• Home
  • Empresário pede proibição do uso de redes de pesca para proteger a fauna marinha

Empresário pede proibição do uso de redes de pesca para proteger a fauna marinha

0 comments

O empresário e fundador do grupo Virgin Group, Richard Branson, declarou que é preciso fazer mais para proteger o oceano e sua vida marinha.

Em uma recente viagem ao estado de Belize, na América Central, ele se reuniu com o primeiro-ministro da nação Dean Barrow para discutir estratégias de proteção oceânica, de acordo com um post no blog de Branson.

Ele pediu ao primeiro-ministro que proíba a pesca com rede de emalhe, citando a prática como “uma forma horrenda de matar muitas, muitas e muitas espécies no fundo do mar que não deveriam ser mortas”.

O primeiro-ministro observou a importância do oceano para Belize – seu povo, economia e futuro, deixando Branson otimista sobre a mudança ambiental.

“Estamos esperançosos de um anúncio muito positivo antes do Ano Novo. Pode ser um maravilhoso presente de Natal para o mundo”, escreveu ele em seu blog.

Richard Branson se reuniu com o primeiro-ministro de Belize e propôs medidas de preservação marinha (Foto: Live Kindly)

Ele também disse que espera que Belize crie uma reserva natural “massiva” no oceano, cobrindo até 10% de suas águas.

Também durante a viagem, Branson e sua equipe deram apoio à Ocean Unite, uma organização que alerta sobre a conservação dos oceanos e a importância de “proteger fortemente” pelo menos 30% do oceano até o ano 2030.

Consequências históricas

Branson teve a oportunidade de dar um mergulho no fundo do Blue Hole em Belize, feito de um complexo sistema de cavernas que se formou anos atrás em terra seca.

“É uma prova de como os oceanos podem subir rapidamente e de forma catastrófica”, disse Branson, acrescentando que os níveis do mar costumavam ser centenas de metros mais baixos do que são agora.

Ele conta que quando uma grande quantidade de gelo derreteu ao redor do mundo, cerca de dez mil anos atrás, o nível do mar subiu cerca de 300 pés.

Enquanto mergulhava, Branson alcançou essa marca e pôde ver a mudança na rocha que costumava ser terra. “Foi um dos maiores lembretes do perigo da mudança climática que eu já vi”, observou ele.

“Quanto aos monstros míticos das profundezas? Bem, os verdadeiros monstros voltados para o oceano são a mudança climática e o plástico ”, disse Branson, revelando que ele e a equipe viram garrafas de plástico no fundo do buraco.

“Todos nós precisamos nos livrar do plástico de uso único”, afirmou ele.

A linha de cruzeiros do Virgin Group, chamada Virgin Voyages, deve lançar seu primeiro navio em 2020. Ele se esforça para operar seus sistemas da maneira mais ecológica possível, sem nenhum plástico a bordo.

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>