Notícias

Cães que tiveram ração e medicamentos confiscados são abrigados em SP

Dois dos três cachorros que, segundo denúncia da ONG Moradores de Rua e Seus Cães (MRSC), tiveram ração, petiscos, brinquedos, barraca, roupas, medicamentos e colares pós-cirúrgicos confiscados pela Prefeitura de São Paulo, foram abrigados. O terceiro cachorro permanece na rua com a tutora que, de acordo com a entidade, “assumiu os riscos por não conseguir se desgrudar dele”. No entanto, um veterinário contratado pela MRSC fará visitas ao cão.

(Foto: Reprodução / Facebook / Moradores de Rua e Seus Cães)

Minie e Nilo permanecerão sob os cuidados de Helton Okada até que se recuperem da cirurgia. Os dois, assim como Pingo, haviam sido castrados um dia antes de terem seus itens de alimentação, abrigo e cuidados veterinários retirados. De acordo com publicação da ONG no Facebook, “a família está recebendo nossa atenção e doações”.

Decreto autoriza retirada de pertences

A denúncia da ONG que indica que os cachorros e a família que os tutela foi prejudicada pela ação da Prefeitura – que, inclusive, colocou a vida dos animais em risco, já que os itens retirados eram necessários para proteção deles nos dias seguintes à castração – pode ter relação com um decreto assinado durante a gestão Doria.

Em 21 de janeiro de 2017, o então prefeito João Doria (PSDB) assinou um decreto que altera o anterior, de autoria do ex-prefeito Fernando Haddad (PT), e abre margem para que Guardas Civis Metropolitanos retirem objetos de pessoas em situação de rua, segundo informações da Revista Fórum.

O novo decreto suprimiu um trecho do anterior no qual era determinada a proibição da retirada de “itens portáteis de sobrevivência” de pessoas nessa situação, como “papelões, colchões, colchonetes, cobertores, mantas, travesseiros, lençóis e barracas desmontáveis”. O decreto assinado por Doria autoriza ainda que sejam retirados “objetos que caracterizem estabelecimento permanente em local público, principalmente quando impedirem a livre circulação de pedestres e veículos”, como camas, sofás e barracas.

​Read More
Notícias

Animais desalojados são abrigados pela Defesa Civil, em União da Vitória (PR)

O Departamento de Defesa e Proteção Animal de União da Vitória está atuando, junto com a Defesa Civil, na remoção das famílias que residem em áreas de risco. Portanto, além das famílias, os animais também estão sendo removidos.

A coordenadora do Departamento de Defesa e Proteção Animal, Marlene Goulart Jakubiw, explica que, se por algum motivo as famílias não conseguiram levar os animais no momento da mudança, após estarem instaladas, elas retornam para buscá-los.

Marlene ainda observa que, nos locais onde as famílias estão alojadas é destinado um espaço para abrigar também os animais.

Fonte: CBN Foz

​Read More
Você é o Repórter

ONG faz campanha de apadrinhamento para ajudar animais resgatados em SP

Marli Scaramella
mascaramella@terra.com.br

Campanha de apadrinhamento de nossos animais

Para apadrinhar nossos cães, temos 3 planos:

a) R$ 30,00

b) R$ 45,00

c) R$ 60,00

Ou ainda como madrinha ou padrinho solidário contribuindo com  quanto puder ou desejar, pedimos apenas que sua contribuição possa ser fixa e se possível que nos informe o melhor dia para sua contribuição.

Para apadrinhar um cãozinho, é só enviar um e-mail para mascaramella@terra.com.br com o título: “Qeuro ser padrinho/ madrinha de um cãozinho”.

Informar o plano escolhido e se deseja receber boleto bancário.

Para colaborar com qualquer quantia para o sustento e medicação dos 450 cães aos cuidados da ABEAC – Associação Bem-Estar Animal Amigos da Célia, segue conta bancária:

Banco Itaú (341)
Agência 0772
Conta-Corrente 52385-8
CNPJ: 06.164.870/0001-82

Quem não tem conta no Itaú e preferir boleto bancário, é só pedir que

enviamos por e-mail. Precisamos apenas de alguns dados:

Nome completo/

endereço completo/

CPF/

Valor/

data de vencimento.

Algumas pessoas podem achar que por estarmos sempre pedindo ajuda, não temos controle sobre nossas contas e  estamos sempre resgatando animais sem ter condições. Mas não é bem assim. A Abeac em janeiro deste ano, tinha 380 cães, mas resgatamos 55 em estado de miséria absoluta no dia 5 do mesmo mês, sendo que 4 fêmeas estavam prenhas; os filhotes nasceram e hoje temos 450 cães.

Esses são alguns dos 55 cães que resgatamos no bairro da Pedreira em janeiro. Olha só como eles estão ficando cada dia mais lindos! Hoje, eles tem o cantinho deles, não passam mais fome, frio. São alegres, felizes, brincam o dia inteiro, são dóceis, fazem festa para todo mundo e adoram receber carinho.

Por não haver lugar em nosso canil, tivemos que alugar uma chácara,  construir canis e contratar mais um funcionário. Na mesma época, perdemos a parceria com um fabricante de ração super premium que nos vendia  a preços abaixo de custo. Essa parceria durou quase 2 anos e graças a ela conseguimos construir 90 canis na sede da Abeac para acomodar nossos 380 cães. Mas sabíamos que não era uma coisa certa, não tínhamos nenhum contrato e nem o fabricante obrigação de nos vender ração a esse preço. Os gastos que tínhamos com ração pulou de R$ 6.000,00 para R$ 20.000,00/mês.

Paralelamente, estávamos construindo os canis para os cães da pedreira, fizemos 19 canis e o custo ficou em quase R$ 30.000,00 entre material e mão-de-obra. Também contamos com parcerias com a Clínica Veterinária Futura, Policlínica Veterinária de Cotia e Clínica Interlagos. Não se tratam de clínicas populares, mas fazem preços diferenciados para Abeac e parcelam o pagamento.

Idosos

Como temos muitos cães idosos,  sempre temos cães em tratamento ou que precisam de cirurgia, portanto sempre estamos devendo. Temos um gasto mensal entre as 3 clínicas de R$ 3.000,00 a R$ 4.000,00.

Também temos 6 funcionários, uma folha de pagto de R$ 7.000,00 e  encargos trabalhistas. Estamos pagando o material que compramos para construção dos canis, serralheiro, pedreiro, hotelzinho de 7 cães que temos em SP (são cães idosos, especiais e outros que aguardam vaga no canil), e 550 doses de vacinas que compramos em fevereiro.

O Toquinho é um poodlezinho idoso, de mais ou menos 12 anos, e pesa apenas 3 kgs. Ele tem problemas de pele e os dois testículos para dentro, sendo que um deles estava próximo ao abdomen. Já foi operado, está bem de saúde, é muito alegre e, por enquanto, está internado aguardando vaga no canil, ou quem sabe um Anjo que possa dar esse velhinho um final de vida feliz.

Com todas essas despesas, temos um gasto mensal de mais de R$ 50.000,00 que não estamos conseguindo cobrir com as contribuições que recebemos. Já fizemos empréstimo bancário, usamos limite do cheque especial, cartões de crédito e todos os meios possíveis para manter nossas contas equilibradas, a fim de não falhar com nossos fornecedores e não deixar faltar o mínimo que nossos cães precisam para viver com dignidade.

A construção dos canis, graças a Deus, acabou, mas teremos ainda algumas reformas e construções para fazer, mas são pequenas e vai aliviar bastante as nossas contas.

Mas até julho ainda temos contas de material de construção, pedreiro, serralheiro, vacinas e empréstimo bancário. Até lá, estamos tentando sobreviver sem comprometer a qualidade de vida dos nossos 450 abrigados, que está seriamente ameaçada!

Por isso, faço um apelo:

Precisamos de ajuda urgente!

Madrinhas

Temos 450 cães, desses, mais de 200 estão sem padrinhos e padrinhas. Não temos apoio de governo ou empresas, toda ajuda que recebemos é voluntária e as vezes falta no momento que mais precisamos.

Precisamos de padrinhos e madrinhas urgente para nossos animais!

A campanha de apadrinhamento é a única forma que temos para conseguir recursos fixos e poder planejar nossas ações com mais tranquilidade e segurança.

Por favor, apadrinhe um de nossos abrigados!

Para mais informações de como apadrinhar um cãozinho da Abeac envie um e-mail para mascaramella@terra.com.br

Polly foi resgatada depois de apelo pela internet. Ela estava no cio e vários cães brigando por causa dela, dois acabaram morrendo. Ela vive nas ruas e sempre que entra no cio, cruza, seus filhotes somem ou morrem. Está internada aguardando o fim do cio para ser castrada. Deveríamos devolver a Polly para o local onde estava, pois parece que tem tutor. Ela é idosa, com cara de sofrida, muito boazinha e não temos coragem de devolvê-la. Vamos ficar com ela.
Esses cães estavam morando debaixo de uma ponte na Zona Leste de SP, com uma moradora de rua. Todos passando fome, frio, inclusive a senhora. Os cães estão com muita sarna. São 4 machos, 1 fêmea e 2 filhotes. Os adultos foram para o nosso canil. Os dois filhotes estão muito doentes com suspeita de cinomose e foram direto para clínica veterinária. A pessoa que colocou o apelo na internet conseguiu uma assistente social que vai encaminhar essa senhora para um abrigo.

​Read More
Você é o Repórter

Animais da Região Serrana do RJ têm até maio para deixar dois abrigos

Maio começou e, com ele, foi dada a largada de uma verdadeira corrida contra o tempo dos responsáveis por abrigos de animais resgatados das enchentes na Região Serrana. O motivo é a entrega de dois espaços, que deverá ser concretizada nos próximos dias.

Um desses abrigos, o de São José do Vale do Rio Preto, foi determinado que os animais só podem permanecer nas dependências do Clube Valverdão até o dia 10. Porém, o prazo não é o único que cerca as veterinárias que cuidam desses animais,  vítimas da catástrofe que atingiu o município em janeiro. Giselle Keller e Renata de Carvalho contaram tanto com a divulgação no programa Caldeirão do Huck quanto com a recém-fechada parceria com a companhia aérea Gol, que ofereceu transportar os animais para outras regiões do país. Assim, ainda faltam conseguir lares para 15 animais (11 cachorros, sendo três filhotes), uma gata de um ano e mais três filhotinhos felinos. História e fotografias no blog do SOS Animais de São José.

Gata teve filhotinhos no abrigo São José. Ela tem até o dia 10 para conseguir um novo lar.

Em Teresópolis, a situação também é crítica por conta da necessidade de entrega do imóvel alugado pelo Grupo Estimação e que terá que ser devolvido até o fim do mês. A próxima locação da ong já está definida, mas o espaço tem metade da área do atual.

Assim, o grupo e colaboradores promovem feiras de adoção, inclusive na capital, para reduzir o número de abrigados. E, na última, promovida dia 1, no Jardim de Alah, 17 cachorrinhos ganharam um novo lar, sendo que, no sábado, outros 10 foram adotados em outra feira nas terras cariocas. Além deles, outros 13 em Teresópolis no mesmo fim de semana.

As próximas já estão agendadas para depois do dia das mães, o que não impede de você presenteá-la com um mascote. No sábado, dia 14, tanto no Parque dos Patins, na Lagoa, como o pet shop Pet Fun (Rua Vinicius de Moraes, 121, em Ipanema), ocorrerá adoções de alguns mascotes. A feira do Parque dos Patins tem apoio do Grupo de Ação, Resgate e Reabilitação Animal (G.A.R.R.A. Animal), que também trará mais mascotes para conquistar adotantes.

No domingo, dia 15, mais bichinhos participam da feira dos Amigos do Jardim de Alah, localizado na praça do Jardim de Alah (Avenida Borges de Medeiros), das 10h às 16h.

Cadela do abrigo São José tem até o dia 10 para conseguir um novo lar.
​Read More