Notícias

Crocodilo de 500 kg tem a vida ceifada após ser demonizado por aldeões

Reprodução

Um crocodilo de 5 metros de comprimento e 500 kg foi decapitado por aldeões que vivem em um vilarejo na Indonésia. O caso aconteceu na noite de segunda-feira (10).

O animal tinha cerca de 50 anos e foi morto após morder pessoas na região. Uma armadilha foi montada para capturá-lo.

Ter mordido moradores do local, no entanto, não foi o único motivo da morte. A vida do animal foi ceifada porque os aldeões o demonizaram. Segundo uma superstição sustentada pelo vilarejo, o crocodilo era um demônio. As informações são do portal ladBible.

Por conta da crença, o animal teve sua cabeça e corpo enterrados em locais separados. Isso porque os aldeões defendem a ideia de que o espírito do crocodilo pode voltar para assombrá-los se for enterrado de outra forma.

Por conta de seu tamanho, o animal foi transportado por uma escavadeira até o local onde foi feito o enterro.

A agência de conservação animal local tentou resgatar o corpo do crocodilo, mas não conseguiu. Os aldeões se negaram a entregá-lo.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques

Touro sangra até a morte em ritual de sacrifício religioso

Foto: Ruptly
Foto: Ruptly

Um touro foi brutalmente sacrificado por aldeões mexicanos que beberam seu sangue para homenagear o santo padroeiro da cidade.

Um vídeo foi divulgado mostrando os moradores da aldeia Mochitlan, no México puxando o animal amarrado e empurrando-o no chão para depois matá-lo com facas.

O sangue do animal é visto jorrando das feridas feitas no corpo do touro que jaz do lado de fora da igreja.

Atenção, imagens fortes:

O animal indefeso é visto tremendo de dor depois de ser puxado pelo chão, enquanto um homem coleta o sangue que jorra dos cortes em uma tigela.

Momentos depois, os aldeões, incluindo mulheres e crianças, podem ser vistos bebendo copos de líquido que eles acreditam ser “abençoado”.

A “celebração” aconteceu na quarta-feira para homenagear a santa padroeira local, Santa Ana, a mãe da Virgem Maria.

Eduardo Reyes, um dos participantes, disse: “Bem, eles dizem que, se você beber, é como se estivesse bebendo água benta.

“Quando você bebe o sangue de boi que eles estão dando, é como se fosse abençoado, porque o touro foi claramente entregue à igreja, já foi apresentado à vovó Santa Ana.”

Foto: Ruptly
Foto: Ruptly

Após o assassinato, os aldeões desfilaram pelas ruas com uma banda e outros touros.
Jovanny Jimenez Mendoza, prefeito de Mochitlan, disse: “Recebemos uma carta do Vaticano ao padre, na qual eles proibiram essa cerimonia, esses passeios”.

“Não podemos ser proibidos de fazer isso porque faz parte da nossa tradição, essa proibição se opõe à nossa cultura, uma tradição de muitos anos”, disse o prefeito.

Mimi Bekhechi, diretor da Fundação PETA, já havia criticado a morte cruel dos animais, de acordo com o Daily Mail.

Foto: Ruptly
Foto: Ruptly

Ela disse: “Somente o diabo seria honrado se, em seu nome, alguém mergulhasse uma faca no estômago de um touro vivo e cortasse suas orelhas, deixando-o morrer lentamente em agonia e medo.

“Em seu tratado de 2015, ‘Laudato Si ‘, o Papa Francisco falou sobre a importância vital de tratar os animais com gentileza, escrevendo que “todo ato de crueldade contra qualquer criatura é’ contrário à dignidade humana'”, concluiu o diretor da ONG.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
elefantes atacados
Home [Destaque N2], Notícias

Elefantes são atacados por multidão com bombas incendiárias

Uma multidão de pessoas na aldeia de Bishnupur, localizada na Bengala Ocidental, Índia, atacou brutalmente uma elefanta e seu filhote, atirando bombas de fogo contra os animais depois que eles entraram na aldeia. Fotografias mostram os dois elefantes fugindo de um grupo de homens com lanças inflamadas contra eles.

elefantes atacados
Foto: Caters News

Esse tipo de ataque cruel aos animais está se tornando cada vez mais comum no país, onde o crescente desmatamento está destruindo o habitat dos animais selvagens, deixando os elefantes e outras espécies nativas com cada vez menos espaço para se locomover.

As imagens, capturadas pelo fotógrafo Biplab Hazra, destacam o nível extraordinário de violência que as espécies ameaçadas enfrentam quando tentam sobreviver em habitats menores e mais fragmentados. “Estou tentando mostrar isso ao divulgar minhas fotos para aumentar a conscientização pública sobre o assunto,” disse o fotógrafo.

homens com lanças inflamadas
Foto: Caters News

Os elefantes desempenham um papel crucial na manutenção e conservação das florestas do país. O esterco produzido por esses animais, cerca de 100 kg por dia, é um meio-chave de espalhar sementes em germinação, contribuindo para o aumento das áreas florestais.

Os elefantes-indianos estão listados como ameaçados, faltando pouco para entrarem na categoria ‘criticamente ameaçados’. Sua população selvagem caiu mais de 50% desde a década de 1940.

Os tigres também estão enfrentando pressões semelhantes. A crescente população humana da Índia e as vilas e cidades em expansão causaram a diminuição das áreas florestais, reduzindo-as a meras zonas isoladas. Quando os animais tentam se movimentar entre elas, muitas vezes sofrem ataques das pessoas.

​Read More
Notícias

Richard Gere quer que cidade onde Buda alcançou a iluminação seja vegetariana

O ator norte-americano Richard Gere, seguidor da religião budista há 35 anos, decidiu hoje dar incentivo a transformar em região totalmente vegetariana a cidade em que Buda alcançou sua iluminação, onde está de visita nesta quinta-feira.

Na segunda-feira, o astro do cinema chegou a Bodh Gaya, no estado de Bihar, ao norte da Índia, para participar de um seminário de cinco dias dado pelo Dalai Lama.

Foto: EPA
Foto: EPA

“Sou totalmente a favor de transformar Bodh Gaya em uma região vegetariana”, disse Gere antes de assistir a um discurso do líder espiritual budista, em declarações da agência indiana Ians.

Gere disse estar muito feliz por visitar a cidade: “Eu gostaria de voltar várias vezes”, afirmou. O ator encorajou tanto os aldeões quanto os turistas a abandonarem o consumo de qualquer tipo de carne e passar à vida vegetariana.

O ator reuniu-se nesta quarta-feira com o próprio Dalai Lama, segundo afirmou um oficial do mosteiro tibetano de Mahabodhi, que se apressou a esclarecer que Gere é como “qualquer fiel” do líder budista.

Gere participou também de uma passeata convocada pela Sociedade de Tibetanos pelo Vegetarianismo para transformar a cidade de Bodh Gaya em um espaço de comida só vegetariana, como já ocorre com algumas cidades sagradas hindus da Índia.

Richard Gere, que visitou o Dalai Lama em diversas ocasiões, é um dos rostos públicos mais conhecidos da causa tibetana em sua reivindicação de independência da China e sobre a denúncia de ocupação chinesa do Tibete.

O Dalai Lama teve de fugir do Tibete em 1959 e vive desde então junto a seu séquito e milhares de seguidores em Dharamsala, uma localidade situada nos Himalayas indianos.

Fonte: Terra

​Read More