Notícias

Animais são abandonados durante incêndios florestais nos Estados Unidos

Gato resgatado no estado norte-americano da Califórnia (Foto: Reprodução / Globonews)

Mais de 200 mil pessoas deixaram suas casas por conta dos incêndios florestais que atingem o estado norte-americano da Califórnia. Com isso, muitos animais foram abandonados à própria sorte.

Comovidas com o sofrimento desses animais, pessoas que atuam no resgate de cães e gatos se uniram para salvá-los. Centenas de animais já foram resgatados.

O abandono em meio às queimadas condenou muitos animais a sofrerem queimaduras graves. Outros foram resgatados com problemas respiratórios causados pela fumaça e pelo fogo.

Especialistas acreditam, porém, que as equipes não estejam dando conta de salvar todos os animais, especialmente cães e gatos, que foram abandonados. A suspeita é que muitos deles ainda estejam presos dentro das casas atingidas pelo fogo.

Os que tiveram a oportunidade de serem retirados dos imóveis agora aguardam para retornar para suas famílias. Uma força-tarefa está sendo realizada para identificar e localizar os tutores.

Em um hospital veterinário no Oregon, estado no qual mais de meio milhão de pessoas foram vítimas dos incêndios, profissionais estão publicando fotos dos animais resgatados nas redes sociais em uma tentativa de localizar suas famílias.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques

Dia Internacional do Cão: seu melhor amigo aguarda para ser adotado por você

Pixabay

Instituído em 2004 nos Estados Unidos, o Dia Internacional do Cão é comemorado em 26 de agosto. Mais do que homenagear os cães, a data deve ser vista como um incentivo à adoção deles. Nas ruas, em abrigos, doentes e tristes, milhares de cachorros esperam por seus melhores amigos. Um deles espera por você.

Não é fácil pedir comida sem dizer uma única palavra. Não é nada simples demonstrar em silêncio que sente frio, que precisa de carinho, que está deprimido. O sofrimento dos cachorros abandonados não existe apenas por conta do abandono, mas também pelo descaso da sociedade.

Sem falar, os animais demonstram o que sentem e o que querem. Seja por um olhar, por um latido ou pela expressão corporal, é possível perceber o que eles querem dizer. Para isso, porém, é necessário que humanos observem os animais com os olhos do coração.

Você seria capaz disso? Poderia seu olhar mirar para um cão e enxergar além do que a maior parte da sociedade vê? Eles esperam que sim. Independentemente de estarem sofrendo na rua as mazelas do abandono ou vivendo em um abrigo, sem uma família para dar e receber amor, eles esperam que você esteja disposto a mudar suas vidas.

Pixabay

Por isso, no Dia Internacional do Cão, a ANDA reverbera um apelo que não é nosso, é deles: leve para casa aquele que não é conhecido em vão como o melhor amigo do homem e permita-se desfrutar do amor puro, incondicional e despretensioso que só um animal pode sentir por você.

Eles não são apenas cachorros, são verdadeiros companheiros envoltos em pelos macios que querem viver em um mundo livre de preconceitos, com pessoas que condenem o comércio de animais por entender que vidas não podem ser comercializadas e que adotem movidas pelo amor.

E não são apenas os cães brancos, peludos, filhotes e de porte pequeno que esperam que você se esforce para se transformar em um ser realmente humano. Os cachorros pretos, adultos, idosos, com deficiência, de porte médio e grande, e aqueles que têm estampada em sua aparência a certeza de que não possuem raça alguma desejam ainda mais que você possa ser a melhor versão de si mesmo, porque eles dependem dela. Isso porque quando você se preocupa verdadeiramente em dar vazão a sua humanidade é que entende que nada tem valor maior do que o amor e esse entendimento não pode te levar a outro caminho senão à adoção de um animal rejeitado pela sociedade.

Pixabay

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Animais são envenenados em praça: ‘falta de empatia com o ser que passa fome na rua’

Gato morto por envenenamento (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Há dois anos, animais estão sendo envenenados em uma praça na quadra Arne 12 de Palmas, no Tocantins. Nos últimos meses, a situação tem piorado, com aumento no número de envenenamentos.

Uma gata que acabou de dar à luz oito filhotes foi a última vítima. Com a morte da mãe, os filhotes foram resgatados e serão cuidados até a adoção. Comovida com a história, Kamilla Rodrigues levou os gatinhos para sua casa.

“Meu irmão me marcou em uma publicação da página onde eles publicam sobre animais. Lá tinha que esses filhotes precisavam de um lar onde tivesse uma gatinha que estivesse amamentado. Eu entrei em contato com a página, dizendo que tinha e que poderia ficar com eles durante o período de amamentação”, disse ao G1.

A suspeita da médica veterinária Fernanda Luíza Rosa é que os animais estejam morrendo em decorrência de uma hemorragia causada pelo veneno.

“Está mais intenso nesses últimos dias, mas sempre aconteceu essa questão de envenenamento na quadra, isso vem de um a dois anos. A gente suspeita que é um veneno que causa hemorragia. É o que está causando a morte dos gatos em situação de rua e alguns cães. Inclusive de cães de tutores, de pessoas que vem passear na praça, o cão come o alimento envenenado e o tutor não vê e vai parar na emergência da veterinária”, contou.

Um desses tutores que perderam membros de sua família é a aposentada Neide Ozório. Ela perdeu o cachorro Salomão, que foi envenenado. “Tive um cachorro envenenado dentro da praça. Eu peço a todas as pessoas que, por favor, vamos preservar a vida dos nossos animais, dos nossos companheiros. Eles nos trazem grande saúde mental. Vamos lutar em prol da vida desses seres que nos trazem tanta alegria”, disse.

Filhotes de gata envenenada estão sendo cuidados por outro animal (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Moradores da região estão indignados com os envenenamentos e tentam proteger os animais abandonados da forma como podem. Para a veterinária

Os moradores da quadra não entendem porque tanta crueldade e tentam ajudar e proteger os animais de rua. “A gente está entrando no quarto mês. Justamente para que esses animais pararem de procriar, invadir a casa alheia para roubar comida e pular no telhado fazendo barulho à noite. Na verdade, é o ódio mesmo, a falta de empatia com o ser que está na rua passando fome”, afirmou a veterinária.

Envenenar animais é crime e os casos devem ser investigados à Polícia Civil para que sejam investigados.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Cão morre após ser abandonado em casa vazia com outros 12 cachorros

Foto: Reprodução/EPTV

Treze cachorros foram abandonados em uma casa vazia na cidade de Muzambinho, em Minas Gerais. O imóvel está situado na região central do município.

Sem água e comida, os cães viviam em um ambiente insalubre, em meio a muita sujeira. Um deles sucumbiu ao sofrimento ao qual foi submetido e morreu.

O caso foi descoberto após denúncias. Na tarde da última terça-feira (18), uma equipe da Polícia Civil esteve no imóvel, confirmou os maus-tratos, mas não encontrou a tutora dos cães.

A Vigilância Sanitária de Muzambinho informou que a mulher já foi multada duas vezes e que chegou a ser detida pela polícia em outra ocasião.

Apesar da situação em que foram mantidos, os cachorros não puderam ser retirados da casa. Eles permanecem no local, mas foram alimentados.

A Polícia Civil afirmou que irá iniciar uma investigação sobre o caso de maus-tratos.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Menina de 13 anos realiza sonho de criar projeto para alimentar cães abandonados

Foto: Arquivo pessoal

A estudante Letycia Mariana Rodrigues Cardoso tem apenas 13 anos, mas tem muito a ensinar aos adultos. Dona de um coração no qual cabem todos os cãezinhos abandonados, ela idealizou um projeto para alimentá-los.

Moradora de Indiara, em Goiás, ela pediu ajuda a amigos e familiares e conseguiu realizar seu sonho de minimizar o sofrimento dos cachorros em situação de rua.

“Eu sempre tive o sonho de alimentar os cães de rua, porque alguns rasgam até lixo para poder ter alimento. Eu vi na internet a ideia de uma amiga e falei para meu pai, minha mãe e minha madrinha, que é apaixonada por cães e abraçou a causa”, disse ao G1.

Tio Renê, como é conhecido o empresário Ronecharles Plácido dos Santos, contou que 32 comedouros foram produzidos desde a última quinta-feira (6). A maior parte já foi colocada nas ruas da cidade.

“Juntamos quatro amigos e a Letycia, que é a idealizadora. Ela tinha vontade de fazer o projeto, e a gente abraçou a causa. Pedimos doação pela cidade. Muita gente doou material para fazermos os comedouros e a ração também”, contou.

Também estão sendo fabricados comedouros para moradores do município que pediram que os objetos fossem colocados em frente as suas casas. Nesses casos, os solicitantes ficam responsáveis por fornecer a ração.

“A gente colocou nas redes sociais, e as pessoas viram e mobilizaram. Já ganhamos sete sacos de ração. Tem pessoas que estão nos ligando e pedindo para a gente instalar um perto deles, porque eles já tem o costume de colocar vasilha de ração na porta de casa, mas quando chove, molha. Nesse projeto, a ração não molha”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Após matança de gatos em praça, animais que sobreviveram são resgatados

Reprodução/Pixabay/Imagem Ilustrativa

Após 30 gatos serem encontrados mortos em uma praça na Vila Valqueire, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro, uma operação de resgate aos sobreviventes foi realizada na última segunda-feira (3).

Gatos que sobreviveram e continuavam no local foram resgatados pelo presidente da Comissão de Defesa dos Animais da Câmara Municipal, vereador Luiz Carlos Ramos Filho, e a por uma equipe da Prefeitura do Rio.

Levados à Fazenda Modelo, como é chamado o abrigo municipal, os gatos receberão os cuidados necessários. Eles serão vacinados, vermifugados e castrados.

Vivendo em situação de rua, os gatos eram protegidos por moradores da região, que cuidavam deles há anos, mas não conseguiram evitar a matança. Tratados com carinho, eles têm nome e são queridos pelos cuidadores.

Moradores denunciaram o caso à Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) na última terça-feira (28). Os corpos foram levados ao Instituto Jorge Vaitsman, da Prefeitura do Rio de Janeiro, para que a causa da morte seja confirmada. A suspeita, de envenenamento, é investigada pela polícia.

No último sábado (01), a praça amanheceu com focos de incêndios e quiosques pichados com frases como: ”seu ketchup é feito com sangue de gatos”. A denúncia foi feita pelo vereador Dr. Marcos Paulo (Psol/RJ), que repudiou os atos de vandalismo. “As protetoras me procuraram imediatamente para manifestar seu repúdio a essa violência. Eu sei que a revolta é grande com a situação, mas nada justifica mais violência, ainda mais sem qualquer prova”, disse em postagem em sua página no Facebook.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Filhotes de cachorro são salvos após serem abandonados com a boca colada

Foto: Senior Dog Lodge & Animal Rescue

Três filhotes de cachorro foram abandonados com a boca colada na cidade de Sunbright, no estado norte-americano do Tennessee. O crime chocou os moradores da região.

Os cães estavam com sua mãe em um terreno do vizinho de um homem que, comovido com a situação, acionou o serviço de proteção animal do município para que os cachorross fossem salvos.

O proprietário da casa na qual os animais foram abandonados estava hospitalizado e, segundo o homem que os encontrou, ninguém sabe quem cometeu o crime.

Antes da chegada da equipe de resgate, o morador limpou a boca dos filhotes, que ficaram desnutridos e desidratados por terem sido impedidos pela boca de beber água e se alimentar.

As autoridades afirmam à NBC12 que a cola foi completamente removida da boca dos cães e que eles passam bem, apesar dos maus-tratos sofridos.

Encaminhados para um abrigo de proteção animal, os filhotes e a cadela serão disponibilizados para adoção responsável. O crime está sendo investigado pela polícia.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Destaques, Notícias

Homem junta dinheiro por 10 anos para comprar ambulância para animais

Homem ajuda pessoas na sua cidade natal a levar os animais ao veterinário.
Foto: Reprodução Youtube/ Open Road Índia

São muitos os animais em situação de abandono ao redor de todo mundo, mais ainda existem pessoas que visam pelo bem-estar dos animais. Esse é o caso do indiano Balu, que vive na cidade de Pune, Índia.

O indiano dedica a sua vida a cuidar de animais desamparados e abandonados, e para dar continuidade ao seu trabalho, ele comprou uma ambulância para levá-los ao veterinário quando for preciso.

Balu, como é conhecido, particularmente na cidade onde mora, cobra um valor simbólico para levá-los ao veterinário, sendo quinze centavos por quilometro rodado, essa é a única fonte de renda dele para sustentar sua família.

Além de transportar os animais, o homem também presta serviços de atendimento, e também quando é preciso, medicá-los. Ele é muito respeitado pelos moradores e abrigos que atendem animais desamparados na região de Pune.

Além de ajuda com o transporte, ele também abriga animais resgatado em sua própria casa quando não há vagas em abrigos e em organizações de proteção animal.

“Eu mantenho 5 a 6 cães em casa, alguns com pernas e patas quebradas. Agora esta é a minha vida, não posso deixar isso, vou continuar fazendo isso para sempre para sempre”, afirma Balu ao Open Road Índia.

Proteção animal na Índia

Segundo a organização World For All Animal CARE And Adoptions, entidade que cuida de animais abandonados e os ajuda a serem adotados, existem muitos animais sem lar nas ruas das cidades indianas.

Segundo a ONG, não existem números exatos, mais estima-se que há mais de 50 mil cachorros abandonados nas ruas de Mumbai, Índia.

Foto: Reprodução/ Pixabay

Felizmente, em meio a estatísticas alarmantes, há também dados otimistas. A mesma ONG aponta redução no número de cachorros abandonados após aumentarem as doações e castrações na cidade de Mumbai.

Para orientar as pessoas a não abandonarem os animais nas ruas, lançaram uma campanha com um vídeo comovente chamado #AStreetDogsLife”.

Apesar do vídeo parecer bem realista, as imagens foram editadas para representar como vive um animal em situação de rua. A organização deixa bem claro que nenhum animal saiu ferido durante a produção produção.

“As cenas retratam apenas os vários desafios que um cão abandonado enfrenta todos os dias nas ruas da Índia” disse os autores dos vídeos no final.

O vídeo já teve mais de 7 milhões de visualização no Youtube, e mostra cachorros correndo nas ruas movimentadas na Índia e mexendo nos lixos. Veja abaixo:


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

‘São inocentes que sofrem’, diz advogado ao pedir ajuda para cães abandonados

Foto: Mateus Lima/Arquivo pessoal

A situação de 11 cachorros em situação de abandono comoveu Mateus Lima. Enquanto passeava de bicicleta na Serra das Areias, em Aparecida de Goiânia (GO), o advogado encontrou os animais. Famintos e magros, os cães sofrem na rua e passam frio. Para tentar mudar essa realidade, Mateus pediu ajuda nas redes sociais.

O advogado tem ajudado os animais da maneira que consegue, mas não tem condições de ir ao local alimentá-los diariamente.

“Faço pedal na serra nos finais de semana há dois anos e sempre vejo cães abandonados por lá. Mas, desta vez, encontrei 11 animais e, junto deles, alguns utensílios de porta ração e água. Me parece que realmente foi abandono”, contou ao G1.

Após encontrar os cachorros, o advogado retornou ao local para dar água e ração aos animais. Através das redes sociais, ele fez um apelo.

“É difícil ver os cães daquela maneira, magros, abandonados, com fome, sem água e ainda devem passar muito frio à noite. Eles são inocentes que sofrem. Comecei a pedir ajudar pelas redes sociais, divulguei para amigos, abrigos e familiares. Consegui ajuda de uma mulher que vai resgatar pelo menos a metade deles. Mas ainda faltam os outros animais”, disse.

Através de nota enviada ao G1, a Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia informou que o Centro de Controle de Zoonoses não pode resgatar animais abandonados. Isso porque a Lei nº 17.767, de 10 de setembro de 2012, proibiu o serviço e definiu que o órgão deve apenas controlar as zoonoses – isso é, doenças transmitidas entre animais e seres humanos.

Denúncias de abandono e maus-tratos podem ser feitas através do telefone 197.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Gatos abandonados em represa ganham abrigos em São José do Rio Preto (SP)

Pixabay/MabelAmber

Os gatos que vivem em situação de abandono na Represa Municipal de São José do Rio Preto (SP) ganharam 11 abrigos de concreto. Outros 10 ainda devem ser instalados. Eles substituem 97 casinhas de madeiras que foram retiradas do local.

A ação foi realizada pela Diretoria do Bem-Estar Animal (Dibea) em Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Gerais e foi acompanhada por um protetor de animais. Bebedouros e comedouros foram mantidos na represa.

O objetivo é limpar o local onde animais vivem e tratá-los, o que inclui submetê-los à castração. Até o momento aproximadamente 180 dos cerca de 250 gatos que vivem na represa foram castrados. O projeto de castração é realizado pela Dibea em parceria com o Instituto Vira-Latas.

“Entramos em contato com duas protetoras atuantes na Represa, que são consideradas tutoras desses gatos comunitários, e a cada dois dias nós capturamos os animais para castrá-los”, explicou ao G1 a diretora do Bem-Estar Animal, Karol Prado.

A substituição das casinhas foi feita porque o concreto é mais adequado para abrigar os animais, por ser mais resistente, permitir lavagem e não reter umidade.

“Com as casinhas de madeira, os gatos estavam expostos a síndromes respiratórias e a alguns fungos”, afirmou Karol.

O projeto municipal conta também com o apoio da Guarda Civil Municipal (GCM), que tem feito rondas pela região para coibir o abandono de animais, prática que configura crime passível de detenção de até um ano, além de multa. Câmeras também foram instaladas para registrar ações criminosas promovidas contra os animais.

O objetivo final do projeto é disponibilizar os gatos para adoção. “A intenção é promover a saúde pública no local e garantir a destinação adequada para os animais domésticos, encontrando famílias que possam cuidar deles como necessitam”, concluiu Karol.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Campanha arrecada ração para cães e gatos durante pandemia em Salvador (BA)

O Hospital Veterinário HPET e o grupo Bombeiros Voluntários K9 iniciaram uma campanha de arrecadação de ração para cachorros e gatos abandonados em Salvador, na Bahia. A “Doação de Coração”, como foi nomeada a campanha, pretende alimentar animais que foram abandonados ou estão sem alimento por conta da pandemia de Covid-19.

Foto: Divulgação / Brigada K9 do Corpo de Bombeiros Voluntários

As doações estão sendo recebidas nas duas unidades do HPET, nas ruas Território do Guaporé e Paraná, no bairro da Pituba, e também através de um cupom de desconto, que permite a compra da ração a preço de custo, no site do hospital veterinário.

“Vamos iniciar as doações com 200 kg de ração ofertada pelo HPET. É um momento em que temos acompanhado muitos casos de abandono de animais em virtude da situação difícil da COVID-19. Animais esses, que ficam sem um lar e sem alimento. Nos juntamos a Brigada K9, que já desenvolve um trabalho incrível de colaboração com os animais em situação de re rua, e esperamos alcançar muitas doações”, explicou ao G1 o Diretor do HPET, Gustavo Rocha.

O comandante Emerson França, a Brigada K9 do Corpo de Bombeiros Voluntários de Salvador, contou que meia tonelada de ração já foi distribuída. A intenção é arrecadar mais 1,5 tonelada.

“Quando a gente viu o acontecimento da pandemia, nós sabíamos que alguns protetores que alimentam animais em Salvador teriam dificuldades. Bares e restaurantes, que costumam alimentar, estão fechados. Os animais passaram a revirar lixo. Fiz uma campanha, pedi ajuda para pessoas que nos dão auxílio. Fiz foto e vídeos. Vimos que os animais estavam passando fome. (…) Tem abrigo que a protetora não teve como sair, são senhoras de idade. Tem abrigo que distribuímos ração que tem 200 cães. Outros com 50”, contou.

Segundo o comandante, a quantidade de animais abandonados nas ruas também aumentou desde que o vírus chegou ao Brasil. Os abandonos são causados pela desinformação, gerada por fake news. Ao contrário do que dizem as falsas notícias, os cachorros e gatos não transmitem coronavírus, conforme alertou a Organização Mundial da Saúde (OMS). E abandoná-los configura crime.

“A gente viu que o número aumentou muito, assim como o número de maus-tratos. Pessoas com medo de que o animal transmitisse coronavírus. Já foi divulgado na imprensa, mas tem pessoas que não sabem que o animal não passa o vírus”, disse.

Além de distribuir ração, os bombeiros também investigaram uma denúncia de maus-tratos a animais no bairro Jardim Armação.

Nota da Redação: Cães e gatos não pegam nem transmitem o covid-19. Eles podem apenas pegar as versões canina e felina do coronavírus que não são transmissíveis aos humanos, segundo o que  atestam veterinários do mundo todo. O cão de Hong Kong que a princípio mostrou em exames ter “vestígios” da covid-19, morreu dois dias depois de ser constatado, por meio de testes mais complexos, que ele não portava o coronavírus humano. Ele era um cão idoso, com 17 anos, e os próprios especialistas de Hong Kong declararam que ele deve ter morrido devido ao estresse causado pela distância da família durante a quarentena.

No entanto, tutores infectados com covid-19 devem delegar os cuidados aos seus animais a outras pessoas e, se isso não for possível, usar álcool gel antes de acariciar seus cães e gatos, pois, pode haver uma contaminação superficial do pelo desses animais do mesmo modo que haveria num corrimão de escada, por exemplo. A ANDA tem se preocupado em passar as informações corretas, com embasamento da OMS – Organização Mundial da Saúde e de veterinários, a fim de evitar abandono e maus-tratos. Colabore também disseminando as informações corretas!


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More
Notícias

Campanha pede para população oferecer água e alimento a animais abandonados

O Instituto Quatro Patas, com sede em Caruaru (PE), lançou a campanha “Meu Amigo de Rua”, que tem o objetivo de amenizar o sofrimento dos animais abandonados em meio à pandemia de Covid-19.

A campanha incentiva a população a colocar água e alimento para os animais nas proximidades das residências.

Pixabay/Federicogabriel92

Além dos animais que já viviam nas ruas, outros tantos foram abandonados graças à desinformação. Notícias falsas levaram a população a crer que os animais podem se contaminar com a Covid-19 e transmiti-la. Isso, no entanto, não é verdadeiro.

O Instituto lembra que a única forma de contágio confirmada do vírus é entre seres humanos. A informação é ressaltada por especialistas e autoridades, inclusive a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A médica veterinária e professora da PUC-PR, Kung Darh Chi, reforçou ao G1 que animais domésticos e silvestres não são hospedeiros do vírus e não o transmitem.

NOTA DA REDAÇÃO: Cães e gatos não pegam nem transmitem o covid-19. Eles podem apenas pegar as versões canina e felina do coronavírus que não são transmissíveis aos humanos, segundo o que  atestam veterinários do mundo todo. O cão de Hong Kong que a princípio mostrou em exames ter “vestigíos” do covid-19, morreu dois dias depois de ser constatado, por meio de testes mais complexos, que ele não portava o coronavírus humano. Ele era um cão idoso, com 17 anos, e os próprios especialistas de Hong Kong declararam que ele deve ter morrido devido ao estresse causado pela distância da família durante a quarentena.

No entanto, tutores infectados com convid-19 devem delegar os cuidados aos seus animais a outras pessoas e, se isso não for possível, usar álcool gel antes de acariciar seus cães e gatos, pois, pode haver uma contaminação superficial do pelo desses animais do mesmo modo que haveria num corrimão de escada, por exemplo. A ANDA tem se preocupado em passar as informações corretas, com embasamento da OMS – Organização Mundial da Saúde e de veterinários, a fim de evitar abandono e maus-tratos. Colabore também disseminando as informações corretas!


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


​Read More