• Home
  • Instituto de Pesquisa do Câncer afirma que alimentação vegana ajuda na prevenção da doença

Instituto de Pesquisa do Câncer afirma que alimentação vegana ajuda na prevenção da doença

0 comments

Foto: Livekindly
Foto: Livekindly

A organização britânica Cancer Research UK (Instituto do Câncer do Reino Unido) está incentivando as pessoas a abandonar a carne e adotar uma alimentação vegana para ajudar a prevenir a doença.

O Cancer Research UK desenvolve políticas e financia cientistas, médicos e enfermeiros para ajudar a “vencer o câncer o quanto antes”. Sua missão ambiciosa é reduzir o número de mortes por câncer.

A entidade de pesquisa e conscientização acaba de lançar uma campanha que incentiva as pessoas a “aceitarem o compromisso vegano” e se tornarem veganas ou vegetarianas durante o mês de novembro. A campanha “Vegan Pledge”(Compromisso Vegano) tem como objetivo arrecadar dinheiro para a pesquisa do câncer, mas também pode beneficiar a saúde dos participantes, segundo a instituição.

“Comer muita carne processada e vermelha pode aumentar o risco de câncer de intestino. Se você come muito, é uma boa ideia tentar reduzir o consumo desse item”, escreve o instituto em seu site.

Em 2015, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a carne vermelha – incluindo carne bovina, suína, cordeiro e vitela – como cancerígena do Grupo 2, o que significa que provavelmente causa câncer em seres humanos. A OMS classificou a carne processada – como bacon, presunto, cachorro-quente, salsicha e carne seca – na conhecida categoria carcinogênica do Grupo 1. Essa é a mesma categoria em constam o tabaco e o amianto.

Câncer e fibra

Comer menos carne pode ajudar as pessoas a consumir mais fibras, afirma o Cancer Research UK. “Quando você reduz a carne, sobra mais espaço no seu prato para alimentos ricos em fibras, como vegetais, cereais integrais e legumes como lentilhas e feijões, que são todos alimentos ricos em fibras que reduzem o risco de câncer”, explica a entidade.

A carne, por natureza, contém zero grama de fibra. No início deste ano, pesquisadores da Universidade de Otago descobriram que alimentos ricos em fibras poderiam reduzir o risco de várias doenças. Eles analisaram dados de 185 estudos para descobrir que indivíduos que consomem mais fibras têm um risco reduzido de 16 a 24% de desenvolver câncer de cólon, diabetes tipo 2 e derrame. Eles também têm menos risco de morrer prematuramente em 15 a 30%.

A Cancer Research UK diz que fazer parte da campanha do Veg Pledge (Compromisso Vegano) também pode ajudar as pessoas a “economizar dinheiro, aprender novas receitas, tornarem-se mais sustentáveis e arrecadar fundos para pesquisas que salvam vidas”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>