• Home
  • Rinha de cães em Mairiporã (SP) fazia parte de torneio internacional

Rinha de cães em Mairiporã (SP) fazia parte de torneio internacional

1 comments

O delegado que investigou o caso classificou a rinha desarticulada pela polícia como “um ritual macabro”


A rinha de cachorros que foi desarticulada pela polícia em Mairiporã (SP) integrava um torneio internacional, segundo o delegado Matheus Layola, da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) em Curitiba (PR), que faz parte das investigações.

Foto: Polícia Civil do Paraná/Divulgação

“Ano passado a disputa foi na República Dominicana, esse ano no Brasil e ano que vem provavelmente seria em outro país. Eles eram extremamente organizados. Na camiseta do evento tinha a pesagem de cada animal. As apostas, além de físicas, também eram feitas pela internet, em grupos fechados do mundo inteiro”, explicou.

Na rinha, denominada Circuito Internacional 4 x 4, havia premiação com troféu e dinheiro, apostas online e separação de categorias entre machos e fêmeas. No evento realizado em outubro na República Dominicana, um cachorro do Paraná venceu as brigas. As informações são do portal Tribuna PR.

“Temos informação de que queriam comprar este animal por R$ 50 mil, mas o criador não vendeu”, afirmou o delegado. Os cães podem ser vendidos, segundo o delegado, por até R$ 200 mil.

Os cães eram criados por um homem do bairro Capão da Imbuia, em Curitiba (PR), e treinados em São José dos Pinhais (PR). Os filhotes eram selecionados geneticamente e, ao serem preparados para as lutas, eram forçados a fazer esteira, natação, além de consumirem suplementos alimentares e anabolizantes. Antes das brigas, eles ficam sem água e comida, para se manterem estressados e, consequentemente, mais agressivos com outros cães, por conta da fome e da sede.

“Era uma cena de terror. Tinha cachorro morto, cachorro machucado, cachorro que era morto e assado para eles comerem”, afirmou Layola. A carne era usada para instigar os cães e para consumo do próprio público da rinha.

“Parecia um ritual macabro. A médica veterinária que nos acompanhou foi quem disse que a carne assada era de cachorro. A gente inicialmente não acreditou”, completou.

Foto: Gerson Klaina / Tribuna do Paraná

Alguns cães apresentam escoriações, outros cinco estão em estado grave de saúde. Um deles estava tão machucado que urinou sangue.

O crime foi descoberto após a Polícia Civil do Paraná começar a investigar o criador e o treinador dos cães. Em seguida, os policiais paranaenses pediram ajuda à polícia de São Paulo. Cerca de 100 policiais participaram da operação que desarticulou a rinha em Mairiporã.

Foram presas 35 pessoas no local e outras cinco, que tinham fugido, foram detidas em seguida. Eles irão responder por associação criminosa, maus-tratos a animais com agravante de morte e prática de jogo de azar.

Os cães foram entregues para ONGs de proteção animal. “Pelas imagens, dá para ver que eles são extremamente dóceis com humanos. A gente chegava perto, eles ficavam com os rabinhos abanando, mesmo bastante machucados. Mas se colocar esses cachorros perto de outros animais, eles se matam”, concluiu o delegado.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. gostaria de adotar um desses pitbuls encontrados na rinha, eu perdi a minha cachorra tambem pit bul morreu de velhice, chama se fiona sinto falta dela.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>