Notícias

Greta Thunberg diz que a força das crianças e adolescentes é subestimada no combate à crise do clima

Foto: Twitter/Greta Thunberg
Foto: Twitter/Greta Thunberg

Greta Thunberg diz que as pessoas “subestimaram a força de crianças e adolescentes zangadas” quando se trata da defesa do planeta e do seu futuro.

A adolescente ativista pelo clima fez o comentário durante uma entrevista concedida em 3 de dezembro.

Viajando

Thunberg passou três semanas navegando da Virgínia, nos EUA, para Lisboa, Portugal.

Ela estava a caminho da cúpula climática da COP25 em Madri. O evento anteriormente estava programado para ocorrer no Chile, mas teve que se mudar para a Espanha devido aos distúrbios civis no país – o que significa que Thunberg teve que atravessar o Atlântico.

Foto: Twitter/Greta Thunberg
Foto: Twitter/Greta Thunberg

Ela escolheu velejar e pegar trens em vez de voar ou dirigir em uma tentativa de reduzir seu impacto ambiental, pegando carona em um catamarã de vela de 48 pés chamada La Vagabonde, que usa painéis solares e hidro-geradores para obter energia.

“Nós estamos zangados”

Falando a repórteres em Lisboa, depois de ser informada de que algumas pessoas a vêem como uma pessoa sempre “zangada”, Thunberg disse: “As pessoas estão subestimando a força das crianças e adolescentes zangados”.

“Estamos bravos, frustrados e é por boas razões. Se eles querem que paremos de ficar bravos, talvez devam parar de nos deixar bravos”.

Enquanto isso, a ministra do Meio Ambiente do Chile, Carolina Schmidt, elogiou Thunberg por seu ativismo climático, dizendo: “Ela é uma líder capaz de mover e abrir corações de muitos jovens e muitas pessoas em todo o mundo. Precisamos dessa força tremenda para aumentar as ações pelo clima”. As informações são do Plant Base News.

 

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques, Notícias

Vídeo mostra adolescentes torturando veado até a morte

Foto: Facebook
Foto: Facebook

Um vídeo compartilhado nas redes socais mostrando dois meninos batendo em um cervo ferido que havia sido baleado se tornou viral na internet e resultou em uma investigação da Comissão de Caça da Pensilvânia, estado americano.

Nas imagens violentas, filmadas na cidade de Brookville, no estado da Pensilvânia (EUA), os meninos podem ser vistos chutando o animal no rosto, puxando seus chifres e pisando em sua garganta, enquanto o veado está vivo e caído no chão.

Quando o ataque ocorre, os meninos podem ser ouvidos rindo enquanto agridem o cervo e se perguntando se ele “ainda estaria vivo mesmo”.

No domingo (01), o vídeo foi enviado ao Facebook, onde foi compartilhado mais de 8 mil vezes.

O vídeo perturbador mostra os dois adolescentes agredindo o cervo ferido até a morte e depois pegando um dos chifres e puxando até arrancar.

Os dois adolescentes que seriam moradores locais chamados Cody Hetrick e Alex Smith, praticaram o ato de violência contra o animal ferido em uma área verde, aparentemente uma floresta na região, segundo informações do Daily Mail.

Relatos afirmam que os dois adolescentes são da cidade de Brookville, mas não está claro onde exatamente na cidade o vídeo foi filmado.

Foto: Facebook
Foto: Facebook

De acordo com usuários de mídias sociais, Hetrick compartilhou o vídeo no Snapchat (rede social de vídeos). Os usuários que viram salvaram o vídeo, printaram as telas com os nomes dos autores e o postaram online para levar os abusadores à justiça.

Outros usuários da rede sociais que presenciaram as imagens iniciaram uma petição on-line pedindo por justiça.

O departamento responsável está agora investigando o vídeo. Os meninos ainda não foram acusados legalmente.

Foto: Facebook
Foto: Facebook

Em resposta ao clamor público, a Comissão de Caça da Pensilvânia disse que “está atualmente investigando o assunto”.

“A Comissão de Caça da Pensilvânia está ciente da divulgação de um vídeo mostrando indivíduos agredindo um cervo ferido”, escreveu a agência estadual nas mídias sociais. “A conduta retratada no vídeo é repreensível e potencialmente uma violação da lei”.

A agência também solicitou que qualquer pessoa com informações relacionadas ao incidente a reportasse às autoridades.

Agressor Alex Smith | Foto: Facebook
Agressor Alex Smith | Foto: Facebook

Na semana passada, o presidente Trump assinou um projeto de lei bipartidário que torna a crueldade animal um crime federal punível com multas e até sete anos de prisão. As leis em todos os 50 estados já incluem disposições criminais por crueldade contra animais, mas o novo projeto ajudaria os promotores a lidar com casos de abuso de animais nas fronteiras estaduais, de acordo com grupos de direitos animais.

A lei não se aplica a pessoas que matam animais como alimento ou a quem caça, usa armadilhas e pesca.

Agressor Cody Hetrick em vídeo | Foto: Facebook
Agressor Cody Hetrick em vídeo | Foto: Facebook

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Adolescentes agridem carneiros e arrancam seus chifres

Foto: Hampshire Police/Solent News
Foto: Hampshire Police/Solent News

Adolescentes cruéis atacaram carneiros espancando-os com paus, atirando-lhes tijolos e arrancando seus chifres, o que deixou um parque rural parecendo “uma cena de assassinato”, de acordo com relatos apresentados a um tribunal inglês.

A gangue ria enquanto atacava e feria os animais e um garoto de 14 anos deu uma paulada com um pedaço de madeira em uma ovelha antes de montar no animal.

Quando a polícia foi chamada para atender a denúncia do crime grotesco, os oficiais contam que os quatro jovens – três meninos e uma menina – disseram que estavam apenas “se divertindo”.

O tribunal ouviu um policial dizer “o nível de sangue no local equivalia a uma cena de assassinato”, o crime aconteceu no Alver Valley Country Park, em Gosport, Hampshire, Inglaterra.

Foto: Hampshire Police/Solent News
Foto: Hampshire Police/Solent News

Dois dos meninos também atacaram carneiros – arrancando o chifre de outro animal – dois dias antes.

A promotora Lucy Linington disse ao Tribunal da Juventude de Portsmouth na Inglaterra, que uma testemunha havia chamado a polícia depois de avistar a quadrilha atirando tijolos nas ovelhas e carneiros em 1º de maio deste ano.

Ela disse: “Eles estavam rindo e não tinham consciência do nível de dano e depravação infligidos aos animais indefesos”.

“Os ferimentos sofridos por alguns carneiros foram tais que seus chifres foram totalmente removidos”.

A promotora disse que as ovelhas e carneiros estavam “ofegantes, angustiados, e claramente sentindo muita dor”. Linington disse ainda que um membro da gangue havia dito: “Isso é divertido”.

A menina de 15 anos e os dois meninos, um de 14 anos e outro de 13, nenhum dos quais pode ser identificado por causa da idade, foram condenados pelo juiz por sua crueldade.

Na sentença, o juiz distrital Anthony Callaway disse: “Este é um ato bastante grotesco. A maioria das pessoas ou qualquer ser humano decente ficaria revoltado com o que vocês fizeram”.

“Tratar animais indefesos dessa maneira e armar-se para fazê-lo de forma ainda mais cruel é nojento”.

“Se vocês fossem maiores iam direto para a prisão e mereciam ir para a cadeia mesmo. Gostaria de mandar todos para a prisão, mas a lei diz que não posso fazer isso”.

O juiz impôs uma ordem de encaminhamento para um centro de reabilitação de jovens com duração de 12 meses para a menina de 15 anos e ao menino de 14 anos, ambos da cidade de Gosport. Eles admitiram causar sofrimento desnecessário a um animal protegido por lei.

O garoto de 13 anos recebeu uma extensão de nove meses para uma ordem de encaminhamento ao centro de reabilitação, já vigente, de três meses.

Ambos admitiram duas acusações de crueldade contra animais. As informações são do Daily Mail.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques, Notícias

Ouriço é morto por explosão de fogo de artifício preso a sua cabeça

Imagem ilustrativa | Foto: iStock/Getty
Imagem ilustrativa | Foto: iStock/Getty

Um ouriço foi cruelmente morto após criminosos amarrarem um fogo de artifício a sua cabeça e detonarem o dispositivo – o crime ocorreu em Lancashire, na Inglaterra.

Os ferimentos do animal foram tão graves que ele teve de ser induzido à morte em Pendlebury Close, Longton, na noite de 8 de novembro.

A polícia de Lancashire disse em um post no Facebook: “É uma grande tristeza dizer que o ouriço teve que ser sacrificado devido à extensão dos ferimentos decorrente da explosão”.

“Solicitamos que qualquer pessoa que possa ter alguma informação sobre esse incidente se apresente”, dizia o texto da publicação.

As autoridades responsáveis pediam ainda, que qualquer pessoa com informações ligasse para a polícia sendo que poderia fornecer as informações anonimamente.

Revolta nas redes sociais

O triste incidente ocorre em seguida de milhares de residentes de Staffordshire e Stoke-on-Trent (cidades inglesas) terem assinado uma petição pedindo a proibição da venda de fogos de artifício ao público em geral.

Foto: RSCPA
Foto: RSCPA

A notícia da morte do ouriço foi recebida com uma onda de raiva e revolta nas mídias sociais.

Um comentário dizia: “Isso é doentio! Um ato de uma mente muito perturbada, não de um comportamento normal para infligir tanta dor a um animal vivo.  Se alguém sabe quem fez isso, faça a coisa certa e denuncie o culpado agora!”.

Outra mulher escreveu: “Vou fazer uma doação para o Preston Hedgehog Rescue – seria fantástico que as pessoas se sentissem tão fortemente tristes ou zangadas pelo pobre pequeno animal e ajudassem todos os outros ouriços e animais aos cuidados do Preston Hedgehog Rescue (Centro de Resgate de Ouriços de Preston). Não podemos salvar esse pobre ouriço, mas podemos tentar ajudar a salvar todos os outros”.

Em sua página no Facebook, o Preston Hedgehog Rescue disse que foi inundado com pedidos para dar lar temporários aos ouriços e estava trabalhando com esses voluntários.

O Centro de Resgate criou uma página de angariação de fundos, Help the Hedgehogs (Ajude os Ouriços) de Preston e arredores.

E um usuário do Facebook, falando sobre a morte do animal, perguntou: “Como eles podem fazer isso com um doce ouriço?”

Mais crueldade contra ouriços

O incidente acontece apenas alguns dias depois que dois meninos, de 11 e 14 anos, admitiram, em um tribunal inglês, chutar um ouriço até a morte.

Os estudantes se depararam com o animal indefeso, apelidado de “Little Man” (Homenzinho) pelos habitantes locais, em Hayton Close, Sunderland, em setembro.

A polícia, que investiga o ataque, descobriu outros vídeos de crueldade contra animais em um dos telefones dos garotos. Os filmes incluíam os jovens incentivando um cachorro a ferir fatalmente filhotes de coelhos e pombos.

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

No Tribunal de Magistrados do Sul de Tyneside os meninos se declararam culpados de cinco crimes contra a vida selvagem. Eles foram encaminhados para a equipe de jovens infratores e uma das opções de sentença é a reeducação por meio do voluntariado em uma instituição de caridade pela vida selvagem.

A polícia permanece investigando o caso do ouriço morto pela explosão do fogo de artifício e procurando pelos responsáveis pelo ato de crueldade.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Coelho é torturado por adolescentes em vídeo doentio

Foto: 9 News
Foto: 9 News

Um vídeo perturbador, divulgado nas redes sociais, mostra um grupo de jovens rindo enquanto despejam um coelho em álcool e jogam seu corpo para cima.

A filmagem cruel, compartilhada na internet sábado à noite e divulgada pelo canal australiano de televisão, Nine News, mostra jovens jogando o coelho de um lado para o outro em uma propriedade rural perto de Waroona, ao sul de Perth, Austrália.

O grupo é filmado sacudindo o coelho, gritando, derramando álcool sobre ele e chutando-o como uma bola de futebol enquanto outros assistem e aplaudem.

O grupo de jovens pode ser ouvido rindo enquanto os demais continuam abusando do animal.

Eventualmente, um dos agressores é visto atirando o coelho o mais longe que pode pelo pescoço.

Depois de provocar indignação on-line, vários dos envolvidos excluíram suas contas das mídias sociais.

Josiah Peck disse que foi uma das pessoas que filmou o incidente, mas insistiu que o coelho estava morto quando o encontraram.

Foto: 9 News
Foto: 9 News

Ele também disse que queria sinceramente se desculpar por ficar de lado, sem fazer nada e filmar o incidente, dizendo que cometeu um “erro” típico de bêbado.

Sob a Lei de Bem-Estar Animal da Austrália Ocidental de 2002, prevê que o cidadão considerado culpado de crueldade contra animais pode ser condenado a uma pena máxima de 27.500 a 5.500 dólares de multa com pena de prisão

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques

Bezerros são torturados até a morte por adolescentes em escolas de touradas

Uma menina de 15 anos é filmada treinando golpes no touro jovem que é perfurado sete vezes por uma lança antes de desfalecer agonizante no chão


 

Foto: Pen News
Foto: Pen News

Além de serem torturados cruelmente nas arenas, com sua morte servindo de entretenimento para a plateia, os touros mais jovens, muitos apenas bezerros, são usados para ensinar adolescentes a matar em escolas de touradas.

As escolas de touradas na Espanha são verdadeiros palcos de tortura onde jovens, mal saídos da infância, são ensinados a matar touros. As imagens flagram o momento em que uma menina de 15 anos fere com sete golpes de “banderilla” (espécie de lança comprida e afiada e enfeitada usada por toureiros) um filhote de touro até matá-lo

Imagens do cruel evento que ocorreu em Esquivias, na Espanha, foram divulgadas por ativistas do grupo de defesa animal Animal Guardians com o objetivo de conscientizar o público e expor o sofrimento a que são submetidos os touros.

No vídeo, o jovem touro exausto já está perfurado por quatro bandarilhas quando a garota tenta espetá-lo com uma espada.

Mas sua inexperiência a impede de dar um golpe mortal, forçando o animal a suportar pelo menos mais sete facadas antes que ele desmaie.

A filmagem também mostra crianças recebendo troféus grotescos – orelhas arrancadas dos filhotes de touro agonizantes, cada um com menos de dois anos de idade.

No passado, os ativistas só podiam especular a idade dos jovens participantes, mas desta vez eles conseguiram confirmar que a menina tinha 15 anos e que um outro garoto que participava tinha 17 anos.

Foto: Pen News
Foto: Pen News

Marta Esteban, do Animal Guardians, disse que esses eventos podem distorcer a maneira como os jovens entendem a violência.

Ela disse ao Daily Mail: “Consideraríamos uma forma de entretenimento ver meninos e meninas torturando cães e gatos ou até ovelhas? Por que é diferente com touros? Claramente não é”.

“Permitir que crianças torturem e matem animais, causando um sofrimento imenso a esses seres, especialmente como um espetáculo público, é um atentado à sua integridade física e mental.

Foto: Pen News
Foto: Pen News

“Esse tipo de ‘treinamento’ acaba com a empatia deles com o sofrimento alheio e abre a porta para mais violência – mesmo que seja apenas para entretenimento”.

“Isso também anula os direitos da criança de viver em um ambiente livre de violência.”

A mais recente indignação com esses episódios sádicos ocorreu nas redes sociais com a onda de revolta pelo uso de matadores que são nada mais que crianças, em que o comediante e ativista pelos direitos animais, Ricky Gervais, classificou a academia de touradas como uma escola de m**** em um post na internet.

Foto: Pen News
Foto: Pen News

O sangrento espetáculo em Esquivias, a cerca de 34 quilômetros ao sul de Madri, foi realizado para “homenagear” as mulheres da cidade, mas teve pouca participação do público.

Carmen Ibarlucea, presidente do movimento contra touradas La Tortura No Es Cultura (Tortura não é Cultura), rejeitou publicamente a homenagem.

“Homenagens às mulheres – desse tipo, como as touradas – são uma tradição a ser extinta”, disse ela.

“Exibir menores de idade exercendo violência contra animais não é uma maneira de promover a igualdade, e isso contraria a proteção das crianças que a Espanha assumiu o compromisso de defender”.

Foto: Pen News
Foto: Pen News

Esteban disse que o programa foi realizado com o apoio do estado, acusando o governo da região e o conselho da cidade de apoiá-lo.

Ela continuou: “Como estamos sendo ignorados, pedimos aos cidadãos de todo o mundo que nos ajudem e escrevam para embaixada da Espanha de seus países e exijam o fim dessas práticas”.

“Do nosso lado, continuaremos a expor esses eventos cruéis e denunciá-los a instâncias mais elevadas até sermos ouvidos”.

O governo regional de Castilla-La Mancha e o conselho da cidade de Esquivias foram contatados para comentar pelo Daily Mail porém não se posicionaram até o fechamento da matéria.

Foto: Pen News
Foto: Pen News

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Notícias

Canguru luta pela vida após ser atacado por gangue de adolescentes

The Sun/Reprodução
The Sun/Reprodução

As poucas chances de sobrevivência de um canguru que escapou de um ataque violento já são uma vantagem para o animal que foi agredido por uma gangue de adolescentes que atirou no marsupial indefeso em uma tentativa cruel de lhe infligir dor.

Armados com estilingues, os meninos perseguiram o canguru aterrorizado em um parque de Windsor, na Inglaterra, na quarta-feira, antes de atirar nele com projéteis de chumbo e deixá-lo ferido na grama para morrer.

E enquanto o canguru estava se contorcendo no chão, um dos cinco jovens, que se acredita-se ter em torno de 15 anos, disse: “Ele atirou no canguru. O tiro certeiro pegou ele. Matem ele meninos, ele é malvado”.

Foto: Daily Mail/Reprodução
Foto: Daily Mail/Reprodução

O ato covarde de crueldade, que aconteceu perto de um playground infantil, em Dachet, Berkshire, deixou o canguru à beira da morte com apenas 50% de chance de sobreviver aos ferimentos.

A princípio, os rapazes acharam que era uma lebre que estava deitada no chão, então atiraram nela”, disse uma fonte ao Sun.

“Ele deu um pulo e começou a correr, mas depois começou a cair, perder o equilíbrio.”

Foto: Daily Mail/Reprodução
Foto: Daily Mail/Reprodução

Imagens de vídeo comoventes mostram os bandidos correndo atrás do canguru enquanto ele atravessa o parque.

Um deles grita: “Olhem o canguru, meninos!” Antes que o animal de repente se curve e caia no chão.

Quando os bandidos se aproximam do canguru ferido, ele se levanta e sai pulando para longe.

Mas só consegue pular por poucos metros antes de cair mais uma vez, enquanto um dos adolescentes afirma animadamente “foi baleado”.

A área, que fica a menos de duas milhas do Castelo de Windsor, supostamente tem um problema com uma gangue específica que tem como alvo animais selvagens.

Foto: Daily Mail/Reprodução
Foto: Daily Mail/Reprodução

Um morador disse: “No mês passado, eles chutaram uma gaivota como uma bola de futebol na frente de todos. O pássaro morreu 15 minutos depois”

“Qualquer coisa que voe será atingida – eles mataram até cisnes.”

Matthew Ford, que trabalha para o grupo especializado em reabilitação de animais Specialist Wildlife Services, escreveu: “Ele está descansando, mas há 50% de chance de morrer de estresse”.

Um porta-voz da polícia disse: A polícia de Thames Valley foi chamada por volta das 5 da tarde de quarta-feira para informar que um wallaby (tipo de canguru) fora visto em um parque em Allen Way, Datchet.

“O animal foi resgatado em segurança e está agora sob os cuidados de especialistas em vida selvagem.”

Foto: Daily Mail/Reprodução
Foto: Daily Mail/Reprodução

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

​Read More
Destaques

Elefantes jovens formam grupos para se proteger de caçadores e fazendeiros

Foto: FEP/Nishant Srinivasaiah
Foto: FEP/Nishant Srinivasaiah

Elefantes asiáticos ameaçados de extinção estão formando “gangues” para se proteger de caçadores e fazendeiros quando procuram por comida, dizem especialistas.

Os animais, que em sua maioria são adolescentes, estão formando grupos exclusivamente de elefantes do sexo masculino para entrar em áreas onde o risco de contato com humanos é alto – como em áreas de cultivo de colheitas ou de desmatamento.

Além de se protegerem, o extraordinário desenvolvimento evolucionário também ajuda a garantir sua capacidade reprodutiva, afirmam os pesquisadores.

Os cientistas dizem que os corpos dos elefantes mais jovens são mais atraentes para as elefantas do que para os seus pares mais velhos, e que o agrupamento em grupos os torna mais visíveis.

Foto: FEP/Vinod Kumar
Foto: FEP/Vinod Kumar

O estudo inovador, conduzido pelo Instituto Nacional de Estudos Avançados em Bengaluru, na Índia, foi baseado em uma análise de 1.445 fotografias de 248 indivíduos do sexo masculino.

As imagens – coletadas no sul da Índia durante dois anos – mostram os jovens animais formando grandes grupos de machos ao entrar em áreas não-florestais e fazendas.

Os jovens sexualmente imaturos viviam principalmente em grupos mistos, enquanto os machos adultos eram em sua maioria solitários – de acordo com a reputação dos elefantes machos como solitários e anti-sociais.

O biólogo especialista em elefantes Nishant Srinivasaiah, doutorando no instituto, é o responsável pela da pesquisa.

Ele disse: “Os elefantes asiáticos machos são conhecidos por adotar uma estratégia de busca por alimento (forrageamento) de alto risco (e alto retorno), aventurando-se em áreas agrícolas e alimentando-se de colheitas com itens nutritivos, a fim de melhorar sua aptidão reprodutiva.

Foto: FEP/Nishant Srinivasaiah
Foto: FEP/Nishant Srinivasaiah

“formulamos uma hipótese com os altos riscos para a sobrevivência causados pelo aumento da urbanização e, muitas vezes, as paisagens imprevisivelmente transformadas em campos de produção de alimentos podem exigir o surgimento de estratégias comportamentais que permitam que os elefantes machos persistam em tais lugares”.

Srinivasaiah disse que os maiores grupos de elefantes adolescentes foram encontrados onde havia abundância de culturas e água.

“Esses indivíduos tendem a ter melhor condição corporal em comparação com homens adultos solitários”, disse o biólogo.

“Isso indica que a formação de grupos em jovens do sexo masculino pode ser um comportamento adaptativo para melhorar a aptidão reprodutiva em áreas com ótimos recursos, mas com alto risco de contato humano”.

“Também descobrimos que esses machos, quando não estão em risco, permanecem em grande parte solitários em habitats florestais, o que está de acordo com estudos anteriores sobre elefantes asiáticos”, disse Srinivasaiah.

Na sociedade dos elefantes, ao atingir a adolescência, os machos normalmente deixam a família em busca de fêmeas sem vínculo consanguíneo para se relacionarem sexualmente em áreas ricas em comida e bebida, onde possam se estabelecer.

Foto: FEP/Nishant Srinivasaiah
Foto: FEP/Nishant Srinivasaiah

Mas isso está mudando, devido à atividade humana. O estudo foi realizado em uma região próxima das principais cidades e vilas, como Bangalore – apelidada de “Vale do Silício da Índia”.

O local sofreu grandes alterações no uso da terra com o aumento da população, agricultura, construção de estradas e expansão urbana – tudo em detrimento da cobertura florestal e dos habitats naturais de elefantes.

A engrenagem social dos elefantes também foi encontrada em gangues que buscavam por alimento em terras cultivadas. Esta “estratégia” de gerenciamento de risco melhora a chance de sobrevivência.

Compreender a evolução do comportamentos dos animais pode ajudar nos conflitos entre humanos e elefantes – e consequentemente evitar a perda dos animais ameaçados, disseram eles.

Srinivasaiah disse: “Nós mostramos que os elefantes asiáticos exibem um comportamento sensível à socialização, particularmente a formação de grupos masculinos estáveis e de longo prazo, tipicamente em áreas que não possuem presença de florestas ou que sofreram modificação pela ação humana ou são altamente fragmentadas.

“Eles continuam solitários ou associados em grupos mistos, no entanto, dentro de habitats florestais”.

Esses novos e grandes grupos exclusivamente masculinos podem constituir uma estratégia única de história da vida para os elefantes machos nas paisagens de alto risco, mas também de excelentes recursos do sul da Índia.

Isso pode ser especialmente verdadeiro para os adolescentes, que pareciam efetivamente melhorar sua condição corporal ao explorar cada vez mais os recursos disponibilizados pelo homem, quando reunidos em grupos masculinos.

“Essa observação reforça nossa hipótese de que tais comportamentos emergentes provavelmente constituem uma estratégia adaptativa para os elefantes asiáticos machos que podem ser forçados a enfrentar cada vez mais ambientes intrusivos provocados pelo homem”.

O elefante asiático é encontrado em todo o subcontinente indiano e sudeste da Ásia – incluindo Nepal, Sumatra e Bornéu.

Ele foi declarado em perigo pela Lista Vermelha da IUCN desde 1986. A população da espécie diminuiu em pelo menos 50% nas últimas três gerações devido à perda de habitat e à caça.

O elefante asiático é menor do que o seu homólogo africano, que é classificado como vulnerável.

As conclusões completas do estudo foram publicadas na revista científica Scientific Reports.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

 

​Read More
Notícias

Alunos agridem e jogam cão do segundo andar de escola em Canoas (RS)

Dois alunos, de 13 e 16 anos, agrediram um cachorro com chutes e pontapés e, em seguida, o arremessaram do segundo andar da escola Thiago Wurth, no bairro Mathias Velho, em Canoas, no Rio Grande do Sul. O cão foi resgatado, nesta quarta-feira (5), com ferimentos e encaminhado a uma clínica veterinária. O resgate foi feito por professores da instituição.

Foto: Pixabay / Ilustrativa

Apesar dos maus-tratos que sofreu, o animal não corre risco de morte e está em observação na clínica. Ele era conhecido dos alunos e funcionários da escola, já que vivia no local há algum tempo. As informações são do portal Correio do Povo.

Os jovens que agrediram o animal foram detidos pela polícia e levados para a Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente de Canoas. Eles confessaram o crime. Depois dos maus-tratos que cometeram, os adolescentes tiveram que ser protegidos pela polícia, já que outros alunos, revoltados com o caso, tentaram linchá-los.

“Foi uma crueldade absurda. A queda foi de cerca de sete metros. Os dois assumiram o que fizeram, inclusive coletamos a informação que, depois de terem cometido a série de agressões ao animal, ameaçaram professores e outros alunos que estavam próximos”, contou o delegado regional da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ª DPRM), Mario Souza.

Souza disse que a crueldade dos adolescentes chama a atenção. “Não é comum um caso desse tipo, com tamanha violência. Cometeram maus-tratos simplesmente para agredir, por pura maldade”, disse.

Aos policiais, testemunhas afirmaram que os dois jovens costumam maltratar cães abandonados na cidade. Eles irão responder por um ato infracional por crueldade contra animais e ameaça. “A direção da escola fez muito bem em nos acionar. Os pais dos envolvidos serão chamados à delegacia para que possam colaborar com o caso”, afirmou.

De acordo com o delegado, a ação foi realizada dentro da Operação Arca, criada para proteger os animais nas cidades de Canoas, Esteio, Sapucaia do Sul, Eldorado do Sul, Guaíba e Nova Santa Rita. “Quando chegamos havia muitas denúncias de maus-tratos de forma geral, então resolvemos montar a inteligência e apurar, imediatamente, toda denúncia que chega”, disse Souza.

Denúncias de maus-tratos a animais na região podem ser feitas para a Polícia Civil pelo telefone 3425-9063 ou através do WhatsApp no número 98459-0259.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. Doe agora.


​Read More
Jornalismo cultural, Notícias

Segundo pesquisa, 70% dos britânicos de 8 a 16 anos querem mais opções veganas e vegetarianas nas escolas

Por David Arioch

A conclusão é baseada em um questionário respondido por mil jovens (Foto: Getty)

Uma pesquisa conduzida pela empresa de produtos vegetarianos Linda McCartney Foods revelou que 70% dos britânicos na faixa etária de 8 a 16 anos querem mais opções veganas e vegetarianas nas escolas. A conclusão é baseada em um questionário respondido por mil jovens.

Entre os jovens que não consomem carne, 44% afirmaram que a principal motivação é ser “mais gentil com os animais”. Já 31% apontaram em primeiro lugar a preocupação com o meio ambiente, seguido por 19% que justificaram a abstenção como sendo uma questão de saúde.

A pesquisa também foi realizada com pais de alunos – 81% alegaram que não há opções vegetarianas saudáveis e saborosas o suficiente nas escolas. Além disso, 45% dos pais disseram não ver problema caso o filho queira se tornar vegetariano, desde que leve uma vida saudável.

Linda McCartney lança versão vegetariana da linguiça lincolnshire

A Linda McCartney Foods lançou no mês passado uma versão vegetariana da linguiça inglesa do tipo lincolnshire. A principal diferença é que o alimento é baseado em proteína de ervilha.

Com aroma de cebola e sálvia, o produto começou a ser comercializado hoje em embalagens com seis unidades nas lojas da Tesco no Reino Unido.

Na divulgação do lançamento do produto, a marca lembrou que a empreendedora, ativista e fotógrafa Linda McCartney fundou a empresa em 1991, com o intuito de estimular as pessoas a buscarem mais alternativas vegetais.

​Read More
Destaques

Égua grávida sofre aborto após ser montada e obrigada a correr por adolescentes

Foto: APEX NEWS
Foto: APEX NEWS

A foto acima mostra o momento terrível em que uma égua da raça “pônei de Shetland”, grávida, cai no chão e perde seu bebê depois de ter sido montada e obrigada a correr por um adolescente desumano.

As imagens , compartilhadas no Snapchat, mostram o adolescente sobre o animal acenando para a pessoa que está filmando, pelas imagens as autoridades locais afirmaram que o fato ocorreu em Bodmin Moor, na Cornualha (Inglaterra).

A égua cai no chão depois de lutar sofregamente para aguentar o peso do rapaz e sofre um aborto espontâneo.

Foto: APEX NEWS
Foto: APEX NEWS

Fotos da égua deitada exangue ao lado de seu filho morto foram compartilhadas nas mídias sociais na forma de um apelo para levar os culpados do crime à justiça, segundo informações do Daily Mail.

O jovem fazendeiro Hollie Cornelius, de Saint Breward, também na Cornualha, escreveu no Facebook: “Para os monstros que acham engraçado pegar e montar em cavalos miniaturas, os ponêis de Shetland, esse aborto é resultado de suas ações”.

“A égua claramente não aguentou o peso do corpo do criminoso e caiu no meio do vídeo”, escreveu ele.

“Agora temos um potro morto e provavelmente também uma égua morta pela manhã!”

“Espero que tenha valido a pena matar um bebê “para postar no Snapchat” e espero que vocês estejam felizes consigo mesmos e com suas vidas vazias!”

Foto: APEX NEWS
Foto: APEX NEWS

“Eu só gostaria de pedir a todos que sejam atenciosos e cuidem dos animais na região de moors, por favor, eles são vidas e não são brinquedos para diversão de pessoas doentes”.

As fotos foram compartilhadas mais de 14 mil vezes e milhares de usuários revoltados e chocados do Facebook responderam comentando no post, pedindo que a polícia fosse contatada e que algo fosse feito”.

Um porta-voz das polícias de Devon e Cornwall disse: “A polícia está investigando relatos de maus-tratos, crueldade e sofrimento causado a um animal em Bodmin Moor entre sexta-feira 5 e segunda-feira, 8 de abril”.

“Foi relatado que o pônei havia sido montado por um adolescente, fazendo com que ela caísse por não suportar o peso dele”.

“Mais tarde, a égua abortou o potro que esperava. As investigações policiais continuam em andamento neste momento”.

A ONG RSPCA, maior entidade de defesa dos direitos animais no Reino Unido, já esta investigando o caso em paralelo a polícia.

Até o momento nem a polícia de Devon ou da Cornualha nem a RSPCA encontrou relatos do incidente em função da ausência de um local ou data precisos. Foi aberto um canal de denúncias especialmente para este caso.

O pônei de Shetland

O pônei Shetland é uma raça de min-cavalos britânica originária das ilhas Shetland, na Escócia. Os pôneis variam em altura de aproximadamente 70 cm até um máximo de 107 cm. Eles têm uma pelugem pesada e farta, pernas curtas e são considerados muito inteligentes.

Pequenos porém fortes esses animais são muito amigáveis e interagem muito bem com crianças segundo a Associação de Pôneis de Shetland.

Um animal de tais proporções, pequena, dócil, frágil e ainda por cima fragilizada pela gravidez, ao ser montada e obrigada a correr por um monstro sem ter como se defender ou pra onde fugir, não teria como manter seu bebê.

Uma vida perdida de forma nauseante pela irresponsabilidade criminosa e doente de jovens seres humanos cujo comportamento chega a assustar na medida em que ele envolve a exposição orgulhosa de um ato condenável como motivo de glória e aplausos.

​Read More
Notícias

Adolescentes são detidos por sequestro de cachorro em Chapecó (SC)

Dois adolescentes, de 13 e 17 anos de idade, foram detidos pelo sequestro de um filhote de cachorro na cidade de Chapecó, em Santa Catarina. O caso aconteceu no bairro Vila Real, na última sexta-feira (5).

Foto: Polícia Militar/ Divulgação

O tutor do cachorro identificou os adolescentes ao observar imagens das câmeras de segurança da residência onde mora com o animal. Ele acionou a Polícia Militar, que encontrou os jovens.

O sequestro aconteceu na última quinta-feira (4). Os vizinhos informaram a polícia sobre o paradeiro do cachorro levado pelos adolescentes. As informações são do portal G1.

Com o endereço dos jovens, os policiais se deslocaram até a residência do adolescente de 17 anos, onde o cachorro foi encontrado. O animal estava nos fundos da casa. Ao ser questionado sobre o crime, ele indicou o outro rapaz que participou da ação.

Os dois adolescentes foram encaminhados a uma delegacia, na companhia dos responsáveis. O filhote foi resgatado pelos policiais e devolvido ao tutor.

​Read More