Notícias

Bar oferece lar temporário para cães disponíveis para adoção

Desde 2018, quando o bar foi aberto, 70 cachorros já passaram pelo local. O estabelecimento recebe de três a quatro cães por vez


O bar Fido’s Taphouse, em Oregon, nos Estados Unidos, oferece lar temporário para cachorros que esperam por um lar. Para o local são levados animais que seriam mortos em abrigos que usam o sacrifício como forma de lidar com a superlotação.

Reprodução/Hypeness

O bar começou a funcionar em 2018 e, desde então, já ajudou 70 cachorros. O fundador do estabelecimento, Scott Porter, conta que a inspiração para abrir o bar veio dos cafés que abrigam gatos em todo o mundo.

Porter quis fazer por outros cães algo parecido com o que os seus próprios cachorros fizeram por ele. “Meus cachorros me ajudaram a atravessar momentos de depressão severa”, disse Porter. “Eles eram extremamente amáveis e atentos comigo, e entenderam que eu estava passando por tempos difíceis”, completou. As informações são do portal Hypeness.

Reprodução/Hypeness

O bar costuma receber de três a quatro cães por vez. No local foi construído um espaço separado da área de jantar para acomodar os cachorros. Os clientes que frequentam o estabelecimento tem total acesso à ala dos animais, já que o objetivo é que acabem se apaixonando por um deles e adotando-o.

Quando um cliente se interessa por um cachorro, os funcionários do bar pedem que ele aguarde três dias para que os documentos da adoção sejam providenciados e para confirmar que a pessoa não decidiu levar o cão para casa apenas por conta de um impulso gerado pelo consumo de bebida alcoólica.

Reprodução/Hypeness


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Bar incentiva caça virtual de animais e promove insensibilização em Londres

 

Dois adultos em um bar escuro mirando suas armas
Fonte: Smoky Barrels

Segundo o site inglês Indepedent, o bar Smoky Barrels, localizado em Londres,  permite que seus clientes cassem virtualmente animais selvagens.

O pub, que é de propriedade do grupo de restaurantes escocês Mac and Wild, é descrito como “o primeiro conceito virtual de caça e bar do mundo”.

O estabelecimento promove a formação equipes usando roupas de caça, enquanto atiram em animais. Entre os animais envolvidos no “jogo”, há veados, javalis, ursos e pássaros, em uma tela gigante no cenário das Terras Altas da Escócia.

Embora a atividade seja virtual, ela contribui para que o desejo e prazer de matar animais, sejam manifestados e instigados, além do mais, a ação do estabelecimento é fortemente criticada pela organização de defesa dos direitos animais People for the Ethical Treatment of Animals (Peta).

Ainda segundo o site, “A Peta se opõe à caça em videogames, porque glorifica a violência contra os indefesos, incentiva a insensibilidade e dessensibiliza os jovens ao sofrimento dos outros”, diz um porta-voz ao Metro .

Em defesa, o Smoky Barrels diz que “não tolera a violência contra animais” e que é atividade é meramente entretenimento social. O espaço também diz não favorecer  a agricultura ou o consumo de agricultura insustentável e que as carnes (e a vegetação), devem estar mais próximas possíveis de seus ecossistemas naturais.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques, Notícias

Galo é estimulado a beber cerveja em pub irlandês

Foto: Irish Mirror/Reprodução
Foto: Irish Mirror/Reprodução

As imagens, que viralizaram nas redes sociais, flagram o momento terrível em que um galo é colocado em frente a um copo com cerveja e estimulado a beber o líquido em um pub irlandês.

A ave foi filmada em pé sobre o balcão de um bar (pub local) ingerindo a bebida de um copo, enquanto os homens ao redor aplaudiam e estimulavam o galo.

O vídeo começa com a ave bicando ao redor curiosa, enquanto os homens a incentivam a beber.

O homem que filma o galo então diz: “Vamos lá, coloque a cabeça na caneca de uma vez!”.

“Estamos aqui esperando depois de gastar 4,30 euros (em torno de 19 reais) nessa cerveja. Beba!”.

“Ele vai ficar zonzinho depois que beber isso, não é?”.

O galo – chamado de Seamus – continua a enfiar a cabeça na caneca de vidro e toma vários goles enquanto a multidão pode ser ouvida rindo e incentivando a ave com aplausos e palavras gritadas.

No vídeo, os funcionários do bar são vistos andando no fundo, cumprindo suas tarefas habituais.

A Sociedade de Prevenção de Crueldade para Animais de Dublin (The Dublin Society for Prevention for Cruelty to Animals ou DSPCA), desde que tomou conhecimento das imagens, condenou severamente a filmagem, que acumulou mais de 300 mil visualizações no Facebook.

Foto: Irish Mirror/Reprodução
Foto: Irish Mirror/Reprodução

Gillian Bird, porta-voz da DSPCA, disse ao Irish Mirror em 07 de novembro: “O álcool não deve ser oferecido a nenhum tipo de animal, ele é nocivo aos organismo deles”.

“Tratar qualquer animal dessa maneira é um ato de desrespeito. O álcool é uma toxina e não deve ser administrado a um animal em hipótese alguma”.

Uma investigação sobre o caso foi iniciada e a entidade pede que qualquer pessoa com informações sobre o paradeiro do galo ou dos homens envolvidos no incidente entre em contato com a DSPCA através de sua página no Facebook.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Mulheres são agredidas ao tentarem defender cão que era enforcado no RJ

Duas mulheres, mãe e filha, foram agredidas em um bar na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, ao tentar defender um cachorro que, segundo uma das vítimas, foi enforcado. O caso aconteceu no domingo (28).

Foto: Reprodução / Jornal Bom Dia Rio

A vítima afirma que havia seis pessoas e dois cachorros em uma mesa em um bar e que, num determinado momento, um dos homens começou a enforcar um dos cachorros com a coleira. Ela pediu para que ele parasse e acabou sendo agredida.

“Ele pulava com o cachorro de lado para lado, e todo mundo começou a comentar”, comentou ao G1.

De acordo com testemunhas que estavam no local, mãe e filha foram agredidas pelo homem e por outras duas mulheres que integravam o grupo.

“Ela foi para cima de mim. Foi quando a minha filha levantou para me defender. Ele empurrou a minha filha e ela pegou no cabelo, me deu um tapa e começou o puxão de cabelo para lá e para cá. Enquanto isso, o cara estava batendo na minha filha e a outra mulher também começou a bater”, afirmou uma das vítimas, que prefere que ela e a filha não sejam identificadas.

Foto: Reprodução/ TV Globo

A filha recebeu socos e pontapés na cabeça e desmaiou. Os agressores pagaram a conta e fugiram. “Ver a minha filha sendo linchada no chão e não poder fazer nada porque as outras duas mulheres estavam me segurando, e ver a mulher dando joelhada na cabeça dela e outro cara mordendo o braço da minha filha, é uma imagem que eu nunca vou esquecer”, desabafou a mãe.

O caso foi registrado na 16ª Delegacia Policial, da Barra da Tijuca. Os proprietários do bar tem depoimento marcado para esta quarta-feira (31). Caso sejam identificados pela polícia, os agressores responderão por lesão corporal.

Foto: Reprodução/ TV Globo

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Burros são pintados de preto e branco para se parecerem com zebras em festa de casamento

Foto: Facebook/Angel Tomás Herrera Peláez
Foto: Facebook/Angel Tomás Herrera Peláez

Imagens de dois burros pintados como zebras para uma recepção de casamento com tema de safári em uma cidade espanhola causaram uma onda de revolta nas redes sociais.

Os animais foram filmados enquanto caminhavam na área ao redor de um bar por um morador local em El Palmar, uma cidade em Cádis, na Espanha, que denunciou o abuso à entidades de defesa dos direitos animais no sábado.

Ele classificou o ato como “vergonhoso” e registrou a cena para que a justiça pudesse ser feita.

Angel Tomás Herrera Peláez escreveu no Facebook ao lado do vídeo: “Os burros, espécie em perigo de extinção, usados para exploração turística”.

Os animais foram transportados no sábado durante a manhã, pintados e deixados no sol, sem sombra alguma para descansar, ao longo do dia todo, de acordo com a Andalucia Informacion.

O morador que denunciou o abuso à ONG Mother Earth Platform e a entidade levou o caso à atenção das autoridades locais e da guarda civil.

Foto: Facebook/Angel Tomás Herrera Peláez
Foto: Facebook/Angel Tomás Herrera Peláez

O OCA (Escritório Agrícola e Comercial) de Cádiz disse que havia iniciado uma investigação sobre o caso na segunda-feira.

A mídia local relata que o bar – conhecido como “chiringuito” – geralmente só é aberto para eventos privados como casamentos e celebrações familiares.

Relatos apontam que o local já recebeu outras reclamações e multas no passado e ganhou notoriedade por suas festas.

Injustificável

Esse tipo de abuso é um flagrante de maus-tratos resultado da crença (especismo) que vigora na sociedade de que os animais são inferiores aos seres humanos e podem ser explorados da forma como a humanidade bem entender.

Animais são seres sencientes, com sua capacidade de sentir, amar, sofrer e compreender o mundo ao seu redor comprovada pela ciência e atestada pela Declaração de Cambridge desde 2012.

Foto: Caters News Agency
Foto: Caters News Agency

Nada pode justificar os horrores a que esses seres são submetidos pela vaidade, ganância e crueldade humanas. Comidos, explorados, mortos, obrigados a correr, dançar, fazer truques, passar a vida encarcerados, separados de seus filhos, sem ver o sol ou a grama.

Esses burros espanhóis mostrados na matéria foram pintados para servir de “enfeite” em um casamento, já os burros na ilha grega de Santorini são obrigados a subir 500 degraus diariamente, carregando levas de turistas nas costas, sob um sol escaldante e na mira de chicotes dolorosos.

Foto: Caters News Agency
Foto: Caters News Agency

Essa rotina cruel e desumana tem custado lesões severas a esses animais, feridas expostas causadas pelas selas e pelo peso carregado, danos na coluna, e nas articulações. Quando não “servem” mais para a tarefa árdua eles são abandonados ou mortos.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Câmeras de segurança de bar flagram homem agredindo cachorro com socos e safanões

Foto: Daily Mail/Reprodução
Foto: Daily Mail/Reprodução

O flagrante de maus-tratos aconteceu na área aberta do Bar Buffalo, em Holdenhurst Road, na cidade de Bournemouth, na Inglaterra e causou indignação e revolta nas mídias sociais.

Imagens do vídeo postado online pela polícia de Dorset (região do ocorrido) mostra um homem segurando o animal brutalmente pelas orelhas e pela coleira presa em seu pescoço, de quem ele aparenta ser o tutor, levantando-o do chão e agarrando-o com violência pelo pescoço.

O cão indefeso balança suspenso no ar, preso pela garganta antes de ser agressivamente arremessado contra uma cerca de madeira e ser atingido por vários socos.

O incidente repugnante e selvagem provocou revolta e ira nos usuários das redes sociais onde o vídeo foi postado online que tem pedido em uníssono que sejam aplicadas ao homem as mesmas punições legais designadas aos abusadores de crianças.

Simon Dawson, o gerente do bar, contatou a polícia depois que ele recebeu uma ligação da equipe dizendo que um homem havia atropelado um cachorro.

“Eu não tinha certeza do que fazer com isso realmente”.

“Eu estava no andar de cima na hora e foi só quando vi as imagens da câmera que percebi o quant aquela cena era horrível e bárbara”. .

“Espero que encontrem o agressor logo porque foi uma coisa bárbara de se fazer – eu odeio esse tipo de coisa e espero que ele seja pego e pague por isso”.

Foto: Daily Mail/Reprodução
Foto: Daily Mail/Reprodução

Em um comunicado, a polícia de Dorset disse: “Foi noticiado que por volta das 18h55 do domingo, 14 de abril de 2019, um homem foi visto abusando fisicamente de um cachorro no jardim do Bar Buffalo, na estrada Holdenhurst”.

“Imagens das câmeras de vigilância mostram o homem pegando um cachorro de grande porte preto, jogando-o contra uma cerca, socando-o na cabeça e enforcando-o pela garganta. Ele então saiu arrastando o cachorro para fora do bar pela estrada de Holdenhurst”.

Pelas imagens a polícia identificou que o homem usava um gorro de lã escuro com uma marca Nike na frente, um casaco azul e jeans.

O animal abusado era preto com uma marca branca que o identificava, na parte de trás do pescoço.

Foto: Daily Mail/Reprodução
Foto: Daily Mail/Reprodução

A policial Emily Watkins disse: “As filmagens deste incidente são muito perturbadoras e fizemos diversas tentativas para identificar este homem, no entanto, até agora, nenhuma delas teve sucesso”.

“Agora estou emitindo e divulgando uma imagem do suspeito na esperança de que alguém o reconheça”.

A polícia abriu uma investigação e esta em busca do criminoso, cartazes com fotos e telefones para contato foram distribuídos na região e a ONG RSPCA também esta ajudando a encontrar o agressor”.

O bar onde ocorreu a agressão também esta colaborando com as investigações.

​Read More
Notícias

Tutor deixa cão morrer em automóvel enquanto bebe em bar

O animal, de sete anos, foi deixado dentro do veículo durante um período de tempo que pode ter ido de uma a nove horas, em sofrimento. As temperaturas, de acordo com o jornal britânico Metro, ter variado entre os 32,5º e 51º graus.

Foto: Reprodução, Correio da Manhã

O terrier foi encontrado já sem vida no Fiat 500 do tutor, vítima das extremas temperaturas. “É um claro caso em que o tutor coloca as suas necessidades à frente das do animal”, afirma o advogado Mark Harper, citado pela publicação. Esta não foi a primeira vez em que Carlo foi deixado abandonado dentro do carro. Ian já teria sido avisado pelo menos duas vezes antes da morte do animal acerca deste tipo de comportamento.

O veterinário que examinou o cão concluiu que este morreu com dificuldades respiratórias que o levaram a sufocar. Quando foi encontrado, o animal já estava morto há algum tempo – uma vez que o carro tinha um forte odor – e havia muito sangue dentro do veiculo. O tutor do terrier irá pagar uma multa e foi condenado a 12 semanas de prisão com pena suspensa por um ano.

*Esta notícia foi escrita, originalmente, em português europeu e foi mantida em seus padrões linguísticos e ortográficos, em respeito a nossos leitores.

Fonte: Correio da Manhã

​Read More
Notícias

Exploração: macacos são obrigados a servir clientes em bar do Japão

Macacos são explorados para atender clientes em um bar localizado na cidade de Utsunomiya, na província de Tochigi, no Japão. Eles trazem cerveja e outros pedidos dos frequentadores do local.

Macacos são obrigados a servir os clientes em bar do Japão (Foto: Reprodução/Ruptly)

O que é visto como diversão pelos visitantes, é uma prática de abuso e exploração. Os macacos, que deveriam estar vivendo livres em seu habitat, são forçados a trabalhar.

O proprietário Kaoru Otsuka levava para o bar, chamado de “Kayabukiya Tavern”, há princípio, apenas dois macacos:  Yat-chan e Fuku-chan. Os dois eram obrigados a levar as toalhas para a limpeza, pegando-as das mãos dos clientes. A prática exploratória é tradição do país. As informações são do Daily Mail.

As autoridades do Japão compactuam com o abuso imposto aos macacos, autorizando que sejam explorados pelo dono do bar.

​Read More
Lanche vegano oferecido pelo bar
Notícias

Mercadão de São Paulo (SP) ganha bar com cardápio vegano

Recém-inaugurado no Mercadão, o Bar do Quina traz um ambiente retrô e chega com opções de lanches, petiscos, entre outras delícias veganas. Quem assina o cardápio vegano do estabelecimento é a chef Marcella Izzo, do açougue vegano No Bones.

Lanche vegano oferecido pelo bar
Foto: Divulgação/Bar do Quina

Adilson Quina, sócio do empreendimento, procurou saber mais sobre veganismo e descobriu o No Bones. “A parceria tem dado super certo e a recepção dos clientes tem sido muito boa. Muitos elogiam os pratos”, comenta o empresário.

Um dos destaques é o lanche Cheddar com Bacon Vegano, aposta da casa como carro-chefe para o público vegano. O Bar do Quina traz também no menu uma Costelinha Vegetal, ketchup de amora caseiro e diversos tipos de cervejas e chopes, uma boa para o happy hour.

O estabelecimento também comercializa pratos com carne, mas possui refrigeradores e chapas separadas para o preparo dos lanches veganos.

Serviço:

Bar do Quina
Endereço: Rua da Cantareira, 306 – Centro (Mercado Municipal de São Paulo)
Endereço dentro do Mercadão: Box 2 A12, Rua K.
Horário de funcionamento: De segunda-feira a sábado das 6h às 18h | Domingos e feriados das 6h às 16h

Fonte: Guia da Semana

 

 

​Read More
Notícias

Coxinha, quibe e feijoada: jovem abre bar vegano que imita comida de boteco

Divulgação
Divulgação

Em busca de um lugar tranquilo para morar e de melhor qualidade de vida, o paulistano Eri Lorensatto Camargo, 27, mudou-se para Palhoça (SC) logo após concluir a faculdade de marketing. Sua ideia era abrir um negócio no ramo de alimentação.

Vegetariano há oito anos e vegano há quatro, ele diz que sempre sentiu falta de opções de comidas saborosas, principalmente quando ia a botecos. Em maio deste ano, abriu o Seu Vagem Bar Vegano.

Lá ele vende porções, pratos e sanduíches veganos (sem qualquer substância de origem animal) que imitam os servidos em botecos tradicionais. Ele mesmo criou o cardápio, inspirado em comidas que fazia em casa para os amigos.

O bar serve coxinhas (de soja, palmito, jaca, brócolis ou shimeji), pastel (de palmito, shimeji, banana, morango, chocolate, entre outros), quibe (de proteína de soja e chia), acarajé, falafel, batata frita, mandioca e polenta.

Há também lanche de hambúrguer de quinoa com queijo e maionese vegetais (feitos com batata e cenoura), além de cachorro-quente de soja e de falafel. Entre os pratos, as opções são feijoada com linguiça vegana e legumes, moqueca de grão de bico e escondidinho de cogumelos. O prato mais vendido é a feijoada: são cerca de 112 unidades por mês, segundo Camargo.

Divulgação
Divulgação

Pratos a partir de R$ 8,50
O prato mais barato é a torre de berinjela, feita com rodelas de berinjela à milanesa, shitake, cebola, purê de batata e molho de tomate. A unidade custa R$ 8,50.

O bar ainda oferece combos árabe e mexicano, que custam R$ 18,90 cada. O primeiro inclui quatro unidades de falafel, pão sírio e pastas de babaganuche e homus. O segundo tem tortilhas de milho com chili de proteína de soja, guacamole e “cheddar” de batata e cenoura.

A feijoada, o escondidinho de cogumelo e a moqueca de grão de bico saem por R$ 23,90, e a porção com 12 coxinhas custa R$ 28,50.

Empresário cozinhou sozinho no começo
Para começar o negócio, Camargo investiu R$ 40 mil. Hoje, ele fatura R$ 32 mil por mês. O lucro não foi revelado.

“Nos primeiros 20 dias somente eu cozinhava. A sobrecarga era grande. Atualmente eu conto com a ajuda de três funcionários.”

Comida saudável tem forte apelo para o público
O número de pessoas que busca uma alimentação mais saudável vem crescendo, segundo Juliana de Magalhães Berbert, consultora do Sebrae-SP (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo).

“A demanda vem crescendo e ainda há muito campo para ser explorado. Até pouco tempo, os produtos não eram vistos como saborosos. Hoje, estão mais atraentes e a procura aumentou.”

Divulgação
Divulgação

Público é mais exigente
A consultora afirma, também, que os consumidores de comida vegana são mais exigentes e valorizam produtos de qualidade. “O produto, além de ser saudável, precisa ser saboroso e feito com ingredientes muito bem selecionados para fidelizar o público e atrair novos clientes.”

Onde encontrar
Facebook Seu Vagem

Fonte: UOL

​Read More
Você é o Repórter

Bar na Mooca inaugura "Espaço Pet" com feira de adoção

dsc_0011
Divulgação

O Hoxton Bar, inaugurado no tradicional bairro da Mooca em agosto deste ano, é muito mais do que petfriendly. O local criou um espaço exclusivo para os tão amados animais.

Neste sábado, 22 de outubro, o bar recebe o MoocAnimal para a comemoração de 1 ano do projeto. A ONG, que resgata animais, levará gatos e cachorros que precisam de um lar. Além disso, todos os animais adotados durantes este ano, se reunirão em uma piscina de bolinhas. Todos os animais estão convidados para participar desta festa.

O Hoxton é boêmio como a Mooca. Música que você não vai ouvir na rádio, sanduíches inspirados no melhor do street food mundial e drinks exclusivos.

Divulgação
Divulgação
​Read More
Notícias

Bar totalmente vegano é inaugurado neste domingo em Palhoça (SC)

Foto: Leo Munhoz / Agência RBS
Foto: Leo Munhoz / Agência RBS

Vegetariano há sete anos e vegano há outros quatro, o paulista Eric Lorensatto Camargo, 26, sempre gostou de cozinhar. Da necessidade de preparar sua própria alimentação sem nenhum produto de origem animal, veio o hábito de encarar o fogão para familiares e amigos, e mais recentemente para o público em geral. O jovem formado em Marketing abre neste domingo, 22, no Passeio Pedra Branca, em Palhoça, as portas do Seu Vagem, que diz ser o primeiro bar vegano do Brasil.

Em um universo de pelo menos 15,2 milhões de brasileiros vegetarianos, conforme pesquisa do Ibope de 2012, a proposta é atingir tanto aqueles consumidores com a dieta restrita de proteína animal, quanto os simpatizantes. O estabelecimento também quer atingir quem busca um estilo de alimentação mais saudável, eficiente e com menos impacto sócio-ambiental.

“É um nicho que tem uma carência muito grande. O vegano tem muita dificuldade para sair de casa e comer fora, porque faltam opções. Além de haver uma imagem estereotipada desse público, de que a gente só come alface, e ainda paga caro por isso. O bar quer mostrar que é possível sair, estar em um ambiente legal, comer muito bem e ainda se surpreender”,  promete Camargo.

Com cardápio essencialmente autoral e sazonal, que muda conforme as colheitas do ano, o estabelecimento vai servir almoço durante o dia – o prato feito de em média 600g vai custar R$ 18,90 e tem salada livre. À noite será a vez das porções: coxinha de jaca, hambúrguer de grão de bico e pastel de palmito são as principais atrações do cardápio montado pelo próprio entusiasta, que teve apoio dos pais para abrir o próprio negócio. Chopes artesanais produzidos em Santo Amaro da Imperatriz ainda comprovam a intenção de privilegiar a produção local.

“Está sendo um trabalho bem grande a busca por fornecedores. Ainda há carência, como de temperos, que vou ter que ir buscar de dois em dois meses em São Paulo. Mas aqui há opções bastante interessantes, como os cogumelos em Garopaba e os horti-fruti de Santo Amaro da Imperatriz e Águas Mornas. É importante garantir ao mesmo tempo o frescor dos alimentos e a economia local”, avalia o empreendedor.

Serviço
O que: Inauguração do Seu Vagem Bar Vegano
Onde: Passeio Pedra Branca, 744, Palhoça
Quando: Domingo, 22 de maio

Fonte: Diário Catarinense

​Read More