da Islândia. E no dia 19 de junho próximo, o Santuário Beluga receberá suas duas primeiras moradoras: Little Grey e Little White.

Little Grey e Little White são ambas belugas de 12 anos originárias da Rússia, com cerca de 13 pés (cerca de 4 metros) de comprimento e pesando cerca de 2.000 libras (cerca de 900 kg). Esse é o tamanho médio das fêmeas de belugas (os machos são maiores).

Ambas foram capturadas quando ainda bebês e passaram a maior parte de suas vidas em tanques se apresentando no Changfeng Ocean World de Xangai, o primeiro aquário marinho da China.

O Santuário Beluga tem 30 metros de profundidade, mas cerca de 34.455 metros quadrados – cerca de seis campos de futebol, o que representa um aumento maciço das condições semelhantes às do Sea World que foi o que as baleias conheceram durante toda a sua vida adulta.

Eles comem arenque e capelim, peixes de água fria que subsistem em grande parte do plâncton. De acordo com o santuário, Little Grey é a mais extrovertida dos dois – brincalhona, curiosa, ávida para aprender e com um lado bastante travesso. Ela gosta de cuspir água em quem se aproxima. Little White é mais tímida e reservada em comparação, mas também gosta de brincar.

As belugas são capazes de mergulhar mais de 2.000 pés, mas geralmente se mantêm a cerca de 60 pés abaixo da superfície do oceano.

A Sea Life Trust passou os últimos sete anos trabalhando na logística da próxima jornada das baleias. Primeiro, Little Grey e Little White serão levadas do Chengfeng Ocean World por caminhão para um dos dois aeroportos internacionais de Xangai.

Em seguida, elas voarão 5.581 milhas até o aeroporto de Keflavik, na Islândia. Em seguida, outro caminhão os levará para um terminal de balsas, e a balsa os levará as últimas milhas até a ilha de Heimaey. Klettsvik Bay, que é aliás, onde o filme Free Willy foi filmado; a cena da baleia saltando heroicamente para a liberdade marcou gerações, mas na vida real é improvável que as baleias criadas em cativeiro sobrevivam na natureza.

Little White e Little Grey estão passando por um treinamento especial para adaptá-las ao equipamento e às condições de sua viagem, para que experimentem o mínimo de estresse possível.

Elas também estão sendo gradualmente aclimatados a águas mais frias – belugas são baleias do Ártico, mas seu novo habitat islandês será muito mais frio do que os tanques com os quais se acostumaram – então elas comerão mais e absorverão a gordura extra que precisarem.

Elas nem imaginam o que as aguarda após passar tantos anos sendo exploradas para entretenimentos em shows aquáticos e vivendo em tanques de proporções insuficientes.

​Read More
Notícias

Crianças alimentam tartarugas com varas de pescar em parque aquático chinês

O parque aquático em questão, chama-se BHG Fantasy Ocean Park, e fica na cidade de Yinchuan (China). O estabelecimento iniciou suas atividades em 27 de janeiro e está aberto a menos de um mês.

As tartarugas mostradas no vídeo pertencem a espécie de tartarugas-verdes e são consideradas ameaçadas de extinção pela fundação World Wild Life.

Segundo a gerente do estabelecimento, Sra. Yuan, que fala pelo parque, a atividade foi planejada para ser uma “experiência para as crianças”.

As imagens se espalharam pelas mídias sociais chinesas e mostravam tartarugas nadando em um pequeno lago artificial enquanto meninos e meninas seguravam varas de pesca com pedaços de repolho pendurado nelas sobre os animais.

Crianças alimentam tartarugas com vara de pesca | Foto: Reprodução / Kuaishou
Crianças alimentam tartarugas com vara de pesca | Foto: Reprodução / Kuaishou

As cenas ganharam notoriedade depois que um visitante do parque postou o vídeo das crianças alimentando as tartarugas em uma plataforma de vídeo popular chinesa, o Kuaishou na semana passada.

O parque então, recebeu severas críticas de internautas e da imprensa local por estimular crianças a alimentar tartarugas ameaçadas de extinção com varas de pesca, como forma de entretenimento.

As imagens causaram preocupação entre os ativistas pelos direitos animais e uma das pessoas que assistiu ao vídeo, o enviou como denúncia para a Administração Nacional de Florestas e Pastagens da China na semana passada via Weibo (aplicativo chinês semelhante ao Twitter).

O denunciante escreveu no post: “Desde quando as tartarugas tem que viver uma vida tão difícil?”

O estabelecimento foi investigado pelas autoridades da cidade e a atividade de mau gosto foi encerrada.

O parque se defende afirmando que “o preço é barato, apenas 10 yuan (aproximadamente 0,61 centavos de real) por cada jogada, afirmou a gerente identificada pelo seu sobrenome apenas: Yang, ao BJ News.

A gerente fez questão de “garantir o bem estar” dos animais ao público e à imprensa.

Um animal selvagem, nascido livre na natureza e congenitamente preparado para buscar seu alimento em seu habitat, jamais encontrará algum bem estar em um ambiente artificial, sendo alimentado por varas conforme a vontade de humanos que o fazem por diversão.

O Depto. de Administração Florestal de Yinchuan confirmou que as tartarugas que aparecem no vídeo são tartarugas verdes, elas são espécies com status de protegidas na China, e o BHG Fantasy Ocean Park tinha 10 delas.

Ameaçadas de extinção por uma série de fatores, incluindo a colheita excessiva de seus ovos, caça e perda de habitat, elas são encontradas principalmente em águas tropicais e subtropicais.

Sua população global diminuiu em 90% nos últimos 50 anos, de acordo com a National Wildlife Federation dos Estados Unidos.

​Read More
Notícias

Açougueiro chinês morre envenenado por dardos que usava para matar cachorros

Divulgaçao
Divulgaçao

Um açougueiro na Província central chinesa de Hunan, especializado na venda de carne de cachorro, morreu envenenado por um dardo disparado por erro com uma balestra utilizada para matar os animais, informou o jornal South China Morning Post.

A homem, cujo nome não foi revelado pelos meios de comunicação chineses, mostrava o uso da balestra por trabalhadores do açougue quando esta disparou e um dos dardos ficou cravado em sua perna, de acordo com a informação.

O homem morreu a caminho do hospital, enquanto cinco de seus colegas foram detidos, já que aparentemente suas operações de matança em massa de cachorros (mais de mil) eram ilegais.

A carne de cachorro é consumida esporadicamente em zonas da China, especialmente na fronteira com a península coreana e na metade sul, já que alguns chineses pensam que tem propriedades medicinais e pode, por exemplo, melhorar o vigor sexual.

No entanto, este consumo tem sido cada vez mais criticado no país asiático, especialmente por grupos ambientalistas e amantes dos animais domésticos, que lançaram nos últimos anos campanhas de “resgate” de cachorros e outros animais em matadouros, e denunciaram os maus-tratos desses locais na imprensa.

Fonte: Felino Dog

​Read More
Notícias

Chinês é detido traficando cavalos-marinhos que seriam vendidos para restaurantes

Cavalos-marinhos contrabandeados do Peru foram encomendados a boliviano (Foto: Assessoria/ Gefron-MT)
Cavalos-marinhos contrabandeados do Peru foram encomendados a boliviano (Foto: Assessoria/ Gefron-MT)

Um chinês foi preso neste sábado (16), em Pontes e Lacerda, a 483 km de Cuiabá, na fronteira com a Bolívia, com uma carga contrabandeada de cavalos-marinhos secos. Segundo o Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron), os animais marinhos saíram do Peru, mas Zhang Mingguang, de 44 anos, comprou a carga na Bolívia.

Os cavalos-marinhos secos seriam comercializados nos restaurantes de São Paulo, onde são servidos como iguaria. Foram  30 kg de cavalos-marinhos e 25 de outro animal marinho que a polícia informou não ter conseguido identificar do que se tratava.

O chinês, que mora em São Paulo, estava em um ônibus que faz a linha San Inácio (Bolívia) a Pontes e Lacerda. Os policiais abordaram o veículo, e durante revista ao bagageiro, encontrou três caixas com os cavalos-marinhos secos e um saco com o restante dos animais marinhos.

Segundo a polícia, após ser identificado como sendo o dono da carga, o chinês alegou que os animais seriam usados para fazer sopa para a família dele. Ele disse ter encomendado a mercadoria a um boliviano e pago R$ 3 mil por ela.

O suspeito ainda ofereceu propina aos policiais para permitir que ele seguisse viagem com a carga contrabandeada. Ele propôs o pagamento de R$ 5 mil e foi preso em flagrante por contrabando e corrupção ativa. O dinheiro também foi apreendido. O chinês e a carga foram levados para a Delegacia de Polícia Federal de Cáceres, a 220 km de Cuiabá.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Chineses ricos estão comprando cada vez mais pedaços de animais em extinção

(Reprodução/NextSahrk)
(Reprodução/NextSahrk)

Diversas pessoas ricas da China estão comprando produtos provenientes de animais selvagens, que incluem as partes de tigres em extinção, elefantes, rinocerontes e ursos. Tais itens são cada vez mais vistos como uma forma de investimentos cujos valores irão subir devido à raridade dos animais, segundo o site ativista TakePart.

Armazéns em toda a China guardam anualmente centenas de cadáveres de tigre embebidos em ervas e garrafas de vinho de arroz. Estes itens acabarão sendo vendidos, em sua maioria, por valores entre US$ 80 e US$ 300. Quanto mais tempo as garrafas esperarem, mais valiosas se tornam.

A busca por marfim também aumentou entre a elite chinesa. À medida que mais colecionadores têm entrado no mercado, a caça de espécies ameaçadas de extinção que fornecem marfim, como elefantes e rinocerontes, têm aumentado. Em 2006, o preço de atacado para o marfim era US$ 564 por quilograma, hoje a mesma quantidade vale US$ 2 mil.

A maior parte do comércio de animais silvestres é online. Produtos que incluem presas de elefante, chifres de rinocerontes, vesículas biliares de urso e bicos pássaros raros, como o calau, têm sido vistos para venda, de acordo com Zhou Fei, que trabalha em uma rede internacional de monitoramento de comércio de espécies selvagens na China.

(Reprodução/NextShark)
(Reprodução/NextShark)

Fei explicou que estes produtos podem ser encontrados em sites de coleção de arte, fóruns on-line, grupos de WhatsApp e até mesmo no Facebook.

Preços de peças feitas de marfim podem variar de US$ 1.000 para um pequeno anel a mais de US$ 100.000 para um chifre de rinoceronte completo, de acordo com o Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal (IFAW).

No ano passado, uma atriz chinesa de 28 anos foi presa por vender produtos de marfim e outros feitos de espécies ameaçadas de extinção, de acordo com o China Daily. Ela estava participando do negócio desde outubro de 2013 e já tinha alcançado um lucro de 450.000 yuan (US$ 72,405) antes de ser capturada.

Inicialmente, produtos animais selvagens eram procurados por questões de crenças que diziam que tê-los traria benefícios à saúde. Ao longo dos últimos anos, no entanto, estes produtos evoluíram para símbolos de status da elite chinesa ou como investimentos para a classe média.

“Precisamos abordar todas as peças do quebra-cabeça: pressão internacional, mudança de comportamento, liderança do governo, boa aplicação da lei e revisão das leis existentes”, disse o diretor de campanhas da Agência de Investigação Ambiental, Julian Newman.

No entanto, o tempo está se esgotando.

“Os elefantes, rinocerontes e tigres não podem esperar muitos mais anos por uma mudança. Nós não temos muito tempo para algumas destas espécies “, completou Newman.

Fonte: Yahoo Notícias

​Read More
Notícias

Chinês é flagrado com 121 cobras na mala em aeroporto de Xangai

Um homem foi flagrado num aeroporto em Xangai, na China, com 121 cobras dentro de uma mala. O passageiro acabava de chegar de Hong Kong.

Os agentes da alfândega do aeroporto de Pudong levaram um susto ao detectar os animais no Raio-X. As cobras estavam em vários pequenos recipientes de plástico.

O chinês chegou a dizer que elas eram de brinquedo, mas não convenceu ninguém. Ele pode responder por tráfico de animais.

As cobras são de espécies em risco de extinção. Elas foram enviadas de Seattle, nos Estados Unidos, para Hong Kong, e de lá iam ser levadas para Xangai.

Fonte: Globo News

​Read More
Notícias

Chinês tenta embarcar em avião com tartaruga escondida em hambúrguer

Um chinês tentou embarcar em um avião com uma pequena tartaruga, apesar das restrições vigentes, e o escondeu em um hambúrguer de carne de galinha, informou nesta sexta-feira o jornal South China Morning Post.

A ação do passageiro, de sobrenome Li, foi descoberta na segunda-feira no Aeroporto Internacional de Cantão (sul da China), na seção de segurança onde os viajantes devem passar sua bagagem pelo raio X.

Li colocou sua tartaruga dentro do hambúrguer que tinha comprado em um restaurante fast food, mas não conseguiu enganar os funcionários de segurança, que estranharam ao ver no monitor as patas da tartaruga.

Ao ser interrogado pela polícia, o passageiro insistiu que não transportava nada de especial, mas finalmente os funcionários verificaram a sacola e encontraram o animal. Li foi comunicado que não poderia embarcar com o réptil no avião.

O incidente não gerou maiores problemas, pois um amigo de Li ficou com a tartaruga, diante da tristeza de seu tutor, que teve que deixar seu animal a milhares de quilômetros de distância.

O fato foi amplamente comentado nas redes sociais chinesas, onde alguns internautas afirmaram que Li mostrou um grande amor por sua tartaruga, mas que foi cruel ao obrigá-la a passar por um aparelho de raio X, que poderia ter prejudicado a saúde do animal.

Fonte: Terra

​Read More
Notícias

Guarda Civil detém chinês suspeito de matar cão com uma vara

A Guarda Civil espanhola acusou um homem de 52 anos, natural da China e residente em Saragoça, de crime de maus tratos contra animais, uma vez que é suspeito de ter agredido um cão com uma vara até a morte em Logroño.

O jornal espanhol ABC conta que o crime ocorreu no dia 28 de fevereiro, mas só agora foi tornado público. Segundo a força policial, o tutor do animal era um caminhoneiro, que tinha parado naquela área de serviço para fazer manutenção no veículo.

Ao dar conta do desaparecimento do cão, foi procurá-lo, e se depararou com o cidadão chinês. Ao aproximar-se, percebeu que o homem arrastava vara pelo chão e que, na outra mão, agarrava o seu cão pelas patas, preparando-se para colocá-lo dentro de um carrinho.

Nessa altura, o caminhoneiro tirou-lhe o cão das mãos. O suspeito ofereceu 20 euros pelo animal morto, mas quando percebeu que o caminhoneiro ia chamar a polícia, fugiu. Acabou intercetado por uma patrulha em área próxima a localidade de San Asensio.

Na Espanha, o crime de maus tratos contra animais está previsto no artigo 337 do Código Penal: quem, por qualquer meio ou procedimento maltrate injustificadamente um animal doméstico ou amestrado, causando-lhe a morte ou lesões que danifiquem gravemente o seu estado de saúde, é punido com uma pena de prisão entre três meses e um ano.

Fonte: Jornal de Notícias

​Read More
Notícias

Chinês encontra cão que havia desaparecido há 7 anos

Chen reencontrou seu cão após 7 anos. (Foto: Reprodução)

Um chinês de Pequim reencontrou seu cão sete anos depois de o animal ter desaparecido. O homem identificado como Chen perdeu o cachorro chamado “Ben Ben” durante uma caminhada em 2005, segundo a imprensa chinesa.

No dia 6 de fevereiro, ele viu um cachorro na rua quando ia para a casa de seus pais em um subúrbio de Pequim. Chen percebeu que o cão era parecido com o que ele tinha perdido há sete anos.

“Eu assobiei da maneira que eu costumava fazer (…) Depois, eu o chamei pelo nome”, disse Chen. “No começo, o cão pareceu surpreso, mas, em seguida, correu para mim”, afirmou ele, destacando que ficou emocionado e começou a chorar.

Fonte: G1

​Read More