De olho no planeta

Obama aponta o consumo de carnes como o maior responsável pelas mudanças climáticas

ex-presidente norte-americano Barack Obama sorrindo
Divulgação

O ex-presidente norte-americano Barack Obama pronunciou um discurso de abertura na Seed & Chips Global Food Innovation Summit em Milão, na Itália.

O político foi incluído no debate sobre como o consumo de carne afeta o meio ambiente pelo chefe da Casa Branca, Sam Kass. “As pessoas não estão conscientes sobre a relação entre a pecuária e a emissão de metano“, afirmou Obama.

“A medida que pessoas aumentam o consumo de carne proporcionalmente aumentará a emissão de gases do efeito estufa que está intrinsecamente ligado à agricultura”, acrescentou.

Obama citou ainda o consumo de carne em países asiáticos como China, Índia e Vietnã, que contribuem largamente com a ideologia de consumir carne sob diversas formas e roupagens exóticas. “É imperativo que encontremos um jeito mais eficiente de produzir proteína”, disse.

O nível de consciência do ex-presidente sobre a forma que a agricultura e pecuária afetam o meio ambiente vai em contra partida à atual administração de Trump, que prometeu se manter afastado de iniciativas referentes a políticas éticas que impactem a mudança climática global como a Paris Agreement.

​Read More
Notícias

Presidente Obama elege bisão como mamífero oficial dos Estados Unidos

Redação ANDA – Agência de Notícias dos Direitos Animais

Reprodução/Lloyd Blunk/AP
Reprodução/Lloyd Blunk/AP

O bisão foi nomeado o mamífero oficial dos Estados Unidos nsta terça-feira, sob uma lei assinada pelo presidente Barack Obama.

O animal de grande porte é encontrado na Europa Ocidental, Ásia Central e América do Norte e, algumas vezes, é chamado de búfalo, relata Irish Examiner.

Apesar de sua aparência “fofinha”, bisões são animais imponentes. Eles têm um temperamento imprevisível, juntamente com grandes e afiados chifres e um poderoso chute. Na natureza, os bisões estavam atrás apenas do urso pardo do Alasca, ainda mais letal do que o urso pardo, em termos de força.

Os políticos que participaram da decisão disseram que o animal, quase totalmente extinto, merece um status elevado devido à sua importância econômica e cultural para a história da nação.

Milhões de bisões já ocuparam as Grandes Planícies. Cerca de 500 mil vivem agora nos Estados Unidos, mas a maioria é praticamente domesticada. Cerca de 30 mil bisões selvagens percorrem o país e a maior população desses animais está no parque nacional de Yellowstone.

​Read More
Notícias

Biólogos exigem que Obama salve as baleias francas

Redação ANDA – Agência de Notícias dos Direitos Animais

Reprodução/HuffingtonPost
Reprodução/HuffingtonPost

Vinte e sete biólogos marinhos escreveram uma carta ao presidente dos Estados Unidos Barack Obama, solicitando com urgência o adiamento da exploração sísmica no Oceano Atlântico, que pode levar à extinção de baleias francas.

Segundo o Huffington Post, dois autores da carta, Douglas Nowacek e Andrew Read, afirmaram que as baleias francas estão entre as espécies de baleia mais ameaçadas de extinção.

Estimativas recentes apontam que existem menos de 500 baleias e, de acordo com a carta, a diminuição das baleias francas está diretamente relacionada ao nível extremamente desproporcional de atividade humana.

“A espécie não cresce mais em abundância e pode declinar em números. Ela também pode ser atropelada por navios ou ficar presa em equipamentos de pesca. Ruído elevado em seu ambiente também pode causar estresse”, declara Howard Rosenbaum, um dos autores da carta e diretor do Programa de Gigantes do Oceano da Sociedade de Conservação da Vida Selvagem.

Além de níveis de estresse elevados, as pesquisas sísmicas podem interromper a comunicação entre mãe e filho, acrescentou ele. O governo Obama decidiu, no mês passado, excluir a costa sudeste do Atlântico de seu plano de perfuração de petróleo e cinco anos, mas a atividade sísmica pode continuar.

Os cientistas esperam o adiamento da exploração até o próximo relatório sobre a saúde e população das baleias francas do Atlântico Norte. O documento é feito pela Gestão Atmosférica e Oceânica Nacional e deve sair em 2016.

​Read More
Notícias

Ex-governadora do Alasca, Sarah Palin, mata peixes à bastonada na televisão

A ex-governadora do Alasca, Sarah Palin, mostrou no episódio do seu ‘reality show’ transmitido ontem nos EUA o método de matar alabotes à bastonada depois de estes serem puxados para o convés de um barco pesqueiro. Segundo a mulher que seria vice-presidente dos EUA caso John McCain tivesse derrotado Barack Obama em 2008, “é a forma mais segura e humana” de o fazer.

Acompanhada pela sua filha Bristol, a estrela de ‘Sarah Palin’s Alaska’ ajudou os pescadores a apanhar e matar os peixes gigantes à bastonada, tendo de seguida observado como as tripas lhes são retiradas ainda a bordo.

A certo momento um dos pescadores deu o coração de um alabote à estrela do ‘reality show’ e à sua filha, tendo as duas observado que este ainda estava batendo. “É a coisa mais estranha que já tive nas mãos”, comentou Sarah Palin, antes de o lançar para o oceano Pacífico.

Além de ser a estrela de um ‘reality show’, Sarah Palin mantém a esperança de conseguir vencer as primárias do Partido Republicano, o que lhe permitiria enfrentar Barack Obama nas presidenciais de 2012. Caso assim suceda, será provavelmente a primeira candidata à Casa Branca que já teve nas mãos um coração ainda a bater.

Veja o vídeo

Fonte: CM

​Read More
Notícias

Juiz americano pede que governo Obama esclareça situação do urso polar

Um juiz americano ordenou ao governo de Barack Obama que reveja se os ursos polares estão em risco segundo a lei federal.

O juiz Emmet Sulivan quer que Departamento de Interior esclareça sua determinação de que os ursos polares estão simplesmente ameaçados, e não em iminente risco de extinção.

O pedido de Sullivan mantém em vigor uma decisão de 2008, declarando que os ursos polares precisavam de mais proteção.

O governo de George W. Bush definiu, em maio de 2008, que os ursos polares estão a caminho da extinção por causa do rápido desaparecimento de gelo no oceano Ártico, do qual eles dependem. Mas o governo não chegou a declará-los em risco.

Grupos ambientalistas estão desafiando a decisão de 2008, alegando que não é o bastante para proteger os animais.

Fonte: Folha

​Read More
Notícias

PETA pede a Barack Obama que envie perus para santuário, e não para a Disneylândia

Por Karina Ramos (da Redação)

Nesta manhã, a PETA (Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais) enviou uma carta ao Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pedindo a ele que mande os dois perus que ele “perdoará” na cerimônia tradicional Rose Garden ao Santuário Animal Poplar spring, em Maryland.

Nos últimos anos, as aves têm sido enviadas para a Disneylândia e outros parques temáticos, onde a maior parte dos animais – que são criados à base de uma dieta de engorda e chegam ao ponto de suas pernas não suportarem o próprio peso – acaba morrendo em menos de um ano.

A PETA também pediu que o presidente use seus comentários na cerimônia para agradecer os milhões de americanos que poupam os perus todos os anos por meio de um jantar de Ação de Graças vegano, saudável e sem crueldade, uma refeição que salva a vida das aves e ajuda o meio ambiente.

A PETA se ofereceu para enviar um chef à Casa Branca para preparar um banquete vegano delicioso para a família.

Fonte: Animal Concerns

​Read More
Notícias

ONG protesta em Washington contra a caça às focas

Sangue 'de mentira' escorre da cabeça de integrante de ONG vestido de foca nesta quarta-feira (16) em protesto em frente à Embaixada do Canadá nos EUA, em Washington. A Peta, grupo que defende o tratamento ético de animais, protestam contra a caça às focas. O ato ocorreu no dia em que o premiê do Canadá, Stephen Harpen, encontra-se com o presidente dos EUA, Barack Obama. Foto: AFP
Sangue falso escorre da cabeça de integrante de ONG vestido de foca nesta quarta-feira (16) em protesto em frente à Embaixada do Canadá nos EUA, em Washington. A Peta, grupo que defende o tratamento ético de animais, protestou contra a caça às focas. O ato ocorreu no dia em que o premiê do Canadá, Stephen Harpen, encontrou-se com o presidente dos EUA, Barack Obama. Foto: AFP
​Read More
Notícias

Barack Obama elege representante duvidoso para espécies ameaçadas

Por Marcela Couto (da Redação)

O Presidente Barack Obama continua tomando decisões duvidosas a respeito dos direitos animais; algumas parecem ter vindo do governo Bush, e não de alguém que prometeu melhoras na legislação.

Barack Obama segura cão no colo

O último ato de Obama foi a eleição do oficial do U.S. Fish and Wildlife Service, Sam Hamilton, para reforçar a Endangered Species Act (lei de proteção para animais ameaçados de extinção). A escolha foi considerada instatisfatória pelo PEER (Public Employees for Environmental Responsibility).

No período em que Hamilton cuidou da fiscalização da FWS na região Sudoeste, que possuía o maior números de espécies ameaçadas, foram concedidas 5.794 permissões para desenvolvimento de obras que poderiam causar danos aos animais e seu habitat contra apenas uma carta redigida para denunciar riscos. No mesmo período, o responsável por outra região concedeu 586 permissões e preparou 100 cartas denunciando riscos.

Biólogos da região controlada por Hamilton descreveram a forma com que o oficial os impediu de proteger as espécies: “Os supervisores proibiram que eles escrevessem cartas de denúncia a qualquer projeto, por mais destrutivo que ele fosse “.

Poderia ficar pior? Sim. Uma pesquisa realizada pela PEER com mais de 1.400 cientistas da FWS revelou resultados interessantes:

• Quase metade dos representantes da FWS citou casos em que “interesses comerciais influenciaram inapropriadamente conclusões científicas ou decisões que incluíam intervenção política”.
• Uma porcentagem similar (46%) revelou que as equipes foram “direcionadas, sem razão científica, a evitar descobertas que protegessem as espécies”.
• Mais de um terço deles (46%) disse temer a retaliação ao expressar “qualquer preocupação com as espécies e seus habitats” e um número similar declarou “ser impedido de realizar seu trabalho”.

A proposta de revisão de projetos federais que ameaçavam espécies animais feita por Obama gerou otimismo, mas esta decisão recente frustrou as expectativas de ativistas dos direitos animais e ambientalistas.

Obama não é um ativista dos direitos animais, mas com certeza poderia eleger alguém melhor do que Sam Hamilton. Os animais agradeceriam.

Com informações de Change.org – Animal Rights/ Foto por HappyCow.com

​Read More
Notícias

ONG de defesa dos animais critica Obama por morte de inseto

Há uma infiltração na Casa Branca! Não, não é espionagem. Mas há uma invasão de moscas na residência presidencial dos Estados Unidos, o que incomoda os responsáveis pela manutenção do edifício e irrita os assessores da presidência.

Barack Obama mata mosca durante entrevista para o canal CNBC na Casa Branca
Barack Obama mata mosca durante entrevista para o canal CNBC na Casa Branca

As moscas não perdoam nem o presidente. Durante entrevista com John Hardwood, para o canal de TV CNBC e o New York Times, terça-feira passada (16), uma mosca gigantesca passou boa parte do tempo voando por sobre a cabeça do presidente Barack Obama.

“Apanhei a pestinha”, o presidente se vangloriou, depois de abater a mosca com um tapa.

Um vídeo que registrou a cena se tornou sensação instantânea no YouTube, e resultou em queixas por parte da People for the Ethical Treatment of Animals (Peta), a organização de defesa dos direitos dos animais.

“Bem, creio que não se possa mais dizer que o presidente Obama não faria mal nem a uma mosca”, lamentou Alisa Mullins, da Peta, em texto veiculado no blog da organização. O grupo anunciou que enviaria à Casa Branca um de seus aparelhos Katcha Bug Humane Bug Catcher, que supostamente apanham insetos sem crueldade, para uso em “futuros incidentes com insetos”.

Membros da equipe presidencial afirmam que eles e seu chefe vêm sendo incomodados por insetos já há algum tempo, e que já presenciaram o “Primeiro Exterminador” impondo pessoalmente uma zona de exclusão de voo na ala oeste da Casa Branca.

“Ele as persegue no gabinete oval, e as ataca com folhas dobradas de seus relatórios”, disse Austan Goolsbee, integrante do Conselho de Assessoria Econômica da presidência.

Pergunta: você não gostaria de ser uma mosquinha voando pela Casa Branca, em uma época como a atual? Resposta: não muito.

Funcionários da Casa Branca dizem que medidas rigorosas de combate a insetos foram adotadas nas últimas semanas. Luzes que supostamente repelem insetos foram instaladas nas salas do Conselho de Segurança Nacional e no gabinete de imprensa do piso inferior.

Foram distribuídos matadores de moscas aos membros da equipe presidencial, e um deles, Brian Mosteller, estava de prontidão durante a entrevista televisiva de Obama na terça-feira (ainda que não tenha sido muito eficiente na função). Alguns membros da equipe solicitaram uma intervenção química contra os insetos, mas isso foi negado.

Não se sabe ao certo por que as moscas decidiram atacar a Casa Branca depois da posse de Obama. Rahm Emanuel, o chefe do gabinete civil da presidência, que derrubou uma mosca com um golpe aplicado com uma folha de papel em entrevista recente, diz que é culpa da abertura de certos dutos de ventilação na ala oeste.

Já David Axelrod, o assessor sênior do presidente, diz que a culpa foi de assessores descuidados que se esqueceram de fechar janelas desprotegidas por telas contra insetos, diz um funcionário familiarizado com as queixas.

Houve muitos relatos de infestações semelhantes em governos passados, entre os quais a interferência de uma mosca em uma entrevista que o vice-presidente Dick Cheney estava concedendo à agência de notícias Associated Press dias antes da posse de Obama.

“Nós sempre tínhamos muitos mata-moscas à mão, como eles fazem agora”, disse Dana Perino, porta-voz do ex-presidente George W. Bush. “Foi um problema que provavelmente herdamos da administração anterior”.

Fonte: Terra

​Read More