Notícias

Ursos arriscam a vida para salvar filhote atropelado em rodovia

Foto: Lisha DeShay
Foto: Lisha DeShay

Um vídeo compartilhado nas redes sociais flagra três ursos arriscando suas vidas para puxar um filhote ferido para fora do tráfego de carros, após o ursinho ter sido atropelado.

As imagens, filmadas em Immokalee, na Flórida (EUA), capturam o filhote de urso negro quando cai sem sentidos na estrada na West Main Street depois de ser atropelado por um veículo, informou a WINK News nesta quarta-feira (06) via Daily Mail.

Quando ele cai e eventualmente permanece deitado na estrada, um grande urso aparece ao lado dele, olhando cautelosamente para o tráfego antes de se aventurar para agarrar o urso menor pela nuca e puxá-lo.

O vídeo mostra o urso arrastando o filhote para o acostamento e para longe de outros perigos, antes de virar e voltar para a mata.

Momentos depois, outros dois ursos correm para a estrada, agarram o filhote com os dentes e começam a afastá-lo do caminho do tráfego.

Os três ursos então se reúnem ao redor do filhote por um momento antes de arrastá-lo ainda mais em direção à mata ao lado da estrada movimentada.

Foto: Lisha DeShay
Foto: Lisha DeShay

A Florida Fish and Wildlife Conservation Commission ou FWC (Comissão de Conservação de Peixes e Vida Selvagem da Flórida) confirmou que o filhote foi atropelado por um carro e informou que, infelizmente, ele morreu mais tarde.

Lisha DeShay, que filmou a cena quando parou o carro, disse que ficou “emocionada” por ver a família de ursos lutando para salvar um deles.

“Foi comovente ver isso”, disse ela. “A cena me tocou muito. Eu me vejo como um urso mãe. Eu tenho um bebê, então um bebê na estrada ferido, mexeu comigo. Seja um urso ou um humano, é triste demais”.

Foto: Lisha DeShay
Foto: Lisha DeShay

“As pessoas precisam estar atentas e dirigir com cuidado à noite”, acrescentou.

A FWC aconselhou os residentes da região a ficarem em seus carros e ligarem para a linha direta da instituição o mais rápido possível, se encontrarem um incidente dessa natureza.

Foto: Lisha DeShay
Foto: Lisha DeShay

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques

Macacos de grupo distinto acolhem filhote atropelado

Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

Macacos no Marrocos foram flagrados acolhendo e cuidando de um filhote seriamente ferido, pertencente a um grupo diferente do deles, em um comportamento nunca visto antes.

O incidente ocorreu depois que um macaco-de-gibraltar de três anos chamado Pipo foi atingido por um carro, resultando na separação do macaco de seu grupo.

Dois dias depois, um grupo vizinho de macacos-de-gibraltar encontrou Pipo e, embora os macacos não tivessem nenhuma relação social com Pipo, eles o acolheram e consolaram.

Felizmente, Pipo se recuperou completamente e ficou com o grupo por quatro meses, antes de retornar ao seu próprio grupo.

Pesquisadores da Universidade de Oxford presenciaram o evento no Parque Nacional Ifrane, nas montanhas do Middle Atlas no Marrocos.

Liz Campbell, que liderou o estudo, disse: “Nós pensamos que o acolhimento pode ser apenas uma opção para os macacos bebês, mas o caso de Pipo mostra que até mesmo os mais jovens podem ser aceitos por grupos adotivos selvagens.

“Essa observação fornece informações valiosas para estratégias de reabilitação e liberação, que ajudarão a melhorar o bem-estar dos macacos resgatados, fortalecer as populações selvagens e liberar espaço nos santuários para permitir mais resgates, que são contínuos no combate ao comércio de animais”.

Estudos anteriores indicaram que os macacos-de-gibraltar selvagens não são amigáveis com membros de outros grupos.

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

No entanto, as novas descobertas sugerem que os macacos podem exibir formas básicas de empatia, mesmo para indivíduos desconhecidos.

A Sra. Campbell acrescentou: “Os macacos-de-gibraltar são muito sociais, de modo que ao devolvê-los à natureza devem estar com um grupo, não como indivíduos solitários.

“O método convencional para retornar os primatas para a natureza é a reabilitação e liberação de grupos formados em cativeiro, mas devido à atenção e cuidado que os macacos-de-gibraltar, especialmente os machos, dão aos jovens, existe a possibilidade não apenas de liberar grupos reabilitados, mas também para libertar jovens individualmente para ser incorporados por grupos adotivos na natureza.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More