• Home
  • Porca tratada como objeto em rifa é salva e procura novo lar em SC

Porca tratada como objeto em rifa é salva e procura novo lar em SC

0 comments

Peppa, como passou a ser chamada, está vivendo em um lar temporário enquanto aguarda pela adoção definitiva


Tratada como um objeto, uma porca foi rifada em Palhoça (SC). O destino dela mudou, no entanto, quando ela foi salva pela ganhadora da rifa. Peppa, como passou a ser chamada, agora espera por um novo lar.

Foto: Arquivo Pessoal

A porca foi rifada por uma família de agricultores para ajudar a pagar a festa de aniversário da filha. O animal seria morto para que sua carne fosse consumida durante as comemorações de Réveillon. As informações são do portal NSC Total.

Ao comprar um número da rifa, farmacêutica Cris Trautmann prometeu que salvaria a vida da porca se ganhasse. “Quando cheguei em casa, combinei com meu marido que, caso ganhasse, a porquinha não iria virar comida”, disse.

No dia 28 de dezembro, saiu o resultado. Cris havia ganhado a rifa e cumpriu a promessa que fez, pedindo aos agricultores que não matassem Peppa. Como mora em um apartamento, a farmacêutica não pode abrigar o animal e, por isso, busca um lar para ela.

Num primeiro momento, a porca ficou no sítio dos agricultores. No entanto, eles informaram que não poderiam ficar com ela por tempo indeterminado porque vivem de agricultura familiar e não têm condições financeiras para sustentar o animal.

No último sábado (4), Cris conseguiu lar temporário para a porca em uma propriedade rural na cidade de Alfredo Wagner. A procura por um adotante, porém, continua. E alguns interessados surgiram, inclusive dois santuários localizados em São Paulo. Cris, no entanto, não tem dinheiro para pagar o transporte, que é caro.

“Se chegou a nós, temos uma missão. Não posso salvar todos, mas se fui sorteada, e o prêmio era esse, tenho um dever com ela e quero dar uma vida digna”, concluiu Cris.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>