Notícias

Peixe-boi é visto na praia do Carmo, em Olinda (PE)

Reprodução
Reprodução

Um peixe-boi foi visto na praia de Jardim Atlântico, em Olinda, no último fim de semana. O animal estava no raso e causou admiração nos banhistas, que se aproximaram em grupo para observá-lo na água. O peixe-boi é fêmea, se chama Clara, e está sendo monitorado pelo Centro de Mamíferos Aquáticos (CMA), em Itamaracá, na Região Metropolitana do Recife, desde que foi solto na natureza há quatro meses.

De acordo com a veterinária Gláucia Pereira, do CMA, Clara não está presa e aparece com frequência na beira da praia. “O pessoal liga direto falando que o animal tá encalhado, mas ele fica no raso, realmente, interagindo com os banhistas. Na hora que as pessoas saem, ele também sai”, explica. “Ela já tem noção de variação da maré e fica dando um tempo lá”, detalha.

Clara foi encontrada há quatro anos, ainda filhote, em uma praia do Ceará. Na ocasião, ela estava, sim, encalhada. Foi trazida para Pernambuco para reabilitação no instituto. Passou por tratamento e foi solta há quatro meses, em Alagoas. Nadou de volta até Olinda.

No entanto, a veterinária recomenda o mínimo de contato possível. “A gente sempre pede para o pessoal não alimentar para que ela possa buscar comida sozinha. Por ser um animal reintroduzido, não é bom interferir dessa forma. Ele precisa buscar. Se o pessoal ficar dando comida, ele não sai dali”, alerta. “Ainda tem o perigo de ela machucar alguém quando der impulso para voltar ao mar”, conclui.

Além de Clara, outro peixe-boi fêmea, chamado Quitéria, está sendo monitorado pelo CMA e pode ser visto ocasionalmente no litoral do estado.

Fonte: G1

​Read More
Notícias

Cerca de 300 pessoas participaram da Marcha da Defesa Animal na orla de Maceió (AL)

Crédito: Américo Cavalcante
Crédito: Américo Cavalcante

Na tarde do último domingo (20), data em que foi comemorado o Dia Internacional do Amigo, cerca de 300 pessoas junto com seus animais domésticos se uniram ao movimento nacional que tomou a principal Avenida da orla de Maceió. A “Marcha da Defesa Animal” que ocorreu em aproximadamente 50 cidades de todo o país também foi realizada em Maceió, que recebeu o evento pela primeira vez.

De acordo com a coordenadora do evento, Monique Taciane, a marcha teve como objetivo dar “voz” aos animais, onde durante o movimento os participantes percorreram às ruas de cidades brasileiras, exigindo aumento da pena e novas leis contra maus-tratos de animais, castração e vacinação gratuitas, além da criação de hospitais públicos veterinários. Além do ato foram recolhidas doações para os animais como ração para cães e gatos, latinhas de patê, medicamentos, lençóis, toalhas, jornais, caminhas entre outros produtos para os animais.

“Estamos nos mobilizando para levar centenas de pessoas às ruas para protestar em nome de nossos melhores amigos, os animais, eles não podem se defender, por isso temos o dever de lutar, tanto por melhores condições de saúde quanto por penas mais severas a quem os maltrata”, explica Monique Taciane.

A coordenadora explicou ainda que o movimento também não conta com nenhuma intenção politica. “A marcha é um movimento nacional pacífico, sem cunho político, cujo único objetivo é defender os animais. Convidamos toda a sociedade a participar”, finalizou.

Proteção Animal

No Brasil a legislação que pune os crimes contra animais domésticos e domesticados são muito brandas, é muito difícil alguém ir para a prisão por maus-tratos ou morte de animais. Em paralelo a isso, existem pessoas que trabalham de forma voluntária em ONGs ou de forma independente, como os protetores de animais.

Fazendo o papel do poder público, os protetores recolhem animais nas ruas, atropelados, doentes, abandonados, maltratados, estuprados e tentam dar um pouco de dignidade e amor a esses seres inocentes. A iniciativa é feita com recursos próprios ou através de doações. Em Maceió esse trabalho de proteção animal existe, realizado por profissionais de diversas áreas, mas que tem em comum o amor pelos animais.

Fonte: Voz das Comunidades

 

​Read More