Notícias

‘Foi meu presente de Natal’, diz tutor sobre resgate de cão que caiu em cisterna

Apesar do acidente, o cachorro foi resgatado sem ferimentos. Ele caiu em uma cisterna com aproximadamente sete metros de profundidade


Um cachorro caiu dentro de uma cisterna em Araguari, no estado de Minas Gerais, e foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros.

Corpo de Bombeiros/Divulgação

O animal se acidentou na tarde de terça-feira (24) em uma cisterna com aproximadamente sete metros de profundidade localizada em um lote vago na rua Júlio César de Sousa, no bairro Bosque. As informações são do portal Hoje em Dia.

A cisterna estava com água no momento em que o animal sofreu o acidente. Como ele não seria capaz de sair do local, sozinho ou com a ajuda de seu tutor, o Corpo de Bombeiros foi acionado.

Os militares estiveram no local e conseguiram resgatar o cachorro em segurança. Retirado da cisterna sem ferimentos, ele foi entregue ao seu tutor.

Para salvar a vida do animal, um militar entrou na cisterna, descendo no buraco preso a um sistema de cordas.

O tutor do cachorro comemorou o resgate. “Este foi meu presente de Natal”, disse.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Em prol dos animais, lei proíbe fogos barulhentos em Araguari (MG)

Um projeto de lei que proíbe a queima de fogos de artifício barulhentos foi sancionado em Araguari (MG). De autoria do vereador Jander Patrocínio (PSB), a lei foi publicada no Correio Oficial. O objetivo é proteger os animais, que sofrem com o barulho dos fogos, e também pessoas idosas e bebês. A lei passará a ser aplicada em 2020, com multa para reincidentes na infração.

(Foto: Pixabay)

No dia da votação do projeto, o parlamentar levou cachorros ao plenário para tentar conscientizar os demais vereadores a respeito do estresse que o barulho dos fogos causa neles devido à audição mais aguçada. Jander lembrou também do sofrimento dos autistas.

“As pessoas com autismo têm muitas dificuldades. Com barulho intenso precisam de acompanhamento”, afirmou o vereador. As informações são do portal G1.

O vereador lembra que a lei não impede o uso de qualquer explosivo, apenas os barulhentos. Sendo assim, os fogos com efeitos visuais, sem estampidos, permanecem liberados, assim como os que produzem pouca intensidade de barulho.

De acordo com a medida, os fogos exclusivamente do tipo colorido, com baixo impacto sonoro, poderão ser usados em comemorações esportivas e religiosas, festas juninas e similares, desde que, em nenhuma hipótese, ultrapasse o tempo máximo de duas horas, com intervalos mínimos.

A lei, segundo o prefeito Marcos Coelho, atende a recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), que afirma que sons com mais de 55 decibéis podem estressar e prejudicar a saúde. Os que estão acima de 85 decibéis podem causar perda da audição, especialmente acima de 120 decibéis. Os fogos de artifício com estampidos ultrapassam 150 decibéis.

Punição

Em caso de descumprimento da lei, a Polícia Militar Ambiental comparecerá ao local de soltura dos fogos e aplicará uma advertência. Em caso de reincidência, será aplicada multa de R$ 1 mil por cada fogos usado.

O dinheiro arrecadado será direcionado ao Conselho Municipal de Proteção aos Animais. “Até que a lei passe a valer, estamos trabalhando na conscientização”, completou Jander.

​Read More
Notícias

Tamanduá é resgatado em área urbana de Araguari (MG)

Tamanduá é resgatado pelos bombeiros em Araguari — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Um tamanduá foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros, na madrugada da última terça-feira (15), em Araguari. O animal foi encontrado no Bairro Industrial.

Os bombeiros foram acionados por volta das 5h. O animal estava perto de um ponto de ônibus, na Avenida Nicolau Dorázio. O tamanduá não apresentava ferimentos.

O animal foi recolhido pelos bombeiros e solto próximo ao Rio Araguari, local afastado do perímetro urbano, com acesso a água e alimentação.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Filhote de tamanduá-bandeira é encontrado em rodovia em Araguari (MG)

Um filhote de tamanduá-bandeira foi encontrado às margens da LMG-748, no setor industrial do município de Araguari, em Minas Gerais.

(Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

O Corpo de Bombeiros foi acionado por pessoas que passavam pelo local. Os denunciantes afirmaram que dois animais estavam aparentemente atropelados na rodovia. Os militares, no entanto, encontraram apenas o filhote de tamanduá, que é uma fêmea. As informações são do portal G1.

Buscas foram realizadas pela corporação no entorno da área na tentativa de encontrar o segundo animal. A ação dos bombeiros, porém, não obteve resultados.

O filhote foi encaminhado para a Polícia Militar Ambiental que, posteriormente, o levou para o Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). De acordo com a polícia, o tamanduá passa bem.

​Read More
Notícias

Suspeitos de rinha de galo são detidos em flagrante em Araguari (MG)

Animais estavam feridos (Foto: Polícia Militar/Divulgação)
Animais estavam feridos
(Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Dezessete pessoas detidas presas em flagrante delito suspeitos de prática de maus-tratos a aves em Araguari. A prisão ocorreu neste domingo (9), no Bairro Independência. Foram apreendidos uma balança de precisão para pesagem dos animais, 22 bicos de metal, 31 esporas de plásticos, duas ceguetas para corte das esporas, duas agulhas curvas, duas agulhas retas e um caderno de apostas. O material e os suspeitos foram levados para a Delegacia de Polícia Civil.

Uma denúncia anônima informou ao 4º Pelotão de Meio Ambiente e Trânsito Rodoviário que em uma casa na Rua Joaquim Floriano Lemos acontecia a prática de rinha de galos. Ao chegarem ao local, os militares perceberam a entrada e saída de pessoas com galos de capangas, que passavam por um corredor até uma casa nos fundos.

Foi montada uma operação surpresa e realizado cerco-bloqueio nas imediações. Ao serem surpreendidos, várias pessoas que promoviam a briga de galos começaram a fugir correndo e pulando muros. Foi feito rastreamento e 17 suspeitos foram detidos. Na casa havia duas arenas e ainda várias estruturas de madeira compartimentadas onde estavam armazenados vários galos.

Durante vistoria nas aves a polícia constatou vários ferimentos nos animais, principalmente nas cabeças deles. Com base no artigo 32 da lei de crimes ambientais, foi dava voz de prisão em flagrante delito aos 17 suspeitos. Ainda na casa, segundo a polícia, o dono também mantinha em cativeiro uma ave da fauna silvestre da espécie “papa capim” em uma gaiola sem anilha, conduta que também caracteriza crime, conforme artigo 29 da lei de crimes ambientais.

 Fonte: G1

 

​Read More
Notícias

Aproama aguarda criação de lei para castração de animais em Araguari (MG)

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Uma situação ganhando proporções alarmantes. A cada esquina, encontrar um ou mais animais abandonados se tornou comum entre as pessoas que circulam pelas ruas de Araguari. Diante disso, a Associação de Proteção dos Animais e Meio Ambiente (Aproama) aguarda por uma iniciativa que há quatro meses perdura como promessa junto ao Executivo.

Em maio deste ano, um projeto apresentado na Câmara Municipal colocava em discussão a criação de um programa para a castração de animais. A proposta, elaborada pelo vereador Levi Siqueira (PMDB), partiu de uma preocupação dividida com a Aproama sobre o controle nas ruas e em animais sob a guarda de famílias sem condições de custear o tratamento.

Quatro meses depois, o projeto segue sem um retorno por parte da prefeitura. Para o proponente da iniciativa, existem diversas alternativas que podem fazê-la se tornar realidade. Em entrevista ao Jornal Gazeta do Triângulo, ele explicou a situação.

“Apresentei o projeto para a criação do programa de castração, voltado principalmente a animais abandonados e àqueles que estão sob a guarda de moradores de baixa renda, uma vez que se trata de um tratamento caro. No entanto, a proposta geraria uma despesa que naquele momento o município não poderia se comprometer. Por isso, encaminhei um antiprojeto ao prefeito, que garantiu analisar e repassar ao Legislativo. Existem inúmeras formas de concretizar a proposta. Uma delas é abrir convênios com clínicas veterinárias que admitem condições de oferecer o serviço”, explanou.

De acordo com a Aproama, Araguari detém aproximadamente cinco mil animais entre cães e gatos. Ainda assim, metade deste número vive nas ruas, com um aumento considerável a cada mês. Para o presidente da associação, Roberto Paganini, trata-se de uma questão de saúde pública.

“Precisamos de uma providência urgente. Seguindo a legislação federal, todos os animais são de tutela do Estado, que dentro do município é representado pela prefeitura. Por isso, é do Executivo a responsabilidade de controlar a situação, mas o prefeito alega falta de dinheiro. O programa de castração envolve uma questão de saúde pública”, manifestou.

PROMESSAS

Conforme apurou a reportagem, uma reunião definida para a próxima semana promete discutir as promessas proferidas pelo governo municipal à Aproama. Entre os assuntos a serem debatidos, está a subvenção destinada a associação, que apesar de se tornar de utilidade pública, não recebe os recursos.

“O prefeito disse que não iria repassar a subvenção por orientação da Promotoria de Justiça por se tratar do período de eleição. A questão é que sem o apoio temos muita dificuldade em manter os trabalhos. A verba seria destinada para toda a demanda da associação. Os diretores chegam a tirar dinheiro do próprio bolso para pagar o tratamento dos cachorros. Certa vez, tivemos que desembolsar R$ 1.500,00 para cuidar de um animal que foi atropelado”, relatou.

Apesar das dificuldades, Roberto Paganini enalteceu a nova realidade do canil municipal, que detém medicamentos e todas as condições de segurança e saúde aos animais. Segundo ele, no próprio local existe espaço suficiente para que se crie uma sala de cirurgia destinada à castração.

Fonte: Gazeta do Triângulo

 

​Read More
Notícias

Homem é preso por maus-tratos a cavalo em Araguari (MG)

Cavalo apresentava costelas aparentes (Foto: 4º Pelotão de Meio Ambiente de Araguari )
Cavalo apresentava costelas aparentes (Foto: 4º Pelotão de Meio Ambiente de Araguari)

Um homem foi preso em Araguari nesta terça-feira (20) suspeito de maus-tratos a um cavalo. De acordo com informações do 4º Pelotão de Meio Ambiente, o animal doméstico estava no bairro Amorim e segundo denúncia anônima sem comida e água.

De acordo com a polícia ao chegar ao local foi possível perceber que o cavalo estava muito magro e com dificuldades de permanecer em pé, sem água no cocho.

A equipe da  Associação Protetora dos Animais e do Meio Ambiente de Araguari (Aproama) foi acionada. O animal foi examinado por um médico veterinário da associação, que diagnosticou um quadro de desnutrição crônica, diarreia e anemia. O cavalo apresentava as costelas bastante aparentes e as vértebras cervicais à vista. O veterinário concluiu que ele estava passando fome.

Diante da confirmação do quadro foi dada voz de prisão em flagrante ao tutor do animal por crime ambiental, (artigo 32 da lei 9605/ 1998). O homem foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Araguari.

O cavalo foi apreendido e encaminhado ao curral municipal de Araguari pelo veículo de recolhimento de animais da Prefeitura Municipal.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Três tamanduás e uma garça, que passaram por tratamento, são soltos na reserva do Pau Furado

Três tamanduás e uma garça, que estavam internados no Hospital Veterinário de Universidade Federal de Uberlândia (UFU), foram soltos nesse fim de semana no Parque Estadual do Pau Furado, localizado nos municípios de Uberlândia e Araguari.

Os tamanduás, um macho e duas fêmeas, estavam no hospital há cerca de seis meses. Os três tiveram fraturas nas patas depois de serem atropelados em rodovias da região. Uma das fêmeas também perdeu parte da cauda. “No mato, eles não teriam condição de viver machucados como estavam. Agora vai ser fácil readaptarem à natureza”, disse o sargento Renato Souza, da Polícia Militar de Meio Ambiente, que acompanhou a operação de soltura dos bichos.

De acordo com o professor André Quagliatto, responsável pelo setor de animais silvestres do Hospital Veterinário, os tamanduás receberam uma marcação e serão monitorados via satélite. “Isso facilita para quem fiscaliza a rodovia. Podem ser colocadas cercas ou túneis para que não aconteça mais este tipo de acidente”, disse.

A garça foi encontrada com aproximadamente um mês de vida dentro da cidade e entregue à Polícia de Meio Ambiente. Ela foi solta em um córrego no Parque Estadual e terá que reaprender a viver na natureza.

Um lobo-guará fêmea é o mais novo hóspede do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Ela tem 2 anos e foi capturada na última sexta-feira, no bairro Shopping Park, zona sul de Uberlândia. Segundo o sargento André Leonardo Marques, da Polícia Militar de Meio Ambiente, uma moradora do bairro avistou o animal próximo à casa dela e acionou os policiais.

O animal perdeu parte de uma das patas que estava infeccionada. A ferida provavelmente foi causada por atropelamento, segundo o professor do Hospital Veterinário, André Quagliatto.

No hospital, cerca de 150 animais silvestres ainda estão em tratamento. Nesse fim de semana, um filhote de tamanduá-mirim também foi encontrado.

Fonte: Correio de Uberlândia

​Read More
Notícias

Biológos estudam raposa-do-campo

A raposa-do-campo habita exclusivamente as vegetações brasileiras – entre elas o cerrado encontrado na região do Triângulo Mineiro – mas pouco se sabe a seu respeito. Com o objetivo de descobrir as peculiaridades desta espécie, um grupo de biólogos de Araguari criou o Projeto Ecologia e Conservação da Raposa-do-Campo nos Cerrados Brasileiros.

Segundo o biólogo Frederico Gemesio Lemos, devido à devastação do cerrado, a raposa se aproxima cada vez mais das pessoas e dos animais domésticos, podendo gerar um risco para eles. “Não se sabe qual a taxa de raposas que morrem por parvovirose, sindomose e raiva, ou se ela mesma é portadora dessas doenças”, afirmou.

Foto: Frederico Lemos/Divulgação
Foto: Frederico Lemos/Divulgação

A pesquisa para descobrir esta e outras informações consiste em capturar os animais, colher material (como carrapatos e sangue) e rastrear os bichos por meio de coleira com transmissor de rádio. Até o momento, seis raposas foram pegas, das quais cinco foram equipadas com colar. “Pegamos também dois cachorros-do-mato, porque eles ocupam a mesma área da raposa e é um possível competidor”, disse Lemos.

Outra informação que pretende ser coletada é sobre qual área o animal precisa para sobreviver, caso se crie um parque de conservação.

Atualmente o cerrado é dos biomas mais ameaçados, restando menos de 20% de sua cobertura original. Mesmo assim não se sabe se a raposa-do-campo está em extinção. “Na lista da União Internacional para a Conservação da Natureza, a raposa é considerada ineficiente de dados”, disse Lemos.

Espécie é estudada há cinco anos

A espécie vem sendo estudada desde 2004, mas o Projeto Ecologia e Conservação da Raposa-do-Campo nos Cerrados Brasileiros foi criado há cerca de um ano. Além do Triângulo Mineiro, a raposa-do-campo é encontrada no sul da Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e principalmente em Goiás e outras regiões de Minas Gerais. Frederico Lemos pesquisa o animal no Cerrado de Araguari (MG), Cumari (GO), no Parque Nacional Grande Sertão Veredas, na Chapada Gaúcha (MG) e no Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (GO).

Segundo Lemos, este animal é um dos sete canídeos (mamífero da ordem dos carnívoros) menos estudados, dentre os 37 encontrados no mundo.

Fonte: Jornal Correio de Uberlândia

​Read More
Notícias

Raposa é encontrada dentro de uma residência em MG

Uma raposa foi encontrada na tarde de hoje (25), dentro de uma residência, no bairro Jardim Regina, em Araguari. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o animal silvestre estava escondido na garagem, possivelmente fugindo de queimadas ou pela invasão do seu habitat natural.

Foi feito o resgate e a raposa foi levada para a Polícia de Meio Ambiente de Araguari, que deverá entregá-la ao IBAMA.

Fonte: Correio de Uberlândia

​Read More