• Home
  • Cachorrinha caminha 200 km para retornar ao tutor que a rejeitou

Cachorrinha caminha 200 km para retornar ao tutor que a rejeitou

0 comments

Foto: Darya Stulinskaya/The Siberian T
Foto: Darya Stulinskaya/The Siberian T

Uma cachorrinha leal e ferida caminhou 200 quilômetros pelas florestas siberianas na Rússia, evitando ursos e lobos enquanto tentava desesperadamente ir para casa, encontrar o tutor que a rejeitou.

Maru, um Bullmastiff de um ano de idade, tinha sido colocada no trem trans-siberiano para levá-la de volta ao abrigo onde ela morava depois que seu tutor havia dito que era alérgico a ela e não queria mais ficar com ela.

Mas ela conseguiu escapar do trem, que estava indo para o oeste de Krasnoyarsk para Novosibirsk, quando ela usou suas patas para abrir uma porta do compartimento e fugiu quando vagão parou em uma estação remota perto de Achinsk.

A equipe de trem gritou desesperadamente após o Maru pular da plataforma, mas sem sucesso.

Em Novosibirsk, a responsável pelo abrigo de onde Maru veio, Alla Morozova, organizou uma equipe de busca para encontrar a cachorrinha perdida e pediu informações dela nas mídias sociais.

E surpreendentemente, dois dias e meio depois, Maru foi descoberta, exausta e ferida em uma propriedade industrial, perto da casa do tutor que a havia rejeitado após apenas seis meses de convivência.

A cachorrinha parecia estar “em lágrimas” quando foi encontrada.

Foto: Darya Stulinskaya/The Siberian T
Foto: Darya Stulinskaya/The Siberian T

Ela tinha ido cuidadosamente para o leste ao lado da ferrovia Transiberiana – a mais longa do mundo – e atravessou 125 milhas (cerca de 200 km) de campos selvagens.

Alla disse ao The Siberian Times: “Felizmente, nem ursos nem lobo a atacaram”.

“A cachorrinha estava muito cansada”.

“Ela estava mancando, suas patas estavam quebradas. As almofadas dos pés dela estavam danificadas. Seu focinho estava quebrado.”

Foto: Darya Stulinskaya/The Siberian T
Foto: Darya Stulinskaya/The Siberian T

O animal de estimação exausto caiu em um aterro de estrada de ferro em Krasnoyarsk antes de ser encontrado e reconhecido.

A equipe de funcionários do trem disse a Alla que Maru havia sofrido um “ataque de pânico” e estava “assustada” com o barulho do trem e com a distância de sua casa e de seus tutores.

Quando o trem parou, ela “pulou na porta do compartimento, chutou a alça para abri-la e quase jogou o condutor para fora do caminho.

Foto: Darya Stulinskaya/The Siberian T
Foto: Darya Stulinskaya/The Siberian T

“Ela pulou como uma bala”, disseram eles.

“Quando a porta se abriu para a plataforma, ela saltou direto para a noite, para a taiga [floresta pantanosa da Sibéria]”.

Alla está convencida de que a cachorrinha teria voltado para sua antiga casa a vários quilômetros de distância, se não fosse por seus ferimentos.

Maru esta sendo levada de volta ao abrigo de carro por uma amiga de Alla.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>