• Home
  • Nova York proíbe o comércio e a importação de partes de girafa

Nova York proíbe o comércio e a importação de partes de girafa

0 comments

Foto: Pixabay/Alexas Fotos
Foto: Pixabay/Alexas Fotos

O estado de Nova York, nos Estados Unidos, proibiu o comércio de partes do corpo de girafas. É o primeiro estado do mundo a fazê-lo, relata a ONG Humane Society dos Estados Unidos (HSUS).

No início deste mês, o governador de Nova York, Andrew M. Cuomo, assinou o projeto de lei – apresentado pelo membro da assembleia da cidade, Steve Englebright, e pela senadora Monica Martinez – transformando-o em lei.

O projeto foi apresentado inicialmente após uma investigação da HSUS, que descobriu que pelo menos 51 revendedores nos Estados Unidos estavam vendendo peças e produtos de girafas na internet. Verificou-se que as empresas de Nova York vendiam vários produtos – incluindo cabos de facas de osso de girafa e capas de bíblias feitas com pele de girafa.

As girafas são uma espécie vulnerável, com apenas 68 mil indivíduos maduros atualmente na natureza. A destruição de habitats, a caça pela carne de animais selvagens (carne-da-mata) e a caça de troféus contribuíram para o declínio das espécies de girafa. Os EUA, especificamente, contribuíram significativamente com a última ameaça.

De acordo com a Humane Society International, todos os dias, pelo menos um troféu de girafa é importado para os EUA. Nos anos entre 2006 e 2015, cerca de 40 mil artigos de girafa foram trazidos para o país.

Nova York em defesa dos animais

“Agradecemos ao governador Cuomo e Nova York por protegerem as girafas hoje”, escreveu Kitty Block – presidente e CEO da HSUS – em um comunicado à imprensa no início deste mês. “Agradecemos a eles por mostrar como os estados podem desempenhar um papel na conservação dessa importante espécie”.

Ela continuou: “Nenhuma girafa deveria morrer por um cabo de faca ou um casaco, e não podemos deixar de agir para acabar com o papel de nossa nação no tráfico de partes do corpo de girafas”.

Não é a primeira vez que Nova York defende os animais este ano. Em novembro, a cidade de Nova York proibiu o “foie gras”. A iguaria francesa é feita mediante a exploração e o sofrimento de patos e gansos que são alimentados à força até que seus fígados se expandam para um tamanho não natural.

Em julho, o estado de Nova York se tornou o primeiro a proibir a amputação de garras de gatos. O processo – chamado onicectomia – envolve a amputação dos dedos de um gato até a primeira articulação, para que eles não arranhem móveis ou humanos. O procedimento tem sido amplamente criticado por razões de bem-estar animal.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>