Notícias

Ursa parda é resgatada de cativeiro após passar a vida toda atrás das grades

Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

A pequena Coco e seu irmão Luca, junto com a mãe Dasha, a partir de agora vão morar em um local secreto nas montanhas do Cáucaso – graças a união e aos pedidos de pessoas que juntaram suas vozes em prol desses animais

A mãe ursa parda abraça sua filha pela primeira vez na natureza depois de ser salva de uma vida atrás das grades.

Dasha esteve aprisionada por toda a sua vida, 10 anos, como enfeite e atração turística para restaurantes perto de Yerevan, na Armênia.

Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

Ela era alimentada com restos das refeições dos clientes e seus filhotes provavelmente teriam sofrido o mesmo destino.

Mas Dasha foi resgatada pela International Animal Rescue (IAR) em novembro de 2017, ajudada por doações de internautas e usuários das redes sociais, junto com seu companheiro, o urso pardo, Misha.

Tragicamente, o urso do sexo masculino morreu logo depois. Foi só depois que a ONG sediada em Sussex a libertou da pequena e estéril jaula, que a equipe percebeu que ela estava grávida. Alguns meses depois Dasha deu à luz.

Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

Desde então, a bebê de 14 meses e a mãe estiveram até agora em um ambiente (recinto de adaptação à vida na natureza) especial com mínimo contato humano, um passo crucial para sobreviver por conta própria nas colinas escarpadas.

Dasha e os filhotes serão monitorados por guardas florestais e um rastreador via satélite.

Na Armênia, os ursos pardos são freqüentemente enjaulados em condições terríveis como atração em restaurantes e shopping centers.

Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

Mas agora IAR ganhou o apoio da Fundação Armênia para a Preservação da Vida Selvagem e Ativos Culturais e vai trabalhar com seus funcionários numa ação conjunta que visa liberar até 80 ursos.

Resgate de ursos na Armênia

Todos os anos, os ursos selvagens são capturados ou presos ilegalmente por caçadores na Armênia. Uma vez capturados, muitos deles acabam em jaulas pequenas e estéreis em restaurantes e outros locais públicos explorados como entretenimento e atração turística.

Alguns são mantidos em depósitos de ônibus, outros são escondidos da vista das autoridades em adegas escuras. Muitos desses ursos são prejudicados mental e fisicamente pelo tédio e pela frustração de sua existência miserável atrás das grades.

Foto: Mirror UK
Foto: Mirror UK

Surpreendentemente, em alguns restaurantes em áreas rurais na Armênia, a carne de urso está disponível até para aqueles que “sabem” como solicitá-la.

Os ursos da Armênia são ursos-pardos sírios (Ursus arctos syriacus), uma das menores subespécies do urso-pardo. Eles são encontrados nas áreas montanhosas do país onde se alimentam de frutos, bagas e insetos nos prados e florestas e hibernam em cavernas e cavidades de árvores. Suas prisões estéreis estão muito longe do que representa seu lar natural na floresta.

Muitos ursos estão sendo mantidos em cativeiros em condições insalubres em toda a Armênia, inclusive na capital Yerevan. Alguns foram encarcerados por anos em gaiolas apertadas com quase nenhum alimento ou água. Seu ambiente não atende a nenhuma de suas necessidades psicológicas ou físicas. Eles têm muito pouco espaço para se movimentar, recebem alimentos inadequados e insuficientes e nenhum enriquecimento ambiental para distraí-los e entretê-los.

Os ursos foram privados de sua dignidade e liberdade. Eles são forçadamente privados de tudo o que precisam para viver como a natureza pretendia.

​Read More
Notícias

Governo considera proibição da total da caça para permitir recuperação das espécies

Foto: Armenian Mirror Spectator
Foto: Armenian Mirror Spectator

O governo da Armênia se reuniu na sexta feira última (10) e para discutir alguns debates importantes sobre a preservação da vida selvagem, já que anteriormente ja hia sido aprovada a apresentação de uma proposta sobre o cumprimento de uma multa de 100 milhões de dólares pela caça do leopardo caucasiano, espécie ameaçada de extinção.

Reforçando o movimento, o diretor do Serviço de Segurança Nacional, Arthur Vanetsyan, que estava presente, sugeriu impor uma proibição total de caça de 3 a 5 anos em todo o país.

“Vamos banir a caça por 3 a 5 anos na Armênia para que a população da vida selvagem seja restaurada. Vamos tomar essa iniciativa, proibir a caça em geral, e a proibição não é apenas por meio dessas leis que estamos adotando, mas também, por exemplo, pela proibição temporária de cartuchos de caça. Porque eles estão sendo usados por fora da lei”, disse Vanetsyan.

O primeiro-ministro Nikol Pashinyan pediu a um comitê para estudar a questão de forma abrangente.

“Devemos optar por fazer algo assim porque essa ideia é muito boa e apropriada. Mas devemos olhar para este problema de forma abrangente. Vamos realizar um estudo especializado ”, disse ele.

“Embora – por outro lado – é legítima a preocupação com o assunto, porque as pessoas podem usar essas brechas na lei, e se elas forem armadas para as florestas, vão atirar em tudo que virem. É necessário realizar um estudo e ouvir a opinião de especialistas sobre esta questão ”, disse Pashinyan.

O ministro da Proteção da Natureza, Erik Grigoryan, disse que a situação atual na Armênia levou à destruição generalizada de animais e pássaros. “As pessoas atiram em tudo que se move. Há muitas omissões legislativas e também estamos considerando a possibilidade de impor uma restrição total à caça”, disse Grigoryan.

Durante consultas sobre esta questão com os colegas dos Emirados Árabes Unidos, o ministro disse que lá (EAU) eles consideram os veículos como uma ferramenta de caça também, e eles são confiscados junto com as armas em caso de violação da lei. Segundo o Grigoryan, se vários carros de caçadores forem confiscados, isso seria um sério incentivo para impedir a caça.

Segundo Erik Grigoryan atualmente cerca de 8 a 12 leopardos caucasianos apenas são registrados atualmente vivendo na Armênia. Os dados são do último monitoramento do Ministério do Meio Ambiente, alguns deles foram encontrados em áreas especialmente protegidas no sul do país e na província de Ararat. Ambientalistas dizem que o leopardo é um indicador de que a biodiversidade necessária é fornecida em áreas protegidas, daí a sua importância fundamental na preservação das espécies.

Desde 2002, o Ministério do Meio Ambiente da Armênia e sede armênia da WWF vêm implementando um programa para a preservação de leopardos caucasianos no país.

O principal objetivo do programa é aumentar a população de leopardos caucasianos, cabras bezoar (Capra aegagrus), muflões armênios (Ovis orientalis gmelini) e outras espécies ameaçadas de extinção.

​Read More
Destaques

ONG pede a liberdade de ursos expostos em jaulas como atração turística em restaurante

Foto: Express.uk
Foto: Express.uk

A International Animal Rescue (IAR, na sigla em inglês) está pedindo que o proprietário do restaurante Ashtaraki Dzor, localizado perto da capital Yerevan, na Armênia que entregue os ursos imediatamente e uma petição exigindo a libertação dos animais já foi assinada por mais de 5 mil pessoas.

Os animais ficam presos em uma pequena gaiola estéril do lado de fora do restaurante no que parece ser usado como estacionamento do local. Vídeos e imagens comoventes mostram os ursos presos atrás das barras de metal.

Um visitante do restaurante descreveu a jaula como “imunda”, enquanto turistas também foram filmados zombando da situação triste em que se encontram os animais.

Alan Knight, diretor-executivo da IAR, disse: “A crueldade e a negligência com animais não são motivo de riso, são crime”.

“Estes ursos merecem ser tratados com dignidade e respeito, não como objetos de ridículo. E eles merecem a liberdade de viver e se comportar como ursos”.

“É nossa responsabilidade acabar com esse abuso e ir até as últimas consequências para resgatá-los, então poderemos podemos movê-los para o nosso centro de animais, onde serão tratados com compaixão e respeito”.

“Nossa equipe tem uma vasta experiência na reabilitação de ursos resgatados e dará a eles todo o tratamento e cuidado que precisam para se recuperar de seus anos miseráveis em cativeiro”

Um dos visitantes do restaurante acrescentou que o proprietário deveria estar “envergonhado” e pediu que os ursos fossem libertados.

Foto: Express.uk
Foto: Express.uk

Eles disseram: “Os ursos estão enjaulados no canto do que é essencialmente um estacionamento. Eu os localizei pelo cheiro vindo de sua jaula imunda. Ninguém parece se importar com eles”.

“Estamos pedindo a todos que assinem e compartilhem a petição pois no texto do documento exigimos que o dono do restaurante faça a coisa certa e desista dos ursos”.

“O responsável por isso deveria ter vergonha de explorar esses pobres animais dessa maneira”.

“O mínimo a ser feito é aproveitar a oportunidade oferecida pela ONG e tomar a atitude bondosa e compassiva de libertar os ursos”.

Foto: Express.uk
Foto: Express.uk

A IAR espera que sua petição pressione o dono do restaurante para que ele os deixem resgatar os ursos que estão em sofrimento e que caso estivessem livres viveriam nas montanhas em estado selvagem.

A entidade recebeu o apoio de celebridades que atuam pelos direitos animais, incluindo Ricky Gervais, Fearne Cotton, Peter Egan e Lucy Watson.

E a banda de heavy metal System of a Down, cujo vocalista Serj Tankian é armênio, também está apoiando a campanha.

​Read More
Histórias Felizes, Notícias

Filhotes de ursa resgatada de cativeiro na Armênia desfrutam da liberdade

Dois filhotes de urso-pardo brincam com a mãe depois que ela foi resgatada de uma jaula na Armênia. Coco e Luca, como são conhecidos, foram alimentados em um santuário depois que sua mãe grávida, Dasha, foi salva no ano passado de um restaurante à beira do rio, onde vivia em cativeiro para entreter os clientes.

Reprodução | Daily Mail

Quando Dasha foi resgatada, a equipe não soube que ela estava grávida até o nascimento dos filhotes. Desde então, tanto os bebês quanto a mãe foram mantidos em um recinto especial com mínimo contato humano – um passo crucial para sobreviver nas colinas armênias da próxima primavera.

Alan Knight, chefe do International Animal Rescue, uma organização sem fins lucrativos de Sussex, admite em entrevista ao jornal britânico Daily Mail, que “no início, achamos que Dasha ficou doente, mas logo ficou claro que ela estava grávida. Primeiro uma cabecinha apareceu, então percebemos que outro filhote estava a caminho. Foi um momento fantástico”.

Reprodução | Daily Mail

Dasha finalmente experimentou a liberdade em outubro do ano passado, depois de passar sua vida em gaiolas soldadas como entretenimento para os clientes em um restaurante à margem do rio. Ela foi salva junto com outro urso, Misha, que desde então morreu de complicações médicas.

Misha e Dasha foram mantidos atrás das grades em um recinto apertado perto da capital armênia Yerevan nos últimos dez anos, implorando por restos de clientes de restaurantes. Mas depois que o MailOnline destacou sua situação, os leitores doaram milhares de libras e os dois animais desnutridos e traumatizados foram finalmente libertados.

Misha e Dasha, enquanto em cativeiro (Reprodução | Daily Mail)

Imagens mostram os bombeiros abrindo suas jaulas antes que os resgatistas britânicos e armênios os sedassem e os transportassem para um novo e vasto recinto, no alto das montanhas. Estes ursos marrons, e muitos mais como eles, viveram suas vidas inteiras dentro de pequenas gaiolas para o entretenimento de clientes e compradores em toda a Armênia.

O antigo país soviético há muito tem uma tradição de capturar e manter ursos, e apesar do progresso em muitas outras áreas, os direitos dos animais estão atrasados ​​na Armênia. Não é incomum encontrar um urso em uma pequena gaiola em um restaurante, depósito de ônibus, shopping center ou uma fábrica. Eles são frequentemente capturados como filhotes e passam a vida em cativeiro para atrair turistas ou simplesmente entreter seus donos.

Reprodução | Daily Mail

No entanto, a organização britânica International Animal Rescue (IAR) está lançando o The Great Bear Rescue, com o objetivo de libertar dezenas de ursos enjaulados na Armênia.

Misha e Dasha, que tinham sido mantidos para a diversão de clientes em uma gaiola parcialmente submersa na água em um restaurante à beira do rio, foram carregados em um caminhão para serem transportados para um santuário especialmente construído no alto das montanhas.

Lá eles vão viver o resto de suas vidas em paz em um vasto recinto – não mais dependentes dos restos que lhes são jogados pelos comensais.

​Read More
Histórias Felizes

Filhote de urso vive feliz em santuário depois de ser arrastado em coleira pela rua

Depois de ter testemunhado o assassinato de sua mãe, o filhote de urso chamado Leo, recém nascido, foi sequestrado por um homem e criado como animal doméstico. Este homem carregava Leo pelas ruas da Armênia, arrastando-o por todos os lados por uma coleira.

Reprodução | One Green Planet

Não fosse por testemunhas que avistaram o abuso e reportaram a uma equipe de resgate, a International Animal Rescue (IAR), ele estaria passando pelos mesmos maus-tratos até os dias atuais.

Quando receberam a denúncia, os protetores da IAR foram até o local para resgatar o animal e levaram-no a um santuário na própria Armênia. Lá ele encontrou segurança e também acesso a atendimento veterinário, algo que ele precisava muito.

Reprodução | One Green Planet

Desde então, Leo tem levado uma vida completamente diferente. Por ter crescido sem a mãe, tarefas como ensiná-lo a encontrar comida ou a caçar são adotadas pelos cuidadores do local.

Ninguém sabe dizer ao certo por quantos tipos de maus-tratos e quanto traumas o ursinho passou, a única coisa garantida é que, agora, ele está em segurança e tem recebido todo o amor possível no santuário.

O intuito é que as experiências mais banais, como subir em árvores, esticar as pernas, rolar pelo chão ou até mesmo cheirar, desconfiado, uma flor colorida, ajudem-no a, futuramente, ser capaz de encarar a vida selvagem, já que ele retornará à natureza e ao seu habitat natural assim que estiver um pouco mais velho.

Reprodução | One Green Planet

A história de Leo é triste e parece absurda, mas é também muito comum. Essa é a mesma realidade vivida por inúmeros animais selvagens ao redor do mundo todos os dias.

Infelizmente, Leo não poderá viver a vida ao lado de sua família, e nem poderá voltar atrás para resgatar todos os momentos que deveria ter vivido em liberdade. Mas a IAR terá o prazer de poder garantir que a sua vida seja muito diferente daqui para frente – e que os seus filhotinhos possam viver a vida que lhe foi brutalmente roubada.

​Read More
Histórias Felizes

Ursa enjaulada por dez anos dá à luz dois bebês em liberdade

Na Armênia, assim como em muitos outros locais do mundo, manter animais em cativeiro e explorá-los para entretenimento do público em restaurantes ou shoppings é uma prática muito comum. Com a ursa Dasha a história não foi diferente.

Ela foi retirada de seu habitat e trancada em um restaurante na cidade de Yerevan, na Armênia, e forçada a entreter os clientes, em troca de seus restos de comida.

Reprodução | Roger Allen – Daily Mail

As condições em que vivia eram péssimas: além de uma série de abusos, ela foi trancada em uma jaula extremamente pequena, que não atingia as necessidades básicas sanitárias. Ela e seu companheiro Misha eram mantidos em cativeiro pelo estabelecimento.

Essa realidade, infelizmente, é muito comum no país, que tem uma longa história envolvendo a captura e exploração de ursos. Mesmo tendo feito muito progresso em outras áreas de proteção animal, os grupos de defesa ainda encontram grande dificuldade em avançar nesse sentido.

Os ursos geralmente são capturados enquanto filhotinhos, e criados em situações precárias, até que se tornem grandes o suficiente para serem usados em espetáculos, ou apenas para serem colocados como “enfeite” nos locais.

Reprodução | Roger Allen – Daily Mail

Há algum tempo, no entanto, a história de Dasha mudou. Ela deu à luz dois filhotes e a ONG britânica International Aniaml Rescue (IAR) foi até a Armênia para resgatar toda a família e levá-los às montanhas, para que vivam em liberdade.

O resgate faz parte de uma ação da IAR que foi para a Armênia resgatar vários outros ursos que são explorados por dezenas de outros estabelecimentos espalhados pelo país.

Reprodução | Roger Allen – Daily Mail

Em entrevista ao Daily Mail, o CEO da IAR, Alan Knight, disse: “É fantástico vê-la com os filhotes e ver tanta diferença nos dois pais antes e depois das situações horríveis em que eles se encontravam e eram mantidos presos apenas para entreter os clientes. O fato de que a Dasha agora tem filhotes saudáveis mostra que a nossa campanha pode ser muito efetiva. Nós fomos capazes de dar a esses animais um futuro em que eles podem aproveitar a liberdade que lhes foi negada por uma década. Eles estão saudáveis e podem continuar vivendo suas vidas e Dasha tem todo a natureza e suporte que precisa para ajudar a criar seus dois novos filhotes.”

Graças à organização, Dasha, Misha e seus filhotes poderão viver em liberdade, uma vida que eles acreditavam que jamais poderiam ter. E eles continuam em campanha para conseguirem trazer a mesma alegria à vida de muitos outros animais explorados no mundo.

​Read More
Notícias

Homem acorrenta filhote de urso indefeso e o arrasta por rua

Um homem encontrou um filhote de urso perdido nas ruas da Armênia e, em vez de levá-lo a uma organização responsável por cuidar de animais selvagens, ele resolveu colocar o animal em uma coleira e arrastá-lo pela rua.

Algumas testemunhas avistaram a situação e alertaram à ONG International Animal Rescue (IAR) que logo localizou o homem e resgatou o pobre urso, que era mantido por ele como “animal doméstico”.

Reprodução | One Green Planet

Ursos são mamíferos carnívoros, nem um pouco apropriados para levarem uma vida em cativeiro seja onde for. O filhote de urso, além de assustado e traumatizado pela perda da mãe, deveria estar em um estresse maior ainda por ser mantido enclausurado por um homem que não tinha a menor ideia do que estava fazendo.

Essa não foi a primeira vez que a IAR precisou atuar na Armênia. Em outubro do ano passado, a organização começou um projeto chamado “The great bear rescue” (O grande resgate de ursos, em tradução livre). Ativistas foram em resgate de ursos que eram explorados em atrações turísticas.

Reprodução | One Green Planet

Depois de salvo e levado a um local seguro, o filhote de urso foi batizado de Leo e, ao que tudo indica, terá chance de se recuperar dos traumas e, enfim, viver uma vida em liberdade, e conhecer outros animais de sua espécie, como todos os animais selvagens deveriam viver.

Nem ursos nem qualquer outros animais selvagens deveriam ser mantidos em cativeiro. Seja em zoológicos ou em apresentações circenses,, como entretenimento do público, seja sendo explorados em fábricas e indústrias, ou até mesmo como animais domésticos “exóticos”. Nenhuma dessas situações é adequada para um animal que tem fortes ímpetos de viver em liberdade na natureza.

 

​Read More
Destaques, Notícias

Ursa é resgatada após viver a vida inteira em uma jaula

Uma ursa-parda foi encontrado dentro de um cativeiro atrás de um restaurante na Armênia. O animal mantido em prisão de concreto com grades acima da cabeça foi salvo por agentes de resgate nesta semana.

O animal de apenas nove anos de idade tinha sido preso em uma pequena cela atrás de um restaurante e sobrevivia com restos ocasionais de comida jogados pelos responsáveis do estabelecimento. Quando a ursa chamada “Masha” foi finalmente resgatada, os bombeiros tiveram que usar cortadores de parafuso para abrir as barras de uma polegada de espessura.

Enquanto vivia na prisão sombria, que mede apenas 10 por 24 pés, os gemidos estrondosos de Masha podiam ser ouvidos pelos comensais próximos, mas ninguém respondeu à sua ligação. Ninguém se preocupou em se inclinar sobre a parede para espiar o urso negligenciado.

Ursa-parda comia restos de comida duranta a vida no cativeiro.
Masha sobrevivia com resto de comida oferecidos pelos proprietários do restaurante.

Quando ela estava presa em sua prisão sombria, que media apenas três metros de altura e sete metros de largura, os gemidos estrondosos da ursa podiam ser ouvidos por clientes próximos, mas ninguém se prontificava a socorrer o animal. Masha é um dos pelo menos 60 ursos que foram mantidos em condições deploráveis ​​na Armênia por décadas.

Desacostumado à atenção, a ursa da síria precisou ser sedada por um veterinário antes que pudesse ser colocada em uma maca especial. Foi a primeira vez que o animal foi cuidado em anos.

A ursa Masha precisou ser sedada para ser salva em segurança.
O animal precisou ser sedado para que fosse resgatado com segurança. (Foto: Roger Allen)

Mas pelo menos no caso de Masha, a história tem um final feliz. Depois de ser contatada por uma organização local de bem-estar animal, a Fundação para a Preservação da Vida Selvagem e Bens Culturais, a organização britânica International Animal Rescue (IAR) foi ao país para salvá-la.

Na organização ela será mantida em área de quarentena para ser examinada por veterinários, antes de se mudar para um santuário. A instituição de caridade, com sede em Sussex, libertou 30 ursos de garagens e pátios de construtores, bem como casas particulares onde os proprietários ricos os queriam como troféus.

A porta-voz do IAR, Liz Key, disse: ‘Nós tínhamos sido informados de todos esses ursos sendo enjaulados na Armênia por absolutamente nenhuma razão. Eles foram mantidos escondidos em condições realmente terríveis, sem espaço para se movimentar e apenas com restos para comer. Alguns animais que resgatamos tinham correntes no pescoço”.

Felizmente para Masha, sua mãe foi resgatada na mesma operação e elas serão reunidas no santuário.

​Read More
Notícias

Ursos são encontrados presos em jaulas na Armênia

IAR/FPWC

Não há informações exatas sobre como uma família de ursos marrons chegou a uma fábrica na Armênia há anos. Os dois irmãos, Thimothy e Marie, foram separados de sua mãe e presos em jaulas.

IAR/FPWC

Elisabeth Key, das Relações Públicas e Internacionais da International Animal Rescue (IAR) observou o quão perturbados estavam os animais em entrevista ao site The Dodo.

O resgate dos animais não foi tarefa simples. Filmagens e fotos foram tiradas e apenas 4 anos depois a IAR pôde resgatá-los. Na época, a mãe dos dois ursos já não estava mais lá. Suspeita-se de que tenha sido vendida em novembro de 2017.  

“Inicialmente os dois ursos estavam resistentes, mas logo nossa equipe conseguiu resgatá-los”

IAR/FPWC

Alan Knight, CEO da IAR lamentou o fato dos ursos jamais terem sentido o sol ou uma brisa do alto das montanhas, “eles passaram a vida inteira atrás das grades, mas agora poderemos oferecer uma vida que vale a pena”.

IAR/FPWC

Timothy e Marie não são os únicos ursos que são vendidos da Armênia. Infelizmente, é quase “comum” que estes animais sejam capturados e colocados para exibição em restaurantes e outros lugares. “Não estão onde pertencem, não é onde deveriam estar”, afirmou Ruben Khachatryan, porta-voz da Foundation for the Preservation of Wildlife and Cultural Assets (FPWC). Em setembro de 2018, a IAR e a FPWC realizaram uma campanha, a Great Bear Rescue, a fim de divulgar e resgatar ursos sequestrados e levá-los para um santuário.

IAR/FPWC

Alguns meses depois de resgatados, Timothy e Marie já podem caminhar livremente entre pedras e lama, brincando e rolando no santuário cuidado pela FPWC. Seus cuidadores frequentemente deixam caixas com diversos petiscos e tira-gostos.

IAR/FPWC

Segundo Khachatryan, é imensa a satisfação de ver os animais no santuário, mas ainda há muito o que ser feito da Armênia, uma vez que há muitos outros ursos em situações parecidas como a dos irmãos resgatados.

 

​Read More
Home [Destaque N2], Notícias

Ursos explorados em fábricas são libertos e descobrem o prazer de viver

Filmagens secretas realizadas há vários anos mostram a dupla ainda filhote tentando desesperadamente alcançar sua mãe desolada que tinha sido transferida para uma jaula longe deles. É possível ver a mãe agarrando freneticamente a porta que os mantém separados e subindo as barras da jaula para tentar alcançá-los.

Foto: IAR

Quando a organização foi resgatar os ursos, tragicamente, a mãe não estava mais com eles, e aparentemente foi vendida pelo proprietário da fábrica. Porém, os ativistas conseguiram salvar os filhotes de suas vidas miseráveis e mantê-los em quarentena para avaliação e exames de saúde, o primeiro passo de suas jornadas para uma nova vida.

Foto: IAR

A campanha do IAR foi lançada no final de Setembro pelo IAR e pela organização armênia local FPWC (Foundation for the Preservation of Wildlife and Cultural Assets) e visa resgatar e reabilitar todos os ursos enjaulados na Armênia e lhes proporcionar o cuidado e a vida que eles merecem.

“Estamos realizando os resgates com o apoio do governo armênio em nome do Ministério da Proteção da Natureza da Armênia, da Inspeção Ambiental da RA e da assistência prática dos serviços de resgate de emergência (Ministério das Situações de Emergência)”, disse o IAR em seu site.

Foto: IAR

Alan Knight OBE, chefe-executivo da IAR, declarou: “Esses pobres ursos nunca sentiram o calor do sol nas costas ou o cheiro de uma brisa fresca da montanha. Eles passaram toda a vida atrás das grades, andando de um lado para o outro em um piso de concreto duro. Porém, finalmente, podemos mudar isso e trabalhar para lhes oferecer uma vida digna de ser vivida”.

“Estamos muito satisfeitos por ter resgatado esses dois ursos da fábrica. Porém, ainda há muitos outros ursos que precisam urgentemente de nossa atenção. Estamos nos concentrando no trabalho e tentando chegar a tantos ursos emjaulados quanto possível. Com todos esses casos tristes que temos agora, espero que as pessoas percebam que não é divertido ver um urso mantido em uma jaula em um restaurante ou resort porque este não é o lugar aonde eles pertencem”, completou Ruben Khachatryan da FPWC.

​Read More
Home [Destaque N2]

Ursos são salvos após viverem dez anos presos em jaulas em restaurante

Dois ursos que viveram por dez anos em jaulas minúsculas, explorados para entretenimento humano em um restaurante em Yerevan, capital da Armênia, foram resgatados pela Federação de Preservação da Vida Selvagem e Bens Culturais.

Os ursos viveram presos em jaulas durante dez anos (Foto: Roger Allen)

A prática cruel é recorrente no país. Os ursos são retirados de seu habitat ainda filhotes e levados para o cativeiro, onde passam a vida presos em jaulas. Os clientes dos restaurantes e demais estabelecimentos comerciais que exibem o sofrimento dos ursos como atração, ao invés de se revoltarem, apoiam a ideia, o que lamentavelmente contribui para a perpetuação do aprisionamento de ursos.

Misha e Dasha, como são chamados, não só viviam presos, como frequentemente passavam fome. Assistir os ursos famintos pedindo restos de comida para os clientes do restaurante era, inclusive, algo comum.

Os ursos eram explorados para entretenimento humano em restaurante (Foto: Roger Allen)

Após uma década sendo mantidos aprisionados, a realidade dos ursos foi divulgada pelo site MailOnline, e a repercussão do caso fez com o que os ursos fossem libertos.

Com a ajuda dos bombeiros, que serraram as jaulas onde Misha e Dasha viviam, a entidade de preservação da vida selvagem resgatou os ursos, que foram sedados e retirados do cativeiro. As informações são do portal Best Of Web.

Após serem sedados, os ursos foram resgatados pela Federação de Preservação da Vida Selvagem e Bens Culturais (Foto: Roger Allen)

Levados para uma região de montanhas, os ursos receberão os cuidados necessários. O objetivo da entidade é de, posteriormente, reintegrá-los à natureza.

​Read More
Família almoça ao lado de janela de vidro. Do outro lado dela, veem-se ursos enjaulados observando
Home [Destaque N2]

Imagens mostram família almoçando enquanto ursos presos e famintos observam

Foi divulgada em diversos portais internacionais uma série de fotos perturbadora. Uma família aproveita um almoço acolhedor em restaurante ao lado de um rio, enquanto ursos famintos olham desesperados. Espiando por trás das barras de ferro, os animais são mantidos em cativeiro para o deleite de clientes do restaurante na Armênia.

Família almoça ao lado de janela de vidro. Do outro lado dela, veem-se ursos enjaulados observando
Foto: Roger Allen/Shutterstock

A prática doentia faz com que os animais torturados fiquem presos em jaulas em condições precárias o ano todo. Os ursos são explorados para exibição em restaurantes, estações de ônibus, lojas e fábricas em todo o país. Outros são mantidos longe da visão do público em celas escuras.

Muitos dos animais estão mental e fisicamente danificados pelas péssimas condições e pela frustração de viver uma existência miserável atrás das grades.

Agora, a British Charity International Animal Rescue está pronta para iniciar uma missão para libertar mais de 80 ursos dessa vida de tortura. Em parceria com a Fundação para Preservação da Vida Selvagem e Ativos Culturais, uma instituição local, a meta do projeto The Great Bear Rescue (O Grande Resgate de Ursos) é salvar todos os ursos abusados em cativeiros da Armênia e dar a eles uma vida melhor.

Urso preso em jaula, com as garras nas grades, olha para fora
Foto: Roger Allen/Shutterstock

A Charity International também está construindo um novo santuário para ursos resgatados, com o custo de 75.000 libras. Qualquer animal que não estiver disponível para ser solto em território selvagem, será levado para uma casa permanente no santuário.

Muitos ursos estão sendo mantidos nos cativeiros em péssimas condições em toda a Armênia, incluindo na capital, Yerevan.  O antigo país soviético tem uma longa história de caçar e enjaular ursos.

Todos os anos, mais de 150 ursos selvagens são sequestrados ilegalmente ou presos em armadilhas de caçadores. Uma vez presos, muitos terminam em uma jaula pequena e esquálida para servirem de “entretenimento” em restaurantes e outros lugares turísticos.

Em alguns restaurantes rurais na Armênia, carne de urso está disponível para quem pede. Só que a IAR (Charity International) baseada em Sussex está determinada a mudar isso, com o apoio do governo da Armênia.

​Read More