• Home
  • Bebê elefante é afastada da mãe e trancada em um quarto de concreto

Bebê elefante é afastada da mãe e trancada em um quarto de concreto

0 comments

| Foto: Wildlife SOS

Em um caso grotesco de brutalidade contra animais, um comerciante, explorador de animais e morador de Jaipur, na Índia, chamado Ballu Khan, foi acusado de separar a bebê elefante de seis anos, “Suman”, de sua mãe e trancá-la em uma sala de concreto. De acordo com um relatório da Wildlife SOS Elephant Conservation & Care Center – ONG que resgata animais selvagens – , Khan frequentemente bate de forma impiedosa nos elefantes com um machado, e até mesmo já chegou a queimar os pés da mãe da bebê elefante.

A ONG descobriu que Khan comprou os elefantes em transações envolvendo muito dinheiro e a fonte de sua renda é desconhecida. A mãe da bebê elefante Suman se chama Chanda, e também está em cativeiro graças a Khan. Ela é forçada a carregar turistas em suas costas no famoso ponto turístico Amer Fort, no calor escaldante de Jaipur. O pai de Suman, Bijli, também é abusado por Khan em Jaipur. “A crueldade e a dor bárbaras infligidas a esses elefantes estão impunes em nosso país”, disse inconformado o funcionário da equipe de resgate da SOS.

De acordo com um relatório da ONG, todos os três elefantes foram comprados por Khan do Circo Moonlight e levados para o Rajastão de forma ilegal.

“Khan violou o Ato de Proteção à Vida Selvagem de 1972 da Índia, uma ofensa séria e punível”, disse um ativista da equipe SOS. “Ele consegue escapar das autoridades do imposto de renda e ainda lucrar muito com seu negócio de tráfico. Khan recebeu altos pagamentos em dinheiro pelo uso do bebê elefante em uma série de TV, onde ela foi explorada e além disso a lei foi violada, ele tem se safado de tudo e continua a expandir seus negócios maléficos”, acrescentou.

O Animal Welfare Board (AWB, na sigla em inglês) se opôs publicamente ao ato covarde de Khan. “A série de TV foi tirada imediatamente do ar quando a AWB se opôs”, disse o funcionário da SOS.

Um documentário intitulado “Onde o elefante dorme”, dirigido por Kornetzsky, expôs uma série de maus-tratos aos elefantes. Enquanto isso, a ONG SOS lançou uma campanha global para chamar a atenção para a situação deste jovem elefante.

“Cerca de 35.000 pessoas assinaram um pedido e uma proposta dirigido às autoridades do Rajastão pedindo que sejam tomadas medidas contra os infratores e que a pobre bebê elefante seja resgatada”, disse o funcionário da SOS.

A dor da separação de Suman de sua família é tão grave que ela está em severo trauma e é vista balançando a cabeça constantemente em estresse. “Este comportamento estereotípico comprova as duras condições em que ela foi mantida”, declara um funcionário da ONG

“Ignorar essa situação só legitima a caça de elefantes na natureza para o cativeiro ainda mais. Os elefantes são animais da herança da Índia e salvaguardados pela lei do país. A venda, compra, posse e tráfico de elefantes é um crime com punição prevista de até 7 anos de prisão”, disse o representante da ONG.

“É imperativo que Suman seja resgatada imediatamente junto com sua mãe Chanda e seu pai Bijli e se reúna a sua irmã Peanut e ao resto de sua família que estão levando uma vida feliz no Wildlife SOS Elephant Conservation & Care Center, em Mathura”, conclui o representante da ONG.

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>