Notícias

Moradores de Sorocaba (SP) evitam registrar BO sobre maus-tratos a animais

Somente três boletins de ocorrência relacionados a maus-tratos e envenenamento em animais foram registrados neste ano em Sorocaba (SP), segundo dados da Polícia Civil. O número só não é maior porque as testemunhas da violência contra cães e gatos têm evitado a formalização das denúncias nos sete distritos e nas duas delegacias da cidade.

A estatística feita pela Seção de Controle de Zoonoses de Sorocaba comprova a falta de interesse da população em denunciar à Polícia Civil. Dados da área controlada pela Secretaria Municipal da Saúde revelam que, somente em maio deste ano, um total de 17 denúncias foram relacionadas a maus-tratos.

O auxiliar administrativo Rodrigo Bozzola de Castro e Santana, 21 anos, teve dois de seus sete gatos mortos na semana passada. “Tudo indica que eles foram envenenados pela forma que eles morreram”, comenta.

Rodrigo Bozzola de Castro e Santana teve dois de seus sete gatos mortos na semana passada. (Foto: Fábio Rogério)
Rodrigo Bozzola de Castro e Santana teve dois de seus sete gatos mortos na semana passada. (Foto: Fábio Rogério)

Segundo Rodrigo, morador do bairro Vila Carvalho, as duas mortes ocorreram no intervalo de três dias. “Acionamos a Polícia pelo telefone e disseram que era preciso um laudo para a elaboração de um boletim de ocorrência e, por causa de tanta burocracia, não fomos até a delegacia”, diz.

Rodrigo comenta que as mortes de seus dois gatos não foram as únicas na Vila Carvalho. “Duas vizinhas também perderam os seus gatos nos últimos meses, também por envenenamento, e não devem ter feito boletim de ocorrência”, conta.

Uma delas foi a ajudante geral Márcia Nascimento Ignácio, 53, que presenciou o seu gato de estimação agonizar e morrer em sua calçada. “Saía espuma da boca dele. Certamente ele foi envenenado”, relata. “Foi assustador”.

Márcia confessa não ter feito boletim de ocorrência, mas se arrepende. “Não fiz no mesmo dia porque eu estava muito nervosa, chorava muito. Depois, o tempo passou e não tomei essa iniciativa”, diz.

Já a funcionária pública Georgia Prado, 37, preferiu usar as mídias sociais para manifestar a sua indignação diante da violência sofrida pelo seu gato no início de maio. O animal foi atingido por um dardo, em uma das patas, e conseguiu ficar sem sequelas após ter sido atendido por um veterinário.

Georgia não procurou a Polícia para registrar a agressão ao seu gato. “Não tive a intenção de registrar um boletim de ocorrência, mesmo quando o meu outro gato morreu espancado. Escolhi um novo rumo e decidi alertar as pessoas via Facebook”, conta.

De acordo com o delegado José Antônio Belotti, titular do 2º Distrito Policial e da Delegacia de Atribuição de Crimes Ambientais e de Maus-tratos dos Animais, qualquer testemunha de violência pode procurar qualquer unidade policial para registrar boletim de ocorrência. “Não precisa se deslocar à delegacia especializada. Esse processo pode ser feito no distrito mais perto, nos plantões”, conta.

Belotti conta que, após a elaboração do boletim de ocorrência, é iniciado o procedimento de Polícia Judiciária. “São feitas oitivas com todas as partes envolvidas, além da junção de um laudo médico ou da ocorrência e a documentação é encaminhada para o juizado criminal”, diz.

Segundo Daniela Valentim dos Santos, diretora de Vigilância em Saúde, qualquer tipo de crime contra animais deve ser comunicado à Polícia. “Nós atuamos somente quando há um animal com doença transmissível ao homem ou vítima de atropelamento em via pública, sem a presença do tutor”, diz. “Vale ressaltar que a responsabilidade pela saúde e preservação é sempre do tutor do animal”, completa.

Fonte: Cruzeiro do Sul

​Read More
Notícias

Carro da prefeitura atropela cachorro em Araçatuba (SP)

Após o atropelamento, a cadela foi encaminhada ao Hospital Veterinário da Unesp. Foto: Gustavo Cruz/vc repórter

Um carro oficial da prefeitura de Pereira Barreto (SP) atingiu uma cadela vira-lata enquanto trafegava pelo centro da cidade de Araçatuba, no interior de São Paulo. O acidente foi registrado na última segunda-feira, por volta das 12h20, no cruzamento da rua Floriano Peixoto com a praça Rui Barbosa.

Segundo testemunhas, o motorista não prestou atendimento ao animal e arrancou após ser alertado por populares sobre o acidente. De acordo com os policiais do 1º Distrito Policial de Araçatuba, onde foi lavrado o Boletim de Ocorrência (BO), a polícia trabalha para identificar o condutor do veículo e apurar a sua versão dos fatos.

Ainda segundo os policiais, o socorro ao animal é optativo, o que não qualifica o atropelamento como crime. Caso o animal possua tutor, o responsável pode ser acionado judicialmente por omissão de cautela na guarda, o que implicaria uma pena de prisão de dez dias a dois meses, ou multa.

Após o atropelamento, a cadela foi encaminhada ao Hospital Veterinário da Unesp, onde foi constatada fratura no fêmur e na pelve. Em virtude da necessidade de cirurgia, o procedimento será realizado pelo Centro de Controle de Zoonoses de Araçatuba.

Procurada pelo Terra , a assessoria de imprensa da prefeitura de Pereira Barreto informou que só poderia se pronunciar na próxima semana.

Fonte: Terra

​Read More
Home [Destaque N2], Notícias

Cão é morto a marteladas na região do Campo Largo, no PR

(da Redação)

Na foto, corpo do animal encontrado em terreno baldio (Foto: Divulgação)

Na última quarta-feira (20), por volta das 20h, protetores testemunharam um cão sendo morto a marteladas. Segundo um dos protetores, o crime brutal ocorreu no bairro São Francisco, na rua Bernardo Spack, em um terreno baldio, no PR.

“O monstro executou um cachorro à base de marteladas na cabeça, isso é inadmissível, é um crime perante a sociedade, sendo que o próprio executor foi um empresário, proprietário de uma conhecida empresa de gás”, declarou Maison Luiz, um dos protetores.

De acordo com Maison, foi registrado um boletim de ocorrência perante o 17º Batalhão de Polícia.

​Read More
Notícias

Polícia Rodoviária apreende 146 pássaros em caixas de leite em Itatinga (SP)

As aves estavam sendo transportadas em um
carro na rodovia Castello Branco
Segundo a polícia, havia cinco bico pimenta, seis azulão, oito canários da terra, um tico da mata, 87 trinca ferro, 38 pintassilgos e um pega. Foto: Divulgação/PRE

A Polícia Rodoviária encontrou 146 pássaros da fauna brasileira dentro de caixas de leite, que eram transportadas por um veículo que transitava na rodovia Castello Branco, em Itatinga, a 220 km de São Paulo. A apreensão, segundo a Secretaria de Segurança Pública, ocorreu na noite do último domingo. Um homem de 29 anos foi preso em flagrante.

De acordo com a polícia, o GOL, com placas de São Paulo, foi abordado na altura do km 208. Durante vistoria, os PMs encontraram no interior do porta malas 146 pássaros de pequeno porte, pertencentes a fauna brasileira, das seguintes espécies: cinco bico pimenta, seis azulão, oito canários da terra, um tico da mata, 87 trinca ferro, 38 pintassilgos e um pega, todos estavam dentro de caixas de leite.

O condutor do veículo foi levado à Delegacia de Polícia de Itatinga, onde foi elaborado boletim de ocorrência de apreensão de pássaros silvestres.

Fonte: R7

​Read More
Você é o Repórter

Cão resgatado com ferimento exposto na cabeça precisa de ajuda em Criciúma (SC)

SOS Vira-lata
contato@sosviralata.org.br

No dia 30 de abril de 2011 recebemos uma denúncia de que no bairro São Luiz, em Criciúma (SC), havia um cão com a cabeça sangrando em virtude de uma ferida exposta. Encaminhamos a denúncia aos voluntários, que foram até o local, mas não encontraram o animal.

No dia 03 de maio um dos voluntários descreveu a seguinte situação:

“O cão está em estado lamentável. Tem tutor, mas não está dando a mínima importância para ele. Coloquei remédio há uns 04 dias, o tutor viu e colocou o carro em cima do cão e de mim. Fiquei assustado, pois ele ainda brigou comigo dizendo que o cão deveria morrer mesmo. O cão está com bicheira na cabeça, coloquei remédio. Espero que ele ainda esteja vivo.” D.V.B., voluntário.

Percebemos que era um caso de maus-tratos contra o animal. Marcamos de procurá-lo no dia seguinte, junto com um responsável da Prefeitura Municipal, para evitar problemas devido à violência sofrida pelo voluntário. Porém, não encontramos nem o cão, nem o tutor. Os vizinhos vieram conversar conosco e ficaram de pegar o animal e nos avisar.

Quando recebemos a ligação, ao meio-dia do dia 04 de maio, fomos imediatamente até o local e encontramos o cão com uma grande ferida aberta na cabeça provocada pela infestação de larvas de moscas (doença chamada Miíase, mais conhecida como bicheira). Um dos vizinhos nos ajudou a colocá-lo no carro, o cheiro era muito forte. Durante todo o trajeto, o cachorro nem tinha forças para se mexer, ficou do jeito que colocamos. Segundo relatos, o tutor não queria que o cachorro fosse alimentado, para que morresse mais rápido.

O cão foi levado para uma clínica veterinária, onde o ferimento na cabeça foi higienizado e medicado. Segundo a veterinária, existe risco de morte por infecção e ele precisará passar por uma cirurgia para retirar uma das orelhas, que está muito comprometida. O seu estado é grave, mas ele está respondendo ao tratamento. Se sobreviver, será encaminhado para adoção.

Maus-tratos

Casos como este são comuns no dia a dia da SOS Vira-Lata, que desde 2009 ampara animais em estado de desnutrição, desidratação, com bicheiras, carrapatos, abandonados ao acaso, à espera da morte. Porém, este caso gerou muita revolta entre os voluntários da ONG que receberam as fotos com a história do animal. As pessoas querem justiça.

“Que mundo é esse em que vivemos? Por que ainda existem pessoas assim? Estou chocada com as fotos que eu vi! Como uma “pessoa” pode ter coragem de fazer isso com um animal tão amoroso como um cão?” A.P.E., voluntária.

“Com o infeliz que deixou chegar nessa situação o que será feito? Com quantos mais bichinhos esse monstro vai fazer isso? Enquanto esse pobre amigo fica sofrendo o tutor vai ficar numa boa? Não é justo! Minha indignação é muito grande.” J.M.D., voluntária.

“Também acho que essa situação está mais do que na hora de se resolver, pois essas pessoas sem coração têm que ser punidas. No mínimo acho que isso deveria ir para televisão para a população em geral tomar conhecimento da situação e com isso mais ajudas virão com certeza!” S.L., voluntária.

“Realmente, na verdade este homem é um monstro e não um ser humano! Não tem coração. Se deixar assim a história vai se repetir, devemos publicar isso para as pessoas começarem a se conscientizar, acham que isso não é crime.” P.P., voluntária.

O próximo passo será registrar um boletim de ocorrência contra o tutor, que além de não prestar assistência ao animal, tentou impedir o socorro. Já existem casos de jurisprudência, em que os tutorres foram julgados culpados. Queremos levar o caso até as últimas instâncias jurídicas, não podemos aceitar este tipo de situação. Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido é crime previsto em lei.

Por fim, decidimos noticiar este episódio triste, para servir como forma de conscientização. Um dos objetivos estatutários da ONG é: “divulgar e fiscalizar o cumprimento das leis que protegem os animais, denunciando situações de violência e abuso, promovendo ações judiciais competentes, quando for o caso. “Abandonar e maltratar animais é crime! Precisamos nos unir e denunciar os responsáveis. Só assim as coisas irão mudar.

“Ser ético não é apenas se abster de fazer o mal. É também agir para promover o bem.” Anônimo.

O cãozinho foi apelidado de Quilombo, uma analogia ao local onde foi encontrado e, especialmente, por representar toda a vulnerabilidade de um animal perante o homem. Dizem que a escravidão já acabou no Brasil, quando os negros fugiam das senzalas e no anseio por liberdade formavam os quilombos. Mas ainda existem “quilombolas” tentando escapar dos maus-tratos, da violência e da exploração. Este cão é exemplo disso.

A ONG

A SOS Vira-Lata – Associação de Proteção dos Animais, organização não governamental, sem fins lucrativos, com sede em Içara e atuação na microrregião de Criciúma, Santa Catarina, foi criada em 21/02/2009 com o intuito de estimular o amor, o respeito e a proteção aos animais, sejam eles domésticos ou silvestres, assim como, divulgar e fiscalizar o cumprimento das leis que os protegem. Também oferece assistência a animais abandonados, doentes, feridos, vítimas de crueldade, abuso ou maus-tratos, encaminhando-os para adoção por pessoas de idoneidade comprovada, que se comprometam em dar-lhes tratamento adequado e digno.

Você pode ajudar realizando uma doação em dinheiro. Todo valor arrecadado será destinado a campanhas educacionais e nos atendimentos aos animais. Os depósitos podem ser feitos na conta da SOS Vira-Lata no Banco do Brasil, agência 3420-7, conta 100.392-5, CNPJ 11.825.120/0001-44. Conheça outras formas de ajudar e informações sobre a entidade através do site www.sosviralata.org.br.

​Read More
Notícias

Moradores protestam contra morte de gata que teria sido atingida por um arpão em Joinville

Segundo os vizinhos, um rapaz, que mora na casa ao lado, teria usado um arpão de pesca e atirado contra a gata Lua
Cerca de 20 pessoas se reuniram em frente a uma residência, na rua Fernando Machado, bairro América, para protestar. Foto:Jessé Giotti

No início da noite desta quarta-feira, cerca de 20 pessoas se reuniram em frente a uma residência, na rua Fernando Machado, bairro América, para protestar. O motivo foi a morte de Lua, a gata da professora Eliane Ramin.

Segundo os vizinhos, um rapaz, que mora na casa ao lado, teria usado um arpão de pesca e atirado contra a gata. Eliane registrou um boletim de ocorrência e reuniu amigos e entidades para protestar contra a violência sofrida pelos animais. A professora disse que voltava do trabalho quando foi informada por uma vizinha que tinham levado a gata.

“Foi o pai da minha filha quem ouviu o barulho. Ele viu o rapaz no nosso terreno pegando a gata. Depois disso, pulou o muro e saiu”.

Eliane disse que quando chegaram na casa do rapaz, viram ele colocar o gato dentro do carro. Foi então que ela soube, através dos vizinhos, que este rapaz teria usado um arpão de pesca e que o instrumento teria atravessado o corpo da gata.

Eliane garantiu que, por ser castrada, a gata ficava a maior parte do tempo dentro de casa e era solta apenas duas vezes por dia para tomar sol, mas que nunca saiu do terreno. O rapaz estava em casa com a família, mas ninguém apareceu para se manifestar.

Fonte: DC

​Read More
Notícias

Tutora registra BO contra vereador que atirou em cachorro

O responsável pela delegacia de polícia de Morro da Fumaça (SC), Gilberto Luiz de Souza, está investigando uma denúncia de crueldade contra animais que teria sido cometida por um vereador da cidade. Um Boletim de Ocorrência (BO) foi registrado na sexta-feira (3) contra o homem, que é acusado de efetuar vários tiros contra o cachorro de uma vizinha. O crime aconteceu no distrito de Estação Cocal.

Conforme a mulher, M.G.S., 49, o vereador teria atirado no animal porque a cadela dele no cio teria atraído vários outros cachorros ao pátio da casa dele. “O animal está realmente bem machucado”, afirma Souza.

Amanhã, a tutora do animal ferido será intimada a comparecer na delegacia para novos depoimentos. O vereador também será chamado para esclarecer os fatos. Se for confirmada a acusação, e o vereador pode ser condenado pelo crime de crueldade contra animais. A pena nestes casos varia de três meses a um ano de detenção, além de multa estipulada pelo juiz.

Antes da sessão de hoje à noite, na Câmara de Vereadores, o acusado negou o envolvimento no caso. “Isso não procede. É a minha palavra contra a deles. Eu nunca faria isso, até porque tenho cachorros em casa”, explicou.

Fonte: Portal Clica Tribuna

​Read More