• Home
  • Cachorrinho arteiro destrói tudo na casa mas é o melhor amigo de sua tutora mirim

Cachorrinho arteiro destrói tudo na casa mas é o melhor amigo de sua tutora mirim

0 comments

Foto: Joy Loft
Foto: Joy Loft

Um cachorro travesso ameaça arruinar o Natal destruindo tudo em sua casa – mas sua tutora o ama incondicionalmente. Joy Loft trouxe o cãozinho Porridge para viver em sua casa em 2017 – seu filho Chris teve a ideia depois que seu velho cão resgatado morreu de câncer.

A família suspeita que Porridge era um “filhote de Natal”, cães dados de presente e depois das festas levados para um abrigo quando os tutores presenteados se cansam deles. Mas Joy, que tem 56 anos e mora em Doncaster, South Yorkshire (Inglaterra), claramente tem um nível de tolerância muito mais alto e está disposta a aguentar todo tipo de “arte” por seu amor a esse cão.

Porridge, de três anos, conseguiu causar uma grande quantidade de destruição em sua curta vida. No ano passado, Porridge derrubou a árvore de Natal e se enroscou nos enfeites e nas luzes. Ele comeu as almofadas de três sofás diferentes – espalhando o recheio por todo o chão.

Foto: Joy Loft
Foto: Joy Loft

O filhote arteiro rasgou um saco de areia de gato e um saco de sementes de pássaros. Ele destruiu infinitos rolos de papel higiênico e até mastigou sapatos caros: “Ele mastigou meu tablet e celular – incluindo três cartões bancários que estavam na carteira” – acrescenta Joy.

“Ele destruiu vários ursinhos da minha neta, vive comendo tiras nas sandálias e botas, tive que costurá-los todos. Ele consegue acabar com um cabide quase todos os dias. Tenho certeza que ele gosta de ouvi-los quebrar. Nada esta seguro nas bancadas da cozinha e você não pode ficar tranquilo achando que ele não pode chegar lá – porque ele pode. A quantidade de vezes que me virei para pegar algo e descobri que uma fatia de torrada, ou meu sanduíche haviam desaparecido. Escondemos coisas no micro-ondas, no forno e na lixeira”, conta a tutora.

Foto: Joy Loft
Foto: Joy Loft

Porridge também adora procurar lanches – e até engoliu garrafas de refrigerantes, embalagens de leite e caixas de cereal. Joy diz que tem uma maneira única de lidar com o comportamento dele: “Meu mantra é um grito de pânico e depois ‘Porridge, seu pequeno safado. Devolva!’. E então tento encurralá-lo, geralmente no final do jardim ou na varanda, dependendo do clima – e eu tento abrir suas mandíbulas, enquanto luto com ele e tento recuperar o que ele encontrou e reivindicou como sendo dele”

Às vezes, o cachorrinho arteiro resgatado se mete em perigos reais, colocando a coisa errada na boca: “Ele tentou se matar comendo uma caixa de veneno de rato que eu tinha esquecido que tínhamos”, lembra Joy. “Ele encontrou a sacola na parte de trás da despensa enquanto eu fazia arroz”.

“Meu filho e eu passamos as duas horas seguintes e gastamos mais de 300 libras nos veterinários com ele – fazendo com que ele vomitasse. Estávamos até tentando economizar um pouco com comida, cozinhando nosso próprio arroz”.

Foto: Joy Loft
Foto: Joy Loft

Mas esse filhote irrequieto tem uma séria fraqueza quando se trata da neta de Joy, Alex. Na verdade, ele é completamente apaixonado pela menina de cinco anos.

“Ela tinha apenas três anos quando o pegamos, e eu não sei se é porque ela é pequena em tamanho ou jovem, mas ele apenas sabe que precisa ter cuidado com ela. Alex sempre quer sentar na mesma cadeira que ele no café da manhã. Ela puxa e empurra comida para ele, enfia a mão na boca dele para tentar recuperar seus brinquedos – e Porridge não faz nada. Ele a deixa fazer qualquer coisa. E quando ela fica doente. Ele fica grudado nela”.

Foto: Joy Loft
Foto: Joy Loft

Joy diz que, quando descobre que algo foi pego por Porridge, ela solta um suspiro profundo. E não há espaço seguro – ele até aprendeu a abrir com o portão infantil no quarto dela. “Ele aprendeu que, se pressionasse para cima e para baixo, no lugar certo, poderia abri-lo”, explica Joy. “Eu sei quando ele está lá, porque eu posso ouvi-lo atacando meus travesseiros – e quando ele sai, ele está sempre abanando o rabo, e eu fico com uma cama desarrumada!”.

Foto: Joy Loft
Foto: Joy Loft

Joy diz que, apesar de tudo, ela ama Porridge, porque “é isso que você faz quando tem um cachorro. Li em algum lugar que um cachorro faz parte de nossas vidas, mas somos toda a vida deles. Algo parecido”.

“Se você vai começar a brigar com ele porque seu cachorro mastigou alguma coisa ou fez cocô na casa – não tenha um. Trato isso como um risco ocupacional. E certamente nem tudo é destruição”. Porridge acrescenta muito amor e companheirismo à vida de Joy – e ela não o trocaria por nada no mundo. “Quando me sento com uma xícara de chá, ele me olha até eu me sentar e ele poder se aconchegar comigo”. As informações são do METRO UK.

Foto: Joy Loft
Foto: Joy Loft

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>