• Home
  • Indústria do couro teme a ascensão dos alternativos veganos

Indústria do couro teme a ascensão dos alternativos veganos

0 comments

A conscientização em relação aos direitos animais, saúde e meio ambiente está crescendo – com ela, o conhecimento sobre veganismo também aumenta. As pessoas estão cada vez mais buscando alternativas veganas para produtos animais, sejam eles comida ou outros produtos, como o couro.

Vários produtos de couro - sapatos, cintos, carteira, maleta, relógio, pulseira
Foto: Adobe

A indústria global de couro vegano foi avaliada, em 2017, em 25,61 bilhões de dólares (quase 100 bilhões de reais). As estimativas dizem que, em 2025, a indústria custará 45,41 bilhões de dólares (mais de 170 bilhões de reais). O material, sustentável e livre de crueldade, é produzido com maçã, cogumelo, cortiça, abacaxi etc.

Apesar de a indústria de couro animal ainda ser avaliada em um valor muito maior, a taxa de crescimento do couro vegano é superior e uma verdadeira ameaça. A concorrência acabou assustando a indústria do couro animal, que partiu para estratégias defensivas.

A Federação de Couro Alemão alegou que rotular produtos não animais como couro é enganoso. O Plant Based News destacou o fato de que a indústria de couro usou termos enganosos por muito tempo – a palavra couro, inclusive, foi criada porque “pele de vaca” não seria bem aceito na sociedade. Os matadouros são descritos como “instalações de processamento”, para que o consumidor desconecte quaisquer relações que o produto tenha com a crueldade animal.

Além disso, o couro animal é constantemente rotulado como “ético” e livre de crueldade – mas é, literalmente, a pele de animais assassinados. A indústria também alega que o produto é sustentável, mas apesar da pele animal ser biodegradável, o couro passa por um processo que impede a biodegradação – sapatos de couro de até 5.500 anos já foram encontrados, intactos. O couro animal foi considerado, pela Agenda Global de Moda, o material que causa mais impacto no planeta a ser produzido.

Dennis King, diretor executivo da Associação Australiana de Exportadores de Couro, Pele e Couro, afirmou que a moda é suscetível à influência de ativistas. “Nos últimos anos, vimos grandes marcas globais deixarem de usar couro em favor de… alternativas”, disse ele.

Houve um aumento de 75% no consumo de produtos veganos no Reino Unido e um crescimento de 320% na Dinamarca.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>