• Home
  • PETA compra ações da plataforma Farfetch para banir venda de pele animal

PETA compra ações da plataforma Farfetch para banir venda de pele animal

0 comments

A PETA comprou ações da plataforma de varejo de moda de luxo on-line Farfetch em uma tentativa de influenciar suas políticas de bem-estar animal.

Tornar-se um acionista significa que a organização pode enviar representantes para reuniões anuais e, oficialmente, pedir que finalize a venda de roupas de pele em seu site.

“A indústria de peles está voltada para os livros de história, já que os designers modernos e de alta qualidade estão dizendo não às peles e sim aos tecidos veganos belos e inovadores”, disse a diretora de projetos corporativos da PETA, Yvonne Taylor.

De acordo com a organização, a Farfetch inclui produtos feitos de raposas, coiotes, chinchilas e texugos. Existem também opções de roupas com peles para crianças.

A marca Farfetch vende produtos com pelos de animais, como esse casaco de pele de coelho (Foto: Farfetch)

A caridade acrescenta que os animais em fazendas de peles são “confinados em pequenas gaiolas de arame, negadas a oportunidade de fazer qualquer coisa que seja natural e importante para eles, e mortas por eletrocussão, quebra de pescoço ou afogamento. Alguns são mesmo esfolados vivos”.

A PETA diz que pesquisas de opinião mostram que 95 por cento dos britânicos jamais usariam peles de verdade.

Essa antipatia pública em relação ao tecido levou a uma avalanche de grandes designers abandonando o tecido, incluindo Versace, Belstaff e Burberry, entre outros. Além disso, pela primeira vez, a London Fashion Week ficou livre de peles em setembro.

A PETA não divulgou quantas ações comprou e nem o quanto pagou por elas.

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>