Notícias

Cidade canadense inaugura cat café vegano

Divulgação

A cidade canadense de Regina agora é o lar do VegaBoo Cat Haven, um cat café totalmente vegano. O nome do estabelecimento é uma homenagem a “Boo”, o gatinho do proprietário do empreendimento.

O café possui dois ambientes. Em um deles um espaço cheio de lindos e adoráveis gatinhos disponíveis para adoção responsável e do outro um verdadeiro paraíso para adeptos de uma dieta ética e livre de crueldade onde são servidos bolos, doces, pães e milkshakes veganos.

O VegaBoo abriu semana passada e já encontrou um lar para dois gatos abrigados pelo local.

O estabelecimento foi fundado por Alex Baylak, que afirma ter se inspirado nas delícias da culinária vegana e pelo amor que sua mãe nutre pelos animais e que sempre compartilhou com os filhos.

​Read More
Notícias

Conheça o Café com Gato, o primeiro cat café do Brasil

© Brunella Nunes
© Brunella Nunes

Se propagando por toda a Europa, os Cat Cafés são estabelecimentos que funcionam como uma cafeteria, mas possuem uma característica que faz toda a diferença: gatos circulando entre os clientes. Em Sorocaba, São Paulo, temos algo parecido com isso, o Café com Gato, primeiro cat café do Brasil.

O amor pelos felinos acompanha a empresária Fabiana Ribeiro desde a infância, quando ela e o irmão levavam gatos abandonados para casa, que eram recusados pelo pai dela. Depois de ouvir uma porção de “nãos”, teve um gato que conseguiu entrar na família, o Frederico. Após sua morte em 2006, outros tantos cruzaram o seu caminho e ela se viu apaixonada pelos animais.

© Brunella Nunes
© Brunella Nunes

Com essa alma de cat lover, não poderia dar em outra coisa a não ser um café repleto de 10 gatos: Chocolate (Maine Coon), Milk (Sphynx), Mocaccino (Ragdoll), Capuccino, Canela (SRD), Chantilly (Persa), Canela (SRD), Vanilla (American Shorthair) e Bombom, uma SRD especial que é paraplégica.

Fabiana mantém ainda outros seis felinos em casa, a maioria sem raça definida. A ideia de abrir a cafeteria veio logo após um episódio curioso: na empresa que trabalhava havia uma gata resgatada, a Neguinha. Quando deixou de ir a uma reunião para levar a mascote no veterinário, por uma emergência, recebeu o insight que mudou sua vida. “Já estava infeliz com aquela rotina de emprego e foi durante o tratamento da Neguinha que eu pensei que se eu gosto tanto de gato, deveria fazer alguma coisa que os envolvesse”, disse.

© Brunella Nunes
© Brunella Nunes

Mas, a vigilância sanitária brasileira não permite quaisquer animais em ambientes onde há comida e esse é o principal fator que impede os cat cafés no país. “Um dia eu estava comendo num restaurante e lá tinha um aquário, então pensei em fazer exatamente isso, só que sem peixes”.

Depois de vender sua própria casa, seu carro e fazer empréstimos, a cafeteria foi aberta no dia 8 de maio de 2014 depois de uma longa trajetória atrás do lugar perfeito para acomodar os clientes e os animais, incluindo o tal aquário, um vidro onde os clientes assistem o que eles estão fazendo. O local tem bastante espaço e dá acesso a um quintal, onde os gatos circulam tranquilamente. Ali eles passam o dia brincando, dormindo e fazendo charme.

Com essa paixão toda, porém, ela não permite que os clientes cheguem até os felinos, e justifica: “Não mudo essa postura primeiro porque penso no bem-estar dos gatos. Também nunca estive nos cafés do exterior, mas eles não permitem a entrada de crianças e aqui acho que isso não seria legal, elas gostam muito de ver.”

© Brunella Nunes
© Brunella Nunes

Ela ainda explica que muitas coisas não acontecem quando nós queremos e sim quando os gatos querem. Muitas pessoas entendem essa lógica, mas nem todas, então poderia causar situações constrangedoras, uma série de problemas e até mesmo processos ao estabelecimento caso o animal, por exemplo, arranhasse alguém.

Nos cat cafés internacionais há regras que também não permitem que os clientes se aproximem, embora os gatos circulem livremente. Não pode fazer acordá-los, fazer carinho ou alimentá-los sem que os mesmos te procurem. É importante não colocar os animais em ambientes estressantes ou desconfortáveis, então cabe a nós esta reflexão.

© Brunella Nunes
© Brunella Nunes

Para quem tem medo, repulsa ou qualquer coisa do tipo com gatos, aconselho o passeio. Como não há contato direto com os animais, dá para observar seu comportamento e, quem sabe, se apaixonar por eles, que são bem sociáveis. Se for o caso, Fabiana permite que a graciosa Sphynx Milk se aproxime do cliente que estiver disposto a amar os felinos.

Outra coisa bacana é participar do sorteio da Yoga com Gatos, que funciona da seguinte maneira: a cada R$ 30 em compras você ganha um cupom para concorrer a uma aula de ioga na companhia dos gatinhos. O próximo acontece no dia 7 de maio, com aula dia 14, mas vale a pena acompanhar a programação pela página do Facebook.

O café também está dando seus primeiros passos para se tornar uma franquia. A gateira assídua tem um amor tão grande pelos animais que seu marido brinca que ela só abriu o cat café para poder acolher ainda mais gatos.

© Brunella Nunes
© Brunella Nunes

O cardápio é hi-tech: clientes fazem seus pedidos por um tablet, além de avaliarem o local e conferirem a agenda.

Av. Pereira da Silva, 866 – Jardim Santa Rosália – Sorocaba/SP
Tel.: (15) 3326-0658

Horário de atendimento: terça a domingo das 9h às 22h

Fonte: Hypeness

​Read More
Notícias

Lisboa inaugura o primeiro espaço cat café, com livros, café e a companhia de gatinhos

31
Divulgação

Os fãs dos felinos, e que não dispensam a sua companhia mesmo fora de casa, contam agora com um novo espaço em Lisboa que lhes oferece café, livros e ainda a companhia de um gatinho para acompanhar os momentos de pausa do dia-a-dia. A partir dessa ideia, nasceu o “Aqui há gato”.

32
Divulgação

O projecto que já conquistou outras cidades por todo o mundo chega agora a Portugal e vai directamente para a Calçada da Estrela, bem no coração da capital portuguesa, onde se poderá tomar o café, folhear o jornal ou ler um livro na companhia dos gatos residentes, que vão passeando pelo espaço.

Este novo local, que abre na próxima semana, é composto por duas áreas distintas: um espaço de café que, além da bica, serve também iogurte e refeições ligeiras e no qual, por cinco euros de consumo, se pode desfrutar do espaço de biblioteca e da companhia dos seus residentes. Quem quiser apenas estar na companhia dos amigos de quatro patas e esfolhear um livro, pode fazê-lo por três euros.

A responsável pela chegada deste projecto a Portugal, Catarina Mendes, espera que a abertura deste espaço seja um sucesso. “A avaliar pelo sucesso noutros países, estamos bastante confiantes de que será um projecto bem acolhido pelos lisboetas”, diz, em comunicado.

O café vai estar aberto de quarta-feira a segunda-feira, entre as 10h e as 19h. Às sextas e sábados, o fecho é pelas 20h e encerra para descanso dos amigos de quatro patas às terças-feiras.

*Esta notícia foi escrita, originalmente, em português europeu e foi mantida em seus padrões linguísticos e ortográficos, em respeito a nossos leitores.

Fonte: Público PT

​Read More
Notícias

A triste realidade por trás da amizade de gatinho e coruja em café no Japão

Claro que a amizade da coruja Fuku-Chan de 5 anos e o gatinho Marimo de 2 meses têm chamado a atenção e diversos internautas devido ao nível de fofura envolvido.

Ambos moram no Hukulou Cofee, um café no Japão, e os clientes podem interagir com ela em um ambiente no interior do local. Para quem achou estranho, a prática de ter corujas em estabelecimentos no país tem se tornado cada vez mais comum.

Apesar de ser muito fofo e dos animais serem lindos juntos, a verdade é que corujas não estão acostumada a conviver com pessoas e não são animais domésticos. O ambiente de um restaurante com certeza é um fator de estresse adicional para o animal.

Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

E mesmo que a amizade entre Marimo e Fuku-Chan seja positiva, o certo é que ela estivesse em seu ambiente natural, vivendo junto com outros de sua espécies e podendo ser livre.

Fonte: Portal do Cat

​Read More
Notícias

Defensores dos animais criam café com gatos na Sibéria

Defensores dos animais criam café com gatos na Sibéria (Foto: Ilya Naymushin/Reuters)
Defensores dos animais criam café com gatos na Sibéria (Foto: Ilya Naymushin/Reuters)

Um grupo de defensores dos direitos animais abriu um café em um abrigo de gatos de rua na cidade russa de Krasnoyarsk, na Sibéria.

No Kis-Kis Cat Café, os clientes pagam uma taxa e podem brincar com os animais, além de desfrutar de bebidas, jogos de tabuleiro, livros e wi-fi.

Defensores dos animais criam café com gatos na Sibéria (Foto: Ilya Naymushin/Reuters)
Defensores dos animais criam café com gatos na Sibéria (Foto: Ilya Naymushin/Reuters)

Além disso, o contato entre fregueses e felinos pode terminar em adoção.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Los Angeles ganha cafeteria onde clientes podem brincar e adotar gatos

Empresário que criou o 'cat cafe' de Los Angeles posa com funcionárias do estabelecimento (Foto: Mark Ralston/AFP)
Empresário que criou o ‘cat cafe’ de Los Angeles posa com funcionárias do estabelecimento (Foto: Mark Ralston/AFP)

A cidade de Los Angeles, nos EUA, quer entrar na moda dos “cat cafés” (cafés onde os clientes podem interagir com gatos). Seguindo o exemplo de metrópoles como Nova York, Tóquio, Seul e Londres, o município californiano abriu seu primeiro estabelecimento do tipo.

No momento, o Catfe, localizado no bairro de Chinatown, está aberto em sistema de teste. A ideia é avaliar a recepção do público e, se for positiva, manter o local em funcionamento.

Clientes brincam com gatos no café de Los Angeles (Foto: Mark Ralston/AFP)
Clientes brincam com gatos no café de Los Angeles (Foto: Mark Ralston/AFP)

Os gatos, doados por um abrigo de animais, vivem no café e circulam entre os clientes. Todos estão disponíveis para adoção.

Por enquanto, não é possível levar o próprio felino doméstico para lá, mas os criadores do estabelecimento dizem que no futuro pretendem reservar uma área para gatos “de fora”.

Os clientes precisam pagar uma taxa para entrar no lugar (US$ 7 por meia hora, US$ 10 por uma hora ou US$ 13 tempo ilimitado). Bebidas e comidas são cobradas à parte.

Fonte: G1

​Read More
Destaques, Notícias

Primeiro "cat café" dos Estados Unidos pretende ser centro de adoções

(da Redação)

Foto: TreeHugger / via KitTea
Foto: TreeHugger / via KitTea

O primeiro cat café dos Estados Unidos deve abrir as suas portas em breve. Chamada KitTea, a loja será localizada em São Francisco e servirá bebidas e lanches ao lado de companhias felinas. As informações são do Tree Hugger.

Os cat cafés surgiram inicialmente na Ásia, mas estão se multiplicando ao redor do mundo. O primeiro estabelecimento do tipo em Londres, o Lady Dinah’s Cat Emporium, foi aberto recentemente e há rumores de que a criação de locais similares em Nova York e Montreal esteja em andamento.

Para a sua viabilização, o KitTea lançou uma campanha “crowd-funding”, sistema que a co-fundadora Courtney Hatt acredita permitir mais independência que a procura de investidores da forma tradicional. Ela também espera, dessa forma, tornar as pessoas mais empolgadas com o projeto. “A principal razão pela qual eu optei pelo ‘crowd-funding’ foi porque quis fazer uma pré venda e inicialmente semear uma demanda pelo KitTea”, disse ela, que também acrescentou o desejo de fazer do projeto “um esforço da comunidade”.

Diferentemente do Lady Dinah’s em Londres, que tem principalmente a função de lar permanente para gatos resgatados, o KitTea espera promover adoções, o que significa, segundo a reportagem, uma emocionante reviravolta: “muitos filhotes pelo local!”.

Gatos adultos tendem a tornar-se territoriais, e alguns sentem-se menos confortáveis ao lado de muitos outros gatos e pessoas estranhas. Por isso, o KitTea decidiu hospedar temporariamente grupos de filhotes. “Nós queremos que esse seja um lugar maravilhoso para humanos, mas realmente esse é um espaço para os gatos”, diz Hatt. “É um oásis de gatos. É um espaço onde eles podem se sentir seguros, confortáveis, e podem socializar”.

O KitTea está trabalhando com duas organizações de resgate de gatos, a Give Me Shelter e a Wonder Cat Rescue, e também recebe a consultoria de Daniel Quagliozzi, especialista em comportamento felino.

“Ao invés de estar em um abrigo, que é de onde estamos trazendo os nossos gatos, aqui eles estarão felizes e menos estressados”, afirma Hatt, que acredita que dessa forma a adoção será facilitada.

“Frequentemente, quando você vê um gato em um abrigo, ele está estressado e pode comportar-se de modo arisco ou agressivo por estar assustado, quando na verdade essa pode não ser a sua verdadeira natureza”, explicou a empresária.

Foto: TreeHugger / via KitTea
Foto: TreeHugger / via KitTea

“Eu amo todos os animais”, diz ela. “Penso que seja algo que eu tento esclarecer. Não gosto apenas de gatos”, relata Hatt, que atualmente é tutora de três gatos.

AIém do seu amor pelos animais, Hatt teve uma experiência com empresas “startup” em São Francisco e com a cultura das cafeterias, tendo trabalhado nesse segmento nos últimos cinco anos. A sua expectativa é que o KitTea seja um local onde as pessoas com um interesse em comum possam se encontrar, diferente do cenário usual dos outros cafés onde as pessoas ficam confortavelmente instaladas atrás de suas telas de computadores. “No KitTea, os clientes terão algo em comum sobre o qual falar”, diz ela.

No entanto, vale ressaltar que os cat cafés são controversos e podem ser vistos, em sua maioria, como locais de exploração dos animais. Se, por um lado, eles oferecem às pessoas que não têm tempo ou recursos para tutelar gatos experienciar os benefícios do contato com os animais, por outro lado a prática de cobrar por esse contato como ocorre em muitos cat cafés é totalmente passível de crítica e deve ser repudiada.

​Read More
Notícias

Paris finalmente ganhou um “cat café”

Depois de Tóquio, Seul, Londres e Berlim, é a vez de Paris ganhar uma lanchonete onde os gatos podem circular livremente.

O 'Café des chats', em Paris, primeiro 'cat cafe' da capital francesa (Foto: François Guillot /AFP)
O ‘Café des chats’, em Paris, primeiro ‘cat cafe’ da capital francesa (Foto: François Guillot /AFP)

O “Café des chats” (Café dos gatos) abriu oficialmente para o público no dia 21 de setembro.

A ideia não é que os clientes levem seus animais, mas que possam conviver com os que vivem por lá. São todos adotados, e o estabelecimento garante que todos são castrados, vacinados e acompanhados por veterinários.

Gatos circulam livremente pela lanchonete (Foto: François Guillot /AFP)
Gatos circulam livremente pela lanchonete (Foto: François Guillot /AFP)

O conceito dos “cat cafés”, como são chamados esses lugares, é comum no Japão e vem se espalhando por outras capitais mundiais.

A gerente do café, Margaux Gandelon (Foto: François Guillot /AFP)
A gerente do café, Margaux Gandelon (Foto: François Guillot /AFP)

Cidade inglesa ganhará outro estabelecimento

Já em Londres, as autoridades locais deram nesta semana a autorização para a instalação de um “cat café” na Bethnal Green Road, no distrito de Shoredith, região central da cidade. O fato vem ganhando bastante atenção nas redes sociais de lá, sobretudo porque, no caso da cidade inglesa – e ao contrário de Paris -, os frequentadores poderão levar os gatos sobre sua tutela para tomar café ou, quem sabe, o chá das cinco.

Com informações de G1

​Read More