Notícias

Tatá Werneck e Patricia Pillar se candidatam para adotar o cão Tintim

Entrevistas com os interessados em adotar Tintim foram feitas. Os possíveis adotantes devem, agora, visitar o cachorro para cumprir a segunda etapa da seleção do novo tutor do cão


Famosos estão entre os 20 interessados em adotar o cachorro Tintim, que foi abandonado em São Leopoldo (RS). A Secretaria Municipal de Proteção Animal (Sempa) da cidade confirmou que a apresentadora Tatá Werneck e a atriz Patricia Pillar estão entre os candidatos a adoção.

Foto: Sempa

O secretário da pasta, Anderson Ribeiro, disse ainda que há outros famosos interessados em levar Tintim para casa, mas não divulgou os nomes porque são pessoas que não se pronunciaram publicamente. As informações são do GaúchaZH.

Em uma publicação da ONG AMPARA Animal, Tatá Werneck demonstrou interesse em adotar o animal. A apresentadora e seu marido, o ator Rafael Vitti, são tutores de 20 animais.

Patricia Pillar, por sua vez, divulgou o vídeo do momento em que a tutora de Tintim o abandona na rua e se dispôs a cuidar do animal. “Isso é crime!!! Se alguém souber onde está esse cachorrinho, me avisa, eu cuido!!!”, escreveu a atriz.

Na quinta-feira (9), Patricia disse que tentou adotar o cachorro, mas que precisaria ser de São Leopoldo para levá-lo para casa. “Eu tentei mas tinha q ser da cidade! Hj terminavam as entrevistas para adoção”, escreveu no Twitter.

De acordo com o secretário de Proteção Animal, o fato de Patricia e Tatá não morarem no Rio Grande do Sul “é uma questão importante a se avaliar”. Ele, no entanto, não descartou a possibilidade do cão ser adotado por uma delas.

Após cerca de 20 entrevistas serem feitas, o secretário já tem uma lista de pré-selecionados. A partir desta sexta-feira (10), os candidatos a adoção visitarão Tintim. Essas etapas, segundo o secretário, foram cumpridas em todas as mais de 600 adoções feitas desde 2017.

O secretário espera que o caso de Tintim impulsione as pessoas a adotar animais. Cerca de 6 mil cães estão abandonados na cidade e 300 vivem no canil municipal.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Você é o Repórter

Gatos abandonados e com perda ocular precisam de ajuda

Felinos Urbanos
felinosurbanos@gmail.com

Felinos urbanos é grupo que resgata e esteriliza gatos em situação de abandono nas ruas de São Luís (MA). No momento eles estão cuidando de dois casos muito delicados: uma filhote resgatada das ruas completamente cega, com os olhos tomados por uma estranha infecção e um gato adulto resgatado no campus de medicina veterinária da Universidade Estadual do Maranhão, que também está com uma infecção em um dos olhos e uma fenda palatina no céu da boca que impede sua alimentação.

Eles precisam de ajuda para custear as cirurgias e os pós-operatórios.

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

 

O grupo se compromete a prestar conta de todos os valores doados e qualquer coisa utilizada pelos gatos.

Para doar:
Otávia Mello
Banco do Brasil
Conta Corrente: 26820-8
Ag: 29548

Mais informações na página oficial do Grupo no Facebook

​Read More
Você é o Repórter

Cadela resgatada das ruas aguarda novo lar em SP

Karla Galotto
karlagalotto@hotmail.com

O meu nome é Pietra, a minha amiga Karla me encontrou na rua dia 09 de dezembro. Eu estava maltratada e com sarna pelo corpo inteiro, ela fez todo o meu tratamento, me castrou, deu vacina e vermífugo, mas infelizmente eu não posso ficar na casa dela, pois lá já tem mais 2 cachorras e uma delas com 6 filhotes.

Eu preciso de lar urgente. Adoro carinho e ainda tomo mamadeira.

Contato: Karla (11) 22586273 / 92086454

​Read More
Você é o Repórter

Cães maltratados aguardam adoção no RJ

Taty
taty.siqueira@oi.com.br

Os animais que seguem nas fotos estão sendo maltratados e precisam urgente de adoção. Eles vivem de forma desumana, presos sem qualquer possibilidade de locomoção, pois as correntes são muito curtas.

Quem puder adotá-los ou ajudar de alguma forma, entre em contato através do telefone (21) 8586-7773

​Read More
Notícias

Cavalos são abandonados nas ruas de Porto Velho (RO)

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) apreendeu na manhã de ontem dois cavalos que andavam livremente pelas ruas do bairro Alfaville, em Porto Velho. Uma denúncia anônima levou os técnicos do departamento até o local. Os animais foram levados até o CCZ onde ficarão até que o tutor apareça.


Foto: Diário do Amazonas


De acordo com moradores, é muito comum encontrar animais soltos nas ruas na região. Além disso, os animais estavam visivelmente maltratados.

Raimundo de Oliveira, morador do Alfaville, disse que anda sempre com cuidado porque os animais ficam no meio da rua constantemente. “É preciso localizar o tutor destes animais e remanejá-los para uma área adequada, eles não podem ficar no meio da rua onde a qualquer momento pode acontecer um acidente. Aqui é uma área urbana e não rural”, declarou.

Em segurança

No CCZ, os cavalos receberão os devidos cuidados. O tutor do animal tem até cinco dias para buscá-los. Ele terá que pagar uma taxa no valor de aproximadamente R$ 50,00. Normas e procedimentos de como tratá-los também serão explicadas ao tutor a fim de dar-lhes melhor qualidade de vida. Se no prazo de cinco dias o tutor não aparecer, os animais ficarão disponíveis para adoção.

Qualquer pessoa pode adotar um animal, sob pagamento de uma taxa de R$ 50, 00.  A equipe de profissionais orienta os interessados de como tratar o animal. Entre os cuidados necessários está a responsabilidade pelos animais adotados oferecendo uma propriedade cercada, água e alimentação de boa qualidade, além de jamais deixá-los soltos em via pública.

Fonte: Diário da Amazônia

​Read More
Notícias

Em dois meses, mais de 100 cachorros são sacrificados em Porto Velho (RO)

As chamadas carrocinhas não param de trabalhar nem mesmo nos finais de semana. Em regime de plantão, o Departamento de Controle de Zoonoses (DCZ), da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Velho (RO), mantém uma equipe de agentes que pode ser acionada aos sábados, domingos e feriados.

Cão capturado pelo DCZ de Porto Velho (Foto: Rondônia Ao Vivo)

De acordo com a diretora do departamento, Deuzeli Sales de Souza Pereira, as chamadas mais comuns são para capturar animais que fugiram de casa e atacam as pessoas. Durante a semana, as duas unidades capturam os cães que estejam na rua, tendo tutor ou não.

Entre fevereiro e março foram capturados 116 animais, e menos de 10% foram resgatados do Departamento de Controle de Zoonoses pelos tutores. Conforme o Código de Postura do Município de Porto Velho, o departamento deve manter os animais no canil por cinco dias úteis, após esse período eles são sacrificados.

Um outro serviço do Departamento de Controle de Zoonoses muito procurado pela população é a remoção de cães e gatos. Essa solicitação ocorre, principalmente, quando o tutor do animal não o quer mais, seja porque o cão ou gato está doente, ou velho. “Tem pessoas que solicitam a remoção porque adquiriram outro animal. Quando o agente explica que isso não é motivo para se desfazer do animal, elas ameaçam soltá-lo na rua, então ele é trazido para o Departamento de Controle de Zoonoses”, complementa Deuzeli Pereira.

De acordo com a diretora do DSZ, no mês de março a captura de cães ficou restrita às regiões centrais da cidade, por falta de acompanhamento da Polícia Militar. A presença da polícia é necessária, devido aos casos de agressão sofrida pelos agentes. “As pessoas jogam pedras e xingam os agentes quando eles estão na captura dos animais. Nem sempre os agressores são os tutores dos cães”, diz Deuzeli Pereira.

O departamento já solicitou ao Comando da Polícia Militar a renovação da parceria para que o serviço se normalize.

Fonte: Rondônia Ao Vivo

Nota da Redação: Mais uma vez, os animais são vítimas da falta de responsabilidade e de conscientização dos seres humanos. De um lado, estão os tutores, irresponsáveis, que abandonam os animais, os deixando à própria sorte, pelas ruas, sem alimentação ou moradia. Do outro lado, está o Departamento de Controle de Zoonoses, que assassina os animais que não são procurados pelos seus tutores. Já é sabido que a promoção da castração de animais e de campanhas de adoção são medidas de controle populacional mais eficientes – e mais humanas. Está na hora de as autoridades revisarem o Código de Postura de Município, punindo aqueles que abandonam os animais, e conscientizando a população sobre a guarda responsável e a adoção de animais. Assassinar animais é um método cruel e ultrapassado, que pune somente os animais, vítimas do descaso, da irresponsabilidade e da falta de compaixão dos seres humanos.

​Read More
Você é o Repórter

Nove filhotes são abandonados na porta de abrigo

Maria Eugenia Costa Ferreira

Nove cãezinhos foram abandonados na noite de terça-feira no portão da Sociedade Protetora dos Animais de Maringá (SPAM), no Paraná. Às 9 h de quarta-feira encontramos as caixas com quatro mortos de frio, dois agonizantes e que morreram logo em seguida e três vivos.

Quem souber da pessoa que tem uma cadela talvez meio peludinha cujos filhotes “sumiram” ou foram todos adotados rapidamente, favor denunciar (44 9944-1431). Abandonar é crime ambiental.

Eles devem ter sofrido muito, pois estavam gelados e com as boquinhas arreganhadas de sofrimento. Morreram em situação de dor. A SPAM continua procurando o proprietário do Monza verde placa AFF-1798 que abandonou a cadela Cofap com oito filhotes em frente ao Colégio João XXIII.

​Read More