• Home
  • França investiga mutilações e mortes de dezenas de cavalos e pôneis

França investiga mutilações e mortes de dezenas de cavalos e pôneis

0 comments

Foto: Michel Euler/AP

Dezenas de cavalos e pôneis foram mutilados na França. Mortes também foram registradas. Os crimes cercados de mistério são investigados.

O ministro da Agricultura da França informou ao jornal The Guardian que até 30 casos foram denunciados. Na maior parte das vezes, o animal tem a orelha direita mutilada.

O retrato falado de dois homens foi divulgado por autoridades em Auxerre, na Borgonha, após os agressores serem flagrados pelos tutores de animais mutilados. O caso aconteceu em uma vila na região de Bourgogne-Franche-Comté e terminou em luta corporal entre os envolvidos.

“Eu costumava ter confiança para colocar meus cavalos no pasto. Hoje, tenho medo”, disse Nicolas Demajean à estação de TV regional France 3.

No dia 24 de agosto, Demajean defendeu seus animais e ficou ferido no braço após ser alertado por porcos da fazenda, que gritaram. Enquanto era agredido por um homem, outro cortava os corpos de dois pôneis. Os animais estão se recuperando, mas, segundo o tutor, estão traumatizados. Os criminosos entraram em um veículo e fugiram.

Dentre os ataques, foram registradas agressões contra um pônei, um cavalo e um burro. O cavalo teve alguns órgãos removidos e o burro foi morto.

Suspeita-se que os animais estejam sendo submetidos a rituais de um culto desconhecido. Mas não são descartadas as hipóteses de que eles possam estar sendo alvos de desafios macabros ou de atos de imitadores.

A veterinária Aude Giraudet, chefe da divisão equina da Escola Nacional de Veterinária de Alfort, afirmou ao The Guardian que não tem certeza se é “necessário grande conhecimento de cavalos” para realizar as mutilações que estão sendo registradas.

“Um cavalo com medo no pasto não será pego. O cavalo que se sente confiante com as pessoas… ele virá, achará normal que você coloque um arnês nele ou uma corda em seu pescoço ”, completou.

Tutora de um cavalo morto por criminosos, Pauline Sarrazin criou nas redes sociais o grupo “Justice for our Horses”, que já tem cerca de 17 mil membros.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>