Notícias

Cabra explorada para entretenimento humano dá à luz em aula de ioga

Covardemente reduzidas a uma atração, 35 cabras são exploradas em aulas de ioga no município de Suwanee, no estado norte-americano da Geórgia. Recentemente, uma delas deu à luz durante a atividade.

(Foto: Facebook/redwagongoats)

Tassi, de dois anos de idade, estava grávida e entrou em trabalho de parto. Megan Kibby, proprietária da empresa Red Wagon Goats, que explora os animais, afirmou que até o final da aula ficou claro que a cabra iria parir os filhotes, porque ela começou a andar em círculos e a arranhar o chão.

Megan afirma que solicitou ao sócio, Jason Lewis, que levasse Tassi para um trailer para que ela pudesse ter os filhotes. Ao pegá-la no colo, entretanto, a cabra começou a fazer força para iniciar o trabalho de parto. Foi então que ela foi colocada embaixo de uma tenda, onde teve os gêmeos enquanto os participantes da aula assistiam.

A primeira a nascer foi a cabrita Sue Anna, nome dado em homenagem a cidade de Suwanee. Em seguida, nasceu um macho, que foi batizado de Storm. A mãe e os filhotes estão bem e saudáveis.

Os filhotes, lamentavelmente, nasceram em uma família que desrespeita os direitos animais e, por isso, provavelmente também serão explorados em breve.

A empresa Red Wagon Goats, entretanto, não explora cabras apenas em aulas de ioga, como também as aluga, como se fossem objetos, para limpar ervas daninhas.

As primeiras cabras tuteladas por Megan e Lewis foram viver com eles apenas porque os dois queriam tirar proveito dos animais. Ao invés de adotá-las com o intuito de dar a elas um lar confortável e amoroso, eles levaram as cabras para casa para que elas limpassem o quintal, deixando-o livres de plantas indesejáveis. A motivação lamentável que fez Lewis e Megan tutelar as primeiras cabras acabou se transformando em algo ainda pior: um negócio baseado em exploração animal.

​Read More