Notícias

UIPA promove palestra a policiais sobre proteção aos animais em Fortaleza (CE)

Em meio à modernização das cidades, velhas práticas ainda permanecem, como o uso de carroças para o transporte de carga, seja no interior ou mesmo na capital e região metropolitana. O problema é que jumentos, cavalos e burros utilizados nesse tipo de trabalho muitas vezes sofrem uma série de abusos, submetidos a longas jornadas, peso excessivo e maus-tratos por parte dos carroceiros. A União Internacional Protetora de Animais (UIPA) promove nesta quinta-feira (10) a palestra “Animais e Proteção Legal”, voltada para policiais militares e do Ronda do Quarteirão de Fortaleza, Caucaia e Maracanaú. A palestra acontece das 8h30 às 11h30 no Auditório do Comando Geral da Polícia Militar, em Fortaleza (CE).

Velhas práticas, como o uso de carroças, ainda permanecem. (Imagem: Alex Pimentel/Diário do Nordeste)
Velhas práticas, como o uso de carroças, ainda permanecem. (Imagem: Alex Pimentel/Diário do Nordeste)

Segundo a presidente da entidade, Geuza Leitão, o evento vai abordar as leis de proteção aos animais como forma de tornar os policiais mais atuantes diante da ocorrência de abusos. “A legislação existente, prevê punições severas. Mas é preciso que ela seja aplicada, e para isso é necessário ter alguém que a cobre”, observa. Geuza relata que muitas pessoas, em vez de procurarem as autoridades de segurança pública quando presenciam casos de maus-tratos, ligam para ela.

“A Constituição Federal e a Lei de Crimes Ambientais definem que a proteção aos animais é um dever público, portanto é obrigação da autoridade policial atuar, o que falta é informação”, assegura.

Diariamente, é possível ver nas ruas o tratamento desumano e cruel dispensado por muitos carroceiros. Utilizados para realização de fretes ou transporte de água e material de construção, situações como falta de cuidados mínimos, chicoteamento, longas jornadas sem intervalo para descanso ou utilizar animais velhos e doentes não são difíceis de testemunhar. “A gente procura os donos de depósitos de construção, eles alegam que dão orientação, mas quando chegam na esquina o carroceiro já monta em cima do animal, chicoteia. É preciso coibir essa prática”.

De acordo com orientações da presidente da UIPA, o ideal é que o animal tenha pelo menos uma hora de intervalo a cada quatro horas para beber água e se alimentar. A jornada não deve ultrapassar oito horas por dia, respeitando domingos e feriados. A carroça deve estar em boas condições e sem peso excessivo, a fim de não aumentar o esforço do animal na tração.

Serviço:

“Animais e Proteção Legal”
Local: Auditório do Comando Geral da Polícia Militar, Avenida Aguanambi, 228 Bairro Alto da Balança, Fortaleza (CE)

Fonte: Diário do Nordeste

​Read More