• Home
  • Égua é sacrificada após agonizar por horas com fratura exposta em Teresina (PI)

Égua é sacrificada após agonizar por horas com fratura exposta em Teresina (PI)

0 comments

Uma égua foi sacrificada após ser encontrada com fratura exposta nas quatro patas em Teresina, no Piauí. O animal agonizou por mais de 6 horas até receber atendimento veterinário.

“Não sabemos se foi acidente ou se ela caiu numa vala e quebrou as patas tentando sair. Isso aconteceu por volta de 3h da madrugada. O Corpo de Bombeiros veio às 8h e o Centro de Zoonoses depois das 9h. Foi muito tempo de espera. Todos ficamos tristes e comovidos com o sofrimento do animal”, disse o morador Alyson Jhones.

Foto: Pixabay/Ilustrativa

Jhones disse ainda que, antes de ser sacrificada, a égua foi “enforcada” com uma corda. “Não precisava disso. Ela já estava sofrendo por horas. Para quê passar aquela corda no pescoço do animal que não tinha mais força. Foi muito triste. Muitas pessoas se comoveram, choraram com aquela cena”, lamentou o Jhones. O tutor da égua não foi identificado.

O médico veterinário Marlon de Araújo Castelo Branco, do Centro de Centro de Controle de Zoonoses de Teresina, afirmou ao blog Bicharada, do portal Cidade Verde, que a égua foi sacrificada para que tivesse seu sofrimento interrompido.

“O animal estava em sofrimento. Em casos como o dela, com fratura exposta nas patas, a recomendação do Conselho de Medicina Veterinária é o sacrifício. Não é como um animal pequeno em que podemos fazer uma cirurgia. Não existe tratamento, por isso o sacrifício. A corda foi colocada para evitar que o animal se debatesse, pois estava sentindo muita dor. Foi aplicada uma pré-anestesia, anestesia geral e quando o animal já estava dormindo foi dada uma injeção letal de cloreto de potássio”, explicou o veterinário.

Em relação à demora pra prestar socorro à égua, o veterinário afirmou que o CCZ só presta atendimentos das 8h às 12h e das 14h às 17h30. “Não tem equipe de plantão. Se acontece algo de madrugada ou à noite, só podemos ir no horário de funcionamento”, disse.

Pedidos de resgate de animais de grande porte devem ser feitos ao CCZ através do telefone 86 3215 9143.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>