Notícias

Bode deficiente ganha minicadeira de rodas e passa a correr por todo o santuário

Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary
Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary

As imagens flagram o momento adorável em que uma cabra bebê com deficiência consegue andar em um curral com a ajuda de uma cadeira de rodas especialmente projetada para ela.

O Freedom Farm Sanctuary que fica na cidade de Middlebury, estado de Connecticut (EUA), é o lar de todos os tipos de animais, incluindo vacas, ovelhas, burros, perus e galinhas.

Os animais são resgatados normalmente devido a deficiências e condições que os tornam indesejados na indústria de carnes e laticínios (para sorte deles).

Billy, o bode, foi resgatado com apenas três semanas de idade, sofrendo de uma condição congênita que deixava as pernas traseiras paralisadas – o que significava que ele estava destinado à morte ainda bebê.

Desesperada para salvá-lo, uma mulher de bom coração alertou o santuário, que sabendo do caso o acolheu, cuidou dele e montou um par de rodas que devolveu a mobilidade ao Billy.

Agora, o bodezinho serelepe de apenas 12 meses passa seus dias brincando alegremente pela fazenda com seus novos amigos.

Outros animais que foram resgatados e levados para a fazenda incluem Amir, o cordeiro que usa cadeira de rodas e um bezerro chamado Nir, que usa uma perna protética.

Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary
Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary

Uma ovelha chamada Gary usa sapatos especiais nos cascos e um cordeiro chamado Dani que usa aparelho para as pernas.

Danielle Meiri, gerente de atendimento médico para os animais no santuário, disse: “Acreditamos que todos têm o direito de viver em harmonia, paz e ser tratados com compaixão”.

“Nossa missão é salvar animais da indústria de alimentos e criar um espaço onde as pessoas possam encontrá-los e vê-los não como um produto em uma prateleira, mas como um ser único que é alguém e não algo”.

Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary
Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary

“As pessoas amam Billy, ele abre corações e faz as pessoas sorrirem e darem risada”.

“Ele é um bode muito especial que faz todo mundo feliz e dá tanto amor quanto ele recebe”.

“Billy é uma estrela, todo mundo que o conhece se apaixona por ele. É impossível não se surpreender com ele. Seu espírito brilha tão intensamente e ele tem muito amor pela vida”.

“Ele é muito sociável e ama quem presta atenção nele – Billy gosta de todos os seus amigos humanos e também ama seus ‘colegas de quarto’ animais”.

Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary
Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary

“Embora ele ande com a ajuda de uma cadeira de rodas e ainda seja bem pequeno, ele não deixa que isso o impeça de correr rapidamente pelos pastos, com suas orelhas brancas e macias voando ao vento”.

“Ele realmente é um exemplo para todos nós sobre como superar e aproveitar a vida, não importam as diferenças”.

Chicken Noa é outro animal que o Freedom Farm Sanctuary acolheu. A pobre ave estava tão gravemente ferida quando foi resgatada que não conseguia suportar seu próprio peso corporal ou voar.

Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary
Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary

Danielle disse: “Noa tinha 40 dias quando chegou aos nossos cuidados”.

“Ela teve a infelicidade de nascer na indústria da carne e foi geneticamente modificada para crescer até o peso máximo no período mínimo de tempo, com o único objetivo de aumentar os lucros.

“Quando a resgatamos, ela ainda piava como o filhote que era, mas pesava três quilos – na natureza, uma galinha adulta não pesa nem dois quilos”.

“O peso anormal pressionou seus órgãos internos, causando dor nas pernas e nos pés e impossibilitou que ela fizesse a coisa mais básica que uma ave faz – usar as asas para voar”.

Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary
Foto: Kennedy News/Freedom Farm Sanctuary

A dedicada ativista, Danielle, disse que trabalhar no santuário cumpre um “propósito de vida” para ela que é cuidar e proteger os animais.

Danielle disse: “Desde a infância, tenho uma forte conexão e sentimentos fortes pelos animais e seu bem-estar”.

“Cuidar dos animais e estar perto deles sempre foi o meu propósito de vida”.

“Trabalhar em estreita colaboração com essas criaturas adoráveis, gentis e mágicas na fazenda, fortaleceu meus pensamentos sobre seus personagens e necessidades únicas”.

“Sempre farei o possível para cuidar deles, advogar pelo bem-estar desses seres sencientes e ser a voz deles o máximo que puder”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cabra fica apavorada ao ser perseguida por filhotes de gato brincalhões

Foto: ViralHog
Foto: ViralHog

Este é o momento divertido em que dois gatinhos bebês aterrorizaram uma cabra perseguindo-a por um jardim, apesar de terem apenas semanas de idade.

Nunca tendo estado ao ar livre antes, o par curioso corre para encontrar o animal de aparência estranha para eles, e vê-lo de perto, mas acaba assustando-o.

O momento adorável foi capturado na área de Moses Lake, no estado de Washington, nos EUA.

Andrea Mills estava cuidando dos dois gatinhos recém-nascidos por apenas algumas semanas, quando chegou a hora de deixá-los se aventurar fora de casa.

Parecia mais sensato deixá-los correr livremente nos limites seguros de seu quintal, onde os únicos outros animais seriam os bodes familiares dóceis amigáveis, que não ofereceriam risco algum aos bebês inocentes.

Mas depois de ser liberado de dentro de casa, o par foi visto perseguindo obstinadamente uma das cabras, curioso e decidido a se aproximar dela.

Foto: ViralHog
Foto: ViralHog

A cabra, que a princípio parecia perplexa, rapidamente salta para fora do caminho quando vê os gatinhos se aproximarem.

Os minúsculos gatinhos perseguem o animal incansavelmente enquanto ela foge com medo. Os pequenos parecem decididos a correr atrás dela embora a cabra seja muito maior que eles.

O vídeo termina com o bode saltando um conjunto de escadas para sair do alcance dos pequenos inimigos felinos.

Foto: ViralHog
Foto: ViralHog

“Foi o primeiro dia dos gatinhos lá fora no quintal”, disse a tutora dos animais Andrea Mills.

“Eles estavam muito curiosos sobre o que eram as cabras. Eles decidiram correr atrás delas porque tinham quatro pernas também”, disse ela, “eu acabei de descobrir que as cabras têm medo de pequenas coisas correndo atrás delas”, concluiu ela de forma divertida”.

Foto: ViralHog
Foto: ViralHog

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cinco cachorros salvam 47 cabras e galinhas de inundações na Índia

Cachorros, além de serem companheiros, leais e amorosos, também podem ser extremamente corajosos. Muitas histórias de cachorros salvando a vida de seus tutores – ou mesmo de desconhecidos – podem ser contadas. Como o caso de Midnight, que salvou seu vizinho de 87 anos durante uma onda de frio; ou Roxy, o cachorro que salvou seu guardião de um ataque cardíaco. Carl tirou seu tutor de um apartamento em chamas.

Uma cabra e um cachorrinho se olhando
Foto: Gorb Andrii/Shutterstock

E, como outras várias histórias mostram, os cachorros também salvam muitas vidas animais.

Recentemente, durante fortes inundações em Kerala, na Índia, cinco cachorros salvaram a vida de 47 cabras e uma ninhada de galinhas. Segundo o The Hindu, quando as águas da enchente subiram, os cachorros guiaram as cabras para os terrenos mais altos e seguros. Havia quatro filhotes, que os cachorros carregaram em suas bocas. As galinhas também foram guiadas para locais seguros.

Janaki Amma teve que deixar tudo o que tinha para trás durante a enchente – inclusive seus animais domésticos e suas cabras. Esperando que alguns conseguissem escapar, deixou a fazenda aberta. Quando voltou para casa, encontrou os cachorros, galinhas e cabras amontoados – juntos e a salvo.

A organização Humane Society definiu o caso como “uma das maiores lições de amizade” e forneceu comida aos animais. As inundações duraram quatro dias e todos estavam famintos.

Segundo o site One Green Planet, a história foi o exemplo perfeito de união, coexistência e carinho mútuo.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Fazendeiro atira em cabeça de filhotes de cabra e joga os corpos em lixeira

Imagens revelam fazendeiro matando animais a sangue-frio: atirando na cabeça de cabritos recém-nascidos antes de jogá-las violentamente em uma lixeira. O vídeo foi filmado secretamente em uma fazenda em Victoria, na Austrália, e divulgado na internet.

Os machos foram mortos por serem considerados sem utilidade para a produção de leite da fazenda. Cerca de dez foram encontrados em uma caçamba de lixo, onde foram descartados. As armas de fogo são utilizadas frequentemente por fazendeiros e são conhecidas popularmente como a maneira mais humana de matar os animais jovens.

Ativistas em defesa dos direitos animais discordam e ficaram horrorizados em ver a frieza presente nos assassinatos. “Apenas um psicopata pode matar rotineiramente. As pessoas que compram os produtos dessas fazendas estão pagando pela crueldade e destruição”, declarou uma pessoa nas redes sociais.

Os filhotes jogados na caçamba de lixo, mortos
Foto: Aussie Farms

Atualmente, há uma discussão sobre as filmagens secretas feitas para denunciar os maus-tratos aos animais. Fazendas e matadouros estão pressionando os governos para punir os ativistas que invadirem os locais para registrar a crueldade.

“Sem ativistas entrando e filmando este tipo de imagem, o público não saberia o que acontece dentro das fazendas”, declarou Chris Delforce, diretor da organização Aussie Farms, em entrevista à Yahoo News Australia. Segundo ele, as pessoas que lutam pelos direitos animais são necessárias porque não há transparência nas indústrias de produtos animais, que escondem a crueldade destinada a eles.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Filhote de cabra órfão que não podia andar ganha cadeira de rodas customizada

Tim Tam no santuário | Foto: 9News
Tim Tam no santuário | Foto: 9News

Tim Tam é um pequeno bode com uma grande estrada à sua frente, mas o menino de pelos da cor de chocolate, já está fazendo os truques.

O filhote de cabra órfão foi resgatado à beira da morte no centro de Victoria (Austrália), mas agora ganhou uma nova vida depois de ter sido equipado com uma cadeira de rodas personalizada.

O bebê de apenas três semanas de idade não esta de brincadeira agora que pode correr pra todo lado com sua nova “invenção”, desenvolvida e acoplada a ele por um veterinário depois que o filhote foi descoberto por uma pessoa que fazia uma caminhada no centro de Victoria no início deste mês, gravemente doente e incapaz de andar.

Equipes de resgate da Missão de Edgar, um santuário de animais em Lancefield, salvaram o pequeno órfão e cuidaram dele até que sua saúde estivesse .

Agora ele está em sua própria missão, com uma necessidade imensa de velocidade e nenhum sinal de desaceleração no horizonte.

Ele é inseparável do cachorro pastor do santuário conhecido como Ruby e da ovelha órfã Harriet Beecher Stowe, que chegou 24 horas depois de Tim Tam.

Tim Tam mamando | Foto: 9News
Tim Tam mamando | Foto: 9News

“Eu não sei exatamente o que o futuro dessa turma trará, mas sei que eles se apegaram uns aos outros e ficarão juntos para sempre”, disse o fundador e diretor da Edgar, Pam Ahern, ao 9 News.

“Tim Tam estava em um estado terrível quando foi encontrado, meu coração doeu quando vi essa pobre cabra. Ele estava tentando se arrastar ao redor, ele não podia mover suas pernas traseiras por mais que tentasse.

“O que danificou as pernas traseiras do filhote de cabra ainda é um mistério. Os socorristas acreditam o problema foi provavelmente causado por um nascimento traumático.

Mas eles estão esperançosos de que ele esteja no caminho da recuperação total e será capaz de andar sozinho nos próximos meses.

“Ele corre por tantos lugares possíveis que dificilmente podemos detê-lo, temos que tirá-lo da cadeira para lhe dar um descanso”, disse Ahern.

Tim Tam com Ruby e Harriet | Foto: 9News
Tim Tam com Ruby e Harriet | Foto: 9News

O funcionário do santuário Kel Shannon disse que “ninguém pode vê-lo correndo sem sorrir, ele é simplesmente adorável demais”.

“Ele é muito feliz e cheio de vida”.

A missão de Edgar é um santuário sem fins lucrativos para animais de fazenda resgatados baseados em 153 acres ao norte de Melbourne.

Cerca de 5 mil animais foram salvos e cuidados desde a criação do santuário.

Enquanto a missão tenta conseguir novos lares para tantos animais quanto possível, mas como a condição de Tim Tam faz com que ele precise de um pouco mais de cuidados, então é provável que o santuário será sua casa para sempre.

As pessoas podem vir visitar Tim Tam em um dos passeios gratuitos do santuário.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Estudo mostra que bodes e cabras conseguem distinguir emoções nos chamados de seus companheiros

Por Rafaela Damasceno

Os bodes e as cabras, animais explorados principalmente pelo leite, são criaturas sensíveis e capazes de diferenciar as emoções de seus companheiros. O estudo que atesta isso, realizado pela Queen Mary University of Londres (Universidade Rainha Mary de Londres), mostra ainda que eles respondem aos sentimentos de seus pares, um fenômeno conhecido como contágio emocional.

Um bode encostando a cabeça em outro
Foto: Cultura Mix

O principal pesquisador do estudo, Luigi Baciadonna, declarou que “apesar de sua importância evolutiva, a comunicação social das emoções em animais não humanos ainda não é bem compreendida”.

Os pesquisadores selecionaram os bodes como animais com potencial emotivo devido a estudos anteriores que comprovaram que eles são inteligentes e possuem vidas sociais complexas. Um experimento indicou que eles conseguem distinguir as chamadas de seus amigos e isso foi essencial para que levantassem a hipótese de que os animais poderiam também saber como eles estavam se sentindo.

Ser capaz de compartilhar as emoções de outros animais da mesma espécie pode fortalecer laços sociais entre os membros do grupo.

A pesquisa foi feita com os animais felizes e tristes. Então os pesquisadores tocaram os sons para outros da mesma espécie, que reagiram de acordo com as diferentes emoções. Ao ouvirem os sons positivos, o ritmo cardíaco dos bodes se tornou regular.

O especialista Frans de Waal, da Emory University, afirmou que “a empatia é uma característica principalmente dos mamíferos”, o que explicaria o compartilhamento de emoções presente nos bodes.

Rachel Sparks, porta-voz da Sociedade Britânica dos Bodes, declarou que não se impressionou com o resultado da pesquisa. “Essa espécie é muito mais sensível a mudanças do que outros animais”, declarou ao The Guardian. “Se estou tendo um dia ruim, os bodes sempre me animam. Eles sabem quando você está feliz, triste ou estressado”, completou.

As descobertas, que foram publicadas na revista Frontiers in Zoology, podem provocar mudanças na pecuária, principalmente na maneira que os animais são alojados.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Cabra abandonada em clínica com a perna quebrada ganha uma família de cachorros e humanos

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

Quando Piper Wood viu a pequena e frágil cabra de apenas quatro meses sozinha dentro do minúsculo canil de concreto, seu coração ficou apertado e ela soube que precisava ajudá-la.

“Ela estava tão triste ali no canil, era notável”, disse Wood ao fundador da Hand in Paw, uma organização de resgate em Los Angeles (EUA). “Ela ficou lá por dois dias e chorava o tempo todo.”

Wood soube pela primeira vez sobre a cabra, a quem chamou Clementine, pelo gerente do Duarte Azusa Animal Hospital. Alguns dias atrás, alguém havia trazido Clementine para a clínica após ela ter quebrado a perna.

“Ela [ex-tutora] queria uma cabra, mas morava em um apartamento minúsculo”, disse Wood. “Eu acho que o namorado dela deu uma cabra para ela, mas eles não tinham onde mantê-la”.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

O namorado da antiga tutora trabalhava em uma oficina de automóveis, de acordo com Wood, então o casal decidiu manter a cabra lá.

Mas Clementine acabou quebrando a perna na oficina.

“Ela estava pulando, como é normal para cabras filhotes e ficou com uma perna presa em alguma coisa e o que causou uma fratura grave em sua perna de trás”, disse Wood. “Sua perna traseira se partiu completamente”.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

“Havia peças de carros e metal em todos os lugares”, disse Wood. “Não havia grama. A oficina era, definitivamente, um lugar realmente horrível para uma cabra”.

Os antigos tutores também haviam “deschifrado” a cabra filhote, de acordo com Wood, um processo doloroso que envolve colocar um ferro quente nos pontos sensíveis onde nasceriam os chifres das cabras e cabritos para impedir o crescimento deles.

Um dos funcionários da oficina levou Clementine para a clínica veterinária, onde o pobre animal ferido recebeu tratamento de emergência.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

“Ela não podia usar a perna”, disse Donna Menzemer, gerente do Duarte Azusa Animal Hospital, ao The Dodo. “Ela tinha que ser sedada para que raios-X pudessem ser tirados e uma tala com gesso fosse colocada. Então ela teve que receber injeções de antibióticos por dias e antibióticos orais também.”

Quando a conta chegou o valor passou de 500 dólares, e os proprietários não queriam pagar – em vez disso, eles simplesmente pediram a cabra de volta, de acordo com Menzemer.

Assim, a clínica veterinária não teve escolha a não ser manter a cabra até que a conta fosse paga. Se os ex-tutores não pagassem a conta e pegassem a cabra dentro de 14 dias, o Departamento de Serviços Animais consideraria a cabra oficialmente abandonada.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

O problema era que a clínica veterinária não tinha um recinto adequado para uma cabra, então eles tinham que manter Clementine dentro de um canil, e conseguir feno entregue especialmente para que Clementine pudesse comer.

Mas Clementine parecia infeliz dentro de seu canil.

“Ela amava as pessoas, então ela chorava porque nos queria por perto o tempo todo”, disse Menzemer. “Eu me sentia tão mal por ela.”

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

Vendo o quão triste Clementine estava em seu canil, Wood fechou um acordo com a clínica – deixou Clementine ficar no sítio onde ela morava em Pasadena, junto com seus 15 cães resgatados. Se os antigos tutores eventualmente pagassem dentro do prazo de 14 dias, ela devolveria a cabra. Se não o fizessem, Wood adotaria Clementine.

No momento em que Clementine chegou ao sítio de Wood, Wood pôde ver que ela estava muito mais feliz.

“Ela instantaneamente se uniu a todos os meus cachorros”, disse Wood. “Ela adorou a grama e saiu correndo pelos arredores – ela ainda usava curativo, então ela estava mancando um pouco. Ela passou a dormir nas camas dos cachorros e compartilhar as tigelas de comida com eles. Ela acabou se tornando parte da matilha”.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

“Ela gosta de brincar de lutar com os cachorros”, acrescentou Wood. “Ela gosta particularmente do nosso poodle, Stewart. Eles batem cabeças juntos o tempo todo.”

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

Wood também ficou profundamente ligada à Clementine – tanto assim, que ela estava apavorada caso os antigos tutores encontrassem uma maneira de levá-la de volta.

“Eu ligava para a clínica literalmente 10 vezes por dia perguntando se [os antigos tutores] haviam aparecido, disse Wood.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

Quando realmente ficou confirmado que os ex-tutores não retornaram ao veterinário para pagar sua conta ou para pegar Clementine, a situação foi considerada um abandono de animal, e Wood pode finalmente adotar oficialmente Clementine.

Wood ficou muito feliz.

Foto: Piper Wood
Foto: Piper Wood

“Isso é como se todos os desejos de Natal se tornassem realidade”, disse ela. “Eu tenho falado sobre adotar uma cabra toda a minha vida, e no momento em que recebi a ligação, larguei tudo para ir vê-la, e eu sabia que ela era a companheira certa, mas nunca pensei que seria uma realidade”.

No entanto, a perna de Clementine ainda não está totalmente recuperada. Depois de receber os raios-X em sua última visita ao veterinário, o veterinário viu que os ossos não estão se curando muito bem, e que ela pode precisar de placas de aço. Mas o que quer que aconteça, Wood estará ao lado de Clementine.

“Ela é parte da família agora”, disse Wood. “Eu simplesmente a amo”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques

Imagens de câmera de segurança flagram vândalos invadindo reserva natural e maltratando animais

Foto: CBS
Foto: CBS

As autoridades estão em busca de vândalos que danificaram uma reserva natural de Long Island, nos Estados Unidos, perseguindo e assediando os animais no local, e em determinado momento forçando uma cabra a beber cerveja de uma garrafa.

A Equipe de Operações Especiais da Divisão de Guarda-Parques do Departamento de Segurança Pública de Smithtown está buscando ajuda para encontrar os quatro criminosos que invadiram a Reserva Natural de Sweetbriar em Smithtown, Long Island, e danificaram as instalações do local.

Enquanto estiveram na propriedade, que abriga cerca de 100 animais, os homens abriram gaiolas, subiram em um curral e perseguiram os animais residentes da reserva.

Os vândalos também filmaram a si mesmos segurando uma garrafa de cerveja e virando na boca de uma cabra, informou o canal News 12 Long Island.

A diretora da reserva Sweetbriar Nature Center, Janine Bendicksen, disse à CBS New York que estava “furiosa e enojada” com as ações dos vândalos.

Foto: CBS
Foto: CBS

Autoridades de preservação da natureza disseram que as ações dos vândalos naquela noite foram capturadas por uma câmera de trilha escondida, que os criminosos encontraram e depois tentaram destruir o equipamento, jogando-a em um lago na propriedade.

No vídeo de vigilância, obtido pela CBS New York, um dos homens pode ser ouvido dizendo: “Basta pegar todo ele (equipamento)”, enquanto outro homem diz a ele: “Estou jogando na água. Não se preocupe”.

Foto: Smithtown Public Safety Department
Foto: Smithtown Public Safety Department

Os homens não pareciam ter qualquer motivo para preocupação até a semana passada, quando uma inspeção rotineira da qualidade da água na lagoa levou a um trabalhador a encontrar a câmera na água e a recuperar o vídeo de vigilância, embora o cartão de memória da câmera tenha sido corroído, foi possível recuperar as imagens.

Foto: Smithtown Public Safety Department
Foto: Smithtown Public Safety Department

“Ah, eles definitivamente pensaram que se safariam disso”, disse a diretora do Sweetbriar Nature Center, Janine Bendicksen, à CBS New York, acrescentando que “eles ficarão extremamente surpresos quando seus rostos aparecerem no noticiário”.

As pessoas vistas na filmagem da câmera de vídeo podem enfrentar acusações de danos criminais, pequenos furtos e crueldade com animais.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Vídeo flagra cabra dançando e pulando de alegria com veterinária que a adotou

Foto: Longview Animal Care and Adoption Center
Foto: Longview Animal Care and Adoption Center

A maioria dos animais não gosta muito de uma visita ao veterinário, quase sempre o passeio acaba resultando em picadas de agulhas de injeções ou algum desconforto por causa dos exames necessários.

Não é de estranhas que alguns cães e gatos até queiram se esconder ou fugir enquanto estão no veterinário – mas esse cordeirinho está literalmente pulando de alegria.

Úrsula não é uma residente permanente na clínica e centro de adoção Longview Animal Care no Texas (EUA); ao contrário disso, ela é adotada por um funcionário de lá. E a cabritinha está tão apaixonada pela equipe que ela literalmente começa a dançar quando eles estão por perto.

Um membro da equipe teve a sorte de filmar a cena recentemente flagrando um de seus momentos de dança que aconteceu bem diante das câmeras – e agora o mundo inteiro está apaixonado por seus movimentos.

“Como a maioria dos outros cabritinhos pequenos, Úrsula gosta de pular e ficar animada”, disse Chris Kemper, gerente de serviços de animais, ao The Dodo. “Neste dia em particular, um dos nossos técnicos de cuidados com os animais estava no corredor com Úrsula logo após o trabalho e começou a pular com a cabritinha e até parecia que elas estavam dançando”.

O resultado foi um vídeo simplesmente lindo – e alegre também- mostrando a veterinária e Ursula realmente dando tudo de si e pulando juntas. Rodando o vídeo em câmera lenta, é possível ver cada pequena acrobacia e movimento que Úrsula faz quando salta pelo corredor em estado de pura alegria.

Foto: Longview Animal Care and Adoption Center
Foto: Longview Animal Care and Adoption Center

Parece que nada no mundo poderia derrubar Úrsula, e isso provavelmente é verdade.

“Agora que o vídeo chegou a ser visto mais de 10 milhões de vezes, estamos tentando descobrir como transformar sua popularidade em adoção para o resto dos animais em nosso abrigo”, disse Kemper. “Nós adoramos toda a atenção que as imagens trouxeram para nossas instalações”,

Embora não haja maneira de saber o que Úrsula está querendo dizer com certeza, isso pode significar o quanto ela está feliz por estar cercada por pessoas tão carinhosas e que gostam de diversão tanto quanto ela.

​Read More
Jornalismo cultural, Notícias

Cabra é enviada para santuário depois de fugir do matadouro

Cabra recebeu o nome de Gênesis e foi enviada para um santuário em Nova Jersey (Foto: ABC)

No mês passado, uma cabra foi encontrada em um domingo vagando pelas ruas do Bronx, em Nova York.

Quando muitos imaginavam que ela seria devolvida para o matadouro de onde escapou, o destino lhe trouxe a salvação.

Os policiais que a retiraram das ruas em conjunto com o Centro de Cuidados Animais de Nova York conseguiram garantir que ela não fosse abatida. Na realidade, fizeram mais do que isso.

Também deram à cabra o nome de Gênesis e a encaminharam para um santuário de Nova Jersey, onde agora ela pode viver em paz, segundo informações da ABC.

​Read More
Notícias

Caçador paga US$ 100 mil para matar espécie raríssima de cabra

A caça, além de ser extremamente cruel, é responsável pela extinção de diversas espécies de animais selvagens do planeta. A fauna está cada vez ameaçada pele chamado “esporte” e pelo tráfico de animais e suas parte, como chifres, garras e alguns órgãos, como a bexiga do peixe tatoaba, usada na culinária chinesa sob a falsa suposição de que poderia tratar problemas de saúde.

John Amistoso posa com um Kashmir Markhor criticamente ameaçado no Paquistão, em março de 2017

Um caçador de troféus em série, que posa para fotos sorrindo com cadáveres de animais em extinção, pagou US$100 mil, pela quarta vez, para matar uma espécie de cabra extremamente rara.

O norte-americano John Amistoso, de 64 anos – que ganhou dinheiro transformando uma pequena loja familiar em um império multimilionário – viajou para o Paquistão na semana passada para caçar seu quarto markhor, o animal nacional do país.

Com menos de 6.000 dos animais, o markhor, também conhecidos como “cabritos de chifres”, vive entre as montanhas entre o Afeganistão e o Paquistão.

O caçador, assassinou o animal no sábado passado (12) na área de Bunji, no norte do Paquistão.

Ele recebeu a licença para matar por oficiais paquistaneses, que emitiram permissão para caçadores atirarem quatro espécies.

De acordo com um relatório local, assustadoramente, o governo leiloou as licenças de caça para os animais raros em outubro. Os lances começaram em US $ 100 mil para um markhor, US $ 8 mil para um carneiro azul e US $ 720 (£ 560) para um íbex.

É a quarta vez que o americano viaja para a região montanhosa para caçar o indefeso e raro animal. As informações são do Daily Mail.

O caçador de troféus dos EUA com um Suleiman Markhor ‘com chifres de um parafuso’ em janeiro de 2017

Dois posts em uma página chamada Grand Slam Club mostraram o Amistoso posando com os corpos de Suleiman e Caxemira – duas outras subespécies de markhor – em janeiro e março de 2017.

Ele também foi retratado posando com o cadáver de uma cabra de chifre após uma caçada em 2013.

Hipocritamente, o Grand Slam descreve a si próprio “uma organização de caçadores / conservacionistas dedicada a melhorar e perpetuar populações de ovelhas e cabras selvagens em todo o mundo”. O caçador, John Amistoso, está listado no site como um membro vitalício.

Amistonso (foto de 2013) é listado como um ‘membro vitalício’ em uma página que organiza as terríveis caças.

Um usuário indignado no Facebook disse: ‘As pessoas são doentes e mais distorcidas do que os chifres da bela cabra.

Jon Wilson escreveu: ‘Eu amo como os caçadores se chamam conservacionistas e dizem que matam animais para salvá-los. Você não pode fazer isso!

“A verdade é que eles só gostam de matar coisas e estão dispostos a pagar muito dinheiro para isso”.

Outro disse: ‘Apenas seja honesto sobre o seu desejo de sangue e pare de fingir que se importa com a conservação’.

Marty Yarbrough respondeu: ‘Eles são um bando de perdedores que pensam que matar animais indefesos os torna maiores’.

Elisia Peters comentou: ‘Quem em sã consciência mataria um animal pelo esporte ?! Vocês são loucos e doentes.

Mais uma vítima do leilão de licenças no Paquistão

Outro caçador também pagou para assassinar o raro markhor. As informações são do World Animals News.

De acordo com a página do Facebook de Parques Nacionais do Paquistão, outro americano, identificado pelo Pamir Times  como Christopher, pagou cerca US$ 100 mil por uma das quatro autorizações concedidas pelo governo do Paquistão.

 

Foto: Parques Nacionais do Paquistão

Christopher caçou, atirou e matou o pobre animal na região Chitral do Paquistão, em seguida , exibiu seu chamado “troféu” ao lado dele e sua equipe em fotos.

 

​Read More
Notícias

Ativistas são obrigados a devolver animais resgatados de uma fazenda

O Gippy Goat Café, de onde os animais foram tirados, alega que o grupo não identificado invadiu a fazenda em Victoria, três dias antes do Natal, apenas pra chamar atenção e roubaram quatro animais da fazenda.

De acordo com o Paul Cornelissen, gerente da fazenda, disse que o sequestro das cabras privou dois filhotes do leite materno.

Foto: Reprodução | Facebook

Os ativistas foram capturados pela CCTV, supostamente, sequestrando três cabras e um cordeiro – apesar de os responsáveis negarem qualquer maltrato aos animais. Mas o grupo insiste que o protesto aconteceu porque eles acreditam que os animais estavam sendo explorados.

O sargento da polícia de Victoria, Dean Waddell, disse no dia da ação,  que os ativistas poderiam enfrentar acusações de roubo e crueldade contra animais.

Desde então, a polícia encontrou um cordeiro e uma cabra em uma residência de Koo Wee Rup, onde foram encontrados usando fraldas humanas, segundo relatos.

Duas mulheres foram acusadas em conexão com o incidente e os policiais de Victoria devem ainda fazer outras prisões.

As mulheres deverão comparecer ao Tribunal de Magistrados Morwell em 18 de fevereiro.

Os ativistas insistem que o protesto aconteceu porque eles acreditam que os animais estavam sendo explorados – uma acusação que Gippy Goat Café nega veementemente.

Em um comunicado divulgado ao Facebook, uma ativista vegana, que supostamente participou do incidente, detalhou o suposto sequestro e explicou os motivos do grupo.

Ela escreveu que o alegado incidente “não violento” no café Gippy Goat foi para “chamar a atenção para os animais sendo explorados na instalação”.

Ela continuou explicando que o grupo quer que os animais sejam tratados com “respeito e dignidade”.

“Queríamos remover a venda moral da sociedade e alcançar as pessoas por meio dessa ação para enviar uma mensagem poderosa; a paz começa conosco.

“Estamos tentando criar um mundo onde outros animais sejam vistos como indivíduos, tratados com respeito e dignidade, por quem eles são”, escreveu ela.

“Não estamos pedindo por gaiolas maiores ou melhores condições. Estamos exigindo o fim da mercantilização dos animais, não o que eles podem nos dar”.

Ela assinou sua declaração prometendo continuar a tomar uma posição pelos direitos animais.

“Estamos assumindo uma posição moral em relação a outros animais, e prometemos continuar a fazê-lo até que a indústria prejudicial aos animais seja permanentemente fechada e até que a liberação total dos animais seja alcançada”, escreveu ela. As informações são do Daily Mail.

Em resposta às acusações, o Gippy Goat Café levou a sua própria página de mídia social para negar qualquer mal feito.

“Esse grupo de criminosos faz afirmações falsas sobre o bem-estar animal para justificar esse tipo de comportamento e procura apenas ganhar atenção para si”, dizia o post.

“Esta é a segunda vez em seis meses que esses grupos cometeram seus atos descarados em nós.”

Combatendo as alegações de que os animais estavam sendo mal cuidados, outro post na página da empresa no Facebook continuou: “Temos veterinários qualificados na equipe que são responsáveis ​​por assegurar o melhor atendimento humanitário a todas as cabras e outros animais”.

Foto: Reprodução | Facebook

A empresa confirmou que dois dos animais desaparecidos tinham sido devolvidos: “Estamos muito felizes em informar que o cordeiro chamado Leah e a corça de leite chamada Angel pelos ativistas foram localizados e retornaram.”

​Read More