• Home
  • Políticos e ativistas exigem proibição da caça de troféus

Políticos e ativistas exigem proibição da caça de troféus

0 comments

Dezenas de políticos e ativistas em defesa dos direitos animais estão pedindo a proibição da caça de troféus de espécies ameaçadas – como elefantes, girafas, rinocerontes etc.

Um rinoceronte andando atrás de seu filhote
Foto: AFP/Getty

A caça comercial é proibida pela Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies Ameaçadas (CITES, na sigla em inglês). A caça de troféus, no entanto, é permitida – por não ser considerada comercial.

Parlamentares e grupos em defesa dos direitos animais – mais de 50 cada – pediram, no dia 18, que a CITES aprove uma proibição mais ampla e que proteja os animais.

Uma carta com mais de 100 assinaturas foi entregue à secretária-geral da CITES, Ivonne Higuero, durante a conferência global da vida selvagem, que teve início no dia 17 e acontecerá até o dia 28 de agosto.

As caças de troféus não eram tópico na discussão da conferência, mas a carta convidou a CITES a tratá-la da mesma forma que trata os outros tipos de caça. “Um número considerável de troféus de espécies é comercializado todos os anos, incluindo troféus de espécies ameaçadas de extinção”, acrescenta a carta, que também pede pela proibição da prática de criação de leões em cativeiro, para que sejam mortos pelos caçadores de troféus no futuro.

A decisão de protestar contra a caça dos troféus veio depois que caçadores dominaram manchetes e redes sociais em uma foto, posando com uma girafa morta. Muitas celebridades se colocaram contra a crueldade, inclusive o comediante Ricky Gervais – conhecido por defender os direitos animais constantemente nas redes sociais.

Uma girafa morta ao lado de dois caçadores
Foto: Facebook/Um lilo Safari

Os países que vendem licenças para as caças de troféus argumentam que os lucros adquiridos com a prática são utilizados para a conservação de espécies ameaçadas.

“A brecha que permite que os caçadores de troféus matem espécies ameaçadas deve ser fechada imediatamente”, disse Eduardo Gonçalves, fundador da campanha Ban Trophy Hunting.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>