• Home
  • Macacos são explorados na indústria de leite de coco na Tailândia

Macacos são explorados na indústria de leite de coco na Tailândia

0 comments

PETA: “Esses animais inteligentes lentamente perdem a cabeça” (Imagens: PETA)

Investigadores da organização Pessoas Pelo Tratamento Ético dos Animais (PETA) visitaram oito fazendas na Tailândia onde encontraram macacos sendo obrigados a recolher cocos que servem como matéria-prima para alguns dos principais produtores de leite de coco do país – Aroy-D e Chaokoh.

Nesses locais, foram encontrados macacos sendo treinados para realizar a tarefa, além de uma “competição” de qual animal recolhe mais cocos. “Esses animais sensíveis estão sendo explorados”, frisa a PETA, que entrou em contato com as redes que revendiam produtos dessas marcas.

A Cost Plus World Market, que é proprietária de várias cadeias de supermercados, assumiu o compromisso de não comercializar mais os produtos da Aroy-D e Chaokoh. A PETA também está alertando outras empresas que atuam fora da Tailândia para boicotarem essas marcas.

Macacos são retirados de suas famílias ainda bebês

A estimativa é de que a ação da organização já tenha conseguido evitar a venda desses produtos em mais de 15 mil lojas. “Muitos macacos são retirados de suas famílias quando são apenas bebês. Eles recebem coleiras rígidas de metal e são mantidos acorrentados ou amarrados por longos períodos”, frisa a entidade.

E acrescenta: “Esses animais inteligentes lentamente perdem a cabeça. Levados ao desespero, andam e circulam sem parar em trechos de terra cheios de lixo.”

Amarrados pelo pescoço com uma coleira de metal, os macacos são forçados a subirem em árvores para coletar até mil cocos por dia, segundo a PETA.

Caninos removidos quando ficam agressivos

A investigação revela ainda que quando eles começam a resistir ou se mostram agressivos pode ser que seus dentes caninos sejam removidos “para facilitar o trabalho”.

“Um investigador viu macacos sendo transportados em gaiolas apertadas com espaço insuficiente para se virarem. Também testemunhou outros em gaiolas trancadas na traseira de uma caminhonete, sem abrigo contra a chuva forte. Um macaco foi visto freneticamente balançando as barras da gaiola em uma tentativa de escapar.”


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>