Notícias

Homem salva a vida de gatos presos na neve no Canadá

Para resgatar os gatos, o homem usou café quente e derreteu o gelo que prendia os filhotes


Um homem resgatou três filhotes de gato abandonados que estavam presos em um bloco de gelo na cidade de Alberta, no Canadá.

Motorista de caminhão, ele passava pelo local quando viu os animais em apuros e decidiu ajudá-los. Para conseguir salvar os filhotes, ele usou café quente para derreter o gelo que os prendia.

Reprodução/Redes sociais/RIC Mais

O caso foi divulgado nas redes sociais e comoveu os internautas. Um vídeo do resgate teve mais de 4 mil visualizações. As informações são do portal RIC Mais.

Após o resgate, o caminhoneiro levou os gatos para a sua casa e os alimentou. Em seguida, entregou os filhotes para uma equipe da Sociedade Protetora dos Animais de Alberta.

De acordo com a entidade, nenhuma investigação policial foi iniciada para tentar descobrir quem abandonou os animais. A prática é considerada crime no Canadá.

Depois de serem levados ao abrigo e de receberem os cuidados necessários, os três filhotes foram adotados.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
O urso foi obrigado a ser levado em uma van a uma rede de fast food, onde gravaram o animal recebendo sorvete de um funcionário (Foto: Reprodução)
Notícias

Urso é alimentado com sorvete industrializado em zoo no Canadá

Um urso de apenas um ano nomeado Berkley foi gravado pelo zoológico onde está em cativeiro recebendo sorvete em uma rede de fast food no Canadá. A irresponsabilidade registrada mostra o urso na janela de uma van recebendo sorvete em colheradas de um funcionário da rede de fast food Dairy Queen.

O animal vive no pequeno zoológico Discovery Wildlife Park, em Alberta, no Canadá. O vídeo, de acordo com o proprietário do zoo Doug Bos, tinha como intuito promover o zoo e educar o público para não interagir com ursos selvagens. As imagens foram publicadas no Facebook e, após críticas, foram deletadas.

Em entrevista ao The Dodo, Bos disse: “Qualquer um que assistiu o vídeo inteiro em nossa página no Facebook, a mensagem não era alimentar os ursos na natureza. A coisa toda era para chamar a atenção das pessoas”.

O público, reagindo ao vídeo nas redes sociais, comentou que a mensagem pretendida certamente não foi a mesma mensagem que acabou sendo transmitida pelas imagens absurdas de um urso cativo sendo alimentado por industrializados em uma van dentro de uma rede de fast foods.

“Parece uma maneira louca e contraproducente de tentar transmitir essa mensagem”, disse Rob Laidlaw, diretor executivo da Zoocheck, uma organização de proteção da vida selvagem, ao The Dodo. “A coisa toda foi equivocada e ridícula. Para levar um urso para fora em um veículo para um drive-thru local para tomar sorvete – para mim, isso me dizia: ‘Ei, esses são apenas animais bonitinhos e fofinhos. Eles podem ser tratados como animais domésticos e não precisamos ficar muito preocupados com eles’ ”.

O urso foi obrigado a ser levado em uma van a uma rede de fast food, onde gravaram o animal recebendo sorvete de um funcionário (Foto: Reprodução)
O urso foi obrigado a ser levado em uma van a uma rede de fast food, onde gravaram o animal recebendo sorvete de um funcionário (Foto: Reprodução)

Animais selvagens não são domesticáveis

Em 2005, o famoso tratador de animais Roy Horn quase morreu quando seu tigre de Bengala de 380 quilos o atacou durante uma apresentação em Las Vegas, mesmo o animal tendo sido criado com Roy e treinado há anos.

Bos explicou que o Discovery Wildlife Park é o lar de 10 ursos órfãos, incluindo Berkley, e todos foram treinados para fazer coisas em prol do entretenimento humano. Porém não deve se normalizar o comportamento ‘humanizado’ que é ensinado aos animais selvagens.

A lei em Alberta, no Canadá, também tem restrições sobre quando e como você pode levar animais selvagens para o público, e o zoológico Discovery Wildlife Park não seguiu as regras neste caso, explicou Laidlaw. “Se houvesse uma fuga, o urso acabaria sendo traumatizado, fisicamente ou psicologicamente, ou até mesmo morto”, disse ele. “A situação foi ruim a toda a volta”.

​Read More
Notícias

Província canadense proíbe caça com arpões após vídeo de empalação de urso

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

A província de Alberta, no Canadá, proibiu a utilização de arpões em caças após um caçador norte-americano ter horrorizado o público ao postar, na internet, um vídeo de si mesmo empalando um urso.

O vídeo do norte-americano Josh Bowmar, 26,  se tornou viral na última segunda-feira (15) e foi extremamente criticado, o que ocasionou a mudança na legislação canadense, segundo o Daily Mail.

O urso foi atacado a uma distância de quase 13 metros e o vídeo, de 13 minutos, feito com uma câmera GoPro presa ao arpão, captura o momento exato em que a arma perfura o corpo do animal.

Bowmar, enquanto isso, volta-se para a câmera para comemorar a brutalidade. Tim Chamberlin, porta-voz dos Parques e Meio Ambiente de Alberta, criticou o assassinato do animal e disse que a prática é “arcaica”.

“Estamos no caminho para atualizar a legislação sobre caça em Alberta. Vamos proibir o uso de arpões nos regulamentos atualizados”, declarou.

“Também pedimos que o Departamento de Vida Selvagem e de Pesca investigue este incidente para determinar se podemos fazer acusações ao caçador sob as leis atuais”, completou.

Reprodução/YoutubeBowmar
Reprodução/YoutubeBowmar

“É chocante ver a alegria deste caçador e seu entusiasmo absolutamente terrível para a maioria das pessoas. Os animais não são troféus, e os ursos e outras belas criaturas em todo o mundo precisam de nós para proibir esta brutalidade egoísta”, criticou Wendy Higgins, da Humane Society.

Esta não foi a primeira vez em que Bowmar postou um vídeo de uma caça. Ele e sua esposa Sarah já colocaram uma filmagem terrível na qual decapitam um peru com uma flecha.

O filme – intitulado “Esposa decapita cabeça de peru com um arco!!” foi publicado em 3 de maio de 2015.

O momento do assassinato é exibido repetidas vezes, em câmera lenta, de trás para a frente, e em velocidade regular. Em seguida, o casal posa com o corpo da ave e Bowman gargalha enquanto exibe a cabeça decapitada.

Nota da Redação:   A caça é uma prática repugnante alimentada pela necessidade de poder e dominação do ser humano que deve ser definitivamente abolida. Além da crueldade explícita contra os animais, é responsável por dizimar várias espécies inocentes que merecem ter suas vidas preservadas.

​Read More
Notícias

Quatro bisões são explorados e mortos em produção de filme no Canadá

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/Yukon government
Reprodução/Yukon government

A Humane Society dos Estados Unidos está investigando a morte de quatro bisões explorados em um filme feito em Alberta, no Canadá. O caso foi reportado pela primeira vez no The Hollywood Reporter.

“Quando cheguei ao rancho, vi os assassinos dispararem em quatro bisões e depois os esquartejarem”, disse Dwight Beard, que trabalha no transporte de filmagens locais, diz a CBC.

Quando perguntado se os bisões poderia ter sido mortos por outra razão, Beard disse que é possível, mas improvável.

“Certamente, em minha opinião, eles começaram vivos e acabaram mortos em um set de filmagem, então eu não consigo pensar em qualquer outra razão”, disse ele.

O tutor dos bisões, John Scott, admite que os animais foram mortos para o filme.

Scott disse que corpos de animais verdadeiros foram usados em vez de imitações porque o filme queria mostrar a “pele saindo.”. Ele também não tem certeza de por que os animais reais foram usados em plena era de efeitos especiais e manipulação digital.

O filme “O Solutrean”, do Studio 8 Filmes, é uma adaptação de um livro que segue um jovem, 20 mil anos atrás, enquanto ele luta para retornar a sua tribo.

Roland Lines, o gerente de comunicações da SPCA de Alberta, disse que a associação recebeu um relatório de alegações, mas não tem poder para investigar mais.

“Não teríamos autoridade para investigar isso”, disse ele.

No entanto, ele disse que a SPCA discorda dos assassinatos e dividiu suas preocupações com a Humane Society dos Estados Unidos, que certifica filmes com o seu conhecido rótulo “nenhum animal foi prejudicados na realização deste filme”.

A Humane Society disse que trouxe um investigador “independente” para analisar as denúncias.

Lines enfatizou que se as alegações forem verdadeiras, a situação é “preocupante”, apesar do fato de nenhuma lei ter sido violada.
“Acreditamos que a grande maioria dos cidadãos de Alberta ficaria indignada ao saber que algo como isso ocorreu”.

“Certamente, se for descoberto que essas alegações são verdadeiras, gostaríamos de ver uma forte reação dos ativistas e até mesmo da província, do ministro da cultura, nós gostaríamos de ver algum tipo de declaração de que este tipo de prática não deve acontecer nos sets de filmagem em Alberta.”

​Read More
Notícias

Gato ferido é encontrado dentro de mochila em lixo

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/AlbertaAnimalServices
Reprodução/AlbertaAnimalServices

Uma mulher em Alberta, no Canadá, retirava seu lixo quando encontrou uma mochila na lata. Preocupada, ela abriu a mochila e encontrou outro saco amarrado e fechado.

Com a ajuda de seu parceiro, a mulher abriu o saco e os dois encontraram um gato, diz o The Dodo.

A mulher chamou imediatamente o Serviço de Animais de Alberta, que imediatamente prestou socorro ao gato. O animal teve traumatismo craniano grave e ninguém sabia se ele iria sobreviver, afirmou Erica Coomber, diretora de operações do Serviço de Animais local.

Reprodução/AlbertaAnimalServices
Reprodução/AlbertaAnimalServices

Depois de muitos exames, foi constatado que o gato havia sido sufocado, o que gerou problemas neurológicos e cegueira. Ele também tinha uma pélvis quebrada e estava faminto.

“Neste ponto, seus problemas neurológicos não estão melhorando. Esse gatinho passou por algo terrível e esperamos e rezamos para que possamos ajudá-lo a enfrentar isso e que ele se recupere completamente.”, disse Coomber.

O gato ainda não tem um nome, mas o abrigo está considerando o nome Hiro, inspirado em personagem da série de televisão “Heroes”.

​Read More
Notícias

Cachorrinha atropelada, faminta e com 5 filhotes para amamentar adota gatinho

(da Redação)

Mesmo com fortes dores causadas pelo atropelamento, Esperanza amamentavaos cinco filhotes e um gatinho abandonado como ela. Foto: HANDOUT

Uma cachorrinha SRD abandonada e com cinco filhotes para amamentar deu um lindo exemplo de solidariedade para os moradores da cidade de Alberta, no Canadá. Mesmo ferida por ter sido atropelada e com fome pelo abandono, Esperanza, como foi batizada, adotou para sua ninhada um gatinho bebê.

Criss Gerwing, que dirige um grupo de salvamento de animais, encontrou Esperanza e se surpreendeu ao ver que ela amamentava seus cães e um gatinho. “Eu chorei porque ela estava em péssimas condições, com a perna ferida, mas ela estava amamentando, obviamente, e fazia o mesmo com o gatinho”, disse Gerwing ao Winnipeg Free Press.

Gerwing levou a família inteira para a Humane Society Edmonton, onde os veterinários achavam que teriam que amputar a perna ferida da mamãe canina. Mas o veterinário Milton Ness, que se refere a Esperanza como uma “alma especial” se ofereceu para fazer uma cirurgia que salvou a parte posterior de Esperanza.

“Ela é uma cadela doce. Ela tem uma personalidade maravilhosa. É incrível quando você reflete sobre isso. Você encontra essa cadela, que dá de si mesma, cuidando desses filhotes recém-nascidos e do gatinho, certificando-se sempre que estão bem, embora ela obviamente estivesse com muita dor”, disse um dos representantes da Humane Society.

Jacob, o gato, já tinha quatro meses de idade e não deveria estar sendo amamentado, então veterinários da Humane Society fizeram o trabalho de desmame e ele agora está sendo cuidada por uma funcionária, segundo informou o Winnipeg Free Press.

A funcionária o leva ao abrigo todos os dias para visitar sua mãe adotiva e seus bebês. Seus meio-irmãos caninos são jovens demais para prestar muita atenção a ele – os olhos mal estão abertos – mas Esperanza fica sempre feliz ao ver Jacob e lhe dá muitas lambidas.

O passado de Esperanza é um mistério. Ninguém se apresentou procurando por ela, mas ela está bem socializada.

A mãe devotada está se recuperando bem. Ela e seus filhotes irão para lares provisórios até que sejam encontrados lares definitivos para eles. A Humane Society gostaria de ver Esperanza e Jacob serem adotados juntos.

A Humane Society declarou que  “essa história é comovente, especialmente nesta época do ano, as festas de Natal. Aqui você tem a verdadeira imagem de uma família”.

​Read More
Notícias

Grupos de direitos animais entram em cena para ajudar a libertar a elefanta Lucy, no Canadá

Por Karina Ramos (da Redação)

A luta para retirar a elefanta Lucy do Zoológico do Vale de Edmonton atingiu seu ápice agora que os grupos de direitos animais obtiveram representação legal.

Imagem: Reprodução/CBC News
Imagem: Reprodução/CBC News

O Zoocheck Canadá e a PETA (Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais) conseguiram uma opinião legal escrita pelo eminente advogado Clayton Ruby, em Toronto, Canadá.

Ruby disse que, a menos que a cidade de Edmonton concorde em enviar Lucy para um santuário na Califórnia até o dia 19 de novembro, ele irá instaurar um processo alegando que a cidade está violando a Lei de Proteção Animal de Alberta ao manter o elefante doente e em sofrimento. “Este é um elefante muito doente”.

“Ela está estressada devido ao tédio, se tornou obesa por causa da falta de exercício e tem artrite”, disse Ruby. “Manter um animal nessas condições viola a lei de proteção animal”.

Ruby disse que vai argumentar que o zoológico também está violando alguns padrões ao deixar Lucy sozinha.

Fonte: Metro News

Nota da Redação: Zoológicos são lugares inadequados aos animais, os quais devem viver livres em seus habitats naturais. A sociedade deve compreender, em definitivo, que só o fato de existir o confinamento desses seres em ambientes artificiais já caracteriza crime de violação dos direitos animais. Essa elefanta representa milhares de outras vítimas, que sofrem todos os dias.

​Read More
Notícias, ÚLTIMAS NOTÍCIAS

PETA faz campanha contra o massacre de focas canadenses

Por Renan Vicente de Andrade (da Redação)

Foto cedida por maaadddog.wordpress.com
Foto cedida por maaadddog.wordpress.com

Com os rostos ensanguentados se sobressaindo nas argolas Olímpicas em um banner [em que lê-se: “Parem com a vergonha Olímpica do Canadá”], membros do PETA farão um protesto em um movimentado cruzamento de Calgary, Alberta – Canadá – nesta sexta-feira para protestar contra o abate anual de focas canadenses. A ação faz parte da campanha que o grupo de defensores dos direitos dos animais faz, que continuará até os Jogos de Inverno de 2.010 em Vancouver, Canadá.

Quando: sexta-feira, 28 de agosto às 12:00 (meio-dia)
Onde: Cruzamento da Oitava avenida com a Segunda rua em Calgary.

Os caçadores atiram nestes gentís e pacíficos animais ou golpeiam com força suas cabeças, e os filhotes têm, frequentemente, suas peles retiradas enquanto ainda estão vivos e suas mães assistem ao massacre sangrento – e covarde – sem poder ajudar. 3/4 dos, aproximadamente, 300.000 filhotes de foca que morreram não foram vendidos (as peles), neste ano. Em parte, porque o preço da pele da foca despencou, conforme cresceu a intolerância internacional ao massacre. A União Européia e os EUA baniram produtos que provenham de focas, e líderes mundiais – incluindo Barack Obama e Vladmir Putin (que caça ursos) – têm deposto contra o assassinato massivo.

“Conforme o mundo deposita sua atenção nos Jogos de Vancouver, milhões irão também observar a vergonha canadense”, diz a vice-presidente executiva do PETA, Tracy Reiman. “Se o Canadá quer limpar sua imagem com o mundo para as Olimpíadas de Inverno, a primeira coisa a se fazer é proibir o universalmente condenado massacre das focas”.

Fonte: PETA

​Read More