Notícias

Vereador busca aprovação de projeto do Samu Animal em Ponta Grossa (PR)

Por Sophia Portes / Redação ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais)

Fonte: Divulgação

O vereador Rudolf ‘Polaco’ Christensen (PPS) solicitou a aprovação do prefeito Marcelo Rangel para disponibilizar um veículo e a busca de parcerias privadas para a criação do projeto Samu Animal; O objetivo é prestar atendimento de urgência a animais de Ponta Grossa, no Paraná.

“A medida prevê tanto o tratamento e resgate de animais machucados e enfermos, como a castração de animais em situação de rua, evitando a proliferação, auxiliando no controle de zoonose e no bem estar social da comunidade”, diz a indicação.

De acordo com o vereador, o projeto vai ajudar também a criar na população a consciência de respeito aos animais. “Diariamente temos infelizes notícias de animais que são maltratados e mortos. A parceria com instituições pode contribuir com o projeto, ajudando o poder público a realizá-lo”, afirma.

​Read More
Notícias

Comissão aprova projeto de lei que obrigada pet shops a denunciar maus-tratos a animais em GO

Por Sophia Portes / Redação ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais)

Fonte: TV Sol Comunidade

Foi aprovado nesta quinta-feira o projeto de lei 877/17 pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia Legislativa de Goiás, que institui uma medida de proteção aos animais domésticos. A proposta, criada pelo deputado Gustavo Sebba (PSDB), obriga pet shops, clínicas e hospitais veterinários a informar à Polícia Civil sempre que detectarem indícios de maus-tratos nos animais atendidos. A denúncia deve ser feita através de comunicação digital ou ofício.

Sebba afirma no texto da proposta, que a medida pretende combater os maus-tratos contra animais, através da criação de um canal de comunicação e colaboração entre sociedade e a Delegacia de Proteção aos Animais. Ele diz que os avanços em relação a proteção dos animais são poucos comparados à quantidade de episódios de animais sendo abusados e feridos, o que prova que muita coisa ainda precisa ser feita para sanar a questão.

O projeto segue, agora, para o Plenário da Assembleia, onde passará por votações antes de sua implementação.

​Read More
Notícias

Cão engoliu um objeto: o que fazer?

Foto: Reprodução/ internet
Foto: Reprodução/ internet

Os cães estão propensos a ingerirem por acidente algo que não deveriam nem colocar na boca. Filhotes, por exemplo, são famosos por mastigarem e engolirem pedaços de panos, de papel e qualquer outro produto que eles julguem ser interessante. Adultos, por sua vez, ao brincarem com ossos de couro ou outros brinquedos que se soltam, podem acabar engolindo-os.

Quando um objeto engolido é pequeno, ele facilmente é posto para fora pelos próprios movimentos do intestino. O problema é quando o corpo estranho é grande ou pontiagudo, pois ao entrar no organismo do animal pode acabar cortando e perfurando órgãos. Dependendo do material ingerido, você pode tratar o pet em casa ou ter que levá-lo para o veterinário com urgência.

Medidas imediatas

Se o cachorro engoliu um objeto pequeno e não afiado, você pode ajudá-lo a eliminar o corpo estranho induzindo o vômito do animal. Esse processo só pode se feito se você tiver plena certeza de qual produto o cão ingeriu, para assim evitar que ele corra risco de vida. Para provocar o vômito do cãozinho, ofereça uma pequena refeição a ele e, em seguida, use água oxigenada para fazê-lo pôr tudo para fora. Essa técnica só funciona até duas horas depois da ingestão.

Dê ao pet de uma ou duas colheres de chá de água oxigenada (10 vol. para cada 5 kg de peso corporal do animal). Repita o processo até três vezes, em intervalos de cinco minutos a cada dose. Se ele não vomitar, busque auxílio veterinário o mais rápido possível.

Atendimento veterinário com urgência se faz preciso quando o animal engoliu algum corpo afiado, como alfinetes, fragmentos de plásticos, parafusos ou qualquer outro produto pontiagudo. Além disso, materiais que incham quando entram em contato com o intestino do animal são potencializadores de risco e precisam de avaliação médica imediatamente.
Tratamento veterinário e cuidados posteriores

O médico pode realizar dois procedimentos em situações de risco. Quando o objeto ingerido é pequeno, porém é pontiagudo, o veterinário pode optar por uma endoscopia, e esse procedimento é mais eficiente quando o animal está com o estômago vazio. Mas se o animal engoliu um corpo grande, o profissional pode optar por uma cirurgia.

Quando o método cirúrgico é escolhido, alguns cuidados posteriores são necessários. O tutor precisa manter o curativo limpo e tem que evitar que o cão mexa na sutura. Para isso, pode ser usado um colar elisabetano, que deve ser retirado quando o animal for fazer suas refeições.

Como evitar esses acidentes?

– Retire todo material de perto do cachorro, que possa ser engolido por ele;
– Compre brinquedos mais resistentes para o cachorro e que não se desmanchem;
– Ossos de couro são perigosos para o animal. Evite-os.

Fonte: Clube para Cachorro

​Read More
Notícias

Emenda parlamentar destina veículo para resgate de animais silvestres

A ONG Associação Mata Ciliar de Jundiaí (SP) vai receber um veículo completamente adaptado que servirá para o resgate de animais silvestres em toda a região. A iniciativa partiu do deputado estadual Pedro Bigardi (PCdoB) que, por meio de uma emenda parlamentar, garantiu os R$ 65 mil necessários à compra da viatura.

A ‘ambulância animal’ vai contar com maca e equipamentos para primeiros socorros, além de uma caixa apropriada para o transporte e uma arma anestésica. O socorro aos animais silvestres será feito por veterinários e biólogos que atuam na própria ONG. “Fizemos uma visita oficial à entidade e nos foi pedido este veículo. Conseguimos a aprovação da emenda na Assembleia Legislativa e estamos muito felizes por isso”, comentou Bigardi.

Pra 2011, ainda segundo o deputado, mais auxílios virão. “Esta é apenas uma parte de um projeto maior que temos, principalmente pela importância do trabalho realizado pela Mata Ciliar e pela preocupação com a preservação da Serra do Japi”.

De acordo com a coordenadora de fauna da Associação Mata Ciliar, Cristina Harumi Adania, a aquisição do veículo aumentará as chances de sobrevivência dos animais em 50%. “Recebemos desde animais que se machucam em cercas elétricas até onças. Todos os profissionais que atuam na Mata Ciliar estão preparados para este trabalho, mas o que faltava mesmo era o veículo. Por isso fizemos questão de agradecer ao deputado Pedro Bigardi. A motivação que isso nos traz é importantíssima, pois mostra que não estamos sozinhos nesta tarefa”, lembrou Cristina.

Histórico
A Associação Mata Ciliar foi fundada em 1987 e conta com unidades em Pedreira (sede), Jundiaí, Bragança Paulista e Águas de Lindóia. O objetivo é desenvolver trabalhos para recuperação e proteção do meio ambiente. Além disso, é referência nas áreas de proteção, reabilitação e reprodução de animais silvestres.

Fonte: Jornal de Itupeva

​Read More
Você é o Repórter

Cavalo brutalmente espancado é socorrido por protetores de animais de Curitiba (PR)

Lauro Fujihara
laurofujihara@terra.com.br

Quase 20h da última quinta-feira (16), recebemos ligação de uma moradora do bairro Vargem Grande no município de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), pedindo ajuda para um cavalo que estava caído desde às 9h na rua. Pedimos o apoio da Polícia Militar que nos acompanhou até o local. Após verificarmos a veracidade e gravidade da situação pedimos ajuda ao Dr. Tiago Carcereri que foi até o local e atendeu o animal voluntariamente.

O animal havia sofrido algum trauma na região da cabeça que estava muito inchada, olho esquerdo e narinas vazando sangue e pus. Conseguiu se levantar, recebeu medicação forte para dor e inflamação, mas não tínhamos tudo que seria necessário para atendê-lo. Pedimos ajuda para um vizinho que estava no local para deixá-lo até o dia seguinte em seu quintal e nos avisasse sobre qualquer evento ou caso o responsável pelo animal aparecesse.

O cavalo estava com o olho inchado e sangrando bastante pelo nariz. Foto: Divulgação

Logo cedo tentamos conseguir um transporte para o cavalo com o Centro de Controle de Zoonozes e Vetores (CCZV) de Pinhais, mas o único veículo destinado para este fim estava no concerto. Entramos em contato com o Hospital Veterinário da Universidade Federal do Paraná (UFPR) que nos indicou o Sr. Arildo que prontamente aceitou fazer o transporte nos cobrando o valor de R$ 80,00.

Enquanto cuidávamos do transporte, a Dra. Flávia Pereira que estava de plantão na SPAC e o Dr. Tiago providenciaram toda medicação necessária para seu atendimento na Propecuária, que o Dr. Tiago foi buscar, pois demoraria para ser entregue.

Ao chegarmos no local o cavalo ainda estava em pé mas com muita dificuldade para respirar, os dois olhos fechados, o inchaço havia aumentado  e hipotermia e ainda em baixo de chuva. Quando fomos fazê-lo entrar no caminhão caiu e não levantou mais. Por sorte o Departamento de Meio Ambiente de Pinhais encaminhou um caminhão com um guincho e alguns funcionários para ajudar a içar o cavalo e levá-lo para Colombo para chácara da SPAC onde encontraríamos o Dr.Tiago para seu atendimento.

Sem o socorro o cavalo teria agonizado até à morte. Foto: Divulgação

Neste meio tempo o responsável pelo animal apareceu. Segundo o que nos relatou, na quarta-feira dia 15 encontrou o animal no terreno onde o deixava amarrado, muito ferido, havia sido espancado na região da cabeça. Aplicou algum medicamento no animal e como estava muito ferido o deixou no terreno sem a corda, foi trabalhar e quando voltou o cavalo não estava mais lá. Não acreditamos que tenha algo a ver com a agressão ao cavalo, mesmo assim pegamos suas informações. Avisamos que o cavalo seria levado para a SPAC e que não retornaria, pois não tinha condições de mantê-lo em segurança e dar o atendimento que precisava, e que após recuperado seria encaminhado para adoção.

O estado do cavalo era grave, chegamos até a questionar se estávamos fazendo a coisa certa, mas seguimos nossa consciência pela indicação que só precisaria da medicação correta e teria grandes chances de recuperação.

Felizmente o cavalo sobreviveu ao transporte, foi devidamente medicado e conseguiu se levantar no mesmo dia. Hoje sua face já estava um pouco melhor, ainda não consegue levantar a cabeça, mas está comendo bem, farelo de milho e de trigo e sal mineral que é de fácil mastigação.

Agradecemos a todos que entraram em contato para fornecer transportes para cavalos. O Sr. Arildo que iria transportar o cavalo, e nos acompanhou até o local, não quis cobrar nada pela viagem perdida, que já estava com preço muito bom. Seu contato caso alguém necessite deste serviço (41) 9102-7769.

Protetores pedem que sejam dadas informações sobre quem cometeu este crime. Foto: Divulgação

Pedimos que se alguém tiver alguma informação sobre os responsáveis por esta agressão, por favor, nos comuniquem. Este cavalo não foi a primeira e não será a última vítima!

Segue em anexo fotos do atendimento na noite da quinta-feira, fotos do cavalo já em atendimento na SPAC e fotos dele no dia de hoje. Não tivemos espírito para registrar nenhuma foto antes e durante o levantamento do cavalo para transporte, pois foi realmente muito angustiante.

Denúncias devems er feitas para:

Soraya Simon
Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba
www.spacuritiba.org.br

​Read More