Destaques, Notícias

Explorado ao extremo, cavalo fratura o quadril durante corrida na Austrália

Rostropovich antes do acidente | Foto: Tattersalls
Rostropovich antes do acidente | Foto: Tattersalls

Corridas de cavalo são um dos exemplos mais cruéis e fatais da exploração animal pelos seres humanos. Criados com o único fim de competir, submetidos a técnicas que alteram sua estrutura física em prol de maior velocidade, canelas mais finas e cascos que mal toquem o chão, esses animais muitas vezes morrem ou ficam aleijados para sempre nas competições, organizadas apenas com objetivo de lucrar com as apostas dos frequentadores.

Um desses animais miseráveis é o cavalo que ficou em último lugar na última Copa de Melbourne (corrida de cavalos), na Austrália em 05 de novembro: Rostropovich, que foi levado às pressas para o veterinário com suspeita de fratura na pélvis, segundo o responsável pelo animal.

A entidade organizadora da corrida, Racing Victoria, confirmou que ele foi examinado pelos veterinários após a corrida de 3200 m e foi considerado “manco”.

O “treinador” do animal, David Hayes, disse à News Racing que o cavalo está “recebendo tratamento” em uma clínica em Werribee, no sudoeste da cidade.

“Ele não suportava seu próprio peso”, disse Hayes.

Os estábulos da Lindsay Park Racing, que pertencem ao responsável pelo cavalo, twittaram que Rostropovich “está em ótimas mãos no U-Vet Werribee Equine Center”.

Rostropovich | Foto: Getty Images
Rostropovich | Foto: Getty Images

“O prognóstico para uma recuperação completa é bom”, dizia o post na rede social.

O Racing Victoria disse que o cavalo foi transferido para o Centro Equino da Universidade de Melbourne para uma “avaliação adicional”.

O jockey Dwayne Dunn, que montava o cavalo na hora do acidente, disse aos repórteres após a corrida: “Infelizmente, ele não se saiu muito bem”.

Rostropovich, o último colocado (circulado) na Melbourne Cup de 2019, foi levado às pressas a um veterinário de Werribee após ferir sua pélvis | Foto: Channel 10Rostropovich, o último colocado (circulado) na Melbourne Cup de 2019, foi levado às pressas a um veterinário de Werribee após ferir sua pélvis | Foto: Channel 10
Rostropovich, o último colocado (circulado) na Melbourne Cup de 2019, foi levado às pressas a um veterinário de Werribee após ferir sua pélvis | Foto: Channel 10

A lesão e o sofrimento do animal foram severamente criticados por ativistas dos direitos animais e políticos anti-corrida.

A Coalition for the Protection of Racehorses (Coalizão para a Proteção dos Cavalos de Corrida) postou uma pergunta provocativa no Facebook “Rostropovich será o próximo?”, referindo-se ao número de cavalos mortos em corridas.

“Realmente esperamos que o cavalo irlandês Rostropovich não seja a próxima fatalidade da Copa de Melbourne, mas há relatos de que ele se feriu gravemente”.

Ativistas pelos direitos animais combinaram roupas da moda com manchas de sangue falso para protestar contra a crueldade nas corridas de cavalos | Foto: AAPIMAGE
Ativistas pelos direitos animais combinaram roupas da moda com manchas de sangue falso para protestar contra a crueldade nas corridas de cavalos | Foto: AAPIMAGE

A Coalizão apontou que a lesão geralmente termina com a eutanásia dos cavalos de corrida.

O partido Animal Justice NSW twittou: “Estes são os tipos de ferimentos horríveis que os cavalos sofrem ao serem forçados a correr na cruel #MelbourneCup”.

“Esperamos sinceramente que ele possa ser salvo”.

O senador Mehreen Faruqi, do Partido Green (Verde), twittou: “Eu realmente espero que ele esteja bem. Quando os animais e o jogo se misturam, os animais sempre sofrem mais”.

“Isso é tão tragicamente previsível. Ano após ano, vemos o sofrimento desnecessário dos cavalos, mas nada muda”.

Rostropovich terminou em quinto lugar na corrida do ano passado.

A Melbourne Cup deste ano teve um grande número de manifestantes pelos direitos animais, condenando as seis mortes de cavalos de corrida no evento anual desde 2013 | Foto: EPA
A Melbourne Cup deste ano teve um grande número de manifestantes pelos direitos animais, condenando as seis mortes de cavalos de corrida no evento anual desde 2013 | Foto: EPA

Seis cavalos de corrida morreram nas Copas de Melbourne desde 2013, provocando um aumento do sentimento anti-corrida e o lançamento da hashtag #NupToTheCup sobre o tema este ano.

No ano passado, o cavalo Cliffsofmoher foi sacrificado em frente às multidões em Flemington, depois que quebrou o ombro.

A corrida deste ano, palco do incidente, foi vencida pelo cavalo Vow e Declare.

Tragédias de Cavalos: A história das mortes da Copa de Melbourne

Ativistas dos direitos animais apuraram que seis cavalos morreram na Copa de Melbourne desde 2013.

2013: Égua francesa Verema é morta por indução após quebrar um osso da perna e não conseguir terminar a corrida

2014: Admire Ratki desmaia e morre em seus estábulos após a corrida. Enquanto isso, Araldo quebra a perna e é sacrificado.

2015: Cadeaux Vermelho sofre uma fratura óssea. O cavalo foi sacrificado uma quinzena depois.

2017: Regal Monarch é sacrificado depois de cair na quarta corrida da Copa

2018: Cliffsofmoher é sacrificado em frente às multidões em Flemington depois de quebrar o ombro.

A Austrália tem atualmente 30 mil cavalos sendo treinados para competir em corridas segundo a News Austrália.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

ONG lança projeto de casas-bacias para proteger animais abandonados do frio

Divulgação
Divulgação

Uma simples ideia, que faz toda a diferença para melhorar a situação dos cães abandonados. A ONG Sou Amigo, de Cascavel, lançou uma campanha para proteger os animais do frio.

O projeto é novo, mas as casinhas feitas com bacias plásticas e cobertores, já caíram no gosto dos cascavelenses.

Assim que soube da campanha, a comerciante Michele Zawoski Magalhães não pensou em outra coisa a não ser ajudar. A primeira casinha feita foi para o Neguinho, um cachorro abandonado que foi adotado por ela.

Confeccionar uma casinha como a do projeto pode parecer algo complicado, mas não é. Para montar uma casinha, é necessário uma furadeira, uma serra, grampos, giz de cera, fita métrica, um alicate cortante e duas bacias plásticas.

Com os materiais, basta medir o tamanho da porta de entrada, com a fita métrica e cortar com a serra. Após isso, basta fazer alguns furos nas laterais nas hastes da bacia, para que elas sejam fixadas uma a outra com os grampos.

Em média, a comerciante Ivanilde Inês Zawoski leva até 10 minutos para confeccionar uma casinha, com custo máximo de R$ 20.

A continuidade do projeto depende de ajuda. Para doações de bacias e dinheiro, os interessados devem entrar em contato com a página da ONG Sou Amigo, pelo Facebook.

Fonte: Catve

​Read More
Notícias

Vídeo perturbador mostra pintinhos sendo tingidos como objetos para serem vendidos‏

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

Imagens perturbadoras que mostram pintinhos sendo tingidos em uma bacia despertaram indignação nas redes sociais.

Um vídeo mostra dezenas de pintinhos sendo atirados no recipiente e cobertos de tinta.

A cena acontece em um mercado, porém não é mencionado em que lugar do mundo. No início, o vídeo mostra uma caixa com pintinhos já coloridos que, segundo a descrição, são vendidos por ocasião da Páscoa, e logo a seguir aparece a ação do homem colorindo os animais.

As imagens foram postadas no Facebook pelo site de mídias “19”.

O homem, após atirar os animais na bacia e cobri-los com a tinta líquida, “mexe” agressivamente os animais com as mãos dentro do recipiente como se os mesmos fossem objetos, para “misturar a tinta em seus corpos”. Em seguida, ele joga mais tinta e repete o processo, antes de despejar os assustados animais em um engradado. Os pintinhos aparecem molhados de tinta, e começam a se mexer demonstrando estarem incomodados, depois que o homem se afasta.

https://www.youtube.com/watch?v=Xwe1fGXv-Gk

O vídeo tem gerado muitas críticas e comentários na Internet. Um leitor disse: “Isso é cruel em todos os níveis”.

Um outro comentou: “Pobres pintinhos, são bebês, isso é cruel, você provavelmente quebrou as pernas de alguns ao jogá-los e manipulá-los dessa forma”.

Por outro lado, nem todas as pessoas concordaram com a atrocidade da ação, com alguns leitores defendendo a prática, sem se importarem com o flagrante desrespeito à vida dos animais.

Nota da Redação: O procedimento exibido no vídeo é absurdo, e é mais uma das inúmeras crueldades sofridas por pintinhos que, quando não são triturados vivos na indústria avícola ou criados por alguns meses às custas de muitos hormônios para consumo humano, são vendidos como brinquedos para crianças, muitas vezes sendo submetidos a essa prática torpe. É importante que o vídeo seja divulgado ao maior número possível de pessoas, para que tenham conhecimento do que passam esses animais antes de serem “comprados” para atender a demandas fúteis. Esses animais têm corpos extremamente frágeis, e é muito óbvia a violência praticada contra eles e a sua sensação de desconforto ao serem jogados e manipulados conforme mostrado nas cenas.

​Read More
Você é o Repórter

Gatinho atropelado está com Fêmur e bacia quebrados e precisa de ajuda

Patinhas Carentes
Ajuda Animal RJ

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Dinho – Pretinho atropelado com Fêmur e Bacia quebrados!!

Esse gatinho entrou em uma obra, onde uma amiga do projeto trabalha. Quando perceberam que ele miava muito e gemia, foram verificar e descobriram que ele estava muito machucado e sem poder andar direito. Ele havia sido atropelado!

Ela conseguiu fazer uma vaquinha e o levou a Veterinária Prontodog na Tijuca, o bichinho estava com o fêmur e a bacia quebrados.

O mais importante é que foi operado, colocaram pinos e agora precisa ficar internado por 10 dias para sua recuperação, ela não tem mais dinheiro para mantê-lo lá e nos pediu ajuda pois também vai precisar de um lar temporário ou fixo para que ele se recupere, longe da gaiolinha da clínica. Não sabemos se ele ficará com sequelas, tentaremos obter mais informações. Nos comprometemos a ajudar o Dinho na busca por um lar!

Sua estadia nesses 10 dias deve ficar em torno de 250,00, queríamos aproveitar para castrá-lo enquanto estiver lá. Em 60 dias terá que voltar para retirada dos pinos e a anestesia + retirada + castração ficará em 180,00.  Os gastos iniciais com a cirurgia e a anestesia já estão quitados, agora ele precisa mesmo é se recuperar e encontrar um tutor que dê muito amor e carinho.

Contas para ajudar:

– Banco do Brasil: Agência: 3652-8, Conta corrente: 21741-7, em nome de Tatiana Pinto de Abreu
– Bradesco: Agência: 445-6, Conta poupança: 1002880-9, em nome de Suzane Costa de Azevedo
– Itaú: Agência 0311, Conta poupança 13265-8/500, em nome de Rocilda Pinto Ramos e/ou Tatiana Pinto de Abreu
– Santander: Agencia : 2005, Conta corrente: 01017108-7, em nome de Suzane Costa de Azevedo.

Contato: Suzane – Cel.: (21) 9855-8029 / E-mail: zaneazevedo@yahoo.com.br

​Read More
Notícias

Maestro francês ajuda a preservar espécies em extinção em Portugal

O maestro e cravista francês Pierre Hantaï ajudou a alavancar uma rede destinada ao controle de espécies exóticas no rio Vascão, em Portugal.

O curso de água do rio marca a fronteira entre o Alentejo e o Algarve e é o reduto de espécies ameaçadas pela seca e pela poluição. Destacando o saramugo (Anaecypris hispanica), de que restam pouquíssimos exemplares. Os cientistas dão-lhe a classificação máxima de risco: “criticamente em perigo”.

Ele visitará o santuário regional muito conhecido desde a Idade Média, situada no Caminho para Santiago de Compostela, que abriga, tal como as antigas casas dos peregrinos e outros edifícios contíguos, uma importante colônia de morcegos, que fazem parte das diversas espécies em perigo de extinção. Pierre Hantaï vai colaborar na colocação de abrigos para estes mamíferos voadores, cujo Ano Internacional se celebra em 2011.

Saliente-se que estas iniciativas pretendem alertar para a preservação da biodiversidade da bacia do Guadiana, do ponto de vista tanto da fauna como da flora, focando espécies que constam com o grau máximo de risco nos registros internacionais – o seu desaparecimento representa uma perda irreparável.

Fonte: Região Sul

​Read More
Você é o Repórter

Mestiço de poodle com bacia ou fêmur quebrado precisa de socorro (SP)

Fabiana
ghatyh@yahoo.com.br

Preciso de ajuda pra resgatar este cachorro em Carapicuíba (SP). Ele está com o fêmur ou a bacia quebrada, os outros cachorros ficam “montando” em cima dele e toda hora ele cai pois não tem equilíbrio. Além disso ele está muito muito magro. Eu retirei a coleira pois tinha um ferrinho solto que estava machucando. Procurei nas imediações e ninguém sabe de quem ele é. Provavelmente ele fugiu pois está muito maltratado. Estou cuidando como  posso, dando água e comida, mas não tenho como recolhê-lo. Ele é muito dócil. Estou chamando-o  de Elvis. Talvez possa levá-lo para quem se dispuser a ajudar.


Contato:

(011) 6366-7677

Nota da Redação: Felizmente o cãozinho Elvis já foi adotado. Agradecemos a todos pela compaixão e generosidade.
​Read More