CRUELDADE

Cachorro é baleado no olho e agressor é preso em flagrante por maus-tratos

Mariana Dandara | Redação ANDA

O autor do crime confessou ter atirado no cachorro, mas disse que não tinha a intenção de feri-lo, apenas de assustá-lo


Escute
Foto: Divulgação/Polícia Militar do Piauí

Um homem foi preso na cidade de Cristino Castro, no Piauí, após balear um cachorro no último sábado (13). José Antunes da Silva Primo, conhecido como Zé Bacana, de 83 anos, feriu o cachorro Brunão, que foi atingido no olho esquerdo.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado na delegacia, o crime foi denunciado pela tutora do cachorro. “A guarnição de serviço foi acionada pela tutora do cachorro, denunciando maus-tratos de animal doméstico praticado pelo senhor José Antunes, após ele realizar disparo de arma de fogo que atingiu a face do animal”, diz o documento.

Zé Banaca usou uma espingarda do tipo bate-bucha para cometer o crime, caracterizado como maus-tratos pela Lei Sansão, que prevê prisão de até cinco anos aos agressores de cachorros e gatos.

Apesar da crueldade a qual foi submetido, o cachorro passa bem. Conforme relatou ao G1 o sargento Sá Matos do 19° Batalhão da Policia Militar de Bom Jesus, o ferimento não foi grave.

Ao ser questionado pelos policiais, Zé Bacana confessou ter atirado no cachorro, mas disse que não tinha a intenção de feri-lo. Segundo ele, seu objetivo era assustar o cão para que ele não entrasse mais em sua propriedade, onde morde galinhas e ovelhas.

Levado à sede da Delegacia Regional de Polícia Civil de Bom Jesus, José Antunes foi indiciado e responderá judicialmente pelo crime de maus-tratos a cães.

Lei Sansão

Sancionada no final de 2020, uma nova lei de proteção animal aumentou a pena para crimes cometidos contra cachorros e gatos no Brasil. Antes, esses crimes eram punidos com, no máximo, um ano de detenção, pena que era convertida em alternativas como a prestação de serviços à comunidade.

A legislação recebeu o nome de “Lei Sansão” em homenagem ao pit bull Sansão, que foi brutalmente torturado em Minas Gerais, tendo as duas patas traseiras decepadas. Paraplégico, ele não apenas se recuperou e provou o quão forte é capaz de ser, como serviu de incentivo para a aprovação da lei.

Com o aumento da pena, os criminosos que submeterem cachorros e gatos a maus-tratos poderão ser presos por um período de dois a cinco anos. Eles também poderão ser punidos com multa e com a proibição de tutelar outros animais.

A medida, no entanto, não protege os animais de outras espécies, excluindo a fauna silvestre e animais que são explorados pela sociedade, como galos, porcos, bois e galinhas.

Nota da Redação: a ANDA reforça que cachorros são seres irracionais que cometem atos por instinto, não por maldade. Desta forma, é imprescindível que humanos entendam que um cão não morde outros animais com má intenção e que nem mesmo pessoas que cometem crimes por terem más motivações não devem ser punidas a tiros, que dirá cães inocentes. Defensora da causa animalista, a ANDA reforça seu compromisso de conscientizar a sociedade e pede que crimes de maus-tratos a animais sejam punidos no rigor da lei.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PRESERVAÇÃO

DADOS ALARMANTES

LEALDADE

LIBERDADE

INCONSCIÊNCIA

CRIME BÁRBARO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>