Notícias

Macaco resgatado em lixão trata problemas neurológicos com acupuntura

Foto: Clínica Pet Stop Unaí / Divulgação

Um macaco-prego resgatado em um lixão está sendo submetido a sessões de acupuntura para tratar problemas neurológicos diagnosticados por veterinários. A suspeita é de que o animal tenha sido vítima de um choque elétrico.

Além da questão neurológica, que gerou sintomas como letargia e falta de coordenação motora, o macaco foi diagnosticado com alterações pulmonares e desidratação. Resgatado pela Polícia Militar, o macaco, que é uma fêmea, foi levado para uma clínica veterinária em Unaí (MG). Após ser estabilizada, ela ficou sob a responsabilidade do Instituto Estadual de Florestas.

Em entrevista ao blog É o Bicho, do G1, veterinária Janne Paula Neres, responsável pela aplicação da acupuntura no animal, falou sobre o procedimento.

“A acupuntura é um braço da medicina chinesa. Inicialmente, foi realizada em animais e depois foi aplicada em humanos”, explicou.

Foto: Clínica Pet Stop Unaí / Divulgação

As agulhas, que, conforme explicou a veterinária, não causam dor, são aplicadas em pontos estratégicos do corpo do animal. “Utilizamos mapas, estudados há mais de cinco mil anos, cada órgão ou grupos de órgãos tem ligação com um sentimento ou uma emoção, por exemplo. A escolha do ponto é de acordo com o quadro clínico do paciente. No Brasil, a acupuntura é utilizada como complemento, mas há clínicas que se dedicam unicamente à medicina tradicional chinesa”, disse.

“Assim como outras terapias chinesas, não focamos em tratar a doença, mas o paciente. Por exemplo, se um paciente tem diabetes, não tratamos somente a diabetes, mas procuramos entender o que levou o animal a desenvolver a doença. Tratamos as causas e não as consequências”, explicou. O medo foi um dos sentimentos tratados no macaco.

“Toda vez que atendo um caso, não levo apenas o animal em consideração. Pergunto muito sobre o tutor, sobre o ambiente no qual eles vivem. Os animais tendem a drenar nossas energias, no caso dos cachorros, por exemplo, eles costumam drenar e acumular essas emoções. Por isso, é comum vermos cães e tutores que apresentam as mesmas doenças, por exemplo”, completou.

A veterinária é favorável ao uso de terapias complementares para auxiliar no tratamento de animais doentes. “Se você vai a um médico e tem depressão, vai ser medicado e esse profissional também vai te aconselhar a buscar por terapia, a fazer atividades físicas e os animais também são assim. Junto com a parte clínica e laboratorial, se tivermos um tratamento que complemente, a resposta tende a ser muito melhor. Muitas pessoas ainda não se atentaram ao fato dos animais terem emoções e sentimentos, a diferença é que eles não se expressam como nós”, concluiu.

Foto: Clínica Pet Stop Unaí / Divulgação

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Acupuntura: técnica é indicada para tratamento de doenças em animais

A acupuntura, técnica comum para tratar problemas de saúde em humanos, também é indicada para animais, sendo utilizada durante pós-operatórios, para amenizar dores e para o tratamento de doenças.

(Foto: Divulgação)

Cada sessão dura de 20 a 40 minutos, aproximadamente. A única diferença entre a técnica aplicada em humanos para a que é realizada em animais é o tamanho da agulha utilizada.

Além de tratar doenças, a acupuntura também é um meio de preveni-las, segundo a médica veterinária Juliana Molina. As informações são do portal OP9.

“A técnica é utilizada para tratar doenças, para prevenir e diminuir o estresse ou ansiedade no animal”, explica a veterinária.

Juliana lembra ainda que qualquer espécie pode se beneficiar da acupuntura que, apesar de ser geralmente aplicada em animais domésticos, como cachorros e gatos, também pode ser utilizada em cavalos e nos outros animais de grande porte e em animais silvestres.

​Read More
De olho na saúde

Acupuntura: terapia chinesa pode curar doenças letais em animais

Foto: Maurício Vieira Hoje em Dia

Os tratamentos holísticos, como a acupuntura, podem tratar e curar doenças emocionais e físicas. Menos evasivos e saudáveis, estes métodos são uma opção para cuidar do bem-estar e da saúde dos animais e dos tutores.

Entre estes métodos, está a acupuntura – tratamento médico que se originou na China há mais de 2.500 anos. Considerado umas das técnicas terapêuticos mais antigos do mundo, ela tem suas raízes na filosofia Taoista.

Com intuito de equilibrar o yin e o yang, que segundo a Medicina Tradicional Chinesa são as duas forças fundamentais, opostas e complementares, que movem todos os seres vivos, o tratamento a base de agulhas – característica da acupuntura, busca na harmonia a resolução das doenças.

Para Juliana Junqueira Fonseca, tutora de cadela Aurora, de 5 anos, o tratamento com acupuntura foi uma “salvação”.

Aurora, que foi resgata da rua, contraiu cinomose – uma doença letal altamente contagiosa provocada pelo vírus CDV (Canine Distemper Vírus) ou VCC (Vírus da Cinomose Canina). Sem responder aos medicamentos tradicionais, a cadela acabou ficando paralítica e foi conduzida por Juliana a médica veterinária Lígia de Morais, que lhe apresentou as agulhas.

Com o tratamento adequado a suas condições, a cadela demonstrou uma rápida melhora.

“Os resultados foram super rápidos, cerca de cinco sessões. Hoje, a Aurora leva uma vida normal, anda e até corre”, conta Juliana.

Segundo a veterinária Ligia, diversas doenças podem ser tratadas através da acupuntura, como problemas neurológicos e articulares, doenças endócrinas, alérgicas, comportamentais e até oncológicas.

“Em alguns casos, é possível suspender completamente anti-inflamatórios e analgésicos usados no controle de dores e ainda desacelerar processos que levariam a cirurgia”, explica.

Conforme ressalta a veterinária e acupunturista, os métodos de tratamentos convencionais não devem ser substituídos emergencialmente pela acupuntura, pois o tratamento pode alternar de acordo à gravidade e evolução da doença, as condições de saúde de cada animal e principalmente à cooperação dos tutores.

Para ela, a indicação para a escolha de cada método de tratamento é feita após uma avaliação detalhada do histórico e das condições de cada animal. O tratamento, que pode variar entre agulhamento seco, eletroacupuntura, farmacopuntura ou moxabustão, deve ser administrado e diagnosticado exclusivamente por um especialista.

​Read More
De olho na saúde

Acupuntura trata dores e desconfortos em cães e gatos

Veterinário Reynaldo Landgraf faz tratamento com acupuntura em animais em Itapetininga (Foto: Francine Galdino/G1)

Em Itapetininga, São Paulo, o médico veterinário Reynaldo Dias Landgraf Junior está fazendo a diferença na vida de muitos animais com o uso da acupuntura para tratar dores e desconfortos em cães e gatos.

A terapia chinesa consiste na aplicação de agulhas em determinados pontos do corpo para tratar de doenças físicas ou emocionais e também melhorar o sistema imunológico. Pode ser usada para tratar de diversos problemas, seja uma dor ou até mesmo problemas comportamentais.

“A acupuntura pode ser realizada em qualquer animal doméstico, independente da idade, pois a prática não visa tratar apenas um problema local, como por exemplo, uma dor, e sim, o corpo como um todo”, explica Reynaldo.

O veterinário, que já trabalha há três anos nessa área, conta que o tipo mais comum de tratamento com acupuntura em animais é para problemas locomotores osteomusculares.

“Na maioria dos casos a acupuntura é recomendada quando o animal tem um problema na coluna e para de andar, por exemplo. Com o tratamento, ele consegue recuperar os movimentos e ter uma qualidade de vida melhor. Também é bastante indicado em problemas comportamentais e doenças de pele”, comenta o veterinário.

Pode parecer doloroso, mas Reynaldo garante que é quase impossível machucar um animal. Ele explica: “O que pode acontecer é do tratamento não ter efeito se não forem colocadas as agulhas nos pontos certos. Por isso é necessário procurar um especialista”.

Acupuntura pode ser feito em qualquer animal independente da idade Itapetininga (Foto: Arquivo Pessoal/Reynaldo Dias Landgraf Junior)

Os resultados são rápidos, podendo aparecer logo no primeiro mês, dependendo da doença que o animal possui.

“Um dos casos mais difíceis foi um cachorro que chegou até o consultório com cinomose, uma doença viral e altamente contagiosa que pode levar a morte ou deixar sequelas graves. Neste caso, o cão mexia apenas os olhos. Então indiquei uma sessão de acupuntura por semana e em dois meses ele começou a mexer as patinhas. Já faz um ano que ele faz o tratamento e agora consegue até ficar em pé”, conta.

O principal objetivo do tratamento é proporcionar uma melhor qualidade de vida para o animal, que na maioria das vezes perdeu algum tipo de movimento ou então está com dor.

“Toda vez que eu vejo um animal recuperado e sei que eu pude contribuir com isto é gratificante. É como se toda vez fosse a primeira vez. É como se um filme passasse pela minha cabeça, desde quando o tutor chega desesperado por causa do animal até quando ele vem animado me dizendo da recuperação. Não tem palavras para descrever a sensação. É muito gratificante”, conta emocionado.

Lili fez acupuntura e voltou a andar (Foto: Arquivo Pessoal/Ana Paula Roque)

A zootecnista Ana Paula Roque, passou por uma situação difícil com sua cachorrinha Lili de 8 anos que havia perdido os movimentos das patas traseiras por causa de uma hérnia de disco.

“Em abril deste ano ela parou de andar e descobrimos a doença. Na época o veterinário que a atendeu disse que ela não voltaria mais a andar e que a única solução para acabar com suas dores seria matá-la. Foi um choque muito grande, pois ela faz parte da família”, lembra.

Ana Paula pesquisou outros métodos de tratamento, até que um veterinário indicou a acupuntura.

“Pesquisei bastante sobre o tratamento em animais e acabei descobrindo a acupuntura. No final de junho já começamos o tratamento com uma sessão por semana. Logo nas duas primeiras sessões já começamos a perceber que ela parou de sentir dor e na quinta sessão ela ficou em pé. Foi inacreditável”, conta emocionada.

‘Foi inacreditável’, diz Ana Paula quando Lili voltou a andar (Foto: Arquivo Pessoal/Ana Paula Roque)
​Read More
Notícias

Tutores recorrem à acupuntura em animais para aliviar dores

A acupuntura é um dos aliados da medicina veterinária para o tratamento de doenças e diminuição de dores causadas por elas. A técnica se baseia na inserção de agulhas em pontos específicos do corpo.

Acupuntura é utilizada no tratamento de doenças (Foto: Aly Song/Reuters)
Acupuntura é utilizada no tratamento de doenças (Foto: Aly Song/Reuters)

De acordo com informações do centro veterinário Pet Care, a medicina tradicional chinesa é utilizada no tratamento de problemas articulares, dermatológicos, hematológicos, neurológicos e até oftalmológicos.

Tutores na China, país de origem da acupuntura, têm recorrido cada vez mais à técnica em busca de alívio para as dores de cães e gatos.

Segundo a agência Reuters, a Sociedade Internacional de Acupuntura Veterinária relatou em seu site que a acupuntura tem sido usada na prática veterinária na China “há milhares de anos para tratar muitas doenças”.

O Blog “Bom Pra Cachorro” divulgou a existência, em Xangai, de um local destinado aos animais especializado em tratamentos baseados na medicina tradicional chinesa. Trata-se do Centro de Saúde Animal de Neurologia e Acupuntura. Jin Rishan estima que mais de 2 mil cães e gatos já foram atendidos na clínica desde que ela foi aberta, há quatro anos, e que 80% dos pacientes apresentaram melhora.

Cães com cadeiras de roda caminham pelo Centro de Saúde Animal de Neurologia e Acupuntura
Cães com cadeiras de roda caminham pelo Centro de Saúde Animal de Neurologia e Acupuntura (Foto: Aly Song/Reuters)

O centro trabalha não só com acupuntura, mas também com moxabustão, técnica em que queimas de ervas são colocados nos pontos de acupuntura. Uma sessão custa 260 yuan – cerca de R$ 120 – e dura aproximadamente 45 minutos.

Enquanto segurava a patinha de seu gato durante sessão de acupuntura, Wang Xijuan, 74, contou à Reuters que, com o tratamento, o gato conseguiu voltar a “a andar e pular, até com outros gatos”.

​Read More
Notícias

Cavalos idosos recebem sessão de acupuntura para aliviar dores

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Gentle Barn/Facebook

Não é nenhum segredo que cavalos, como todos os animais, sofrem de enfermidades e indisposição da mesma maneira que nós. À medida que envelhecem, muitos enfrentam doenças como artrite e reumatismo.

Este é o caso de alguns dos cavalos mais velhos que residem no The Gentle Barn, uma organização de resgate e reabilitação situada em Santa Clarita, na Califórnia (EUA).

Fundado em 1999, o centro é o lar de mais de 170 animais, sendo que todos foram salvos de condições terríveis e sujeitos a abusos.

Foto: Gentle Barn/Facebook

As pessoas que trabalham no local não apenas salvam inúmeros animais e oferecem-lhes abrigo, amor e cuidados médicos necessários, mas também estendem sua missão para educar e inspirar outras pessoas a ajudarem a tornar o mundo a nossa volta um lugar melhor.

Com esta missão em mente, o The Gentle Barn faz o máximo que pode para fornecer o melhor atendimento possível aos seus pacientes idosos. Recentemente, eles fizeram algo bastante especial para os cavalos idosos.

Os animais que lutam para enfrentar a artrite tiveram um deleite que os beneficiou imensamente: uma sessão de acupuntura, que possui o mesmo efeito em cavalos e em humanos e é muito útil para aliviar a dor causada pela artrite.

Foto: Gentle Barn/Facebook

Imediatamente, os cavalos idosos o The Gentle Barn se sentiram mais confortáveis e isso os ajudou a se mover com mais facilidade, segundo o One Green Planet.

É maravilhoso ver esta organização se empenhando tanto para ajudar seus residentes idosos a terem a qualidade de vida que merecem.

​Read More
Notícias

Acupuntura e homeopatia ganham espaço no tratamento de animais

O bulldog Homer, de três anos, faz acupuntura. Foto: Arquivo Pessoal/Silvia Machuca Coelho
O bulldog Homer, de três anos, faz acupuntura. Foto: Arquivo Pessoal/Silvia Machuca Coelho

Willy, cão da raça cocker de 16 anos, ficou com vários problemas de saúde devido à idade. Por causa do excesso de dores nas costas e à artrose que o animal sentia, Andréa Veloso, tutora do cachorro chegou a ouvir que a melhor opção seria sacrificá-lo. Inconformada com a ideia, optou por buscar uma segunda opinião. Foi aí que veio a sugestão: acupuntura. Vista a evolução, foi hora de aumentar o tratamento. Desta vez, com homeopatia.

“Ele faz parte da família, está comigo desde que nasceu. Queríamos o melhor tratamento. Até que um veterinário indicou a acupuntura. Ele melhorou muito, está com menos dor, consegue fazer mais coisas. Ele fica deitadinho durante as sessões, geralmente não dá trabalho, ele volta relaxado e dorme muito. A homeopatia acelerou mais ainda a recuperação dele, quem o viu há um ano nem reconhece agora, está muito melhor”, afirma a tutora.

A acupuntura e a homeopatia para animais estão ganhando mais espaço no Vale do Paraíba. O tratamento pode ser aliado à medicação convencional e Andréa não se arrepende de ter buscado a alternativa para Willy.

“Eu mudei toda a minha rotina para atender as necessidades dele. Não quero que ele sinta mais dor e, por isso, ele vai continuar fazendo os dois tratamentos para sempre”, conclui.

Willy, cocker de 16 anos. Foto: Arquivo Pessoal/ Andréa Veloso
Willy, cocker de 16 anos. Foto: Arquivo Pessoal/
Andréa Veloso

Tratamento
Em uma clínica na região oeste de São José dos Campos (SP), o tratamento é oferecido para cães, gatos, aves, peixes, cavalos, cobras, tartarugas, entre outros. A veterinária Stella Maris Benez diz que o tratamento é bastante procurado. “Os tutores estão mais conscientes sobre o tratamento, o quanto ele pode trazer melhorias para os animais. De clientes fixo, tenho 15 por mês, fora os eventuais”, disse.

Segundo o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), a acupuntura é eficaz no tratamento de dor oriunda de processos degenerativos crônicos, quadros de reabilitação neuromuscular como problemas de coluna e hérnia de disco, além de inflamações da bexiga e retenção fecal, por exemplo.

A veterinária diz que animais saudáveis também podem fazer. A orientação é avaliar o caso de cada animal para encontrar o atendimento adequado. O tratamento é feito de uma a duas vezes por semana no início. Quando a causa é estabilizada, é feito a cada 15 dias ou um mês. Os custos variam de R$ 40 a R$ 60 a sessão.

Outro método que tem ganhado popularidade entre os animais é a homeopatia. “Uma vez colocamos o medicamento no inalador para algumas serpentes, mas geralmente colocamos na água. Se não tiver doença, o tratamento deve ser feito a cada três meses para avaliar o emocional, a essência do animal como ele nasceu e como os transtornos da vida o mudaram”, explicou Stella Benez. A consulta homeopata custa R$ 100.

Para a veterinária Silvia Machuca Coelho, de uma clínica na zona oeste, o crescimento nos tratamentos naturais estão sendo mais procurados. “Hoje em dia, as pessoas buscam até para si coisas mais naturais, sem optar por cirurgia e medicamentos. Para o animal é a mesma coisa, muitos tutores querem outras opções antes de buscar uma cirurgia que pode ser traumática para o animal”, afirmou. Cerca de 18 animais fazem o tratamento por dia na clínica.

Reconhecimento
De acordo com o Conselho Federal de Medicina Veterinária, a acupuntura e a homeopatia são métodos reconhecidos. Os demais, como o uso de florais, não são reconhecidos por não haver comprovação científica.

Fonte: G1.

​Read More
Notícias

Entenda os benefícios que a acupuntura traz para os animais

(Foto: Adam Pretty/Getty Images)
(Foto: Adam Pretty/Getty Images)

A acupuntura é uma técnica chinesa milenar que proporciona benefícios para a saúde e o bem-estar de muitas pessoas. Com os animais, não é diferente. Por isso, os cães e gatos rapidamente se acostumam com as finas agulhas usadas nesta prática terapêutica, e alguns chegam a cochilar durante as sessões. Isso ocorre devido à produção de substâncias como a serotonina e endorfina, que dão a sensação de conforto e relaxamento.

Os chineses acreditam que cada ser vivo nasce com uma energia e, ao longo da vida, essa energia vai sendo perdida, causando um desequilíbrio no corpo que se manifesta em forma de doença. A técnica consiste na aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo dos animais que ajudam a aliviar dores e outros sintomas de doenças diversas, além de colaborar muito na saúde emocional.

Embora seja amplamente divulgada no tratamento de dores e problemas ortopédicos, a acupuntura também pode ser aplicada como complemento no tratamento de doenças sistêmicas como problemas renais, hepáticos, cardíacos, dermatológicos, distúrbios comportamentais, além de melhorar consideravelmente a qualidade de vida de animais idosos. Animais com problemas em coluna e até mesmo paralisados podem aumentar suas chances de recuperação com a técnica. Cada ponto da acupuntura tem um efeito direto em determinado órgão.

A eletroacupuntura é uma variação da acupuntura que potencializa os efeitos da técnica através da estimulação elétrica das agulhas aplicadas. Embora impressione o tutor do animal num primeiro momento, a técnica é bem tolerada pelos animais e os resultados são reconfortantes. Mas atenção: somente um médico veterinário que tenha especialização em acupuntura veterinária poderá efetuar o procedimento para que os pontos corretos sejam trabalhados.

Fonte: Época

​Read More
Notícias

Acupuntura ajuda corujas a voltar para a natureza na Espanha

Coruja faz tratamento de acupuntura em instituição espanhola (Foto: Gerard Julien/AFP)
Coruja faz tratamento de acupuntura em instituição espanhola (Foto: Gerard Julien/AFP)

O paciente abre bem seus grandes olhos amarelos, mas fica em silêncio enquanto a acupunturista Edurne Cornejo insere quatro agulhas finas em sua perna. Trata-se de um paciente especial: uma coruja. E ela não é nenhuma novata nesse tipo de terapia.

Há dois meses, essa corujinha da espécie Athene noctua machucou suas costas quando voou por engano para dentro do cano de uma chaminé em uma fábrica no leste de Madri. A cidade fica em um planalto montanhoso repleto de aves como essa.

Ela foi levada para uma instituição especializada no resgates de corujas, chamada Brinzal. É neste estabelecimento que ela recebe suas sessões de acupuntura para estimular pontos-chave em seu sistema nervoso.

“Quando ela veio pela primeira vez, não conseguia ficar em pé. Então começou dando pequenos passos. Agora, está voando novamente”, disse Edurne. Ela já aplicou 10 sessões semanais de acupuntura até agora.

“A terapia estimula mecanismos de auto-cura no organismo. Não provoca efeitos colaterai” como alguns remédios, ela diz.

O uso da técnica antiga chinesa em animais está crescendo ao redor do mundo, de acordo com a Sociedade Internacional de Acupuntura Veterinária, entidade formada nos Estados Unidos em 1974.

Veterinários acupunturistas recomendam a técnica para problemas no músculo e na articulação – como o problema das costas da coruja – e também para os nervos, para a pele e para problemas de respiração e do intestino.

Edurne, que é veterinária e está se especializando em acupuntura para cães e gatos, visita a instituição Brinzal como voluntária para tratar algumas das centenas de corujas trazidas pelo público para tratamento todos os anos.

Cerca de 1.200 pássaros são levados ao centro anualmente, dos quais 70% se recuperam e podem ser devolvidos à natureza, conta Patricia Orejas, coordenador da Brinzal.

A instituição abriu em 1989 e tem providenciado acupuntura para corujas há 6 anos. Edurne estima que a acupuntura tem sido praticada em corujas na Espanha pelo menos desde os anos 1980. “Promovemos reabilitação física e psicológica. Mas algumas infelizmente não conseguem se recuperar”, diz Patricia.

Algumas delas ficam tão acostumadas com a companhia humana que não conseguem se readaptar na vida selvagem. Entre elas está Eire, que foi mantida como animal doméstico antes de ser levada ao centro. A vida doméstica já a tinha tornado permanentemente inadequada para a vida selvagem.

A instituição tem métodos de treinamento para reativar seu comportamento selvagem, ensinando-as a se defender de seus predadores e a caçar suas presas.

Se tudo corre bem, em alguns meses os pássaros reabilitados voltam a ser inseridos na natureza, ajudando o ecossistema ao comer ratos e outras pestes.”Quanto mais animais comedores de rato tivermos nos campos, menos problemas teremos, porque não precisaremos usar pesticidas que podem prejudicar os humanos”, diz Patricia.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Acupuntura ajuda animais em Mauá (SP)

acupunturaOriunda da medicina tradicional chinesa, a acupuntura tem tradição de mais de 5.000 anos. Pesquisas revelam que já era usada por volta do ano 3.000 a.C. (antes de Cristo). No Ocidente, a prática foi introduzida a partir do século 19. O tratamento, no Brasil, é reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária como especialidade para ajudar animais doentes.

Em Mauá, a modalidade é aplicada por meio de agulhas de ouro, que facilitam a recuperação dos animais e os ajudam, principalmente, a lidar com a dor. O veterinário Eduardo Lobo, da clínica Veterinários 24 horas, explica quais os principais benefícios do tratamento. “A medicina chinesa mostra outras formas de abordar a saúde dos animais. O ouro tem propriedades físico-químicas que fazem bem para o organismo. Ele tem carga positiva e, a inflamação, negativa”, ressalta o especialista.

Lobo conheceu a arte quando cursava a universidade, e decidiu se especializar no tema. O veterinário destaca que somente a acupuntura não resolve todos os problemas apresentados pelos bichinhos. “A gente usa a medicina integrativa, ou seja, além do tratamento convencional. Também usamos a medicina oriental para auxiliar na recuperação. O ideal é adotá-la para prevenir eventuais problemas. Envolve também a alimentação do animal. Assim, podem viver muito mais e melhor”, explica. Além disso, ele comemora o sucesso do tratamento. “As taxas de cura dos animais são altíssimas, mas há casos em que não dá para fazer milagre. Contudo, podemos melhorar a qualidade de vida do bicho.”

ADEPTAS

Ana Cristina Novaes, 31 anos, é adepta à técnica. Sua cadela de estimação, a poodle Jade, 13 anos, faz tratamento para diabetes. “Um dia Jade passou muito mal porque subiu bastante o índice de glicemia e ela precisou ficar internada na clínica”, conta. Mas, segundo Ana Cristina, o tratamento ajuda a controlar o problema da cadela. “Ela está fazendo acupuntura há três meses e já está bem melhor. Não oscila mais. Além do tratamento com as agulhas, ela também toma remédio manipulado todos os dias de manhã.”

Já Renata Farias, 33, trata de Thor, que tinha sarna. Ela garante que o método é eficaz contra a doença. “Tivemos resultado muito bom. O cachorro agora não apresenta mais nenhum tipo de alergia. Estou muito satisfeita e vejo meu cão tendo qualidade de vida de novo.”

As sessões de acupuntura com agulha de ouro custam, em média, de R$ 60 a R$ 150.

SIMPÓSIO

O veterinário Eduardo Lobo participa em dezembro do Simpósio Ibero-Americano de Medicina Tradicional Chinesa, em Ribeirão Pires. O evento conta com programação repleta de palestras de especialistas no assunto. Serão discutidas novas técnicas e tratamentos de animais. Participam profissionais do Brasil, da Espanha, da Costa Rica e da Venezuela.

O simpósio acontece de 5 a 7 de dezembro, no Hotel Pilar. Mais informações e a programação completa no site www.simposioacupuntura.com.br.

Fonte: Diário do Grande ABC

​Read More
Notícias

Jabuti de 50 anos com paralisia nas patas será tratado com acupuntura

Foto: Dyepeson Martins/G1
Foto: Dyepeson Martins/G1

Batizado de ‘Vovó’, o jabuti fêmea com idade estimada em 50 anos, iniciará em junho tratamento medicinal baseado no método da acupuntura. O quelônio, deixado há 7 anos por ribeirinhos no Parque Zoobotânico Municipal de Macapá, tem paralisia nas patas dianteiras e traseiras e será submetido ao procedimento chinês após 6 meses de fisioterapia experimental.

Segundo a veterinária Bethina Schreibl, responsável pelo acompanhamento fisioterapêutico do animal, desde janeiro de 2014, o jabuti tem apresentado avanços com a fisioterapia. Ela acredita que os resultados se tornarão mais evidentes com a realização da acupuntura.

“Ainda não há pesquisa que comprove os reais resultados do método. Contudo, depois que ela iniciou o tratamento, ela começou a mexer as patas traseiras, o que surpreendeu a todos. Agora, com a inserção das agulhas ela deve ter uma reação melhor”, disse a veterinária, que aprendeu sobre o método em um congresso realizado pela Associação Brasileira de Animais Silvestres, em Salvador, na Bahia.

Schreibl conta que o jabuti tem uma alimentação balanceada que a deixa resistente durante o tratamento. Uma vez por semana, a ‘Vovó’ passa por sessão de fisioterapia que também a prepara para o tratamento medicinal chinês. A previsão da veterinária é de que o animal volte a andar em no máximo 10 anos. “É um tratamento demorado e minucioso, mais que vale muito a pena para melhorar a qualidade de vida dela”, frisou.

O jabuti pesa 16 quilos e tem 20 centímetros de comprimento. A bióloga Patrícia Fonseca conta que o quelônio é querido por todos os funcionários do parque zoobotânico. Patrícia diz que o animal chegou debilitado no local e com várias partes do casco inferior quebradas.

“Quando ela chegou ao parque pensávamos até que era um macho, mas depois de uma análise de veterinários descobrimos que é uma fêmea. Virou nossa vovozinha daqui, que recebe todos os ‘mimos’”, brincou a bióloga.

Fonte: G1

 

​Read More
Notícias

Cães também podem fazer acupuntura

A prática serve para curar doenças e é muito eficaz. (Foto: Divulgação)
A prática serve para curar doenças e é muito eficaz. (Foto: Divulgação)

A acupuntura é um método terapêutico baseado no que é chamado de “energia da vida”.

Vinda da medicina tradicional chinesa, ela tem como meta restaurar a saúde através do equilíbrio da energia vital. É muito famosa por ser usada em seres humanos, para os mais diversos tratamentos. O que muitas pessoas não sabem é que a acupuntura também pode ser feita em animais.

Há diversos médicos veterinários que se especializam na técnica e a utilizam para melhorar a vida dos bichos. Nas sessões de acupuntura veterinária, determinados pontos do corpo do animal são estimulados através, principalmente, da inserção de agulhas. Segundo o médico veterinário Dr. Alexandre Eduardo Ribeiro, essa técnica pode ser usada para quase tudo. “A acupuntura pode ser usada praticamente em todas as doenças, como único tratamento”, explica.

Quando usar?

Há vários casos de sucesso, aos quais a acupuntura veterinária está diretamente ligada, pois é usada nos mais diferentes quadros clínicos. “Principalmente no controle da dor e problemas no aparelho locomotor ou coadjuvante, auxiliando tratamentos convencionais. Seu principal benefício é a ausência de efeitos colaterais e contra indicações, podendo assim ser aplicada em animais com restrições a tratamentos convencionais”, relata Dr. Alexandre.

“A acupuntura vem sendo utilizada associada a tratamentos convencionais em diversas doenças com muito sucesso. Um exemplo foi um caso de uma cadela, que tinha paralisia nos membros posteriores, devido à sequela de uma doença neurológica. Quando foi tratada com drogas convencionais e acupuntura, voltou a andar”, completa o especialista.

Cada sessão do tratamento pode durar entre 20 e 40 minutos e a frequência delas varia de uma a três vezes por semana, de acordo com o caso. Os animais que têm doenças mais graves precisam, na maioria das vezes, de maior frequência de sessões. Quem irá determinar a gravidade e de quanto em quanto tempo deve ser feita, é o médico veterinário. No geral, os cães aceitam bem a aplicação da técnica e ficam quietinhos.

Os preços variam de acordo com o profissional, a cidade e a duração da sessão. Cada uma pode custar em média de R$ 60,00 a R$120,00.

Onde fazer?

Há diversos centros de acupuntura veterinária, com profissionais especializados e aptos a aplicar a técnica, trazendo benefícios aos bichinhos. Uma ótima maneira de encontrar bons profissionais é conversando com o médico do cachorro e pedindo indicações de profissionais habilitados.

Fonte: Yahoo Notícias

​Read More