• Home
  • Pet shop é condenada a indenizar tutora após cão morrer durante banho

Pet shop é condenada a indenizar tutora após cão morrer durante banho

0 comments

O cachorro, que tinha cinco meses de idade, morreu após sofrer uma queda


O Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo (TJES) condenou uma pet shop a indenizar a tutora de um cachorro em R$ 3 mil após o animal sofrer uma queda e morrer no estabelecimento. O caso aconteceu em Vila Velha.

Foto: Pixabay/Ilustrativa

O cão, de apenas cinco meses, havia sido levado ao local, segundo informações do site oficial do TJES, para tomar banho. No entanto, trinta minutos depois, a tutora recebeu uma ligação do estabelecimento por meio da qual foi informada que o animal havia morrido e que ela deveria buscar o corpo.

De acordo com a cliente, um funcionário responsável por dar banho no filhote falou com ela por telefone e demonstrou culpa pelo ocorrido. Segundo ela, após insistir, a responsável pela pet shop lhe deu um documento no qual constava a informação de que o filhote havia dado entrada na clinica com parada cardiorrespiratória, versão que a tutora contesta, já que, de acordo com ela, o animal chegou ao local com a saúde perfeita.

Um outro laudo apresentado pela tutora demonstra que o animal sofreu lesões cranianas recentes associadas a uma contusão e, entre outros fatores, apresentou hemorragia e edema cerebral agudos.

A veterinária, em sua defesa, alegou que, embora a clínica e a pet shop se apresentem como uma única empresa, são estabelecimentos distintos que apenas funcionam um ao lado do outro. Disse ainda que, depois que um funcionário da pet shop deixou o cão cair, ele o levou à clínica, onde a tentativa de ressuscitação foi feita, mas sem sucesso. Sob essas alegações, a veterinária afirmou que ela e a clínica não são responsáveis pela morte do animal.

Por ter sido foco de um processo administrativo aberto pela tutora do cão no Conselho de Medicina Veterinária, a profissional também entrou com uma contra-ação para pedir que a mulher lhe pagasse indenização por danos morais. Segundo ela, o processo foi julgado improcedente pelo Conselho, mas prejudicou sua imagem. Ela alegou também que foi ofendida em um programa de rádio do qual a tutora do animal participou.

Na decisão judicial, o magistrado concluiu que a clínica veterinária e a pet shop falharam na prestação de serviços e os condenou a pagar R$ 10 mil em indenização por danos morais. Já o pedido de indenização contra a médica veterinária foi julgado improcedente pelo juiz, que considerou que a profissional prestou os primeiros socorros ao cão de maneira adequada.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>