• Home
  • Anemia, fraqueza e alto custo: nutricionista desmente mitos sobre veganismo

Anemia, fraqueza e alto custo: nutricionista desmente mitos sobre veganismo

0 comments

Pixabay

O veganismo é cercado de mitos fundamentados na desinformação da sociedade. Em plena ascensão, essa filosofia pautada no reconhecimento dos animais como sujeitos de direito ainda enfrenta muito preconceito.

Para combater as ideias equivocadas acerca do veganismo e incentivar os leitores a conhecer mais sobre o tema e estimulá-los a se tornarem veganos, a Agência de Notícias de Direitos Animais convidou a nutricionista Maitê Ranheiri para desmentir mitos sobre o veganismo.

Ser vegano é caro? Quem consome apenas alimentos de origem vegetal pode se sentir fraco e desenvolver anemia? Vegetais causam saciedade? Atletas podem adotar o veganismo? Confira abaixo a lista de mitos desmentidos pela especialista.

(Foto: Impossible Foods)

“Veganismo é para ricos porque é muito caro ser vegano”

Maitê Ranheiri: Mito! Se formos pensar em custos, contando que os alimentos de origem animal – 1kg de carne custa de R$ 20,00 a R$ 40,00 – quanto compraríamos de vegetais com esse mesmo valor?

Uma alimentação vegana planejada pode ser e é mais barata. Sugiro preferir comprar vegetais em feiras abertas localizadas perto de sua casa, os valores normalmente são mais baratos e também damos preferência ao pequeno produtor.

“Atletas não podem ser veganos”

Maitê Ranheiri: Mito! O Journal of the International Society of Sports Nutrition mostrou em um artigo que com uma alimentação equilibrada e bem planejada, dando atenção as recomendações de energia, macro e micronutrientes, juntamente com a suplementação adequada, a alimentação vegana pode atender às necessidades dos atletas de forma satisfatória.

“É impossível um vegano ganhar massa magra durante a musculação”

Maitê Ranheiri: Mito. Conseguimos sim atingir as recomendações de carboidratos necessários para dar energia para o treino, e de proteínas para construção muscular, desde que a alimentação seja equilibrada e ajustada para o esporte e os objetivos do treinamento.

“A dieta à base de vegetais não promove a sensação de saciedade”

Maitê Ranheiri: Mito. A dieta a base de vegetais é a que maior promove a sensação de saciedade, por ter alimentos ricos em fibras solúveis que se transformam em gel após ingeridas, permanecem mais tempo no estômago promovendo sensação de saciedade. Este tipo de fibras é encontrado em leguminosas, sementes, farelos, frutas e hortaliças.

“Veganos ficam fracos e anêmicos”

Maitê Ranheiri: Mito. Qualquer pessoa, mesmo que seja onívora, pode ficar com deficiência de algumas vitaminas e minerais. Em relação aos veganos, a recomendação de ferro é maior justamente para evitar a deficiência. Porém, verificar os exames sempre é importante para analisar o perfil nutricional e a saúde. A vitamina B12 é encontrada somente em alimentos de origem animal, mas mesmo quem come carne pode ter deficiência dessa vitamina por depender de vários fatores para a absorção e manter os níveis destes nutrientes.

“Pessoas que trabalham com serviços pesados, como pedreiros, não teriam força física e energia para exercer a profissão se fossem veganos”

Maitê Ranheiri: Mito. Pelo contrário, a ingestão de carboidratos normalmente é maior em veganos, este nutriente é essencial para dar força e energia.

“Veganos só comem salada”

Maitê Ranheiri: Mito. Os veganos têm uma alimentação bem variada, incluindo cereais, raízes e tubérculos, frutas, verduras e legumes, oleaginosas e leguminosas.

“Só existe proteína de origem animal”

Maitê Ranheiri: Mito. A proteína de origem vegetal é encontrada nas leguminosas, cereais e oleaginosas. Esses três grupos alimentares são fontes de aminoácidos e se complementam formando as proteínas.

“A alimentação vegana não dispõe das vitaminas e minerais necessários à saúde humana”

Maitê Ranheiri: A alimentação vegana pode atingir a recomendação de todos os nutrientes, exceto a vitamina B12.

“Veganos precisam ingerir dezenas de suplementos”

Maitê Ranheiri: Mito. Pensando que ser vegano com uma alimentação rica em frutas, legumes e verduras, carboidratos e proteínas e precisando de uma quantidade maior para os nutrientes serem adequados, nem sempre essa população precisa tomar suplementos.

“Apenas veganos precisam de suplementação. Onívoros nunca precisarão suplementar a vitamina B12 ou realizar qualquer outra suplementação”

Maitê Ranheiri: Qualquer pessoa com deficiência de vitamina b12 deve suplementar. Alguns estudos mostram que a prevalência de deficiência desta vitamina é igual para onívoros e veganos.

“Veganos têm mais risco de desenvolver doenças, inclusive demência”

Maitê Ranheiri: Mito. Vários estudos comprovam que a alimentação baseada em plantas pode diminuir o risco de desenvolver doenças por ser uma alimentação rica em fatores protetores como vitaminas, minerais, fibras, antioxidantes e compostos anti-inflamatórios e reduzem o consumo de alimentos fontes de fatores causadores (como gordura trans, excesso de gordura saturada, carboidratos refinados, sódio em excesso e contaminantes químicos).

“A soja é rica em hormônios femininos e não deve ser consumida por homens”

Maitê Ranheiri: Mito. Soja não contém hormônio, ela tem uma estrutura molecular semelhante ao estrógeno – é chamada de fitoestrogêno – mas não desempenha a função do hormônio. Porém, em relação ao consumo de soja, prefira a orgânica.

“Bebês, crianças e grávidas não devem ser veganos”

Maitê Ranheiri: Mito. Segundo a posição da American Dietetic Association, as dietas vegetarianas bem planejadas são apropriadas para indivíduos durante todos os estágios do ciclo de vida, incluindo gravidez, lactação, infância e adolescência, e para atletas.

“É difícil ser vegano”

Maitê Ranheiri: Mito. Atualmente o mercado vegano está crescendo e temos muitas opções em vários lugares no país. A demanda do comércio vegano tem aumentado muito e a indústria está procurando se adaptar a isso.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>